gazeta de varginha - 26/11/2013

Download Gazeta de Varginha - 26/11/2013

Post on 18-Mar-2016

218 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edio 8.876

TRANSCRIPT

  • VARGINHA, 26 DE NOVEMBRO DE 2013R$ 1,00

    Pgina 2

    PONTOPONTOPONTOPONTOPONTO DEDEDEDEDE VISTVISTVISTVISTVISTAAAAA

    Apocalipse 13

    Mx: 21C / Mn: 16C

    EDIO - 8.876

    A besta que emerge do mar

    LOCAL/PGINA 03

    ONG criada para atender mulheresvtimas de violncia em Varginha

    Novo espao oferece atendimento multidisciplinar e recebe mulheres de toda a regioNesta segunda-feira

    (25) foi comemorado oDia Mundial de Comba-te Violncia Contra aMulher e mesmo depoisde sete anos da criaoda lei Maria da Penha,pelo menos seis emcada 100 mil mulheresde Minas Gerais morremvtimas de violncia do-mstica. Em Varginha,para tentar driblar osdados registrados pelaDelegacia da Mulher, foicriada a ONG Maria Mu-lher. Somente no ms de

    outubro, a ONG recebeu15 pedidos de proteode mulheres que denun-ciaram seus parceiros efamiliares que cometiamagresses.

    A Ong com capaci-dade para atender todaa regio oferece todosos servios de graa.Pelo menos 100 mulhe-res participam do traba-lho, sendo que atual-mente 40 recebem aten-dimento.

    PM combateo trfico dedrogas em

    dois bairrosde Varginha

    Comrcio de Varginhaabre em horrio especial

    a partir do dia 9

    Diretor do Sebrae recebehoje ttulo de Cidado

    Honorrio Varginhense

    Solicitaes de serviosda Cemig podem ser feitos

    por Twitter e Facebook

    LOCAL/PGINA 04LOCAL/PGINA 03

    Os consumidoresde Varginha e regio jpodem programar ascompras de Natal a se-rem realizadas na cida-de. O Sindvar (Sindica-to do Comrcio Varejis-

    ta de Varginha) j divul-ga os horrios especiaisde funcionamento dosegmento do varejo, noms de dezembro.

    LOCAL/PGINA 05

    Setor de Execuo Fiscalda Prefeitura ser transferido

    para novo endereoLOCAL/PGINA 04

    LOCAL/PGINA 04

    Em Varginha, nanoite deste domingo,24, a Polcia Militarapreendeu um totalde 31 pedras de cra-ck, em duas ocorrn-cias distintas.

    LOCAL/PGINA 06

    gazetadevarginha@gmail.com

    www.jornalgazetadevarginha.com

    facebook.com/gazetavga

    twitter.com/gazetavarginha

  • GAZETA DE VARGINHA, 26/11/2013

    PONTO DE VISTAPONTO DE VISTA

    APOCALIPSE 13

    PPPPPalavraalavraalavraalavraalavras de Vs de Vs de Vs de Vs de Vidaidaidaidaida02

    CNPJ: 21.535.075/0001-47

    A redao no se responsabilizapor conceitos emitidos em artigos

    assinados, mesmo sobpseudnimos, que so de inteira

    responsabilidade de seus autores.

    Dirio de CirculaoRegional - Diretora

    Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:

    Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:Rodrigo S. Fernandes

    Sindjori - MG 312/99 -Administrao/Reviso:Lanamara Silva - Paulo

    Ribeiro da Silva Fernan-des

    (Jornalista e superinten-dente de redao-

    TB.16.851) - Horrio defuncionamento das08:00hs s 18:00hs

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop. de

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI - Associao dosJornais do Interior

    ADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    ENDEREO:Redao e Departa-mento de Publicidade

    Av. dos Imigrantes, 445

    Telefones (35)3221-4668(35)3221-4845

    - Santa Maria - CEP37022-560 -

    VARGINHA/MGE-mail: gazetade-

    varginha @gmail.comgazetacomercial2

    @ y a h o o . c o m . b rEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br

    A besta que emerge do mar1 - E EU pus-me

    sobre a areia do mar,e vi subir do mar umabesta que tinha setecabeas e dez chifres,e sobre os seus chi-fres dez diademas, esobre as suas cabe-as um nome de blas-fmia.

    2 - E a besta quevi era semelhante aoleopardo, e os seusps como os de urso,e a sua boca como ade leo; e o dragodeu-lhe o seu poder, eo seu trono, e grandepoderio.

    3 - E vi uma dassuas cabeas comoferida de morte, e a

    sua chaga mortal foicurada; e toda a terrase maravilhou aps abesta.

    4 - E adoraram odrago que deu bes-ta o seu poder; e ado-raram a besta, dizendo:Quem semelhante besta? Quem poderbatalhar contra ela?

    5 - E foi-lhe dadauma boca, para profe-rir grandes coisas eblasfmias; e deu-se-lhe poder para agir porquarenta e dois meses.

    6 - E abriu a suaboca em blasfmiascontra Deus, para blas-femar do seu nome, edo seu tabernculo, e

    dos que habitam nocu.

    7 - E foi-lhe permi-tido fazer guerra aossantos, e venc-los; edeu-se-lhe poder sobretoda a tribo, e lngua, enao.

    8 - E adoraram-natodos os que habitamsobre a terra, essescujos nomes no estoescritos no livro da vidado Cordeiro que foimorto desde a funda-o do mundo.

    9 - Se algum temouvidos, oua.

    10 - Se algumleva em cativeiro, emcativeiro ir; se algummatar espada, ne-

    cessrio que espa-da seja morto. Aquiest a pacincia e a fdos santos.

