gazeta de varginha - 26/04/2013

Download Gazeta de Varginha - 26/04/2013

Post on 26-Mar-2016

230 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 8.729

TRANSCRIPT

  • Campanha de vacinao contra agripe prorrogada at 10 de maio

    VARGINHA , 26 DE ABRIL DE 2013R$ 1,00 EDIO - 8.729

    Vende-se

    Casa no Bairro Cidade NovaPreo da Ocasio

    Tel. 3221-4845

    Pgina 2

    PONTOPONTOPONTOPONTOPONTO DEDEDEDEDE VISTVISTVISTVISTVISTAAAAA

    Atos 15A controvrsia sobre acircunciso de Gentius

    Mx: 26C / Mn: 11C

    Cerca de 8 mil pesso-as foram vacinadas em Var-ginha, o que representaapenas 35% da populao-alvo da campanha. Os n-meros so da SecretariaMunicipal de Sade (Se-

    mus). Considerando todo oSul de Minas, os nmerosso ainda piores: somente24% do pblico-alvo procu-raram os postos para se va-cinar.

    gazetadevarginha@gmail.com

    www.jornalgazetadevarginha.com

    facebook.com/gazetavga

    twitter.com/gazetavarginha

    LOCAL/PGINA 05

    LOCAL/PGINA 03

    Vacinao terminaria nesta sexta-feira (26); Varginha vacinou apenas 35% do pblico-alvo

    Vereadorprope

    criao delocal paradestinao

    de entulhosDe acordo com RogrioBueno, tal medida tem

    como principais objetivosdefender, preservar e

    conservar o meio ambiente.

    PGINA 09

    Batalho da Polcia Militar emVarginha completa 18 anos

    LOCAL/PGINA 03

    Hoje dia de teatro no LarSo Vicente de Paulo eno Centro de Oncologia

    Apresentaesacontecem s 9h noCentro de Oncologiado Hospital BomPastor e s 15h noLar So Vicente.

    LOCAL/PGINA 05

    Objetivo incentivara prtica da ativida-de fsica entre osparticipantes,desde crianas ata terceira idade.ESPORTE/PGINA 16

    Caic do Imaculada recebeo projeto Semel/Unis

    nos Bairros neste sbado

  • GAZETA DE VARGINHA, 26/04/2013

    PONTO DE VISTA02 PONTO DE VISTA02

    ATOS 15

    Palavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de Vida

    CNPJ: 21.535.075/0001-47

    A redao no se responsabilizapor conceitos emitidos em artigos

    assinados, mesmo sobpseudnimos, que so de inteira

    responsabilidade de seus autores.

    Dirio de CirculaoRegional - Diretora

    Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:

    Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:Rodrigo S. Fernandes

    Sindjori - MG 312/99 -Administrao/Reviso:Lanamara Silva - Paulo

    Ribeiro da Silva Fernan-des

    (Jornalista e superinten-dente de redao-

    TB.16.851) - Horrio defuncionamento das08:00hs s 18:00hs

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop. de

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI - Associao dosJornais do Interior

    ADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    ENDEREO:Redao e Departa-mento de Publicidade

    Av. dos Imigrantes,445 - Santa Maria -

    CEP 37022-560 -VARGINHA/MG

    E-mail: gazetade-varginha @gmail.com ga-z e t a c o m e r c i a l 2@ y a h o o . c o m . b rEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br

    Telefones (35)3221-4668(35)3221-4845

    Boa gesto do ps-venda decisiva para fidelizar clientesO ps-venda, em

    todos os setores deatividades, funda-mental para a fideliza-o do cliente, seja eleo comprador final deum produto ou servio,no mercadoconsumi-dor, ou uma empresa,no universo b2b.

    A verdade quea ateno, a respon-sabilidade e o compro-misso com que se fa-brica, se vende e sepromete ao compradorso os principais fato-res que o influenciarona deciso de comprana prxima vez queprecisar adquirir nova-mente o mesmo item.

    Essa questo fi-cou muito evidente napesquisa que acabade ser divulgada peloProcon de So Paulo,sobre os produtos quecausam mais proble-mas aos consumido-res.

    Os campees dereclamaes foram osaparelhos telefnicos,fixos e celulares, se-guidos pelos mveis eeletrodomsticos. Noescopo da anlise queestamos fazendo aqui,mais importante doque o ranking dasqueixas entender osporqus.

    E exatamenteesse o objetivo dapesquisa, ou seja,mostrar as dificulda-des que o consumidorcontinua enfrentandono ps-venda.

    Um aspecto ne-gativo a alegaodos fabricantes, ante odefeito de um produto,de que a causa omau uso, imputandoculpa ao consumidor.Tambm se verifica-ram muitos problemasrelacionados entre-ga, com trs variveis:o produto simples-mente no foi entre-gue; ou o consumidorrecebeu mercadoriadiferente da que com-prou; ou, em especialno tocante aos m-

    veis, verifica-se a fal-ta de peas e partes.

    H um recadomuito claro no resulta-do dessa pesquisa doProcon de So Paulo:no importa o porte desua empresa e a na-tureza do seu negcio.Seja l qual for o pro-duto que fabrique e/ouvenda e os serviosque presta, essenci-al continuar atenden-do bem seus consumi-dores e seus clientesdepois da venda e daentrega.

    Ningum recla-ma sem motivo. Se huma queixa, existeuma insatisfao cor-relata.

    preciso dartoda a ateno ao re-clamante, verificar setem mesmo razo e,em qualquer circuns-tncia, procurar umasoluo que o agrade.

    Por que no sefaz sempre assim?Obviamente, no porfalta de boas inten-es, pois todo mun-do que est no merca-do no pretende pres-tar maus servios nemtratar mal o cliente ounegligenciar a atenocom ele e com o aten-dimento.

