gazeta de varginha - 03/10/2013

Download Gazeta de Varginha - 03/10/2013

Post on 23-Mar-2016

230 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 8.840

TRANSCRIPT

  • VARGINHA, 03 DE OUTUBRO DE 2013R$ 1,00

    Pgina 2

    PONTOPONTOPONTOPONTOPONTO DEDEDEDEDE VISTVISTVISTVISTVISTAAAAA

    Hebreus 11

    Mx: 27C / Mn: 16C

    EDIO - 8.840

    A natureza da f

    LOCAL/PGINA 03

    Concorra a ingressos

    Recorte este cupom e concorra ao sorteiode 6 ingressos para o espetculo

    O cupom dever ser entregue na sede do Jornal Gazeta deVarginha, que fica na Avenida dos Imigrantes, 445, Santa Maria

    Nome:.................................................Telefone:..............................................

    05/10 - 16h e 18h - Theatro CapitlioPontos de venda: Gallery Lanches e Tindolel

    Prefeitura autoriza descarte deentulhos no lixo de VarginhaAutorizao vlida para os prximos trs meses; antigo local de descarte foi interditado

    ColgioPio XII, do

    Grupo Unis,muda denome e

    adota novosistema de

    ensino

    LOCAL/PGINA 04

    ESPORTE/PGINA 16

    Rodada de Negciosdo Fomenta Minas renecerca de 150 empresas

    A Prefeitura de Var-ginha encontrou umaforma improvisada deamenizar o problema dodescarte de restos deconstrues. Em umareunio entre a Secreta-ria Municipal de MeioAmbiente e donos decaambas, respons-veis pelos descartes, fi-cou decidido que nosprximos trs meses vaiser permitido jogar en-

    tulho nos fundos do ater-ro controlado, no bairroCorcetti, mais conheci-do como lixo.

    O terreno que eraanteriormente utilizadopara este fim, no bairroBoa Vista, s margensda movimentada Aveni-da do Contorno, foi inter-ditado pela prefeitura naltima semana.

    LOCAL/PGINA 05

    Cncer de mama:Nave do ET se ilumina

    para o Outubro RosaLOCAL/PGINA 06 Boa Esporte perde em casa

    e amplia sequncia negativa

    gazetadevarginha@gmail.com

    www.jornalgazetadevarginha.com

    facebook.com/gazetavga

    twitter.com/gazetavarginha

  • GAZETA DE VARGINHA, 03/10/2013

    PONTO DE VISTA02 PONTO DE VISTA02

    HEBREUS 11

    Palavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de Vida

    CNPJ: 21.535.075/0001-47

    A redao no se responsabilizapor conceitos emitidos em artigos

    assinados, mesmo sobpseudnimos, que so de inteira

    responsabilidade de seus autores.

    Dirio de CirculaoRegional - Diretora

    Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:

    Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:Rodrigo S. Fernandes

    Sindjori - MG 312/99 -Administrao/Reviso:Lanamara Silva - Paulo

    Ribeiro da Silva Fernan-des

    (Jornalista e superinten-dente de redao-

    TB.16.851) - Horrio defuncionamento das08:00hs s 18:00hs

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop. de

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI - Associao dosJornais do Interior

    ADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    ENDEREO:Redao e Departa-mento de Publicidade

    Telefones (35)3221-4668(35)3221-4845

    Av. dos Imigrantes,445 - Santa Maria -

    CEP 37022-560 -VARGINHA/MG

    E-mail: gazetade-varginha @gmail.com

    gazetacomercial2@ y a h o o . c o m . b rEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br

    A natureza da fA natureza da fA natureza da fA natureza da fA natureza da f1 - ORA, a f o fir-

    me fundamento das coi-sas que se esperam, e aprova das coisas que seno vem. 2 - Porque porela os antigos alcanaramtestemunho. 3 - Pela fentendemos que os mun-dos pela palavra de Deusforam criados; de maneiraque aquilo que se v nofoi feito do que aparente.4 - Pela f Abel ofereceu aDeus maior sacrifcio doque Caim, pelo qual alcan-ou testemunho de queera justo, dando Deus tes-temunho dos seus dons,e por ela, depois de mor-to, ainda fala. 5 - Pela fEnoque foi trasladado parano ver a morte, e no foiachado, porque Deus otrasladara; visto como an-tes da sua trasladao al-canou testemunho deque agradara a Deus. 6 -Ora, sem f impossvelagradar-lhe; porque ne-cessrio que aquele que seaproxima de Deus creiaque ele existe, e que ga-

    lardoador dos que o bus-cam. 7 - Pela f No, divi-namente avisado das coi-sas que ainda no se viam,temeu e, para salvao dasua famlia, preparou a arca,pela qual condenou o mun-do, e foi feito herdeiro da jus-tia que segundo a f. 8 -Pela f Abrao, sendo cha-mado, obedeceu, indo paraum lugar que havia de rece-ber por herana; e saiu, semsaber para onde ia. 9 - Pelaf habitou na terra da pro-messa, como em terraalheia, morando em caba-nas com Isaque e Jac, her-deiros com ele da mesmapromessa. 10 - Porque es-perava a cidade que tem fun-damentos, da qual o artfi-ce e construtor Deus. 11 -Pela f tambm a mesmaSara recebeu a virtude deconceber, e deu luz j forada idade; porquanto teve porfiel aquele que lho tinha pro-metido. 12 - Por isso tam-bm de um, e esse j amor-tecido, descenderam tan-tos, em multido, como as