    11 - E vi subir daterra outra besta, e tinhadois chifres semelhan-tes aos de um cordei-ro; e falava como o dra-go.

    12 - E exerce todoo poder da primeirabesta na sua presena,e faz que a terra e osque nela habitam ado-rem a primeira besta,cuja chaga mortal foracurada.

    13 - E faz grandessinais, de maneira queat fogo faz descer docu terra, vista dos

    homens.14 - E engana os

    que habitam na terracom sinais que lhe foipermitido que fizesseem presena da besta,dizendo aos que habi-tam na terra que fizes-sem uma imagem besta que recebera aferida da espada e vi-via.

    15 - E foi-lhe con-cedido que desse es-prito imagem da bes-ta, para que tambm aimagem da besta fa-lasse, e fizesse quefossem mortos todosos que no adorassema imagem da besta.

    16 - E faz que a

    todos, pequenos egrandes, ricos e po-bres, livres e servos,lhes seja posto um si-nal na sua mo direi-ta, ou nas suas testas,

    17 - Para queningum possa com-prar ou vender, senoaquele que tiver o si-nal, ou o nome dabesta, ou o nmero doseu nome.

    18 - Aqui h sa-bedoria. Aquele quetem entendimento,calcule o nmero dabesta; porque o n-mero de um homem,e o seu nmero seiscentos e sessen-ta e seis.

    A importncia do fundo de propaganda nas franquiasMuitos empreen-

    dedores e franquea-dos questionam o ob-jetivo e os benefciosde uma das estratgi-as mais importantesde uma rede de fran-quias: o fundo de pro-paganda.

    Muitas vezes cha-mado de fundo de ma-rketing ou fundo coo-perado de publicidade,trata-se de uma taxalegal prevista na Lei deFranchising (8.955/94)formada pelo total dascontribuies realiza-das por cada franque-ado de uma rede cujoobjetivo custearaes de marketing ins-titucional, ou seja,aes de mdio agrande porte com focona divulgao e valori-zao da marca. Cadaempresa estipulaquando (em funo donmero de franquea-dos) e quanto ser exi-gido, podendo ser umvalor fixo mensal, umpercentual sobre o fa-turamento ou ainda aaquisio de produtos

    da franqueadora.Apesar de ser ad-

    ministrado pelas fran-queadoras, este mon-tante no faz parte desua remunerao, con-sistindo em recursos aserem utilizados estri-tamente em favor dosinteresses da rede, be-neficiando todos osfranqueados.

    Por este motivo,as franqueadoras de-vem atuar de maneiratransparente, abrindouma conta corrente ex-clusiva para este fim eprestando conta perio-dicamente aos fran-queados sobre o saldoe sua aplicao.

    Algumas redescontam com a partici-pao dos franquea-dos ou de seus repre-sentantes (Comit deMarketing) nas toma-das de decises paraque as aes sejammais efetivas e tam-bm para evitar confli-tos.

    Neste caso, ge-ralmente so realiza-dos encontros para en-

    tender e discutir suassugestes e opinies,decidir como e ondeser aplicado o fundo etambm formalizar oplanejamento de ma-rketing e o cronogramade implantao dasaes padronizadas(anncios em revista,propagandas em tele-viso, outdoor, etc.).

    Esta estratgiacostuma ser muitobem vista e aceita pe-los franqueados, pois agrande maioria defen-de que primordialouvi-los para que umarede prospere e agre-gue mais valor mar-ca, afinal so eles quegeralmente tem o con-tato com o cliente final.

    Os benefciosso muitos, principal-mente, quando a ges-to e a comunicaoso eficientes, asaes bem executa-das e h o comprome-timento de todos osenvolvidos no alcancedos propsitos.

    O fundo de pro-paganda favorece a

    franqueadora na pros-peco de novos fran-queados, pois os em-preendedores costu-mam no ter dvidasde que fazendo partede uma rede tero logode incio estratgias demarketing melhor de-senvolvidas, testadas,de maior abrangnciae mais agressivaspara divulgar a unidade,os produtos, serviose seus diferenciais doque se investisse emum negcio prprio.

    Alm disso, ex-pande a marca e prin-cipalmente destaca osseus diferenciais, pos-sibilitando o aumentode sua participao nomercado.

    Por outro lado, ofranqueado se dedicamais tempo e de ma-neira mais eficiente aonegcio: ampliando oseu conhecimento so-bre o comportamentodo mercado e popula-o local, acompa-nhando de maneiramais prxima asaes da concorrncia,

    identificando oportuni-dades e corrigindo pre-viamente possveis ris-cos, monitorando e ofe-recendo suporte e trei-namento com mais fre-quncia para sua equi-pe, prestando um me-lhor servio aos clien-tes, fidelizando-os e,por fim, atingindo asmetas e incrementan-do os seus resultados.

    Portanto, pormais que seja uma sa-da de recursos men-sal, o fundo de propa-ganda deve ser consi-derado como um pri-mordial investimento,como uma estratgiaem que todos, essen-cialmente o cliente, stem a ganhar.

    Por Ndia Korosue

  • GAZETA DE VARGINHA, 26/11/2013

    LOCAL 03

    ONG criada para atender mulheresvtimas de violncia em Varginha

    Novo espao oferece atendimento multidisciplinar e recebe mulheres de toda a regioNesta segunda-feira

    (25) foi comemorado oDia Mundial de Combate Violncia Contra a Mu-lher e mesmo depois desete anos da criao dalei Maria da Penha, pelomenos seis em cada 100mil mulheres de MinasGerais morrem vtimas deviolncia domstica. EmVarginha, para tentar dri-blar os dados regi