gazeta de varginha - 14/05/2013

Download Gazeta de Varginha - 14/05/2013

Post on 03-Feb-2016

229 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 8.740

TRANSCRIPT

  • VARGINHA , 14 DE MAIO DE 2013R$ 1,00

    Pgina 2

    PONTOPONTOPONTOPONTOPONTO DEDEDEDEDE VISTVISTVISTVISTVISTAAAAA

    Atos 25Paulo discursa perante o rei Agripa

    Mx: 27C / Mn: 11C

    gazetadevarginha@gmail.com

    www.jornalgazetadevarginha.com

    facebook.com/gazetavga

    twitter.com/gazetavarginha

    LOCAL/PGINA 05

    Jovem de22 anos

    assassinadoem bar no

    bairro Sion

    Moradores protestam por melhoriasno trevo de sada para Trs Pontas

    EDIO - 8.740

    Cerca de 150 pessoas ocuparam o local onde um motociclista de 18 anos morreu na ltima semana

    Colheita de caf no Sulde MG deve ser 6% menor

    neste ano, diz Conab

    Vende-se

    Casa no Bairro Cidade NovaPreo da Ocasio

    Tel. 3221-4845

    Cerca de 150 pessoasfizeram um protesto na lti-ma sexta-feira (10) no trevoda Avenida Almirante Bar-roso, na sada para a cida-de de Trs Pontas. No dia3 de maio, o motociclistaKevlin Oliveira, de 18 anos,morreu no local depois desupostamente bater em umcaminho da Prefeitura deVarginha.

    Por cerca de 30 minu-tos, os manifestantes ocu-param o trevo para Trs Pon-

    tas, que d acesso MG-167. O trnsito ficou total-mente paralisado em todosos sentidos. As polcias Mi-litar e Rodoviria estiveramno local para controlar a si-tuao. A Polcia Militaresteve no local para garan-tir a segurana, tanto dosmanifestantes quanto dosusurios da via, disse o ca-pito da PM, Wilton Mar-ques.

    LOCAL/PGINA 03

    Uma briga generalizadaem um bar no bairro Sion,terminou com a morte deAlex Jlio Salgado, de 22

    anos, na ltima sexta (10).

    REGIONALPGINA 07

    Boa goleia em jogo-treinoO Boa Esporte passou

    fcil no jogo-treino de s-bado (11) disputado con-tra um time formado poratletas de Trs Pontas.Com cinco gols de Fer-nando Karanga, a equipeboveta aplicou um elsti-co placar de 14 a 0 no

    Estdio Melo.Na prxima quarta-fei-

    ra (15), o Boa faz mais umamistoso, dessa vez con-tra o TAC, tambm deTrs Pontas, que disputao Campeonato Sul Minei-ro. A partida acontece s19h no Estdio Melo.

    Estrada rural vira lixo entreVarginha e o distrito da FloraLOCALPGINA 05

  • GAZETA DE VARGINHA, 14/05/2013

    PONTO DE VISTA02 PONTO DE VISTA02

    ATOS 26

    Palavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de Vida

    CNPJ: 21.535.075/0001-47

    A redao no se responsabilizapor conceitos emitidos em artigos

    assinados, mesmo sobpseudnimos, que so de inteira

    responsabilidade de seus autores.

    Dirio de CirculaoRegional - Diretora

    Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:

    Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:Rodrigo S. Fernandes

    Sindjori - MG 312/99 -Administrao/Reviso:Lanamara Silva - Paulo

    Ribeiro da Silva Fernan-des

    (Jornalista e superinten-dente de redao-

    TB.16.851) - Horrio defuncionamento das08:00hs s 18:00hs

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop. de

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI - Associao dosJornais do Interior

    ADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    ENDEREO:Redao e Departa-mento de Publicidade

    Av. dos Imigrantes,445 - Santa Maria -

    CEP 37022-560 -VARGINHA/MG

    E-mail: gazetade-varginha @gmail.com ga-z e t a c o m e r c i a l 2@ y a h o o . c o m . b rEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br

    Telefones (35)3221-4668(35)3221-4845

    Paulo discursa perante o rei AgripaPaulo discursa perante o rei AgripaPaulo discursa perante o rei AgripaPaulo discursa perante o rei AgripaPaulo discursa perante o rei Agripa

    1-Depois Agripadisse a Paulo: E permi-tido que te defendas.Ento Paulo, estenden-do a mo em sua defe-sa, respondeu:

    2-Tenho-me porfeliz, rei Agripa, de queperante ti me haja hojede defender de todas ascoisas de que sou acu-sado pelos judeus;

    3-Mormente sa-bendo eu que tens co-nhecimento de todos oscostumes e questesque h entre os judeus;por isso te rogo que meouas com pacincia.

    4-Quanto minhavida, desde a mocida-de, como decorreu des-de o princpio entre osda minha nao, em Je-rusalm, todos os ju-deus a conhecem,

    5-Sabendo demim desde o princpio(se o quiserem testifi-car), que, conforme amais severa seita danossa religio, vivi fari-seu.

    6-E agora pela es-perana da promessaque por Deus foi feita anossos pais estou aquie sou julgado.

    7- qual as nos-sas doze tribos espe-ram chegar, servindo aDeus continuamente,noite e dia. Por esta es-perana, rei Agripa, eusou acusado pelos ju-deus.

    8-Pois qu? julga-se coisa incrvel entrevs que Deus ressusci-te os mortos?

    9-Bem tinha euimaginado que contra onome de Jesus Nazare-no devia eu praticarmuitos atos;

    10-O que tambmfiz em Jerusalm. E, ha-vendo recebido autori-zao dos principaisdos sacerdotes, encer-rei muitos dos santosnas prises; e quandoos matavam eu dava omeu voto contra eles.

