gazeta de varginha - 27/01/2015

Download Gazeta de Varginha - 27/01/2015

Post on 07-Apr-2016

217 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edio 9.160

TRANSCRIPT

  • Mx: 32 / Mn: 20

    Emprego tem pior resultadodos ltimos anos em Varginha

    EDIO 9.160R$ 1, 00 VARGINHA, 27 DE JANEIRO DE 2015

    Segundo o Caged, a cidade abriu 676 vagas, pior desempenho dos ltimos cinco anos

    49ANOS

    Revelando Verdades

    gazetadevarginha@gmail.comwww.jornalgazetadevarginha.com facebook.com/gazetavga

    pgina 02

    PONTO DE VISTA

    DEUS FIEL

    1965 - 2014

    PF encontra irregularidades emboates de Varginha e regio

    local/pgina 03

    Josu 09

    O estratagema dos gibeonitas

    local/pgina 04

    Foram vistoriadosestabelecimentos loca-lizados em Trs Cora-es, Trs Pontas e Var-ginha, e deve se esten-der a outros locais onde

    foram verificadas irre-gularidades, incluindomunicpios da regiodo Sul de Minas.

    local/pgina 05

    Varginha fechou2014 com o pior de-sempenho em geraode empregos dos lti-mos anos. A cidadeabriu 676 postos de tra-balho, levando em con-siderao o saldo entreadmisses e demissesdo Caged (CadastroGeral de Empregados eDesempregados) doMinistrio do Trabalho.Os dados oficiais foramdivulgados no ltimasexta-feira (23).

    O resultado o maisfraco dos ltimos cin-co anos. Em 2013, fo-ram gerados 918 em-pregos, em 2012, 1.181,em 2011, 1.305, e em2010, 846.

    O destaque negati-vo do ano passado fi-cou por conta da in-dstria, com fechamen-to de 212 postos de tra-balho.

    Programa Certifica Minas

    Caf j conta com cerca

    de 1.500 propriedades

    Abertas asinscriespara 213mil bolsasdo Prouni

    minas/pgina 11

    Trfico de

    drogas est

    ligado a

    quase 70%

    das mortes

    em MG

    esporte/pgina 15local/pgina 04

    Duas cidades dointerior diminuramos homicdios com-batendo a venda deentorpecente.

  • 27 DE JANEIRO DE 201502 | GAZETA DE VARGINHAPONTO DE VISTA

    Gazeta de Varginha LtdaCNPJ: 21.535.075/0001-47

    Telefones:(35)3221-4668

    (35)3221-4845 (fax)

    E-mail:gazetadevarginha@gmail.com

    (redao)gazetacomercial2@yahoo.com.br

    (comercial)

    Site oficial:www.jornalgazetadevarginha.com

    Endereo:Av. dos Imigrantes, 445

    Santa Maria - CEP: 37022-560Varginha/MG

    EquipeDiretora administrativa

    Ana Maria Silva Piva

    Editor e colunistaRodrigo S. FernandesSindjori - MG 312/99

    Departamento comercialJocasta Fvaro eRosemeire Luiz

    Jornalista responsvelRbertson Fidlis

    Reportagem e redaoSrgio Avellar e

    Rbertson Fidlis

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop. de

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI - Associao dosJornais do Interior

    ADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    A redao no respondepor artigos assinados,

    mesmo sob pseudnimos,que so de inteira respon-sabilidade de seus autores.

    Entusiasmo para alcanar metasEduardo Shinyashiki

    O ser humano pare-ce viver insatisfeito. Essainsatisfao quase quecrnica muitas vezes setransforma em indife-rena, desinteresse, apa-tia, descaso por si mes-mo e pelo mundo.Quais efeitos podem teresses sentimentos na re-lao com o mundo,com a prpria vida e como trabalho?

