gazeta de varginha - 02/07/2014

Download Gazeta de Varginha - 02/07/2014

Post on 31-Mar-2016

223 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 9.018

TRANSCRIPT

  • pgina 02

    PONTO DE VISTA

    Levtico 17

    Mx: 24 / Mn: 11

    Leis referentes matana dos animais

    Varginha coloca em vigor novalei de regularizao de imveis

    EDIO 9.018R$ 1, 00 VARGINHA, 02 DE JULHO DE 2014

    DEUS FIEL

    local/pgina 05

    Com desconto no valor das multas, possvel parcelar os dbitos em at 10 parcelas mensais

    regional/pgina 08

    Passou a valer no dia23 de junho, a Lei de Re-gularizao, que d aosproprietrios de imveisem desacordo com a Le-gislao vigente, a opor-tunidade de regularizaodas construes de todasas categorias de uso, comdesconto no valor dasmultas e possibilidade deparcelamento em at 10parcelas mensais. Masateno, a Lei ter prazode vigncia de at 90 diasa partir da data de sua pu-blicao, em 18 de junhode 2014, para que o con-tribuinte d entrada com

    Homicdios na regio crescem43,1% no primeiro quadrimestre

    o processo. Uma oportunidade

    para os muncipes de fi-carem em dia com suasobrigaes, a Lei vale paraaquelas construes quetenham sido concludasou em fase de coberturacom laje concluda at adata da entrada em vigorda Lei, e que no causemprejuzo aos confrontan-tes na forma do dispostono Cdigo Civil, que apre-sentem condies mni-mas de habitabilidade esalubridade

    gazetadevarginha@gmail.com

    www.jornalgazetadevarginha.com

    facebook.com/gazetavga

    local/pgina 03local/pgina 04

    Lavras a1 cidadeda regioa assumir

    iluminaopblica

    Dados da Secretaria deDefesa Social de Minas Ge-rais (Seds) mostram uma re-alidade preocupante paraquem vive no Sul de Minas.De janeiro a abril deste ano,cresceram os registros ofi-ciais de crimes violentos naregio. S o nmero de ho-micdios, por exemplo, au-

    mentou 43,1% no primeiroquadrimestre deste ano emrelao ao mesmo perododo ano passado. Outros cri-mes como sequestro e cr-cere privado, alm de rou-bos e furtos, tambm apre-sentaram crescimento.

    Estudantes do Unis lanam

    campanha para criao

    de ciclofaixa em Varginha

    pgina 09

  • CNPJ: 21.535.075/0001-47

    A redao no seresponsabiliza por

    conceitos emitidos emartigos assinados, mesmo

    sobpseudnimos, que so deinteira responsabilidade

    de seus autores.

    Dirio de CirculaoRegional - Diretora

    Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:

    Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:

    Rodrigo S. Fernandes Sindjori- MG 312/99 - Administra-o/Reviso: Lanamara Silva

    - Paulo Ribeiro da SilvaFernandes

    (Jornalista e superintenden-te de redao-

    M.T.TB.16.851) - Horriode funcionamento das08:00hs s 18:00hs

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop.de Jornais e Revistas do

    InteriorADJORI - Associaodos Jornais do InteriorADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    ENDEREO:Redao e Departamentode Publicidade Av. dosImigrantes, 445 - SantaMaria - CEP 37022-560 -

    Telefones(35)3221-4668(35)3221-4845

    VARGINHA/MGE-mail: gazetade

    varginha@gmail.comgazetacomercial2@yahoo.

    com.brEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br

    02 DE JULHO DE 201402 | GAZETA DE VARGINHAPONTO DE VISTA

    1 - FALOU maiso SENHOR a Moi-ss, dizendo:

    2 - Fala a Aro eaos seus filhos, e atodos os filhos de Is-rael, e dize-lhes: Esta a palavra que o SE-NHOR ordenou, di-zendo:

    3 - Qualquer ho-mem da casa de Is-rael que degolar boi,ou cordeiro, ou ca-bra, no arraial, ouquem os degolarfora do arraial,

    4 - E no os trou-xer porta da tendada congregao,para oferecer oferta

    ao SENHOR diante dotabernculo do SE-NHOR, a esse homemser imputado o san-gue; derramou sangue;por isso ser extirpadodo seu povo;

    5 - Para que os fi-lhos de Israel, trazendoos seus sacrifcios, queoferecem sobre a facedo campo, os tragamao SENHOR, portada tenda da congrega-o, ao sacerdote, e osofeream por sacrifci-os pacficos ao SE-NHOR.

    6 - E o sacerdoteespargir o sangue so-bre o altar do SE-

    NHOR, porta da ten-da da congregao, equeimar a gordura porcheiro suave ao SE-NHOR.

    7 - E nunca maisoferecero os seus sacri-fcios aos demnios,aps os quais eles seprostituem; isto ser-lhes- por estatuto per-ptuo nas suas gera-es.

    8 - Dize-lhes pois:Qualquer homem dacasa de Israel, ou dosestrangeiros que pere-grinam entre vs, queoferecer holocausto ousacrifcio,

    9 - E no o trouxer

    Palavras de Vida

    Leis referentes matana dos animaisLevtico 17

    Orlando Oda

    Se habilidade tcnica,comercial e fora de von-tade fossem os fatores de-terminantes para criaruma empresa com vidalonga e prspera, a taxa demortalidade empresarialdeveria ser bem menor.Qual a raiz que sustentaa vida longa? Ser que noesto plantando uma em-presa sem a raiz?

