conpanheiro - chico xavier

Download Conpanheiro - Chico Xavier

Post on 15-Mar-2016

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Que, de nossa parte, possamos ter atingido o objetivo a que nos propomos, satisfazendo aos desejos de nossos irmos, conquanto a nossa desvalia para servi-los, e rogando ao Senhor nos conceda paz e luz nos caminhos que sejamos chamados a percorrer, so os nossos votos. Uberaba, 2 de maro de 1977. Emmanuel

TRANSCRIPT

  • NDICE

    NIMO E F ANOTAES DE AMIGO APARTE NO DILOGO COMO ESTAVAM COMPANHEIRO COMPANHEIROS E CAMINHOS DISCERNIMENTO E AMOR EM HORAS DE CRISE ESTRELA NTIMA LUMINOSA BNO MAS DEUS MDIUNS NA TERRA NA VISO DO MUNDO NO DOMNIO DAS PALAVRAS O TESOURO MXIMO PGINA DE F PROGRESSO E AMOR QUESTES DE MUDANA TEMAS DA ESPERANA TEMPO DE CRISE TENSO EMOCIONAL

  • COMPANHEIRO Emmanuel

    Desejvamos receber um livro condensando os pensamentos de paz e amor que a Doutrina Esprita nos oferece.

    * Queremos um ligeiro repositrio de reconforto.

    * Por que no podemos possuir um livro que nos faculte momentos rpidos de leitura e meditao, em torno de nossas necessidades espirituais?.

    * Ficaramos muito gratos e felizes com um pequeno volume que nos servisse de companheiro para reflexes.

    * Pensamos num livro que se leia, assimilando o mximo dos ensinamentos espritas no mnimo de tempo.

    * Tente enviar-nos do Mais Alm, um livro-mirim, com textos curtos.

    * Dispomos de raros minutos para ler, pense nisso.

    * Consiga-nos um livro de tamanho pequeno, sintetizando idias que nos alcancem o raciocnio com facilidade.

    * Agradeceramos um conjunto de pginas ligeiras abrangendo o pensamento esprita em si, por elemento de informao e cultura edificante.

    * Se possvel, organize um livro de tamanho pequeno para leitura rpida.

    * Estas so dez das muitas solicitaes recebidas de vrios amigos, que motivaram a formao deste volume despretensioso, a que nos permitimos dar o nome de Companheiro.

    * Que, de nossa parte, possamos ter atingido o objetivo a que nos propomos, satisfazendo aos desejos de nossos irmos, conquanto a nossa desvalia para servi-los, e rogando ao Senhor nos conceda paz e luz nos caminhos que sejamos chamados a percorrer, so os nossos votos.

    Uberaba, 2 de maro de 1977.

  • PGINA DE F Emmanuel

    Ouve, amigo!...

    Quem quer que sejas;

    onde estiveres e com quem estiveres;

    tenha sofrido graves equvocos ou cometido muitos erros;

    estejas sob fadiga, aps haver carregado pesadas

    tribulaes;

    suportes essa ou aquela enfermidade;

    permanea no cerco de rudes aflies;

    vivas em abandono por parte daqueles a quem mais ames;

    hajas experimentado desiluses ou agravos que jamais

    aguardastes;

    caminhos no cipoal de tremendas dificuldades;

    anseies por afeies que nunca tiveste;

    suspires por ideais cuja realizao te parea remota;

    lastimes prejuzos com os quais no contavas;

    trabalhos sob injrias e perseguies que te envenenam as

    horas;

    sirvas sob incompreenses ou pedradas;

    ou chores a perda de entes queridos, ante a visitao da

    morte...

    Sejam quais forem os impedimentos ou provaes que te assinalem a vida, asserena o esprito na f viva e permanece na tarefa que te foi reservada, porquanto, sempre que estejamos guardando pacincia e confiana, em nossos obstculos, trabalhando e servindo na prestao de auxlio para liquidar fraternalmente os problemas dos outros. Deus em regime de urgncia liquidar tambm os nossos.

  • ANOTAES DE AMIGO Emmanuel

    No te deixes abater, no mundo ante as provaes que atravessas.

    *

    Encontras-te na situao mais adequada s realizaes que te dizem respeito vida espiritual.

    *

    Permaneces no corpo que mais te favorece s aquisies do campo ntimo.

    *

    O clima social em que se instalam as atividades a paisagem na qual dispes dos melhores recursos de experincia.

    * Tens contigo os companheiros certos que te auxiliam no aperfeioamento a que aspiras.

    *

    Dificuldades que te surpreendem so os testes aconselhveis em que te cabe encontrar aproveitamento.

    *

    Amigos que te deixam em caminho so afeies que se distanciam transitoriamente para que adquiras segurana.

    *

    Conflitos repontando na estreada so valiosas lies para a conquista da paz em ti mesmo.

    *

    Prejuzos so apelos vigilncia.

    *

    Decepes constituem o preo com que se paga a luz da verdade.

    *

  • Incompreenses lecionam discernimento.

    *

    Solido tempo de muda nos mecanismos da alma.

    *

    Aceita-te como s e aceita a vida em que deves estar, na condio em que te vs, a fim de que faa em ti o burilamento possvel.