    estrelas do cu, e como aareia inumervel que est napraia do mar. 13 - Todosestes morreram na f, semterem recebido as promes-sas; mas vendo-as de lon-ge, e crendo-as e abraan-do-as, confessaram queeram estrangeiros e peregri-nos na terra. 14 - Porque,os que isto dizem, clara-mente mostram que bus-cam uma ptria. 15 - E se,na verdade, se lembrassemdaquela de onde haviamsado, teriam oportunidadede tornar. 16 - Mas agoradesejam uma melhor, isto, a celestial. Por isso tam-bm Deus no se envergo-nha deles, de se chamar seuDeus, porque j lhes prepa-rou uma cidade. 17 - Pelaf ofereceu Abrao a Isaque,quando foi provado; sim,aquele que recebera as pro-messas ofereceu o seu uni-gnito. 18 - Sendo-lhe dito:Em Isaque ser chamadaa tua descendncia, consi-derou que Deus era pode-roso para at dentre os

    mortos o ressuscitar; 19 -E da tambm em figura eleo recobrou. 20 - Pela f Isa-que abenoou Jac e Esa,no tocante s coisas futu-ras. 21 - Pela f Jac, pr-ximo da morte, abenooucada um dos filhos de Jos,e adorou encostado pon-ta do seu bordo. 22 - Pelaf Jos, prximo da morte,fez meno da sada dos fi-lhos de Israel, e deu ordemacerca de seus ossos. 23 -Pela f Moiss, j nascido,foi escondido trs meses porseus pais, porque viram queera um menino formoso; eno temeram o mandamen-to do rei. 24 - Pela f Moi-ss, sendo j grande, recu-sou ser chamado filho dafilha de Fara, 25 - Esco-lhendo antes ser maltrata-do com o povo de Deus, doque por um pouco de tem-po ter o gozo do pecado;26 - Tendo por maiores ri-quezas o vituprio de Cris-to do que os tesouros doEgito; porque tinha em vis-ta a recompensa. 27 - Pela

    f deixou o Egito, no te-mendo a ira do rei; porqueficou firme, como vendo oinvisvel. 28 - Pela f cele-brou a pscoa e a asper-so do sangue, para que odestruidor dos primognitoslhes no tocasse. 29 - Pelaf passaram o Mar Verme-lho, como por terra seca; oque intentando os egpcios,se afogaram. 30 - Pela fcaram os muros de Jeri-c, sendo rodeados duran-te sete dias. 31 - Pela fRaabe, a meretriz, no pe-receu com os incrdulos,acolhendo em paz os es-pias. 32 - E que mais di-rei? Faltar-me-ia o tempocontando de Gideo, e deBaraque, e de Sanso, ede Jeft, e de Davi, e deSamuel e dos profetas, 33- Os quais pela f vence-ram reinos, praticaram ajustia, alcanaram pro-messas, fecharam as bo-cas dos lees, 34 - Apaga-ram a fora do fogo, esca-param do fio da espada, dafraqueza tiraram foras, na

    batalha se esforaram,puseram em fuga os exr-citos dos estranhos. 35 -As mulheres receberampela ressurreio os seusmortos; uns foram tortu-rados, no aceitando oseu livramento, para al-canarem uma melhorressurreio; 36 - E outrosexperimentaram escrni-os e aoites, e at cadei-as e prises. 37 - Foramapedrejados, serrados,tentados, mortos ao fio daespada; andaram vesti-dos de peles de ovelhase de cabras, desampara-dos, aflitos e maltratados38 - (Dos quais o mundono era digno), errantespelos desertos, e montes,e pelas covas e cavernasda terra. 39 - E todos es-tes, tendo tido testemu-nho pela f, no alcana-ram a promessa, 40 - Pro-vendo Deus alguma coi-sa melhor a nosso respei-to, para que eles sem nsno fossem aperfeioa-dos.

    Acio Neves apresenta propostas para aumentar produtividade da economia brasileiraO senador Acio

    Neves apresentou propos-tas e debateu com empre-srios, investidores e jor-nalistas, nesta segunda-feira (30/09), em So Pau-lo, sobre caminhos para oaumento da produtividadebrasileira. Durante o Exa-me Frum 2013, AcioNeves apontou os desafi-os a serem enfrentados deimediato pelo Brasil paraque o pas avance na pro-dutividade e se integre scadeias produtivas globais. Ele props a simplificaoe desburocratizao dosistema tributrio e do se-tor de negcios; a estabi-lidade dos marcos regula-trio, maior abertura daeconomia nacional e inte-grao das empresas bra-sileiras; e a adoo depolticas para dar qualida-de educao e estimulo inovao.Manuteno de regras

    Acio Neves desta-cou a importncia de mar-cos regulatrios estveisna economia como condi-o primordial para relaci-onamento com investido-res. O senador observouque o atual modelo de ge-renciamento da economiapelo governo federal, comforte interveno e mudan-a de regras, tem geradoatraso e prejuzos ao se-tor produtivo e ao conjuntodo pas. O governo hoje

    atrapalha mais o ambien-te de negcios do que aju-da. As aes equivocadasdo governo geram efetiva-mente dvidas e incerte-zas naqueles que quereminvestir em um ambienteseguro. Esse no o ca-minho que devemos se-guir, afirmou o senador.

    Marcos reguladoresAcio Neves avaliou

    como retrocesso a ida dapresidente Dilma Rousse-ff aos EUA para dar garan-tias a investidores estran-geiros. Ele lembrou queessas mesmas garantiasforam dadas pelo entocandidato Lula em 2002,na chamada Carta aosbrasileiros. fundamen-tal que tenhamos marcosregulatrios estveis, queno mudem em funo dohumor, de circunstnciasconjunturais. Recentemen-te, algo inacreditvel acon-teceu: a presidente Dilmateve que se reunir com in-vestidores estrangeirospara garantir que os con-tratos sero respeitados.Criamos um ambiente hos-til aos investimentos, quedeveriam estar vindo ago-ra para garantir uma r