    Quando o entusias-mo eliminado da vidade uma pessoa e subs-titudo por indiferena,passividade e falta demotivao e conscincia,a vida se torna somentefadiga e tdio. A falta deentusiasmo pode inibir aao, destruir planos eprogramas e nos deixarinsensveis aos aconteci-mentos da vida.

    O que nos rouba oentusiasmo pela vida esufoca a nossa alma, se-gundo o filsofo Spino-

    za, provavelmente noconseguir cumprir onico objetivo da vida,que ser e viver aquiloque somos e ser capazesde evoluir e de nos tor-nar aquilo que podemosser, expandir o nossopotencial.

    Isso quer dizer co-nhecer a ns mesmos eir em direo aos nossossonhos e objetivos, tor-nando-nos a pessoa quequeremos ser e encon-trando as respostas paraas perguntas: o que euquero de verdade? E oque eu quero fazer coma minha vida?

    Muitas pessoas tmobjetivos gerais, invo-luntrios, superficiais eisso leva a viver decep-es, insatisfao e mui-to estresse. Se passamosde uma ao a outra semuma clara direo e sig-nificado, perdemos, alongo prazo, energia,tempo, motivao e es-pecialmente entusias-

    mo.Uma vida de suces-

    so comea com uma su-cesso de dias de suces-so, vividos em direoquilo que essencialpara ns mesmos. O im-portante que nossasaes nos coloquem emconexo com algo espe-cial dentro de ns, algosignificativo que nos levea oferecer o melhor dens para o mundo, poisaquilo que fazemos e aforma como fazemos falamuito de ns e de quemsomos.

    Ao reconhecermosque os nossos sonhos eanseios tm valor e sopreciosos e significativospara ns, criamos umamotivao muito pode-rosa, uma fora interiora nosso favor que nos fazmovimentar e agir pararealiz-los, criando as-sim um entusiasmo den-tro de ns.

    O convite para esta-belecer objetivos e reali-

    1 - E SUCEDEUque, ouvindo isto todosos reis, que estavamaqum do Jordo, nasmontanhas, e nas cam-pinas, em toda a costado grande mar, emfrente do Lbano, osheteus, e os amorreus,os cananeus, os peri-zeus, os heveus, e osjebuseus,

    2 - Se ajuntarameles de comum acordo,para pelejar contra Jo-su e contra Israel.

    3 - E os moradoresde Gibeom ouvindo oque Josu fizera comJeric e com Ai,

    4 - Usaram de as-tcia, e foram e se fin-giram embaixadores, elevando sacos velhossobre os seus jumen-tos, e odres de vinho,velhos, e rotos, e re-mendados;

    5 - E nos seus pssapatos velhos e re-mendados, e roupas

    velhas sobre si; e todo opo que traziam para ocaminho era seco e bolo-rento.

    6 - E vieram a Josu,ao arraial, a Gilgal, e dis-seram a ele e aos homensde Israel: Viemos de umaterra distante; fazei, pois,agora, acordo conosco.

    7 - E os homens deIsrael responderam aosheveus: Talvez habitaisno meio de ns; comopois faremos acordo con-vosco?

    8 - Ento disseram aJosu: Ns somos teusservos. E disse-lhes Jo-su: Quem sois vs, e deonde vindes?

    9 - E lhe responde-ram: Teus servos vieramde uma terra mui distan-te, por causa do nome doSENHOR teu Deus, por-quanto ouvimos a suafama, e tudo quanto fezno Egito;

    10 - E tudo quanto fezaos dois reis dos amor-

    Palavras de Vida

    O estratagema dos gibeonitasJOSU 09reus, que estavam almdo Jordo, a Siom rei deHesbom, e a Ogue, rei deBas, que estava em As-tarote.

    11 - Por isso nossosancios e todos os mora-dores da nossa terra nosfalaram, dizendo: Tomaiem vossas mos provisopara o caminho, e ide-lhesao encontro e dizei-lhes:Ns somos vossos ser-vos; fazei, pois, agoraacordo conosco.

