gazeta de varginha - 26/09/2013

Download Gazeta de Varginha - 26/09/2013

Post on 08-Mar-2016

226 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 8.835

TRANSCRIPT

  • VARGINHA, 26 DE SETEMBRO DE 2013R$ 1,00

    Pgina 2

    PONTOPONTOPONTOPONTOPONTO DEDEDEDEDE VISTVISTVISTVISTVISTAAAAA

    Hebreus 06

    Mx: 23C / Mn: 14C

    EDIO - 8.835

    Exortao ao progresso na f

    LOCAL/PGINA 03

    Concorra a ingressos

    Recorte este cupom e concorra ao sorteiode 6 ingressos para o espetculo

    O cupom dever ser entregue na sede do Jornal Gazeta deVarginha, que fica na Avenida dos Imigrantes, 445, Santa Maria

    Nome:.................................................Telefone:..............................................

    05/10 - 16h e 18h - Theatro CapitlioPontos de venda: Gallery Lanches e Tindolel

    Audincia na Cmara discute hojePlano Plurianual de 2014 a 2017

    Dupla do capacete rosaresponsvel por assaltos presa em Varginha

    A Cmara de Varginhapromove hoje, quinta-feira(26/9), uma audincia p-blica para discutir o PlanoPlurianual de Varginha parao perodo de 2014 a 2017.A audincia ser s 15h, noPlenrio da Cmara.

    No ltimo dia 9 deagosto, a Secretaria de Pla-nejamento Urbano, atravsdo Setor de Assuntos Or-amentrios, Finanas eEstatsticas realizou audi-

    LOCAL/PGINA 03

    O PPA um plano que estabelece as diretrizes e metas a serem seguidos pelo governo municipal

    ncia aberta ao pblicopara a apresentao doPlano Plurianual. O encon-tro foi no auditrio da Poli-clnica Central.

    O PPA um plano demdio prazo, que estabe-lece as diretrizes, objetivose metas a serem seguidospelo governo municipal aolongo de um perodo dequatro anos.

    Combate dengue vaihoje ao Parque Ozanan

    LOCAL/PGINA 06

    Grupo Unisse classificapara final daMaratona

    Brasileira deProgramao

    Fase classificatriadisputada pela equipedo Unis aconteceu nodia 14 de setembro,na cidade de Itajub

    LOCAL/PGINA 04

    LOCAL/PGINA 05

    Descarte de lixo smargens da Contornocausa reclamaes

    gazetadevarginha@gmail.com

    www.jornalgazetadevarginha.com

    facebook.com/gazetavga

    twitter.com/gazetavarginha

  • GAZETA DE VARGINHA, 26/09/2013

    PONTO DE VISTA02 PONTO DE VISTA02

    HEBREUS 6

    Palavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de Vida

    CNPJ: 21.535.075/0001-47

    A redao no se responsabilizapor conceitos emitidos em artigos

    assinados, mesmo sobpseudnimos, que so de inteira

    responsabilidade de seus autores.

    Dirio de CirculaoRegional - Diretora

    Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:

    Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:Rodrigo S. Fernandes

    Sindjori - MG 312/99 -Administrao/Reviso:Lanamara Silva - Paulo

    Ribeiro da Silva Fernan-des

    (Jornalista e superinten-dente de redao-

    TB.16.851) - Horrio defuncionamento das08:00hs s 18:00hs

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop. de

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI - Associao dosJornais do Interior

    ADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    ENDEREO:Redao e Departa-mento de Publicidade

    Telefones (35)3221-4668(35)3221-4845

    Av. dos Imigrantes,445 - Santa Maria -

    CEP 37022-560 -VARGINHA/MG

    E-mail: gazetade-varginha @gmail.com

    gazetacomercial2@ y a h o o . c o m . b rEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br

    Exortao ao progresso na fExortao ao progresso na fExortao ao progresso na fExortao ao progresso na fExortao ao progresso na f1 - POR isso, dei-

    xando os rudimentosda doutrina de Cristo,prossigamos at per-feio, no lanandode novo o fundamentodo arrependimento deobras mortas e de fem Deus,

    2 - E da doutrinados batismos, e da im-posio das mos, eda ressurreio dosmortos, e do juzo eter-no.

    3 - E isto faremos,se Deus o permitir.

    4 - Porque im-possvel que os que juma vez foram ilumina-

    dos, e provaram o domcelestial, e se tornaramparticipantes do Espri-to Santo,

    5 - E provaram aboa palavra de Deus, eas virtudes do sculofuturo,

    6 - E recaram, se-jam outra vez renovadospara arrependimento;pois assim, quanto aeles, de novo crucificamo Filho de Deus, e o ex-pem ao vituprio.

    7 - Porque a terraque embebe a chuva,que muitas vezes caisobre ela, e produz ervaproveitosa para aqueles

    por quem lavrada, re-cebe a bno de Deus;

    8 - Mas a que pro-duz espinhos e abro-lhos, reprovada, e per-to est da maldio; oseu fim ser queimada.

    9 - Mas de vs, amados, esperamoscoisas melhores, e coi-sas que acompanham asalvao, ainda que as-sim falamos.

    10 - Porque Deusno injusto para seesquecer da vossaobra, e do trabalho doamor que para com oseu nome mostrastes,enquanto servistes aos

    santos; e ainda servis.11 - Mas deseja-

    mos que cada um devs mostre o mesmocuidado at ao fim, paracompleta certeza da es-perana;

    12 - Para que vosno faais negligentes,mas sejais imitadoresdos que pela f e paci-ncia herdam as pro-messas.

