Semiologia 10 dermatologia - semiologia dermatológica pdf

Download Semiologia 10   dermatologia - semiologia dermatológica pdf

Post on 23-Jun-2015

20.931 views

Category:

Documents

39 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. Arlindo Ugulino Netto; Luiz Gustavo Barros; Yuri Leite Eloy DERMATOLOGIA MEDICINA P8 2011.1MED RESUMOS 2011NETTO, Arlindo Ugulino; CORREIA, Luiz Gustavo.SEMIOLOGIASEMIOLOGIA DERMATOLGICA(Professora Danielle Marques) A semiologia dermatolgica etapa fundamental no processo de aprendizagem de, praticamente, todas asdoenas que podem afetar a pele. Ainda por cima, vrias condies patolgicas, de outros sistemas, tambm podemmanifestar sintomas cutneos, tais como, doenas hepticas, neurolgicas, neoplsicas, etc. O diagnstico preciso, assim como a teraputica mais atualizada, papel do mdico-dermatologista, porm, aidentificao de leses dermatolgicas, assim como o reconhecimento de sua graduao de gravidade uma atividadeque deve ser empregada por qualquer mdico generalista, da a importncia desta temtica na Graduao Mdica.ANAMNESE A anamnese corresponde ao primeiro contato entre o mdico e o doente e, nesta etapa, a relao mdico-paciente ser consolidada. de fundamental importncia para ambos, mdico e paciente, o primeiro contanto, pois oestabelecimento de uma boa relao facilitar a futura conduta do profissional, bem como inspirar ao paciente aconfiana necessria que, certamente, de maneira direta ou indireta, influir na evoluo do caso. A ortodoxia semiolgica exigiria certa sequncia: dados na identificao, histria de doenas pregressasfamiliares e pessoais, anamnese da doena atual, exame objetivo do paciente, possveis conexes com estadospatolgicos internos, exames laboratoriais adequados e, finalmente, o raciocnio que leva ao diagnstico final, com aconsequente indicao teraputica. Na prtica profissional, no o que ocorre; a facilidade de acesso ao elementoeruptivo faz com que muitos doentes desejem mostr-lo, de sada, para concomitantemente apresentarem suas queixas,o que leva o profissional a uma conduta realstica no-ortodoxa, de inverter a sequncia tcnica j referidaanteriormente.RAA Algumas patologias so mais frequentes em determinadas raas. Em negros, a psorase e o epitelioma muitomenos frequente quando comparado com os indivduos brancos. As fotodermatoses e o vitiligo so mais comuns embrancos, j o quelide, em negros.PROFISSO As dermatoses profissionais representam um vasto campo. De acordo com a profisso do paciente, oexaminador j pode pensar em algumas hipteses diagnsticas. Lavrador: dermatozoonoses e micoses profundas. Pedreiro: eczema ao cimento. Profissionais da lubrificao: elaiconiose. Expostos ao fenol e hidroquinona: hipopigmentao.EXAME FSICO G ERALDurante a realizao do exame fsico geral, etapa em que o examinador faz uma avaliao generalizada einespecfica do paciente, se faz a anlise minuciosa de algumas caractersticas da pele. Nesta etapa, algumasmodificaes da superfcie cutnea j podem interferir no pensamento clnico do examinador e, portanto, remeter aprovveis hipteses diagnsticas.O exame dermatolgico (ou, simplesmente, da pele) deve ser realizado com uma iluminao adequada (depreferncia, luz natural), com desnudamento das partes a serem examinadas. Sero investigados os seguinteselementos: Colorao Integridade (ou continuidade) Umidade Textura Espessura Temperatura Elasticidade Mobilidade Turgor Sensibilidade Leses elementares1

