Gazeta de Varginha - 17/07/2014

Download Gazeta de Varginha - 17/07/2014

Post on 01-Apr-2016

226 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edio 9.029

TRANSCRIPT

  • pgina 02

    PONTO DE VISTA

    Levtico 25

    Mx: 22 / Mn: 07

    O Ano de Descanso

    Guarda Municipal no voltar aatuar no trnsito de Varginha

    EDIO 9.029R$ 1, 00 VARGINHA, 17 DE JULHO DE 2014

    DEUS FIEL

    local/pgina 05

    Prefeitura Municipal de Varginha pretende criar a funo especfica de Agente Municipal de Trnsito

    local/pgina 05

    A Prefeitura Muni-cipal de Varginha pre-tende criar a funo deAgente Municipal deTrnsito, modelo emoperao em outras ci-dades da regio. Dis-pensa-se assim a Guar-da Municipal de exer-cer esta funo.

    No ofcio encami-nhando o projeto de leicriando o agente detrnsito, constam cincojustificativas para a es-colha deste sistema aoinvs de utilizar os

    Trabalhadores rurais denunciamtrabalho escravo em Varginha

    guardas municipaispara a fiscalizao dotrnsito em Varginha.

    Os levantamentosapontam, segundo oMunicpio, que somen-te o agente, concursa-do e vinculado admi-nistrao direta do mu-nicpio, e com poder depolcia, pode promovera autuao de trnsito.Portanto, a GuardaMunicipal no tem essepoder.

    gazetadevarginha@gmail.com

    www.jornalgazetadevarginha.com

    facebook.com/gazetavga

    local/pgina 03

    Procaf alerta que secadeve danificar lavourasem Varginha e regio

    Com novotrnsito,

    ponto denibus

    desativado

    local/pgina 04

    Contrataes irregula-res, sem assinatura em car-teira, uso abusivo de agro-txicos, que afetam a sa-de do trabalhador e suas fa-mlias, e fiscalizao traba-lhista deficiente. Essas fo-ram algumas das dennci-as formuladas pelos traba-lhadores rurais presentes

    audincia pblica da Co-misso do Trabalho, daPrevidncia e da Ao So-cial da Assembleia Legis-lativa de Minas Gerais(ALMG) realizada na ma-nh desta tera-feira (15/7)em Varginha.

    Sebrae a Aciv realizampalestra motivacional hoje

    no Theatro Capitliolocal/pgina 04

  • Caa-Palavras

    CNPJ: 21.535.075/0001-47

    A redao no seresponsabiliza por

    conceitos emitidos emartigos assinados, mesmo

    sobpseudnimos, que so deinteira responsabilidade

    de seus autores.

    Dirio de CirculaoRegional - Diretora

    Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:

    Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:

    Rodrigo S. Fernandes Sindjori- MG 312/99 - Administra-o/Reviso: Lanamara Silva

    - Paulo Ribeiro da SilvaFernandes

    (Jornalista e superintenden-te de redao-

    M.T.TB.16.851) - Horriode funcionamento das08:00hs s 18:00hs

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop.de Jornais e Revistas do

    InteriorADJORI - Associaodos Jornais do InteriorADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    ENDEREO:Redao e Departamentode Publicidade Av. dosImigrantes, 445 - SantaMaria - CEP 37022-560 -

    Telefones(35)3221-4668(35)3221-4845

    VARGINHA/MGE-mail: gazetade

    varginha@gmail.comgazetacomercial2@yahoo.

    com.brEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br

    17 DE JULHO DE 201402 | GAZETA DE VARGINHAPONTO DE VISTA

    1 - FALOU mais o SE-NHOR a Moiss nomonte Sinai, dizendo:

    2 - Fala aos filhos deIsrael, e dize-lhes:Quando tiverdes entra-do na terra, que eu vosdou, ento a terra des-cansar um sbado aoSENHOR.

