gazeta de varginha - 28/06 a 30/06/2014

Download Gazeta de Varginha - 28/06 a 30/06/2014

Post on 31-Mar-2016

275 views

Category:

Documents

40 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 9.016

TRANSCRIPT

  • pgina 02

    PONTO DE VISTA

    Levtico 15

    Mx: 27 / Mn: 11

    Imundcias do homem e da mulher

    Diagnstico municipal aponta asregies mais pobres de Varginha

    EDIO 9.016R$ 1, 00 VARGINHA, 28 A 30 DE JUNHO DE 2014

    DEUS FIEL

    local/pgina 05

    Vargem, Parque Rinald, Padre Vitor e Santa Terezinha so as socialmente menos desenvolvidas

    local/pgina 05

    As regies dos bair-ros da Vargem, ParqueRinald, Padre Vtor e San-ta Terezinha so as soci-almente menos desenvol-vidas de Varginha. Nes-tes locais esto concen-trados em maior nme-ro pobreza, analfabetis-mo, violncia e gravidezna adolescncia. Serviosessenciais como creches,acesso sade e infraes-trutura urbana tambmfaltam. Por tudo isso te-ro tratamento priorit-rio da Secretaria Munici-pal de Habitao e Assis-

    Grupo Educacional Unis firma parceriacom Sistema nico de Assistncia Social

    tncia Social Sehad.O Plano Municipal

    de Assistncia Social deVarginha 2014 a 2016,lanado esta semana,parte de um diagnsticosocial territorializado, quedividiu a cidade em 19regies urbanas e a zonarural. E avaliou um con-junto de 75 indicadorespara apontar os resulta-dos a serem focados pelosecretrio Jos ManoelMagalhes Ferreira e suaequipe.

    gazetadevarginha@gmail.com

    www.jornalgazetadevarginha.com

    facebook.com/gazetavga

    local/pgina 04copa do mundo

    Coleta de lixo

    ser feita emhorrio especialneste sbado

    O Grupo EducacionalUnis fechou mais uma par-ceria de sucesso. Atravsdo Centro Universitrio doSul de Minas, mais de1.000 trabalhadores daSecretaria de Desenvolvi-mento Social e Transfern-cia de Renda do DistritoFederal (Sedest) sero ca-

    pacitados.O CapacitaSUAS (Pro-

    grama Nacional de Capa-citao do SUAS - Sistemanico de Assistncia Soci-al) destina-se aos trabalha-dores do SUAS que atuamna rede socioassistencial.

    Brasil encara o Chileneste sbado para manter

    vivo o sonho do hexa

    Loteamentos Minas Gerais eSan Marino esto registrados

    e podem ser vendidoslocal/pgina 03

  • CNPJ: 21.535.075/0001-47

    A redao no seresponsabiliza por

    conceitos emitidos emartigos assinados, mesmo

    sobpseudnimos, que so deinteira responsabilidade

    de seus autores.

    Dirio de CirculaoRegional - Diretora

    Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:

    Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:

    Rodrigo S. Fernandes Sindjori- MG 312/99 - Administra-o/Reviso: Lanamara Silva

    - Paulo Ribeiro da SilvaFernandes

    (Jornalista e superintenden-te de redao-

    M.T.TB.16.851) - Horriode funcionamento das08:00hs s 18:00hs

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop.de Jornais e Revistas do

    InteriorADJORI - Associaodos Jornais do InteriorADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    ENDEREO:Redao e Departamentode Publicidade Av. dosImigrantes, 445 - SantaMaria - CEP 37022-560 -

    Telefones(35)3221-4668(35)3221-4845

    VARGINHA/MGE-mail: gazetade

    varginha@gmail.comgazetacomercial2@yahoo.

    com.brEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br

    28 A 30 DE JUNHO DE 201402 | GAZETA DE VARGINHAPONTO DE VISTA

    1 - FALOU mais oSENHOR a Moiss e aAro dizendo:

    2 - Falai aos filhos deIsrael, e dizei-lhes:Qualquer homem quetiver fluxo da sua carne,ser imundo por causado seu fluxo.