2. Arlindo Ugulino Netto; Luiz Gustavo Barros; Yuri Leite Eloy DERMATOLOGIA MEDICINA P8 2011.1COLORAO A colorao da pele o pontap inicial da descrio do exame fsico dermatolgico, ainda que a sua avaliao jfoi realizada no momento em que o examinador fez a sua meno na identificao do paciente. Pode ser influenciadapor condies fisiolgicas - tal como se observa ao se expor ao frio, em emoes, permanecer no sol, emoes, e aindapor diversas condies patolgicas, principalmente, as que levam ao colapso perifrico. Os indivduos de cor branca e pardos-claros apresentam, em condies normais, uma colorao levementeroseada da pele. Esta colorao, por sua vez, dada pelo sangue que circula na rede capilar cutnea e pode sofrervariaes fisiolgicas e/ou patolgicas, que sero descritas adiante. Os indivduos de cor escura representam uma maiordificuldade para a realizao do exame da colorao da pele.Bronzeamento da Pele. Somente pode ser visualizado em indivduos de cor branca, que foram expostos ao sol, ou que apresentamalguma doena (doena de Addison e hemocromatose, que so distrbios endcrinos que afetam a melanina).Palidez.A palidez conceituada como sendo uma atenuao ou desaparecimento da cor rsea da pele. Deve seravaliada com a luz natural, pois, as iluminaes artificiais podem influenciar na sua identificao. A semiotcnica bastante simplificada: o examinador deve pesquisar toda a extenso da superfcie cutnea, nunca esquecendo dasregies palmoplantares, por ser a regio de melhor identificao da palidez em negros. Uma das regras bsicas daavaliao das formas de palidez a comparao entre reas simtricas. Pode ser classificada em trs formas distintas:generalizada, localizada ou segmentar. Palidez Generalizada traduz uma diminuio das hemcias circulantes nas microcirculaes cutnea esubcutnea. Pode ocorrer por conta de dois mecanismos, o primeiro deles o que se relaciona a umavasoconstrico generalizada secundria aos estmulos neurognicos ou hormonais (susto, grandes emoes,crises de feocromocitoma). Outro mecanismo por reduo real das hemcias circulantes, pois, a hemoglobina a responsvel, em ltima instncia, pela colorao rsea da pele. Palidez Localizada ou segmentar explicada, fisiologicamente, poruma isquemia no territrio afetado. Partindo deste principio, umapalidez restrita ao membro inferior direito, possivelmente, apresentacomo principal causa uma obstruo da artria femoral. Umamanobra que pode ser utilizada para avaliar este tipo de palidez aavaliao clnica do fluxo sanguneo atravs da pele. O examinadordeve pressionar o polegar de encontro ao osso esterno durantealguns segundos, com a finalidade de expulsar o sangue que fluinaquela rea. Em seguida, retira-se o dedo abruptamente e observao tempo necessrio para que a pele recm-pressionada retorne sua colorao rsea. Em condies normais, o tempo inferior a 1segundo.Vermelhido (ou eritrose). Como a prpria nomenclatura j sugere, significa um exagero da colorao rsea da pele, indicando, na maioriadas vezes, um amento da quantidade de sangue na rede vascular cutnea, quer seja por conta de uma vasodilataoou, aumento de sangue propriamente dito. Vermelhido Generalizada se observa em pacientes febris, indivduos demasiadamente expostos ao sol, estados policitmicos, afeces cutneas (escarlatina, eritrodermia, pnfigo foliceo). Vermelhido Localizada pode ter um carter fugaz (quando depende de um fenmeno vasomotor: ruborizao do rosto por emoo, fogacho do climatrio) ou ser duradoura (eritema palmar, fundo constitucional, hepatopatia crnicas, acrocianose).1OBS : A acrocianose uma afeco caracterizada por frio persistente e cianose. Costuma ser confundida com ofenmeno de Raynaud, porm, a sua principal diferena a natureza constante.Fenmeno de Raynaud. uma alterao cutnea que depende das pequenas artrias e arterolasdas extremidades e que resulta em modificaes da colorao. Inicialmente,observam-se palidez e, a seguir, a extremidade torna-se ciantica, e o episodiotermina com uma vermelhido da rea. Trata-se de um fenmeno vasomotor quepode ser deflagrado por vrias causas (costela cervical e compresso dos vasossubclvios, tromboangete obliterante, lpus eritematoso sistmico, esclerodermia). 