gazeta de varginha - 06/02/2015

Download Gazeta de Varginha - 06/02/2015

Post on 07-Apr-2016

224 views

Category:

Documents

7 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 9.168

TRANSCRIPT

  • Mx: 27 / Mn: 18

    Carnaval de rua de Varginhatem incio nesta sexta-feira

    EDIO 9.168R$ 1, 00 VARGINHA, 06 DE FEVEREIRO DE 2015

    Festa antecipada ter trs dias e ser realizada no centro da cidade, em frente Concha

    49ANOS

    Revelando Verdades

    gazetadevarginha@gmail.comwww.jornalgazetadevarginha.com facebook.com/gazetavga

    pgina 02

    PONTO DE VISTA

    DEUS FIEL

    1965 - 2014

    Nvel de Furnas fica abaixo de 10%

    e se aproxima do risco de colapso

    local/pgina 05

    Josu 14

    A terra de Cana distribuda por sorte

    local/pgina 03

    Comea hoje, sexta-feira (6/2), o ET Folia, ocarnaval antecipado deVarginha. Durante as pr-ximas trs noites (sexta,sbado e domingo), showsna Concha Acstica paraaquecimento e trio eltri-co com banda para animaros folies. Foram contra-tadas as bandas A Zorra,Kixabeira e Swinquei-ra, a um custo de R$ 200mil.

    Segundo o prefeitoAntnio Silva, esta progra-mao antecipada umaao inicial para tentar re-viver os grandes carnavaisdo passado em Varginha.

    AVISO IMPORTANTE

    Prefeitura

    recebe visita

    de empresa

    que gerencia

    Aeroporto

    de Confins

    regional/pgina 10

    regional/pgina 08

    O volume til da re-presa de Furnas atingiu onvel mais preocupante ej h o risco de colapso. o que indicam os dados deum levantamento do

    ONS, que apontam o n-vel do Lago de Furnas em9,35%, segundo mediofeita na tera-feira (3).

    Caminho

    bate em nibus

    e impacto

    derruba muro

    de cadeia

    pgina 09

    O Cartrio Braga 1 Ofcio de Notas deVarginha, Minas Gerais, por sua titular, Celme Re-

    sende Braga, tem o prazer de comunicar que apartir de 9 de fevereiro de 2015, segunda-feira,

    para melhor atender e servir a todos, estar fun-cionando em suas novas instalaes, logo acima

    do Hotel Fencia, onde na antiga sede da Uni-med Varginha, na Praa Getlio Vargas, n 147,

    nesta cidade, onde continuar prestando servi-os de Escrituras, Procuraes, Separaes, Di-

    vrcios, Testamentos, Inventrios, Reconhecimen-tos de Firmas, Autenticaes e outros atos, na

    forma da delegao que lhe foi outorgada.O telefone de contato (35) 3222-3357 e o

    e-mail: cartoriobraga@gmail.com.

    De acordo com osmilitares, o nibus fa-zia a linha entre Var-ginha e Eli Mendes.

  • 06 DE FEVEREIRO DE 201502 | GAZETA DE VARGINHAPONTO DE VISTA

    Gazeta de Varginha LtdaCNPJ: 21.535.075/0001-47

    Telefones:(35)3221-4668

    (35)3221-4845 (fax)

    E-mail:gazetadevarginha@gmail.com

    (redao)gazetacomercial2@yahoo.com.br

    (comercial)

    Site oficial:www.jornalgazetadevarginha.com

    Endereo:Av. dos Imigrantes, 445

    Santa Maria - CEP: 37022-560Varginha/MG

    EquipeDiretora administrativa

    Ana Maria Silva Piva

    Editor e colunistaRodrigo S. FernandesSindjori - MG 312/99

    Departamento comercialJocasta Fvaro eRosemeire Luiz

    Jornalista responsvelRbertson Fidlis

    Reportagem e redaoSrgio Avellar e

    Rbertson Fidlis

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop. de

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI - Associao dosJornais do Interior

    ADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    A redao no respondepor artigos assinados,

    mesmo sob pseudnimos,que so de inteira respon-sabilidade de seus autores.