    3 - Esta, pois, ser asua imundcia, por cau-sa do seu fluxo; se a suacarne vasa o seu fluxo ouse a sua carne estanca oseu fluxo, esta a suaimundcia.

    4 - Toda a cama, emque se deitar o que ti-ver fluxo, ser imunda;e toda a coisa, sobre oque se assentar, serimunda.

    5 - E qualquer quetocar a sua cama, lavaras suas roupas, e se ba-nhar em gua, e serimundo at tarde.

    6 - E aquele que seassentar sobre aquiloem que se assentou oque tem o fluxo, lavaras suas roupas, e se ba-nhar em gua, e serimundo at tarde.

    7 - E aquele que to-car a carne do que tem o

    fluxo, lavar as suas rou-pas, e se banhar emgua, e ser imundo at tarde.

    8 - Quando tambm oque tem o fluxo cuspirsobre um limpo, ento la-var este as suas roupas,e se banhar em gua, eser imundo at tarde.

    9 - Tambm toda a sela,em que cavalgar o quetem o fluxo, ser imun-da.

    10 - E qualquer que to-car em alguma coisa queesteve debaixo dele, serimundo at tarde; eaquele que a levar, lavaras suas roupas, e se ba-nhar em gua, e serimundo at tarde.

    11 - Tambm todoaquele em quem tocar oque tem o fluxo, sem ha-ver lavado as suas moscom gua, lavar as suasroupas, e se banhar emgua, e ser imundo at tarde.

    12 - E o vaso de barro,que tocar o que tem o flu-xo, ser quebrado; po-rm, todo o vaso de ma-deira ser lavado comgua.

    13 - Quando, pois, oque tem o fluxo, estiverlimpo do seu fluxo, con-tar-se-o sete dias para asua purificao, e lavaras suas roupas, e banhara sua carne em guas cor-rentes; e ser limpo.

    14 - E ao oitavo dia to-mar duas rolas ou doispombinhos, e vir peran-te o SENHOR, porta datenda da congregao e osdar ao sacerdote;

    15 - E o sacerdote ofe-recer um para expiaodo pecado, e o outro paraholocausto; e assim o sa-cerdote far por ele ex-piao do seu fluxo pe-rante o SENHOR.

    16 - Tambm o ho-mem, quando sair dele osmen da cpula, toda asua carne banhar comgua, e ser imundo at tarde.

    17 - Tambm toda aroupa, e toda a pele emque houver smen da c-pula se lavar com gua,e ser imundo at tar-de.

    18 - E tambm se umhomem se deitar com amulher e tiver emisso de

    Palavras de Vida

    Imundcias do homem e da mulherLevtico 15

    Henrique Mol Muitos tm sido os in-

    dicativos de que o saldo daCopa positivo, e, de fato,por ora, o . Para falar emnmeros, algumas cifrasme vm em mente. AAgncia Nacional de Avia-o Civil (Anac) acreditaque a demandapor voos domsticos devecrescer 5% neste ano so-bre 2013. Uma projeorealizada pela BDO indicaque a Copa do Mundo ren-der Fifa a maior arreca-dao da histria: US$ 5 bi-lhes (cerca de R$ 12 bi-lhes). Por se ater demaisaos nmeros, entretanto,desvia-se o olhar do queno se pode contabilizar.

    margem de todo oi n v e s t i m e n t oem merchandising quetem sido realizada, a maiorexposio global (e a maisfrgil, tambm) se volta marca Brasil. Os olhos domundo e dos prprios bra-sileiros, mais do que nun-ca, esto voltados a ns. Eeles tm constatado os ex-cepcionais estdios, siste-ma de segurana e logsti-co bem estruturados e ae-roportos eficientes, alm

    da inigualvel hospitalida-de brasileira. No entanto,os analistas apontam que avisibilidade internacionalpode ser maculada devidos manifestaes nas ruas.Como primeira regra debom anfitrio, devemosaprender que problema decasa se resolve em casa, noescancarado s visitas.