2 3. Arlindo Ugulino Netto; Luiz Gustavo Barros; Yuri Leite Eloy DERMATOLOGIA MEDICINA P8 2011.1Cianose.Cianose o termo que significa uma colorao azulada da pele e, ocorre quando a hemoglobina reduzidaalcana no sangue valores superiores a 5g/100mL. Sua pesquisa deve ser intensificada nas seguintes regies: rosto, aoredor dos lbios, ponta do nariz, lobos das orelhas, extremidades das mos e dos ps (leitos ungueais e polpas digitais).Pode ser classificada em generalizada e localizada, graduando-a em leve, moderada e intensa.Ictercia. o termo que designa uma colorao amarelada da pele, mucosas e esclerticas resultantes do acmulo debilirrubina no sangue. A ictercia deve ser distinguida de outras condies em que a pele, mas no as mucosas, podemtomar colorao amarelada: uso de certas drogas que impregnam a pele (quinacrina), alimentos ricos em carotenos(cenoura, mamo, tomate).INTEGRIDADE A integridade ou continuidade cutnea o termo que refere a uma ausncia de leso de sua superfcie. Portanto,qualquer alterao da pele, seja por abaulamento, lceras, manchas culmina em alterar a continuidade da pele. umtema complexo, que ser descrito adiante, no tpico Leses Elementares.UMIDADE A apreciao da umidade comea na inspeo, mas o mtodo adequado a palpao com as polpas digitais ecom a palma da mo. Atravs da sensao ttil, pode-se avaliar a umidade da pele com bastante preciso. Umidade normal Pele seca d ao tato uma sensao especial. encontrada, com maior frequncia, em pessoas idosas, em algumas dermatopatias crnicas (esclerodermia, ictiose), no mixedema, avitaminose A, intoxicao pela atropina, insuficincia renal crnica, desidratao. Umidade aumentada ou pele sudorentaTEXTURATextura significa trama ou disposio dos elementos que constituem um tecido. A textura da pele avaliadadeslizando-se as polpas digitais sobre a superfcie cutnea, sendo possvel constatar uma das seguintes alternativas: Textura normal desperta uma sensao prpria que a prtica vai firmando, e encontrada em condiesnormais. Pele lisa ou fina mais frequente em pessoas idosas, no hipotireoidismo e em edemaciados. Pele spera vista em indivduos expostos s intempries e que trabalham em atividade rude, tais como,lavradores, pescadores e ainda pode ser vista em algumas afeces como mixedema e dermatopatias. Pele enrugada ocorre em indivduos que emagrecem rapidamente, ou ainda, quando se elimina um edema.ESPESSURA Para se avaliar a espessura, faz-se o pinamento de uma dobra cutnea usando o polegar e indicador, somentepinando a epiderme e o crion. Esta manobra deve ser feita em vrias e diferentes regies, tais como, antebrao, traxe abdome. Podem-se encontrar: Pele de espessura normal Pele atrfica acompanha-se de certa translucidez que permite ver a rede venosa superficial, comum em velhos,recm-nascidos e algumas dermatoses. Pele hipertrfica ou espessa vista em indivduos expostos ao vento e ao sol. A esclerodermia, doena dotecido conjuntivo, apresenta o espessamento cutneo um sintoma clnico importante.TEMPERATURAA temperatura da pele e a corporal no so equivalentes. Para avaliar a temperatura da pele, utiliza-se a facedorsal das mos ou dos dedos, comparando-se com o lado homologo de cada segmento examinado. A temperatura dapele varivel, de acordo com a regio anatmica a ser pesquisada. Um aumento da temperatura em nvel articularpode indicar um processo inflamatrio subjacente.ELASTICIDADEElasticidade a propriedade cutnea de se estender quando tracionada; mobilidade a sua capacidade de semovimento sobre planos profundos subjacentes. A semiotcnica simples, pina-se uma prega cutnea com o polegar eo indicador, fazendo, em seguida, uma certa trao. 3 4. Arlindo Ugulino Netto; Luiz Gustavo Barros; Yuri Leite