    3 - Seis anos semea-rs a tua terra, e seisanos podars a tua vinha,e colhers os seus frutos;

    4 - Porm ao stimoano haver sbado dedescanso para a terra, umsbado ao SENHOR;no semears o teu cam-po nem podars a tua vi-nha.

    5 - O que nascer de simesmo da tua sega, nocolhers, e as uvas da tuaseparao no vindimars;ano de descanso ser paraa terra.

    6 - Mas os frutos do s-bado da terra vos sero poralimento, a ti, e ao teu ser-vo, e tua serva, e ao teudiarista, e ao estrangeiroque peregrina contigo;

    7 - E ao teu gado, e aosteus animais, que esto natua terra, todo o seu pro-duto ser por mantimen-to.

    8 - Tambm contarssete semanas de anos, setevezes sete anos; de manei-ra que os dias das sete se-

    manas de anos te seroquarenta e nove anos.

    9 - Ento no ms sti-mo, aos dez do ms, farspassar a trombeta do jubi-leu; no dia da expiao fa-reis passar a trombeta portoda a vossa terra,

    10 - E santificareis o anoqinquagsimo, e aprego-areis liberdade na terra atodos os seus moradores;ano de jubileu vos ser, etornareis, cada um suapossesso, e cada um suafamlia.

    11 - O ano qinquag-simo vos ser jubileu; nosemeareis nem colhereis oque nele nascer de si mes-mo, nem nele vindimareis

    Palavras de Vida

    O Ano de DescansoLevtico 25Parte I

    as uvas das separaes,12 - Porque jubileu ,

    santo ser para vs; a no-vidade do campo come-reis.

    13 - Neste ano do jubi-leu tornareis cada um suapossesso.

    14 - E quando vender-des alguma coisa ao vossoprximo, ou a comprardesda mo do vosso prximo,ningum engane a seu ir-mo;

    15 - Conforme ao n-mero dos anos, desde o ju-bileu, comprars ao teuprximo; e conforme o n-mero dos anos das colhei-tas, ele a vender a ti.

    16 - Conforme se mul-

    Joo Eichbaum

    Quando a senhoraDilma ouviu de um povobufo o brado retumban-

    te, comeou a ter Copa.Na hora, plidos e semgraa, ela e o Blatter, daFIFA, perderam a fala.Coube ento ao silncio,

    tipliquem os anos, aumen-tars o seu preo, e con-forme diminuio dosanos abaixars o seu pre-o; porque conforme onmero das colheitas queele te vende.

    17 - Ningum, pois, en-gane ao seu prximo; masters temor do teu Deus;porque eu sou o SENHORvosso Deus.

    18 - E observareis osmeus estatutos, e guarda-reis os meus juzos, e oscumprireis; assim habita-reis seguros na terra.

    19 - E a terra dar o seufruto, e comereis a fartar,e nela habitareis seguros.

    20 - E se disserdes:

    Teve Copa sim!constrangido, declararinaugurado o evento. E seseguiu o hino nacionalberrado, chorado e desa-finado.

    O grito do Itaqueroimpediu que o Blatter e aDilma desempenhassemo papel que lhes tinha sidodestinado no script.Mas, nada como bons ar-tistas para salvar a moralde uma ptria conspurca-da por palavres. O cen-troavante Fred, depois derpido estgio nos estdi-os da Globo, estava l paraatrair os aplausos que odistinto pblico havia ne-gado para Dilma e Blatter.Sem nunca haver contra-cenado com o coadjuvan-te, a apresentao saiumelhor do que qualquerensaio. Foi Fred escorre-gar dos braos do zaguei-ro croata e l estava o r-bitro japons, apontandolpido e faceiro para amarca do pnalti.

    E a, minha gente,teve Copa, sim. Ningumna FIFA doido de rasgardinheiro para permitirque o pas sede do eventofutebolstico internacio-nal seja derrotado na pri-meira partida. Seria comocontinuar uma festa decasamento, da qual tenhafugido a noiva, no com onoivo, mas com o vizinho.

