Gazeta de Varginha - 01/07/2014

Download Gazeta de Varginha - 01/07/2014

Post on 31-Mar-2016

220 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edio 9.017

TRANSCRIPT

<ul><li><p>pgina 02</p><p>PONTO DE VISTA</p><p>Levtico 16</p><p>Mx: 24 / Mn: 11</p><p>O Dia da Expiao</p><p>Varginha referncia negativa emeducao pblica, revela estudo</p><p>EDIO 9.017R$ 1, 00 VARGINHA, 01 DE JULHO DE 2014</p><p>DEUS FIEL</p><p>local/pgina 03</p><p>Baixo investimento leva cidade a ocupar ltimas posies em diversos indicativos sobre educao</p><p>local/pgina 03</p><p>Varginha precisa me-lhorar em alguns setorescomo educao e sadese quiser se destacar en-tre as cidades mineiras demesmo porte. O PlanoMunicipal de AssistnciaSocial, que expe as aesat 2016, com base emum estudo realizado noano passado, apontouque a cidade ocupa as l-timas colocaes quantoa escolas sem acessibilida-de fsica, bibliotecas eacesso internet.</p><p>O diagnstico elabo-rado para a Secretria</p><p>Por falta de provas, Cmara arquiva</p><p>processo contra P de Chumbo</p><p>Municipal de Habitao eAssistncia Social mostraque Varginha precisaavanar na educao.</p><p>Na educao, consta-tou-se deficincias comomuita reprovao escolar,distoro de idade eabandono no ensino fun-damental pblico. E ain-da carncias na estruturade escolas como acesso internet para alunos, bi-bliotecas e acessibilidadefsica para pessoas comdeficincia.</p><p>gazetadevarginha@gmail.com</p><p>www.jornalgazetadevarginha.com</p><p>facebook.com/gazetavga</p><p>local/pgina 05local/pgina 06</p><p>Trs Bicas eVila Ipirangarecebem oMutiro da</p><p>Dengue</p><p>O vereador Adilson deOliveira, o P de Chum-bo est livre das acusa-es de agresso contrao funcionrio da CmaraMunicipal de Varginha,Jos Jayme de Faria Jni-or. A Comisso de Investi-gao Processante deci-</p><p>diu, por unanimidade,pelo arquivamento da Sin-dicncia por absoluta fal-ta de prova. Os fatos te-riam ocorrido no dia 17 defevereiro de 2014, por vol-ta de 10 horas.</p><p>Casa da Cultura sedia</p><p>hoje Frum Permanente de</p><p>Cultura Microrregional</p><p>Matrias sobre o trabalhoda Defensoria Pblica seropremiadas em trs categorias</p><p>local/pgina 04</p></li><li><p>CNPJ: 21.535.075/0001-47</p><p>A redao no seresponsabiliza por</p><p>conceitos emitidos emartigos assinados, mesmo</p><p>sobpseudnimos, que so deinteira responsabilidade</p><p>de seus autores.</p><p>Dirio de CirculaoRegional - Diretora</p><p>Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:</p><p>Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:</p><p>Rodrigo S. Fernandes Sindjori- MG 312/99 - Administra-o/Reviso: Lanamara Silva</p><p>- Paulo Ribeiro da SilvaFernandes</p><p>(Jornalista e superintenden-te de redao-</p><p>M.T.TB.16.851) - Horriode funcionamento das08:00hs s 18:00hs</p><p>ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do</p><p>InteriorSINDJORI - Sind. Prop.de Jornais e Revistas do</p><p>InteriorADJORI - Associaodos Jornais do InteriorADI - Associao dosJornais do interior de</p><p>Minas Gerais</p><p>ENDEREO:Redao e Departamentode Publicidade Av. dosImigrantes, 445 - SantaMaria - CEP 37022-560 -</p><p>Telefones(35)3221-4668(35)3221-4845</p><p>VARGINHA/MGE-mail: gazetade</p><p>varginha@gmail.comgazetacomercial2@yahoo.</p><p>com.brEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br</p><p>01 DE JULHO DE 201402 | GAZETA DE VARGINHAPONTO DE VISTA</p><p>1 - E FALOU o SE-NHOR a Moiss, depoisda morte dos dois filhosde Aro, que morreramquando se chegaram di-ante do SENHOR.</p><p>2 - Disse, pois, o SE-NHOR a Moiss: Dize aAro, teu irmo, queno entre no santurioem todo o tempo, paradentro do vu, diante dopropiciatrio que estsobre a arca, para queno morra; porque euaparecerei na nuvem so-bre o propiciatrio.</p><p>3 - Com isto Aroentrar no santurio:com um novilho, paraexpiao do pecado, eum carneiro para holo-causto.</p><p>4 - Vestir ele a t-nica santa de linho, e terceroulas de linho sobrea sua carne, e cingir-se- com um cinto de linho,e se cobrir com umamitra de linho; estas sovestes santas; por issobanhar a sua carne nagua, e as vestir.