    Florisval Meino

    O ano se comea e asperspectivas para o Sis-tema nico de Sadeno so as melhores. OCongresso Nacional estpreste a definir o finan-ciamento do SUS atra-vs da PEC do Ora-mento Impositivo, quej foi aprovada em pri-meiro turno em dezem-bro e dever ser subme-tida votao em se-gundo turno ainda noincio de 2015.

    Esta PEC, original-mente se destinava aobrigar o Governo Fe-deral a pagar a verbadestinada aos congres-sistas para seus redutoseleitorais, as chamadasemendas parlamenta-res individuais. No en-tanto, ao tramitar noSenado Federal, emuma manobra estra-nha, a base governa-mental inseriu o finan-ciamento da sadecomo matria vinculadano texto.

    Determina o inves-timento em sade de15% da Receita Lquidada Unio, percentual aser atingido de maneiraescalonada: 13,2% em

    2015 at atingir 15% em2019. Com isto neutra-liza o Projeto de Lei deIniciativa Popular Sa-de + 10, que conseguiumais de dois milhes deassinaturas pela desti-nao de 18,7% da recei-ta lquida.

    A diferena entre asduas propostas dequase 60 bilhes de re-ais, o que seria um re-foro de grande valorpara o SUS. Se aprova-da em segundo turno aproposta do Governo,teremos um acrscimomnimo em relao aoinvestido hoje pelaUnio. Pior ainda, tere-mos definido em nossaConstituio valores in-suficientes a serem apli-cados no futuro, o queser muito difcil rever-ter depois no Congres-so Nacional.

    Considerando o atu-al dficit fiscal e a con-sequente restrio ora-mentria para o ajustedas contas pblicas, ficaclaro que o SUS conti-nuar com suas defici-ncias crnicas penali-zando principalmenteas parcelas da popula-o mais frgeis e vulne-rveis, justamente aque-

    las que mais necessitamde um servio de sadeeficiente.

    Preocupada comesta questo e ciente apremncia de se tentarreverter este processoimposto pela PEC im-positiva, criamos emSo Paulo a Frente De-mocrtica em Defesa doSUS, que conta com aparticipao de diversossetores da sociedade ci-vil. Em reunio ao fimde janeiro, decidimosempreender aes jun-to aos parlamentaresantes da votao finalpara conscientiz-losdos srios prejuzos atoda populao brasilei-ra.

    Lembramos que nopassado o Governo Fe-deral era responsvelpor 70% do financia-mento da sade pbli-ca e hoje aplica em tor-no de 45%, sobrecarre-gando Estados e Muni-cpios, que esto no li-mite de sua capacidadede investimento. Dequalquer forma fica apergunta: Seria estauma manobra para seresgatar a CPMF, o fa-migerado imposto docheque?

    Outro fato marcan-te que merece debate a aprovao, em dezem-bro, da Medida Provis-ria 656. Inicialmente tra-tava de matria tribut-ria e financeira, contu-do foi enxertada commais de trinta temas queno possuem qualquerpertinncia tributao.

    Um deles a autori-zao para o ingresso decapital estrangeiro noshospitais e clnicas. Em1988 nossa Constituiovedava a participao deempresa ou capital es-trangeiro na assistncia sade, com poucas ex-cees, como doaesou cooperao tcnica.Progressivamente foi li-berada de participaoem seguradoras, planosde sade, laboratrios eagora se abre a possibi-lidade de atuar direta-mente nas aes e servi-os de sade.