Eloy DERMATOLOGIA MEDICINA P8 2011.1 Elasticidade normal Elasticidade aumentada lembra uma borracha. Ocorre, por exemplo, em uma doena do tecido elsticocutneo, que a sndrome de Ehlers-Danlos. Elasticidade diminuda ocorre em pacientes idosos, multparas, desidratao.MOBILIDADESua avaliao procedida atravs da palma da mo, que deve se posicionar sobre a superfcie que se querexaminar. Movimentando-a, para todos os lados, o examinador deve observar a capacidade da pele em deslizar sobreas estruturas profundas (ossos, articulaes e msculos). Mobilidade normal Mobilidade diminuda ou ausente ocorre na esclerodermia, elefantase, infiltraes neoplsicas prximas apele. Mobilidade aumentada se faz presente na sndrome de Ehlers-DanlosTURGORO turgor facilmente avaliado atravs do pinamento com o polegar e o indicador, neste caso, tambmenglobando o tecido subcutneo. dito normal, quando o examinador aprecia uma sensao de pele suculenta, ouseja, que, ao ser solta, a prega se desfaz rapidamente. Isto indica que o contedo de gua est normal e, portanto, apele est hidratada. J a sua diminuio traduzida por uma prega que se desfaz facilmente, podendo indicardesidratao ou desnutrio.SENSIBILIDADEA sensibilidade uma etapa comum no exame dermatolgico e neurolgico. Representa uma importantecaracterstica clnica, que pode indicar, quando associado a outros sinais clnicos, vrias doenas importantes(hansenase, complicaes da diabetes). avaliada em trs padres: trmica, dolorosa e ttil. Sensibilidade dolorosa avaliada atravs de uma pequena agulha, em regies do corpo que compreenda, nomnimo, apndices corporais, tronco e face. A sua diminuio (hipoalgesia) ou aumento (hiperalgesia) podemocorrer em diversas condies patolgicas. Sensibilidade ttil mais bem investigada com a ponta de um pincel, em reas diversas do corpo. Sensibilidade trmica avaliada com dois tubos de ensaios, um com gua quente e, outro, com gua fria.LESES ELEMENTARESDenomina-se leses elementares qualquer modificao do tegumento cutneo, determinadas por processosinflamatrios, neoplsicos, degenerativas, distrbios do metabolismo, etc. Para a sua caracterizao, so necessrias asseguintes etapas da semiologia: Inspeo, Palpao, Digitopresso e Compresso.Podemos dividir as principais leses elementares da pele nos seguintes grupos: Manchas (modificaes da cor) Formaes slidas Formaes lquidas Solues de continuidade Leses caducas Leses sequenciaisAs leses elementares podem ainda ser classificadas em primrias, quando aparecem sem serem precedidas deoutras alteraes e, secundrias, que resolvam da evoluo de uma leso primria.MANCHAS (MODIFICAES DA COR)Mancha ou mcula corresponde a uma alterao da colorao da pele, sendo ela circunscrita, sem modificar atextura ou o relevo da pele ( uma leso plana). A mancha pode se apresentar atravs de um espectro variado de cores:vermelha, acastanhada, negra, branca, em caf-com-leite, etc.A prpria definio mostra que o reconhecimento de uma mcula no se faz apenas pela inspeo. atravs dapalpao deslizando-se as polpas digitais dos dedos indicador, mdio e anular sobre a rea alterada e sua vizinhana que melhor se pode constatar qualquer elevao da pele e eventuais alteraes em sua superfcie.Histologicamente, as clulas permanecem inalteradas (em nmero, forma, disposio) e no h espessamentode nenhuma camada; o que ocorre, um acmulo de pigmento (que pode ser exgeno ou endgeno).Os principais tipos de manchas so: vasculo-sanguneas e pigmentares (discromias). 4 5. Arlindo Ugulino Netto; Luiz Gustavo Barros; Yuri Leite Eloy DERMATOLOGIA MEDICINA P8 2011.1Manchas Vasculossanguneas. Podem ser divididas ainda nos seguintes grupos: manchas circulatrias (transitrias), neoformaes vasculares(permanentes) e manchas hemorrgicas. Modificaes circulatrias: so manchas transitrias do ponto de vista temporal. So representadas pelas seguintes leses:o Eritema: mancha de colorao avermelhada provocada por vasodilataes cutneas, seja por um proces...