</p><p>5 - E da congregaodos filhos de Israel toma-r dois bodes para expi-ao do pecado e um car-neiro para holocausto.</p><p>6 - Depois Aro ofe-recer o novilho da ex-</p><p>piao, que ser para ele;e far expiao por si e pelasua casa.</p><p>7 - Tambm tomarambos os bodes, e os porperante o SENHOR, porta da tenda da congre-gao.</p><p>8 - E Aro lanar sor-tes sobre os dois bodes;uma pelo SENHOR, e aoutra pelo bode emissrio.</p><p>9 - Ento Aro farchegar o bode, sobre oqual cair a sorte pelo SE-NHOR, e o oferecer paraexpiao do pecado.</p><p>10 - Mas o bode, so-bre que cair a sorte paraser bode emissrio, apre-sentar-se- vivo perante oSENHOR, para fazer ex-piao com ele, a fim deenvi-lo ao deserto comobode emissrio.</p><p>11 - E Aro far che-gar o novilho da expiao,que ser por ele, e far ex-piao por si e pela suacasa; e degolar o novilhoda sua expiao.</p><p>12 - Tomar tambmo incensrio cheio de bra-sas de fogo do altar, de di-ante do SENHOR, e osseus punhos cheios de in-censo aromtico modo, eo levar para dentro dovu.</p><p>13 - E por o incenso</p><p>sobre o fogo perante o SE-NHOR, e a nuvem do in-censo cobrir o propicia-trio, que est sobre o tes-temunho, para que nomorra.</p><p>14 - E tomar do san-gue do novilho, e com oseu dedo espargir sobrea face do propiciatrio,para o lado oriental; e pe-rante o propiciatrio es-pargir sete vezes do san-gue com o seu dedo.</p><p>15 - Depois degolaro bode, da expiao, queser pelo povo, e trar oseu sangue para dentro dovu; e far com o seu san-gue como fez com o san-gue do novilho, e o espar-gir sobre o propiciatrio,e perante a face do propi-ciatrio.</p><p>16 - Assim far expia-o pelo santurio porcausa das imundcias dosfilhos de Israel e das suastransgresses, e de todosos seus pecados; e assimfar para a tenda da con-gregao que reside comeles no meio das suasimundcias.</p><p>17 - E nenhum ho-mem estar na tenda dacongregao quando eleentrar para fazer expiaono santurio, at que elesaia, depois de feita expi-</p><p>Palavras de Vida</p><p>O Dia da ExpiaoLevtico 16</p><p>Marcelo Murin</p><p>Estudos provam quecusta mais reconquistar umcliente perdido do quebuscar novos no mercado.Sendo assim, me parecebvio a relevncia de man-ter um timo relaciona-mento com seus atuaisconsumidores. O cliente o maior patrimnio queuma empresa pode ter,pois por meio dele que aempresa pode se manterem operao e, consequen-temente, atingir os resul-tados em busca de sua pe-renidade.</p><p> Muitas vezes fale-seem dar foco no cliente, noentanto, acredito que exis-te uma certa pegadinhanestas palavras, uma vezque de fato as empresas de-vem pensar e olhar commais ateno para o consu-midor. Ou seja, enxergarpor meio dos olhos dos cli-entes para entender suasreais necessidades.</p><p> Claro que voc podepensar que os interesses deseus clientes so diferen-tes dos seus, e no resta amenor dvida que isso defato verdade para alguns n-</p><p>dices de avaliao de de-sempenho. Entretanto deextrema importncia quevoc consiga identificar ospontos de convergnciacom seus clientes, e bus-que trabalh-los de formaintegrada com os mesmo,mostrando assim aos clien-tes que o sucesso deles oseu sucesso.</p><p> J se fala h algumtempo sobre a fidelizaodos clientes, e pode at pa-recer que isso apenaspara empresas grandes ouat mesmo aes voltadaspara o consumidor final,muito embora isso seja umparadigma que deve serquebrado.</p><p>Fidelizar seu cliente o que todas as empresas de-vem buscar para manterseus negcios em desen-volvimento, pensando como foco do cliente. E comoefetivamente podemosfaz-lo? Existem seis pas-sos que devem ser segui-dos em sua estratgia, quefacilitaro e organizaro seutrabalho:</p><p> 1. Conhea seu clien-te: me parece evidente quepara estabelecer empatiacom seu cliente, funda-</p><p>mental conhec-lo. Per-gunte, observe, analise seucomportamento. Crie umbanco de dados com infor-maes relevantes dos cli-entes voltadas ao seu neg-cio.