    O tema polemico,pois de um lado trsnovos recursos com aperspectiva de melhoriatecnolgica e ampliaoda capacidade de inves-timento. Por outro, noh duvida de que estesrecursos veem em bus-ca de lucro, o que pode

    Sade na contramo dos interesses do cidado

    1 - ISTO, pois, oque os filhos de Israeltiveram em herana,na terra de Cana, oque Eleazar, o sacer-dote, e Josu, filho deNum, e os cabeas dospais das tribos dos fi-lhos de Israel lhes fi-zeram repartir,

    2 - Por sorte dasua herana, como oSENHOR ordenara,pelo ministrio deMoiss, acerca dasnove tribos e da meiatribo.

    3 - Porquanto sduas tribos e meia tri-bo j dera Moiss he-

    rana alm do Jordo;mas aos levitas no tinhadado herana entre eles.

    4 - Porque os filhosde Jos eram duas tri-bos, Manasss e Efraim,e aos levitas no se deuherana na terra, senocidades em que habitas-sem, e os seus arrabal-des para seu gado e paraseus bens.

    5 - Como o SE-NHOR ordenara a Moi-ss, assim fizeram os fi-lhos de Israel, e reparti-ram a terra.

    6 - Ento os filhosde Jud chegaram a Jo-su em Gilgal; e Calebe,

    Palavras de Vida

    A terra de Cana distribuda por sorteJOSU 14filho de Jefon o quene-zeu, lhe disse: Tu sabeso que o SENHOR faloua Moiss, homem deDeus, em Cades-Bar-nia por causa de mime de ti.

    7 - Quarenta anostinha eu, quando Moi-ss, servo do SENHOR,me enviou de Cades-Barnia a espiar a terra;e eu lhe trouxe respos-ta, como sentia no meucorao;

    8 - Mas meus ir-mos, que subiram co-migo, fizeram derretero corao do povo; euporm perseverei em

    seguir ao SENHORmeu Deus.

    9 - Ento Moissnaquele dia jurou, di-zendo: Certamente aterra que pisou o teu pser tua, e de teus filhos,em herana perpetua-mente; pois perseveras-te em seguir ao SE-NHOR meu Deus.

    10 - E agora eis queo SENHOR me conser-vou em vida, como dis-se; quarenta e cincoanos so passados, des-de que o SENHOR fa-lou esta palavra a Moi-ss, andando Israel ain-da no deserto; e agora

    eis que hoje tenho j oi-tenta e cinco anos;

    11 - E ainda hoje es-tou to forte como nodia em que Moiss meenviou; qual era a mi-nha fora ento, tal agora a minha fora,tanto para a guerracomo para sair e entrar.

    12 - Agora, pois, d-me este monte de que oSENHOR falou aqueledia; pois naquele dia tuouviste que estavam alios anaquins, e grandese fortes cidades. Por-ventura o SENHORser comigo, para osexpulsar, como o SE-

    NHOR disse.13 - E Josu o

    abenoou, e deu a Ca-lebe, filho de Jefon, aHebrom em herana.

    14 - Portanto He-brom ficou sendo he-rana de Calebe, filhode Jefon o quenezeu,at ao dia de hoje, por-quanto perseverara emseguir ao SENHORDeus de Israel.

    15 - E antes onome de Hebrom eraQuiriate-Arba, porqueArba foi o maior ho-mem entre os ana-quins. E a terra repou-sou da guerra.

    levar a um vis no inte-resse de investir em re-as com maior potenciallucrativo, sem necessa-riamente estar alinhados necessidades de nos-sa populao.

    Uma coisa parececerta: dificilmente estesrecursos sero aplicadosno Sistema nico deSade, cujos hospitaisso altamente deficitri-

    os. Mais uma vez convi-vemos com a poltica desubfinanciar o SUS eestimular a aquisio deplanos de sade, na con-tramo daquilo que apopulao consideraprioritrio.

    *Florisval Meino, presidente da Associa-o Paulista de Medici-na.

  • LOCALGAZETA DE VARGINHA | 0306 DE FEVEREIRO DE 2015

    Prefeitura recebe visita de empre