    O problema, a ri-gor, est na ausnciaou na m gesto dops-venda. H empre-sas que se esmeramna produo ou naprestao do servio,mas que se esquecemdo consumidor/clienteaps a venda.

    nessa atitudeque comea a perd-lo.Por isso, precisoajustar todos os fluxosinternos de modo apossibilitar um ps-venda organizado eeficaz. Isso inclui adistribuio/entrega,fluxos corretos deco-brana (pois os equ-vocos nesse proces-so tambm causamimensa irritao) e ca-nais eficientes paraouvir, entender e inte-

    ragir com o cliente/consumidor.

    Organizar taisfluxos, de modo quefuncionem adequada-mente, no o corebusiness das empre-sas, mas o foco prin-cipal dos clientes parase manterem fieis aelas.

    Por isso, sem-pre bom recorrer aservios especializa-dos, capacitados a ori-entar e contribuir paraque a gesto dos pro-cessos contribua paraencantar o consumi-dor antes, durante edepois da venda.

    Roni de Oliveira Franco

    A controvrsia sobre aA controvrsia sobre aA controvrsia sobre aA controvrsia sobre aA controvrsia sobre acircunciso de gentioscircunciso de gentioscircunciso de gentioscircunciso de gentioscircunciso de gentios

    1-Ento algunsque tinham descido daJudia ensinavam assimos irmos: Se no voscircuncidardes conformeo uso de Moiss, nopodeis salvar-vos.

    2-Tendo tido Pauloe Barnab no pequenadiscusso e contendacontra eles, resolveu-seque Paulo e Barnab, ealguns dentre eles, su-bissem a Jerusalm, aosapstolos e aos ancios,sobre aquela questo.

    3-E eles, sendoacompanhados pelaigreja, passavam pelaFencia e por Samaria,contando a conversodos gentios; e davamgrande alegria a todos osirmos.

    4-E, quando che-garam a Jerusalm, fo-ram recebidos pela igre-ja e pelos apstolos eancios, e lhes anuncia-ram quo grandes coisasDeus tinha feito comeles.

    5-Alguns, porm,da seita dos fariseus, quetinham crido, se levanta-ram, dizendo que eramister circuncid-los emandar-lhes que guar-dassem a lei de Moiss.

    6-Congregaram-se, pois, os apstolos eos ancios para conside-rar este assunto.

    7-E, havendo gran-de contenda, levantou-sePedro e disse-lhes: Ho-mens irmos, bem sa-beis que j h muito tem-po Deus me elegeu den-tre ns, para que os gen-tios ouvissem da minhaboca a palavra do evan-gelho, e cressem.

    8-E Deus, que co-nhece os coraes, lhesdeu testemunho, dando-lhes o Esprito Santo, as-sim como tambm a ns;

    9-E no fez dife-rena alguma entre elese ns, purificando osseus coraes pela f.

    10-Agora, pois, porque tentais a Deus, pon-do sobre a cerviz dos dis-cpulos um jugo que nemnossos pais nem ns pu-demos suportar?

    11-Mas cremosque seremos salvos pelagraa do Senhor JesusCristo, como eles tam-bm.

    12-Ento toda amultido se calou e es-cutava a Barnab e aPaulo, que contavamquo grandes sinais eprodgios Deus havia fei-to por meio deles entre

    os gentios.13-E, havendo-se

    eles calado, tomou Tiagoa palavra, dizendo: Ho-mens irmos, ouvi-me:

    14-Simo relatoucomo primeiramenteDeus visitou os gentios,para tomar deles um povopara o seu nome.

    15-E com isto con-cordam as palavras dosprofetas; como est escri-to:

    16-Depois disto vol-tarei, E reedificarei o ta-bernculo de Davi, queest cado, Levant-lo-eidas suas runas, E torna-rei a edific-lo.

    17-Para que o res-tante dos homens busqueao Senhor, E todos osgentios, sobre os quais omeu nome invocado,Diz o Senhor, que faz to-das estas coisas,

    18-Conhecidas soa Deus, desde o princpiodo mundo, todas as suasobras.

    19-Por isso julgoque no se deve perturbaraqueles, dentre os genti-os, que se convertem aDeus.

    20-Mas escrever-lhes que se abstenhamdas contaminaes dosdolos, da prostituio, doque sufocado e do san-gue.

    21-Porque Moiss,desde os tempos antigos,tem em cada cidadequem o pregue, e cadasbado lido nas sinago-gas.

    22-Ento pareceubem aos apstolos e aosancios, com toda a igre-ja, eleger homens dentreeles e envi-los com Pau-lo e Barnab a Antioquia,a saber: Judas, chamadoBarsabs, e Silas, ho-mens distintos entre os ir-mos.

    23-E por intermdiodeles escreveram o se-guinte: Os apstolos, e osancios e os irmos, aosirmos dentre os gentiosque esto em Antioquia, eSria e Cilcia, sade.

    24-Porquanto ouvi-mos que alguns que sa-ram dentre ns vos per-turbaram com palavras, etranstornaram as vossasalmas, dizendo que de-veis circuncidar-vos eguardar a lei, no lhes ten-do ns dado mandamen-to,

    25-Pareceu-nosbem, reunidos concorde-mente, eleger alguns ho-mens e envi-los com osnossos amados Barnabe Paulo,

    26-Homens que jexpuseram as suas vi-das pelo nome de nos-so Senhor Jesus Cristo.

    27-Enviamos, por-tanto, Judas e Silas, osquais por palavra vosanunciaro tambm asmesmas coisas.

    28-Na verdade pa-receu bem ao EspritoSanto e a ns, no vosimpor mais encargo al-gum, seno estas coisasnecessrias:

    29-Que vos abste