    * Seja qual seja o montante das provas, na conta das obrigaes que assumiste, levanta-te do cho de qualquer tristeza e faze o bem que puderes, trabalhando e servindo sem reclamar, porque se te achas no uso da razo que Deus conta contigo para que auxilies a ti mesmo, doando vida o mximo de tudo aquilo que j possuas de melhor.

  • MAS DEUS... Emmanuel

    H muita gente que te ignora.

    Entretanto, Deus te conhece.

    H quem te veja doente.

    Deus, porm, te guarda a sade.

    Companheiros existem que te reprovam.

    Mas Deus te abenoa.

    Surge quem te apedreje.

    Deus, no entanto, te abraa.

    H quem te enxergue caindo em tentao.

    Deus, porm, sabe quanto resistes.

    Aparece quem te abandona.

    Entretanto, Deus te recolhe.

    H quem te prejudique.

    Mas Deus te aumenta os recursos.

    Surge quem te faa chorar.

    Deus, porm, te consola.

    H quem te fira.

    No entanto, Deus te restaura.

    H quem te considere no erro.

    Mas Deus te v de outro modo.

    Seja qual for a dificuldade.

    Faze o bem e entrega-te a Deus.

  • COMPANHEIROS E CAMINHO Emmanuel

    Quando te dispuseres a reclamar contra certos traos psicolgicos daqueles que o Senhor te confiou ao ministrio familiar, medita na diversidade das criaes que compem a Natureza. Cada estrela se destaca por determinada expresso. Cada planta mostra finalidade particular. A rosa e a violeta so diferentes, conquanto ambas sejam flores. Os caminhos do mundo guardam linhas diversas entre si. Tambm ns, as criaturas de Deus so seres que se identificam pelas semelhanas, mas no somos rigorosamente iguais.

    * Conforme os princpios de causa e efeito, que nos traam a lei da reencarnao, cada qual de ns traz consigo a soma de tudo o que j fez de si, com a obrigao de subtrair os males que tenhamos colecionado at a completa extino, multiplicando os bens que j possuamos, para dividi-los com os outros, na construo da felicidade geral.

    * No queira transformar os entres queridos sob o martelo da fora. Ningum precisa apagar a luz do vizinho para iluminar a prpria casa. Uma vela acende outra sem alterar-se.

    * Ama os teus, aqueles com quem Deus te permite compartilhar a existncia, entretanto, respeita o caminho de realizao a que se ajustem. Esse escolheu a senda do burilamento prprio; aquele procurou a via de trabalho constante; outro escolheu a trilha de responsabilidades intransferveis a fim de produzir o melhor; e outro, ainda, indicou a si mesmo, para elevar-se, a vereda espinhosa das provaes e das lgrimas. Auxilia a cada um, como puderes, entretanto, no busque transfigurar-lhes o esprito, de repente, reconhecendo que tambm ns no aceitaramos a nossa prpria renovao em bases de violncia.

    * Ama os entes queridos, tais quais so e quando nas provas a que sejam chamados para o efeito de promoo na Espiritualidade Maior, se no consegues descobrir o melhor processo de auxilia-los, acalma-te e ora pelo fortalecimento e paz deles todos, na certeza de que Deus est velando por ns e de que ns todos somos filhos de Deus.

  • NIMO E F Emmanuel

    A existncia por ter sido amarga. Espinheiros talvez se te estendam no caminho. Castes, provavelmente, algumas vezes e outras tantas te reergueram, custa de lgrimas. Sofreste perseguies e zombaria.

    O mundo ter surgido aos teus olhos por vasto deserto.

    Anotaste a fora da morte que te subtraiu a presena de

    entes caros.

    Viste a desero de companheiros, renegando-te os ideais.

    Seres queridos ignoraram-te os propsitos de elevao.

    Varaste crises em forma de fracasso aparentes.

    Tiveste o menosprezo por parte de muitos daqueles aos

    quais te confiaste.

    Ouviste as palavras esfogueantes dos que te condenaram

    sem entender-te.

    Palmilhaste longas reas de solido.

    Perdeste valores que consideravas essenciais sustentao dos empreendimentos que te valorizam as horas. Sofres tribulaes.

    Suportas conflitos.

    Atravessas dificuldades e tentaes.

    Entretanto, por maior que seja a carga de provaes e problemas que te pesam nos ombros, ergue a fronte e caminha para frente, trabalhando e servindo, amando e auxiliando, porque ningum, nem circunstncia alguma te podem furtar a imortalidade, nem te afastar da onipresena de Deus.

  • DISCERNIMENTO E AMOR Emmanuel

    Natural examine no mundo os problemas de comportamento, Discernir o certo do errado. Entender o que auxilia e o que prejudica. E, quando puderes, justo procures erradicar com amor o mal que desfigure as pelas do bem, com o zelo do lavrador quando retira a erva invasora do corpo da rvore. Entretanto, em qualquer processo de corrigenda, deixa que a compaixo te ilumine o pensamento para que o ideal de justia no se lhe faa um deserto no corao. Recorda os esforos que desenvolves para que a bondade e a tolerncia no se te afastem da vida e dispe-te a entender e auxiliar, em louvor do bem.

    * Encontraste irmos considerados delinquentes. Imagina os processos obsessivos em que se