</p><p>2. Crie vnculo: umavez conhecendo-os, essaetapa passa a ser uma con-sequncia pois voc conse-guir por meio das infor-maes obtidas atrair o in-teresse de seus clientes edesta forma criar este vn-culo.</p><p>3. Encantamento chave: aqui onde o focodo cliente ser utilizado,pois uma vez sabendo suasnecessidades e criando ovnculo, voc ir desenvol-ver aes dirigidas a satis-faz-los. E de fato o gran-de objetivo na busca da fi-delizao. Atingindo a satis-fao constante dos clien-tes que se encanta e comoconsequncia, se fideliza.</p><p>4. Estabelea um ca-nal de comunicao: sejacriativo, sendo tambm fielao seu negcio. Isso signi-fica usar canais e formatosde comunicao que sejamconsistentes com o tipo doseu negcio, os produtos ou</p><p>servios que voc vende, asua marca, entre outros.</p><p>5. Monitore a efetivi-dade das aes: voc podeutilizar o mesmo sistema oubanco de dados onde arma-zena as informaes dos cli-entes para tambm obterdados de monitoramento.Crie pesquisas frequentes,oferea benefcios para queos clientes participem, edesta forma voc consegui-r entender os efeitos dasaes que tm praticado eajustar ou corrigir possveisdesvios. muito importan-te medir, pois o que no medido no se pode melho-rar.</p><p>6. Busque ferramen-tas inovadoras: no mundoatual fundamental estarconectado. Portanto, fi-que atento de que formaseus clientes esto conec-tados e faa disso um dife-rencial para seu negcio.Redes sociais, sites, even-tos e outros, podem seruma excelente forma demanter sues clientes fide-lizados.</p><p>No acredito que o as-sunto se encerra aqui, mastenho convico que estesseis itens o faro parar para</p><p>pensar no assunto. Prepa-re um plano de ao, nemque seja pequeno no incio,para testar! Voc certamen-te ir perceber que os re-sultados sero claros e efe-tivos. Lembre-se: o cliente</p><p> seu maior patrimnio!</p><p>Marcelo Murin adminis-trador de empresas comespecializao em marke-ting e scio-diretor da SO-LLO Direto ao Ponto</p><p>ao por si mesmo, e pelasua casa, e por toda a con-gregao de Israel.</p><p>18 - Ento sair ao al-tar, que est perante o SE-NHOR, e far expiaopor ele; e tomar do san-gue do novilho, e do san-gue do bode, e o por so-bre as pontas do altar aoredor.</p><p> 19 - E daquele sangueespargir sobre o altar,com o seu dedo, sete ve-zes, e o purificar dasimundcias dos filhos deIsrael, e o santificar.</p><p>20 - Havendo, pois,acabado de fazer expiaopelo santurio, e pela ten-da da congregao, e peloaltar, ento far chegar obode vivo.</p><p>21 - E Aro por am-bas as suas mos sobre acabea do bode vivo, e so-bre ele confessar todas asiniqidades dos filhos deIsrael, e todas as suastransgresses, e todos osseus pecados; e os porsobre a cabea do bode, eenvi-lo- ao deserto, pelamo de um</p><p>22 - Assim aquelebode levar sobre si todasas iniqidades deles ter-ra solitria; e deixar obode no deserto.</p><p>23 - Depois Aro vir</p><p> tenda da congregao, edespir as vestes de linho,que havia vestido quandoentrara no santurio, e alias deixar.</p><p>24 - E banhar a suacarne em gua no lugarsanto, e vestir as suasvestes; ento sair e pre-parar o seu holocausto, eo holocausto do povo, efar expiao por si e pelopovo.</p><p>25 - Tambm queima-r a gordura da expiaodo pecado sobre o altar.</p><p>26 - E aquele que ti-ver levado o bode emiss-rio lavar as suas vestes, ebanhar a sua carne emgua; e depois entrar noarraial.</p><p> 27 - Mas o novilho daexpiao, e o bode da ex-piao do pecado, cujosangue foi trazido para fa-zer expiao no santurio,sero levados fora do ar-raial; porm as suas peles,a sua carne, e o seu ester-co queimaro com fogo.</p><p>28 - E aquele que osqueimar lavar as suasvestes, e banhar a suacarne em gua; e depoisentrar no arraial.</p><p>29 - E isto vos ser porestatuto perptuo: no s-timo ms, aos dez do ms,afligireis as vossas almas,</p><p>e nenhum trabalho fareisnem o natural nem o es-trangeiro que peregrinaentre vs.</p><p>30 - Porque naque-le dia se far expiaopor vs, para purificar-vos; e sereis purificadosde todos os vossos peca-dos perante o SE-NHOR.</p><p>31 - um sbado dedescanso para vs, e afli-gireis as vossas almas;isto estatuto perptuo.