    Ento, para desapon-tamento dos que no que-riam Copa, teve Copa, sim.

    E os ufanistas festejaramde peito estufado, reptan-do a turma do no vai terCopa. E graas s traves,o Brasil passou pelo Chile,o patriotismo virou um riode lgrimas, que desa-guou no mar do oba, oba.Foi a Fluoxetina nacional.O humor subiu, a Dilmasubiu nas pesquisas. ACopa se tornou sucesso debilheteria e pblico. Osestrangeiros, que deixa-ram a carne de segundaem casa, se lambuzaramcom o fil nacional: no ti-nham vindo para a procis-so em Aparecida, maspara a Copa.

    O evento foi dividoentre trs parceiros: aFIFA ficou com as exign-cias da montagem do pal-co para a apresentao dapea, a seu modo, sua fei-o. O cenrio, a produ-o, a direo, a realizao,os atores e, principalmen-te, a bilheteria eram dela.O Brasil ficou com a tru-culncia: botou o exrci-to na rua, atropelou a Cons-tituio no direito de ir evir, e rasgou o Cdigo doConsumidor, permitindoreserva de mercado e abu-so de preos. O contribu-inte ficou com a conta.

    O espetculo foi en-volvente, embriagou opas com delrio patriti-co. Mais lgrimas arranca-ram os desfalques da se-leo do que a morte de

    Que comeremos no anostimo? eis que no ha-vemos de semear nemfazer a nossa colheita;

    21 - Ento eu manda-rei a minha bno sobrevs no sexto ano, para qued fruto por trs anos,

    22 - E no oitavo anosemeareis, e comereis dacolheita velha at ao anonono; at que venha anova colheita, comereis avelha.

    23 - Tambm a terrano se vender em per-petuidade, porque a ter-ra minha; pois vs soisestrangeiros e peregri-nos comigo.

    Continua...

    inocentes, debaixo do vi-aduto inacabado e super-faturado pelo PAC daCopa. Alheios tragdia,os que gostam de circo sealiaram aos que precisamde po: choraram juntos,vendo o Neymar na macaestilo funerrio da FIFA.

    Mas, a apareceram osPanzer alemes, apro-veitaram o choror eempurraram a ptria parao inferno, onde, alm dechoro, tem ranger de den-tes. Em seguida vieram osholandeses, que a manda-

    ram para o subsolo das tre-vas, porque o andar decima era deles.

    Teve Copa, sim, commortes, desabamentos,festas, licitaes de facha-da, segurana para estran-geiros, e um mar de lgri-mas por falta de futebol...brasileiro, claro. J queos alemes deram umshow.

    Joo Eichbaum ad-vogado e autor do livroEsse Circo Chamado Jus-tia.

    Boa sorte!Respostas na prxima edio

  • GAZETA DE VARGINHA | 0317 DE JULHO DE 2014LOCAL

    Trabalhadores rurais denunciamtrabalho escravo em VarginhaComisso de Trabalho da Assembleia Legislativa de MG ouviu reivindicaes dos trabalhadores

    Contrataes irregula-res, sem assinatura em car-teira, uso abusivo de agro-txicos, que afetam a sa-de do trabalhador e suas fa-mlias, e fiscalizao traba-lhista deficiente. Essas fo-ram algumas das dennci-as formuladas pelos traba-lhadores rurais presentes audincia pblica da Co-misso do Trabalho, daPrevidncia e da Ao So-cial da Assembleia Legis-lativa de Minas Gerais(ALMG) realizada na ma-nh desta tera-feira (15/7)em Varginha.

    Presidida pela deputa-da Liza Prado (Pros), a reu-nio foi realizada a reque-rimento dos deputadosPomplio Canavez e Rog-rio Correia, ambos do PT,atendendo a solicitao delideran