    Esta abordagem no para tratar da longevida-de empresarial, como nolivro Feitas para Durar,de Jim Collins. Tambmno estamos falando ape-nas de durar enquanto ofundador for vivo. A lon-gevidade empresarial outra questo: dependeda sucesso empresarial,mercado que atua, evolu-o tecnolgica, e muitosoutros fatores.

    Perguntar quantotempo uma empresa vaidurar como perguntarquantos anos algum vaiviver. O objetivo deste ar-tigo tambm no tratardisso. Somente uma coisa certa: no vai durar parasempre. como a nossavida.

    Uma empresa, para

    ter uma vida longa e prs-pera, precisa de autoriza-o. Ela se credencia medida que se torna ne-cessria, til sociedade,ou seja, quando os clien-tes reconhecem a sua uti-lidade. Milhares de em-presas nascem e morremporque no se credenci-am, baseiam-se unica-mente em obter resulta-dos financeiros.

    No que o lucro noseja importante. O obje-tivo do palestrante no receber aplausos. Se osaplausos forem poucos,significa que no estagradando ao pblico. Seo lucro da empresa forpouco, significa que o cli-ente no est aprovando a

    empresa. A empresa noest sendo administradadireito.

    O lucro no deve sero objetivo principal daempresa. Lucro o prin-cipal parmetro de anli-se. A lei da causalidade dizque para receber algo preciso dar alguma coisa.O resultado depende dacausa. A causa para lucrar ser til a um grande n-mero de pessoas, isto ,produzir bens e serviosteis s pessoas.

    Para produzir bens eservios teis a preosque sejam acessveis ecompetitivos precisodesenvolver vrias habi-lidades: tcnicas, huma-nas, inovao, percepo

    porta da tenda dacongregao, para ofe-rec-lo ao SENHOR,esse homem ser extir-pado do seu povo.

    10 - E qualquer ho-mem da casa de Israel,ou dos estrangeirosque peregrinam entreeles, que comer algumsangue, contra aquelaalma porei a minhaface, e a extirparei doseu povo.

    11 - Porque a vida dacarne est no sangue;pelo que vo-lo tenhodado sobre o altar, parafazer expiao pelasvossas almas; porquan-to o sangue que far

    O segredo das empresas com vida longa e prspera?

    expiao pela alma.12 - Portanto tenho

    dito aos filhos de Isra-el: Nenhum dentre vscomer sangue, nem oestrangeiro, que pere-grine entre vs, come-r sangue.

    13 - Tambm qual-quer homem dos filhosde Israel, ou dos es-trangeiros que peregri-nam entre eles, que ca-ar animal ou ave quese come, derramar oseu sangue, e o cobrircom p;

    14 - Porquanto avida de toda a carne oseu sangue; por issotenho dito aos filhos de

    Israel: No comereiso sangue de nenhumacarne, porque a vidade toda a carne oseu sangue; qualquerque o comer ser ex-tirpado.

    15 - E todo o ho-mem entre os natu-rais, ou entre os es-trangeiros, que comercorpo morto ou dila-cerado, lavar as suasvestes, e se banharcom gua, e serimundo at tarde;depois ser limpo.

    16 - Mas, se os nolavar, nem banhar asua carne, levar sobresi a sua iniqidade.

    e diagnstico para ver esolucionar problemascomplexos. Todas so im-portantes para o sucesso,porm, no so as verda-deiras causas da mortali-dade precoce.

    Um engenheiro civilestuda cinco anos na fa-culdade de engenhariapara que? Para construira sua casa? No! Seu tra-balho construir a casapara outras pessoas. Ofundamento do trabalho sempre trabalhar para osoutros. O fundamento daempresa e do seu funda-dor trabalhar para ou-tras pessoas e nunca parasi.

    A raiz que alimenta esustenta a edificao em-presarial igual a raiz darvore. A raiz invisvel,fixa e sustenta o tronco,galhos e folhas. O quemantm a planta em p natempestade no a estru-tura fsica do tronco. Damesma forma, no a es-trutura fsica da empresa,como prdios e mquinas,que mantm a empresaviva no dia do vendaval.

    O que sustenta a exis-tncia de qualquer coisaneste mundo a ideia que a causa. Existe enquan-

    to a ideia que sustentaexistir. Um edifcio quefica abandonado sem ser-ventia se desmorana.Toda empresa surge daideia do fundador de su-prir uma demanda, umanecessidade real ou po-tencial de clientes.

    O que faz a empresater vida longa e prspera manter viva a ideia deorigem da criao pormeio de inovao. No o

    produto, o servio ou aqualidade. Estes so ape-nas resultados da ideiainicial. O segredo est naideia de origem, a raiz daessncia do negcio, doincio da empresa.

    Orlando Oda adminis-trador de empresas, mes-trado em administraofinanceira pela FGV epresidente do Grupo Afi-xCode.

  • GAZETA DE VARGINHA | 0302 DE JULHO DE 2014LOCAL

    Homicdios na regio crescem43,1% no primeiro quadrimestreOutros crimes como sequestro e crcere privado, alm de roubos e furtos, tambm aumentaram

    Dados da Secretaria deDefesa Social de MinasGerais (Seds) mostramuma realidade preocupan-te para quem vive no Sulde Minas. De janeiro a abrildeste ano, cresceram os re-gistros oficiais de crimesviolentos na regio. S onmero de homicdios,por exemplo, aumentou43,1% no primeiro quadri-mestre deste ano em rela-o ao mesmo perodo doano passado. Outros cri-mes como sequestro e cr-cere privado, alm de rou-bos e furtos, tambm apre-sentaram crescimento.

    A boa notcia a redu-o do nmero de estuprosconsumados. O ndice caiu30,9% comparando o pri-meiro quadrimestre d