</p><p>32 - E o sacerdote,que for ungido, e que forsagrado, para adminis-trar o sacerdcio, no lu-gar de seu pai, far a ex-piao, havendo vestidoas vestes de linho, asvestes santas;</p><p>33 - Assim far ex-piao pelo santo santu-rio; tambm far expi-ao pela tenda da con-gregao e pelo altar; se-melhantemente far ex-piao pelos sacerdotese por todo o povo da con-gregao.</p><p>34 - E isto vos serpor estatuto perptuo,para fazer expiao pe-los filhos de Israel de to-dos os seus pecados,uma vez no ano. E fezAro como o SENHORordenara a Moiss.</p><p>Seis passos para fidelizar o seu cliente</p></li><li><p>como muita reprovaoescolar, distoro de ida-de e abandono no ensi-no fundamental pbli-co. E ainda carncias naestrutura de escolascomo acesso internetpara alunos, bibliotecase acessibilidade fsicapara pessoas com defi-cincia.</p><p>Mortalidade porcausas circulatrias ecncer de colo de te-ro, segundo o estudoso problemas evitveispor meio de ateno b-sica de sade. No que-sito acesso a Sade ob-servou-se aumento sig-nificativo em curetagemps-aborto juvenil em2012. E ainda baixopeso ao nascer, que em-bora se encontre abaixodo limite crtico de10%, est ligado aoatendimento pr-natal ea condies de vida dagestante.</p><p>Jovens varginhen-ses esto ganhando me-</p><p>GAZETA DE VARGINHA | 0301 DE JULHO DE 2014LOCAL</p><p>Varginha referncia negativa emeducao pblica, revela estudoBaixo investimento leva cidade a ocupar ltimas posies em diversos indicativos sobre educao</p><p>Varginha precisamelhorar em alguns se-tores como educao esade se quiser se des-tacar entre as cidadesmineiras de mesmoporte. O Plano Munici-pal de Assistncia Soci-al, que expe as aesat 2016, com base emum estudo realizado noano passado, apontouque a cidade ocupa asltimas colocaesquanto a escolas semacessibilidade fsica, bi-bliotecas e acesso in-ternet.</p><p>O diagnstico ela-borado para a Secret-ria Municipal de Habi-tao e Assistncia So-cial mostra que Vargi-nha precisa avanar naeducao. Em compa-rao a outras cidadesdo mesmo porte emMinas Gerais, h eleva-dos ndices de agressesa idosos e a crianas.</p><p>Na educao, cons-tatou-se deficincias</p><p>nos. Mdias salariaiscomparativamente maisbaixas no trabalho for-mal, especialmente en-tre jovens.</p><p>O Plano Municipalde Assistncia Socialprev atenes diferen-ciadas em bairros dis-tintos. No Bairro daVargem, por exemplo,o uso abusivo de lcoole drogas est relaciona-do a vrios problemas,como reprovao eabandono escolar, gra-videz na adolescncia,baixo peso ao nascer eagresso a crianas.</p><p>Problemas escola-res, no Bairro Padre V-tor esto ligados a con-dies sociais e a entra-da precoce no mercadode trabalho.</p><p>Agresso a mulheresAnalisados os dados</p><p>do diagnstico feito emVarginha, com base emnmeros de 2012, ob-servou-se fragilidade de</p><p>atuao principalmenteno Centro de Refern-cia Especializado de As-sistncia Social Creas.Enquanto o rgo espe-cializado atende nme-ros muito baixos deagresso a mulheres, naPolcia Militar os nme-ros so expressivos,principalmente nosbairros Centenrio,Vargem e Padre Vtor.</p><p>No Padre Vtor,onde mais ocorrnciaspoliciais ocorreram, aPM registrou 145, en-quanto apenas sete pro-curaram o Creas. Omesmo ocorre nos ou-tros dois bairros. NoCentenrio oito denn-cias foram feitas ao r-go especializado e naPM, 91 casos, e na Var-gem, a Polcia Militaratendeu 30 casos, e oCreas, apenas 3, ou dezpor cento.</p><p>Varginha foi com-parada a 27 cidades mi-neiras, mais ou menos</p><p>de menos porte. Em v-rios itens como repro-vao no ensino funda-mental pblico, distor-o de idade no Funda-mental pblico, escolassem biblioteca e escolassem acessibilidade fsi-ca, a cidade ocupa as l-timas posies. Quantomaior a posio, pior odesempenho.</p><p>Ocupa a 18 coloca-o em mortalidade porcncer de colo de te-ro, curetagem ps-aborto juvenil e agres-so a idosos.</p><p>Dentre as cidadespesquisadas para a com-parao, Varginha ocu-pa o 15 lugar em mor-talidade por causas cir-culatrias, abandonono Ens...</p></li></ul>