    Os legados da Copapara o setor do turismo sopalpveis. Nas grandes ca-pitais, a exemplo de SoPaulo, onde a capacidadedos aeroportos j estava sa-turada, os investimentosrealizados nos mesmostrar menos atrasos e mai-or oferta de voos, alm demaior capacitao dos fun-cionrios que estiveramengajados Copa, paraatender ao maior fluxo deturistas durante e aps oevento. Um quadro provi-dencial, dada as projeesque mostram que em2017, seremos o terceiromercado areo do mundo,segundo o Ministro doTurismo, Vincius Lages.

    Nesse setor, a Gol con-tar com a vantagem de terse tornado a patrocinado-ra oficial da seleo brasi-leira de futebol, no lugar

    da TAM, e se beneficiarda exposio da marca. Ofluxo turstico, no s scidades sedes, ocasionaruma entrada significativade divisas aos setores dehotelaria, transporte, co-municao, cultura, lazere comrcio varejista. Umcenrio que assume mol-des de causao cumulati-va, com impactos diretose indiretos, como porexemplo, a gerao de em-pregos permanentes etemporrios, injetando bi-lhes em consumo e au-mento do comrcio e pres-tao de servios.

    Alm do impacto eco-

    nmico, preciso consi-derar o legado social, con-substanciado no efeito feelgood, que uma Copa doMundo bem projetadapode gerar. Sediar umevento de tais dimensese ovacionado pela mdiainternacional, aumenta aautoestima e orgulho na-cional de um povo que seacostumou a um comple-xo de vira-lata, termo cu-nhado pelo dramaturgo eescritor Nelson Rodri-gues para designar a pos-tura de inferioridade assu-

    mida no futebol a partir de1950, quando o Brasil per-deu a Copa do Mundo parao Uruguai, no Maracan.Para Rodrigues, o brasilei-ro s comeou a se curardesse complexo em 1958,quando ganhou a Copa pelaprimeira vez, mas apenasnesse esporte. A posturapermaneceu em relao aoutros temas. Por com-plexo de vira-lata, enten-deu-se a inferioridade emque o brasileiro se coloca,voluntariamente, em facedo resto do mundo.

    Acredito que isto au-

    mentar o interesse dopovo brasileiro por conhe-cer o prprio pas, no srestrito s cidades sedes,embora estas, pela maiorvisibilidade ocasionadapela Copa do Mundo, te-nham maior atrao. Issodepender da capacidadedas demais cidades em di-vulgar as suas festividadestpicas, eventos culturais eartstico - alm decriar tours que direcio-nem os turistas s suas ci-dades, respaldados porpessoal capacitado, boa in-fraestrutura hoteleira e detransporte.

    Quanto mais souber-mos promover a marcaBrasil, menos tero sido osnus das obras da Copa.Ganham brasileiros, ga-nham turistas e ganha oBrasil no reconhecimentode uma marca cujas cre-denciais de belezas natu-

    rais, povo acolhedor e cli-ma agradvel no se en-contrar em outra parte.

    Henrique Mol espe-

    cialista em turismo e s-cio-fundador da EncontreSua Viagem, franquia deturismo.

    smen, ambos se banha-ro com gua, e seroimundos at tarde.

    19 - Mas a mulher,quando tiver fluxo, e oseu fluxo de sangue esti-ver na sua carne, estarsete dias na sua separa-o, e qualquer que a to-car, ser imundo at tarde.

    20 - E tudo aquilo so-bre o que ela se deitardurante a sua separao,ser imundo; e tudo so-bre o que se assentar,ser imundo.

    21 - E qualquer que to-car na sua cama, lava