    12 - Este nosso potomamos quente das nos-sas casas para nossa pro-viso, no dia em que sa-mos para vir a vs; e ei-loaqui agora j seco e bolo-rento;

    13 - E estes odres,que enchemos de vinho,eram novos, e ei-los aquij rotos; e estas nossasroupas e nossos sapatos jse tm envelhecido, porcausa do mui longo cami-nho.

    14 - Ento os homens

    de Israel tomaram daproviso deles e no pe-diram conselho ao SE-NHOR.

    15 - E Josu fez pazcom eles, e fez um acor-do com eles, que lhes da-ria a vida; e os prncipesda congregao lhesprestaram juramento.

    16 - E sucedeu que,ao fim de trs dias, depoisde fazerem acordo comeles, ouviram que eramseus vizinhos, e que mo-ravam no meio deles.

    17 - Porque, partin-do os filhos de Israel,chegaram s cidades de-les ao terceiro dia; e suascidades eram Gibeom eCefira, e Beerote, e Qui-riate-Jearim.

    18 - E os filhos de Is-rael no os feriram; por-quanto os prncipes dacongregao lhes jura-ram pelo SENHOR Deusde Israel; por isso toda acongregao murmuravacontra os prncipes.

    19 - Ento todos osprncipes disseram a todaa congregao: Ns jura-mos-lhes pelo SENHORDeus de Israel, pelo queno lhes podemos tocar.

    20 - Isto, porm, lhesfaremos: conservar-lhes-emos a vida, paraque no haja grande irasobre ns, por causa dojuramento que j lhes fi-zemos.

    21 - Disseram-lhes,pois, os prncipes: Vi-vam, e sejam rachadoresde lenha e tiradores degua para toda a congre-gao, como os prncipeslhes disseram.

    22 - E Josu os cha-mou, e falou-lhes dizen-do: Por que nos enganas-tes dizendo: Mui longede vs habitamos, moran-do vs no meio de ns?

    23 - Agora, pois, se-reis malditos; e dentrevs no deixar de haverservos, nem rachadoresde lenha, nem tiradores

    zar aquilo que somos eevoluir para aquilo quepodemos ser sempreuma meta atual e entu-siasmante.

    importante definirde forma clara e precisaos propsitos e organi-zar a vida em harmoniacom a sua realizao,para isso, til lembraro maravilhoso pensa-mento de Lao Tse, quediz que quem consci-ente do prprio objetivose sente forte e essa for-a permite que ele sejasereno, e essa serenida-de assegura a paz inte-rior. S a paz interiorpermite a reflexo pro-funda e a reflexo pro-funda o ponto de par-tida para o sucesso.

    Eduardo Shinyashiki palestrante, consultororganizacional, especia-lista em comportamen-to humano e no Desen-volvimento das Compe-tncias de Liderana e

    de gua, para a casa domeu Deus.

    24 - Ento respon-deram a Josu, e disse-ram: Porquanto comcerteza foi anunciadoaos teus servos que oSENHOR teu Deus or-denou a Moiss, seuservo, que a vs dariatoda esta terra, e des-truiria todos os mora-dores da terra diante devs, tememos muitopor nossas

    25 - E eis que agoraestamos na tua mo;faze-nos aquilo que teparea bom e reto.

    26 - Assim pois lhesfez, e livrou-os dasmos dos filhos de Is-rael, e no os mataram.

    27 - E naquele dia,Josu os fez rachadoresde lenha e tiradores degua para a congrega-o e para o altar doSENHOR, at ao dia dehoje, no lugar que eleescolhesse.

    Preparao de Equipes.Presidente da SociedadeCre Ser Treinamentos,Eduardo tambm es-

    critor e autor de impor-tantes livros como Trans-forme seus Sonhos emVida, da Editora Gente.

  • LOCALGAZETA DE VARGINHA | 0327 DE JANEIRO DE 2015

    Emprego tem pior resultadodos ltimos anos em VarginhaSegundo o Caged, a