elite resolve unifesp 2012 especifica - ?· (19) 3251-1012 o elite resolve unifesp 2012 –...

Download Elite Resolve Unifesp 2012 Especifica - ?· (19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE UNIFESP 2012 – CONHECIMENTOS…

Post on 23-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • (19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE UNIFESP 2012 CONHECIMENTOS ESPECFICOS

    1

    BIOLOGIA

    QUESTO 01 Durante a prfase I da meiose, pode ocorrer o crossing over ou permuta gnica entre os cromossomos das clulas reprodutivas. a) Explique o que crossing over e sua importncia para as espcies. b) Considerando que a maioria das clulas de um organismo realiza diviso celular mittica para se multiplicar, justifique o fato de as clulas reprodutivas realizarem a meiose.

    Resoluo a) Crossing-over, tambm conhecido como permutao, um fenmeno caracterstico do processo de diviso celular denominado Meiose. Este evento ocorre especificamente na Meiose I, fase Prfase I, sub-fase Paquteno. Neste processo, os cromossomos homlogos emparelhados (sinapse) trocam pedaos entre suas cromtides-irms internas, promovendo o surgimento de novas sequncias de genes nos cromossomos e, consequentemente, aumentando significativamente a possibilidade de novas combinaes de genes em cada gameta formado e, desta forma, incrementando o nmero de combinaes possveis de caractersticas. Em outras palavras, o crossing-over atua aumentando a variabilidade gentica. sobre essa variabilidade que atua a seleo natural, favorecendo a sobrevivncia de indivduos mais aptos ao ambiente em que vivem e resultando na evoluo biolgica dos mesmos. b) As clulas reprodutivas realizam a meiose pois este processo leva separao dos pares de cromossomos homlogos durante a diviso e, portanto, permite a formao de gametas e esporos haplides. Consequentemente, a meiose garante a manuteno do nmero cromossmico constante, gerao aps gerao. Na hiptese de as clulas reprodutivas no sofrerem esta reduo do nmero cromossmico (Meiose I ou Meiose Reducional R!), o zigoto formado aps a fecundao teria o dobro do nmero de cromossomos, levando formao de clulas poliplides. Embora muitas espcies vegetais continuem viveis nessas condies, geralmente zigotos animais poliplides no terminam seu desenvolvimento. Alm disso, a meiose importante para aumentar a variabilidade gentica dos indivduos formados por reproduo sexuada, pelos eventos crossing-over e segregao independente dos cromossomos homlogos (Anfase I).

    QUESTO 02 Leia o texto. uma floresta em pedaos. Segundo estimativas recentes, restam de 11% a 16% de sua cobertura original, a maior parte na forma de fragmentos com menos de 50 hectares de vegetao contnua, cercados de plantaes, pastagens e cidades. H tempos se sabe que essa arquitetura desarticulada dificulta a recuperao da floresta, uma das 10 mais ameaadas do mundo. Pesquisadores coletaram informaes sobre a abundncia e a diversidade de anfbios, aves e pequenos mamferos em dezenas de trechos no Planalto Ocidental Paulista, as terras em declive que se estendem da Serra do Mar rumo a oeste e ocupam quase a metade do estado. Ao comparar os dados, os pesquisadores observaram quedas dramticas na biodiversidade dos fragmentos.

    (Pesquisa Fapesp, maio de 2011. Adaptado.) Responda: a) Qual o nome do bioma brasileiro a que se refere o texto? Cite uma caracterstica deste bioma quanto ao regime hdrico e uma caracterstica relativa aos aspectos da flora. b) O texto faz referncia s terras em declive que se estendem da Serra do Mar rumo a oeste. Rumo a leste, quais so os outros dois ecossistemas terrestres que esto presentes?

    Resoluo a) No Estado de So Paulo encontramos os biomas Cerrado e Mata Atlntica. De acordo com o IBGE, o Cerrado caracterizado por formaes de vegetao campestre, enquanto a Mata Atlntica por formaes florestais. A questo trata, portanto, da Mata Atlntica, o terceiro hot spot de biodiversidade do mundo. O mapa abaixo ilustra os fragmentos que compem a Mata Atlntica paulista:

    (Fonte: http://www.biota.org.br/info/saopaulo/reman_atlan)

    Alm disso, o texto menciona uma porcentagem da rea original ocupada atualmente pelo bioma que corresponde s informaes contidas em estudos sobre a Mata Atlntica, de acordo com a Fundao SOS Mata Atlntica. Dados da Conservation International (http://www.conservation.org.br/arquivos/RelatDesmatamCerrado.pdf) indicam a existncia de cerca de 34% de reas originais de Cerrado. A Mata Atlntica possui alto ndice de pluviosidade, apresenta duas estaes bem definidas: uma mais quente e chuvosa e outra de temperaturas mais baixas com menor pluviosidade. Possui rvores muito adensadas de grande porte e conta com a presena de epfitas como orqudeas e bromlias. b) Em So Paulo, os dois ecossistemas possveis de serem encontrados a leste so mangue e restinga. O mangue caracteriza-se por ser um ecossistema de transio entre o ambiente terrestre e o marinho, sujeito ao regime de mars. Est associado ao encontro de guas de rios e do mar (margens de baas, enseadas, barras, desembocaduras de rios, lagunas e reentrncias costeiras).