    11-E, castigando-os muitas vezes por to-das as sinagogas, osobriguei a blasfemar. E,enfurecido demasiada-

    mente contra eles, atnas cidades estranhasos persegui.

    12-Sobre o que,indo ento a Damasco,com poder e comissodos principais dos sacer-dotes,

    13-Ao meio-dia, rei, vi no caminho umaluz do cu, que excediao esplendor do sol, cujaclaridade me envolveu amim e aos que iam co-migo.

    14-E, caindo nstodos por terra, ouvi umavoz que me falava, e emlngua hebraica dizia:Saulo, Saulo, por que mepersegues? Dura coisate recalcitrar contra osaguilhes.

    15-E disse eu:Quem s, Senhor? E elerespondeu: Eu sou Je-sus, a quem tu perse-gues;

    16-Mas levanta-tee pe-te sobre teus ps,porque te apareci poristo, para te pr por mi-nistro e testemunha tan-to das coisas que tensvisto como daquelas pe-las quais te aparecereiainda;

    17 -L i v rando- tedeste povo, e dos genti-os, a quem agora te en-vio,

    18-Para lhes abri-res os olhos, e das tre-vas os converteres luz,e do poder de Satans aDeus; a fim de que rece-bam a remisso de pe-cados, e herana entreos que so santificadospela f em mim.

    19-Por isso, reiAgripa, no fui desobe-diente viso celestial.

    20-Antes anuncieiprimeiramente aos queesto em Damasco e emJerusalm, e por toda aterra da Judia, e aosgentios, que se emen-dassem e se convertes-sem a Deus, fazendoobras dignas de arrepen-dimento.

    21-Por causa distoos judeus lanaram mode mim no templo, e pro-curaram matar-me.

    22-Mas, alcanan-do socorro de Deus, ain-

    da at ao dia de hojepermaneo dando tes-temunho tanto a peque-nos como a grandes,no dizendo nada maisdo que o que os profe-tas e Moiss disseramque devia acontecer,

    23-Isto , que oCristo devia padecer, esendo o primeiro daressurreio dentre osmortos, devia anunciara luz a este povo e aosgentios.

    24-E, dizendo eleisto em sua defesa, dis-se Festo em alta voz:Ests louco, Paulo; asmuitas letras te fazemdelirar.

    25-Mas ele dis-se: No deliro, po-tentssimo Festo; an-tes digo palavras deverdade e de um sojuzo.

    26-Porque o rei,diante de quem falocom ousadia, sabe es-tas coisas, pois nocreio que nada distolhe oculto; porqueisto no se fez emqualquer canto.

    27-Crs tu nosprofetas, rei Agripa?Bem sei que crs.

    28-E disse Agri-pa a Paulo: Por poucome queres persuadir aque me faa cristo!

    29-E disse Pau-lo: Prouvera a Deusque, ou por pouco oupor muito, no somen-te tu, mas tambm to-dos quantos hoje meesto ouvindo, se tor-nassem tais qual eusou, exceto estas ca-deias.

    30-E, dizendo eleisto, levantou-se o rei,o presidente, e Bere-nice, e os que comeles estavam assenta-dos.

    31-E, apartando-se dali falavam unscom os outros, dizen-do: Este homem nadafez digno de morte oude prises.

    32-E Agripa dis-se a Festo: Bem podiasoltar-se este homem,se no houvera apela-do para Csar.

    A aposta do Brasil na EducaoAgora obrigatrio.

    Com a nova lei sanciona-da no dia 5 de abril de2013, passa a ser deverdos pais e responsveismatricular os filhos a par-tir dos quatro anos de ida-de na educao bsica pela norma anterior, amatrcula era obrigatriaapenas a partir dos seisanos de idade. A mudan-a uma adequao salteraes feitas em 2009na Constituio, que obri-gavam o governo a ofe-recer educao bsica egratuita dos quatro aos 17anos de idade. O que fal-tava era apenas incorpo-rar a responsabilidadedos pais.

    Levando em consi-derao que o acesso educao bsica um di-reito de todo cidado eque ela, como o prprionome diz, a base para odesenvolvimento huma-no, podemos dizer que amudana ser fundamen-tal para provocar mudan-as relevantes na taxa deescolarizao.

    Os nmeros com-provam que o aprimora-mento da educao bsi-ca condio primordialpara uma sociedade maisjusta, igualitria e desen-volvida. Segundo recenteestudo feito pelo InstitutoTodos Pela Educao,no Brasil, quando umapessoa tem um ano amais de estudos, o impac-to na renda de 15%. Aocompletar o ensino supe-rior e cursar um ano deps-graduao, o aumen-to de 47%. Por outrolado, se tiver apenas o en-sino fundamental I, umano a mais de estudo re-presenta um impacto deapenas 6% na renda.

    Como todos sabe-mos, a realidade educa-cional brasileira ainda dei-xa muito a desejar, vistoque a mdia de estudoem nosso pas de 7,3anos, o que significa quegrande parte dos alunossequer completou o ensi-no fundamental. Mas,com a nova regra, essarealidade deve mudar:segundo o Inep (InstitutoNacional de Estudos ePesquisas Educacionais),as crianas que tiveramuma boa pr-escola tm

    38% mais chances deconcluir a educao bsi-ca do que aquelas que co-mearam a estudar noensino fundamental.

    J estamos longeda poca em que se con-siderava o ensino das cri-anas um mero passa-tempo. Chegamos con-cluso que mais fcil,mais barato e, principal-mente, mais inteligente,investir e valorizar o ensi-no de primeira infncia doque tentar, tardiamente,suprir as deficincias, evi-tar evases e repetnciase lidar com o analfabetis-mo funcional. Com essanova abordagem, po