    13 - Porque,quando Deus fez a pro-messa a Abrao, comono tinha outro maiorpor quem jurasse, juroupor si mesmo,

    14 - Dizendo: Cer-

    tamente, abenoando teabenoarei, e multipli-cando te multiplicarei.

    15 - E assim, espe-rando com pacincia,alcanou a promessa.

    16 - Porque os ho-mens certamente jurampor algum superior aeles, e o juramento paraconfirmao , paraeles, o fim de toda acontenda.

    17 - Por isso, que-rendo Deus mostrarmais abundantemente aimutabilidade do seuconselho aos herdeirosda promessa, se inter-ps com juramento;

    18 - Para que porduas coisas imutveis,nas quais impossvelque Deus minta, tenha-mos a firme consola-o, ns, os que po-mos o nosso refgio emreter a esperana pro-posta;

    19 - A qual temoscomo ncora da alma,segura e firme, e quepenetra at ao interiordo vu,

    20 - Onde Jesus,nosso precursor, en-trou por ns, feito eter-namente sumo sacer-dote, segundo a ordemde Melquisedeque.

    Os desafios da Coca-Cola diante de uma grave reclamaoImagine a cena in-

    slita ocorrida numareunio de diretoria noano 2000 na filial brasi-leira de uma multinacio-nal americana, cuja mar-ca sem dvida umadas mais conhecidas,admiradas e consumi-das no mundo, a Coca-Cola.

    Voc, como res-ponsvel pela rea decomunicao recebe apalavra do presidentepara contar os fatos dasemana aos demaismembros do staff. Veja-mos o dilogo fictcio, noqual utilizarei os nomesdos departamentospara melhor elucid-lo.

    Comunicao:gente, vocs no voacreditar, mas soube deum consumidor que ale-ga ter encontrado umacabea de rato em umlote de garrafas pet!

    Manufatura: isto impossvel, temos umcontrole rgido de nos-sos processos produti-vos, seguindo as nor-mas mundiais da corpo-rao.

    Jurdico: s podeser mais um consumidorquerendo ficar rico anossas custas.

    Marketing: eu in-vestigaria o caso mais afundo. sempre bom

    lembrar-se do marketingboca a boca. Um consu-midor insatisfeito costu-ma compartilhar sua his-tria com outras cincopessoas.

    Presidente: bom averiguar. Voltemosao foco da reunio, re-visando os nmeros dofechamento.

    No incio do scu-lo este dilogo seriapossvel e plausvel, po-dendo ser tratado comomais um fato isolado,colocando-o embaixo dotapete at que o assun-to esfriasse.

    Hoje a rede mun-dial de computadoressubverteu a lgica vi-gente, transferindo opoder para os usurios,os quais podem compa-rar preos, verificar co-mentrios de outros in-ternautas e principal-mente expressar suaprpria opinio - sejaatravs de comentriosou produzindo e divul-gando seu prprio con-tedo.

    Um refrigeradorcolocado em frente asua casa poderia cha-mar a ateno de algunspoucos vizinhos. No foiexatamente o que acon-teceu com a Brastemp,envolvida em um casode marketing viral ou

    ento a United Arlines,onde um msico criouuma cano para de-monstrar o mau atendi-mento recebido quandosua guitarra de estima-o foi destruda em umvoo domstico. Cincomilhes de visualiza-es em cerca de trintadias e perda de U$ 180milhes no valor dasaes.

    Apesar da mensa-gem fria e tcnica publi-cada pela Coca-Colaem sua pgina no Face-book, com certeza esteassunto voltou a serpauta de reunio na po-derosa empresa, destavez comentando a re-portagem publicada namdia e o viral que o v-deo se tornou.

    Consultando hojea pgina do Youtube,dez dias depois de pos-tada a matria, j somais de dois milhes eduzentos mil acessos,crescendo a um ritmo deprogresso geomtrica.

    A considerar os fa-tos recentes e as mar-cas envolvidas, creioque as corporaes notem andado na mesmavelocidade da web, sen-do atingidas de manei-ra fulminante pela rapi-dez com que as informa-es trafegam pela rede.

    As aes e reaes ata-balhoadas de seus fun-cionrios comprovam afalta de processos e pla-nejamento para lidarcom situaes de expo-sio extrema.

    Desta maneira,apresento quatro dicasbastante simples quepodem diminuir os im-pactos causados emsua imagem:

    Monitoramento:esteja atento s mensa-gens e comentrios re-lacionados sua mar-ca, empresa, produto ouservio, criando umarotina de verificao nosprincipais blogs e redesde relacionamento.

    Velocidade: umavez detectado algum in-dcio de problema, ajarpido. Os prazos naweb so incompatveiscom os oferecidos pelasmorosas centrais deatendimento ao consu-midor.

    Transparncia:nunca, em hiptese al-guma, tente abafar umasituao. Posies auto-ritrias ou decises ju-diciais podem amplificarainda mais o problema,ferindo uma das regrasde ouro da web.

    Comunicao:esteja sempre pronto aodilogo, respondendo

    as dvidas e solicita-es dos internautas ecriando canais especi-ais de comunicaoquando necessrio.

    Enfim, acreditoque o assunto aindadar muito pano paramanga nas prximassemanas, cujo desfechoainda incerto em faceda morosidade da justi-a.

    De qualquer ma-neira o estrago, mesmoque momentneo, jest feito. Como exem-plo, este o assunto do

    momento na escola daminha filha de noveanos, cujas crianas jtrocaram a cor do lqui-do em seus copos norecreio, incentivados porpais conscien