    Aspecto de um manguezal (Fonte:

    http://www.infoescola.com/geografia/mangues-manguezal/) A restinga tambm um ecossistema de transio entre os ambientes terrestre e marinho, caracteriza-se por possuir um solo arenoso e salino coberto por plantas herbceas tpicas.

    Aspecto de vegetao de restinga (Fonte:

    http://www.infoescola.com/biomas/restinga/)

  • (19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE UNIFESP 2012 CONHECIMENTOS ESPECFICOS

    2

    QUESTO 03

    (Ministrio da Sade. Boletim Epidemiolgico AIDS e DST, 2010) a) A partir do incio deste sculo, as agncias oficiais de sade passaram a desenvolver campanhas de preveno voltadas diretamente ao pblico feminino. Como os dados do grfico justificam esta iniciativa? b) Cite outras duas doenas que so transmitidas pelas mesmas vias que a AIDS.

    Resoluo a) Percebemos claramente no grfico acima que a razo de deteco dos casos de AIDS entre os sexos decresce gradualmente at o incio deste sculo. Sendo que, deste ponto em diante, a taxa de deteco de AIDS em mulheres passa a ser muito prxima dos homens. Este aumento na deteco de AIDS em mulheres em relao aos homens justifica a ao do governo em criar campanhas de preveno voltadas diretamente ao pblico feminino. b) As vias de transmisso da AIDS so as relaes sexuais desprotegidas (sem uso de preservativo) e as sanguneas: 1) Via parenteral - que chega ao sangue direto, como por exemplo, utilizao de sangue ou seus derivados sem controle de qualidade, uso compartilhado de seringas e agulhas no esterilizadas; 2) Da me para o filho (no curso da gravidez, durante ou aps o parto e pelo leite materno); 3) Recepo de rgos ou smen de doadores infectados. O vrus HIV, causador da Sndrome da imunodeficincia adquirida (SIDA ou AIDS) no transmitido pelo convvio social ou familiar, abrao ou beijo, alimentos, gua, picadas de mosquitos ou de outros insetos. Sendo assim, podemos considerar como doenas cujas formas de transmisso sejam pelas mesmas vias que a AIDS as doenas sexualmente transmissveis (DSTs), tais como Tricomonase, Clamdia, Gonorria, Sfilis, Cancro mole, Herpes genital, Linfogranuloma venreo, Condiloma acuminado ou HPV, Hepatite B. Existem tambm algumas doenas transmitidas especificamente pelo sangue contaminado, tais como Hepatite C, Doena de Chagas e HTLV I e II.

    QUESTO 04 Todos os anos, o servio pblico de sade do Brasil lana campanhas de vacinao voltadas para a populao. A vacinao funciona como uma primeira exposio do nosso organismo ao agente infeccioso. a) Compare como reage nosso organismo, em termos de velocidade de resposta e quantidade de anticorpos produzidos, em uma primeira e em uma segunda exposio ao agente infeccioso. b) Ao contrrio de outras vacinas, a vacina contra gripe peridica, ou seja, mesmo quem j foi vacinado anteriormente deve receber a vacina a cada ano. Por que isso ocorre?

    Resoluo a) A primeira exposio a um patgeno provoca uma reao imunolgica chamada de resposta primria. Ela ocorre atravs de uma sequncia de passos que culminam com a produo de anticorpos contra o antgeno. So eles: 1. Fagocitose de um agente infeccioso por um macrfago. Sua digesto levar formao de fragmentos (antgenos) que sero expostos na superfcie da membrana do macrfago por protenas especficas (protenas de classe II do MHC); 2. Apresentao do antgeno aos linfcitos T helper, que uma vez ativados pela interleucina 1, passam a produzir citocinas, que levam sua proliferao;

    3. Acoplamento de um linfcito T helper a um linfcito B, cujas protenas do MHC classe II expem um antgeno. Esse acoplamento far com que os linfcitos T helper produzam citocinas que estimularo a proliferao dos linfcitos B; 4. Diferenciao dos linfcitos B proliferados. Essa diferenciao dar origem aos plasmcitos (clulas especializadas na produo de anticorpos) e clulas de memria (que armazenam a informao sobre a forma do anticorpo para sua produo em outros episdios de contato com o mesmo antgeno). Este processo pode ter durao de alguns dias e , portanto, um processo lento. A concentrao de anticorpos na circulao do paciente dependente da quantidade de linfcitos B ativados. Como essa ativao lenta, a concentrao de anticorpos circulantes ser baixa. Numa segunda exposio ao antgeno, todo o processo descrito acima no precisa ocorrer, uma vez que clulas de memria derivadas da diferenciao dos linfcitos B na resposta primria j existem. Com o contato entre as clulas de memria e os antgenos, rapidamente ocorre sua diferenciao em plasmcitos e uma grande quantidade de anticorpos produzida de forma muito rpida. Isso caracteriza o que chamamos de resposta imunolgica secundria, e sua alta velocidade de reao responsvel por impedir, na maioria dos casos, a instalao de processos de doena nesses casos. b) A gripe causada pelos vrus Influenza, pertencentes famlia Orthomixoviridae, caracterizados por apresentarem um envelope lipoprotico envolvendo molculas de RNA. O RNA uma molcula composta por uma nica fita de nucleotdeos. Dessa forma, no h uma fita complementar, que funciona como uma cpia de segurana da informao contida na fita original. Alm disso, o RNA contido no genoma dos vrus Influen

Recommended

View more >