iyami oshoronga tcc

Download Iyami oshoronga   tcc

Post on 14-Jan-2017

377 views

Category:

Spiritual

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • FPA - FACULDADE PAULISTA DE ARTE

    PS-GRADUAO (LATO-SENSU)

    ARTE-EDUCAO: ARTE E COMUNICAO

    Iyami Osoronga (Minha Me Feiticeira)

    O coletivo feminino na cosmogonia do Universo.

    YASKARA MANZINI.

    SO PAULO 2001

  • FPA - FACULDADE PAULISTA DE ARTE

    PS-GRADUAO (LATO-SENSU)

    ARTE-EDUCAO: ARTE E COMUNICAO

    Iyami Osoronga (Minha Me Feiticeira)

    O coletivo feminino na cosmogonia do Universo.

    YASKARA MANZINI. Monografia apresentada ao Curso de Ps-

    graduao (Lato Sensu) da FPA-Faculdade Paulista de Artes para obteno do ttulo de Especiali sta em Arte-Educao, na rea

    de concentrao em Arte e Comunicao, sob a orientao da Professora

    Doutora Arlete Assumpo.

    SO PAULO 2001

  • A Adekunle Aderonmu - Babala Ogunjimmy, por abrir os caminhos, Babala Fyiomi Fbio Escada, alegria de If - por sua pacincia e sabedoria, Iya Ob - que apontou a Aj que existe em mim, Edson Gregrio - meu irmo de f, Roberto Santos - filho predileto dos ventos. Vinny (Vinicius) - pelas longas e esclarecedoras conversas e Nelson Tezzoni Manzini (in memorian) pelo apoio que nunca negou-me...

    Meus agradecimentos... Adukp !

  • Este trabal

    icado a

    Therezinha Munhoz Manzini, Ruth Nascimento Munhoz, Cacilda Tezzoni Manzini e

    Minhas Ancestrais.

    Mulheres fortes e feiticeiras que tornaram possvel minha existncia...

    RESUMO ____________________

    No presente trabalho, procuramos resgatar o universo simblico feminino do Orix Iyami Osoronga, o coletivo ancestral feminino, atrav

    s dos mitos referentes a criao do mundo na

    cosmogonia iorubana.

  • SUMRIO _____________________

    Agradecimentos Dedicatria Sum rio Introduo Captulo 1: Panorama e objetivo do estudo 9

    1.1 Apresentao do tema e justificativa 10 1.2 Hipteses 11 1.3 Procedimentos metodolgicos 11

    Captulo 2: Tessituras culturais: novos caminhos para a educao. Morin e o Bor. 13 Captulo 3: Comunicao e arte na cultura africano brasileira 19 3.1 Transmisso oral e aprendizado 21 3.2 Dana, resgate cultural e aprendizado. 23 Captulo 4: Cosmogonia iorubana: a criao do Ai 25 4.1 Es

    Ntay

    Odudua 26

    4.2 A Criao dos Ara-aiy

    : O sopro de Orixal 27 4.3 Divergncias 28 4.4 Consideraes metafsicas 29 Captulo 5: Grandes Mes ou Feiticeiras?

    Divindades femininas do panteo iorubano: as Iyami 31 5.1 Iyami Akko: Oxum 32 5.2 Iyami Al kko: Oi -Ians 35 5.3 Iya Ogbe: O 37 5.4 Y

    y

    Omo Ej 39 5.5 Otim 41 5.6 E : a senhora do Ad 42 5.7 Olocum 43 5.8 Aj Xalug 43 5.9 Iyami Imle: Odua Odudua (O

    je) 44 5.10 Omo tiro ok Ofa: Nan Buruku 44

    Captulo 6: Minha Me Osoronga 46 6.1 Mulheres p ssaros 47 6.2 A trindade Iyami, Orunmil Ex 48 6.3 Iyami e a sociedade Geled

    52

    6.4 Aj ruxa e velha 55

    6.5 A sociedade Gele

    Brasil 55 6.6 Iyami Osoronga e a sociedade Ogboni 56 6.7 A Irmandade da boa Morte 56 6.8 Iyami Agba: a anci de cabelos brancos despede-se dos filhos 56 6.9 Trabalhos para apascentar Iyami 58 6.10 A asa encantada de Iyami Osoronga 61

    Consideraes Parciais 62 Referncias Bibliogr ficas Sites Anexos

  • INTRODUO _______________________

    O corpo humano feminino representado como um trono, onde a criana pode sentar-se, o smbolo sagrado da Grande Me. (Susanna Barbara; 1995:88)

    O primeiro contato com o nome Iyami Osoronga aconteceu em 1997 ao pesquisarmos bibliografia de apoio para as aulas de dana negra do grupo EN-CENNA, na Funda Cultural S Paulo PUC/SP, quando deparamos com a disserta mestrado em Sociologia de Susanna B rbara A Dana do Vento e da Tempestade:

    A Grande Me apresenta tanto aspectos bons quanto maus. Seria, na minha opinio, a poca das iyami (as grandes mes feiti ceiras).

    ( Susanna Brbara, 1995:88) A autora cita a lenda das Eleye, outro nome das Iyami, mulheres-p ssaros que usaram mal seu poder m ico e que por isso tiveram de entregar a Orixal sua cabaa m ica para que Ele fizesse um bom uso do poder da cria o. Esta lenda das Iyami resultou na coreografia Eleye,

    existiam as iymi (nossa me) ou ento eleye (donas dos pssaros) ou ainda gb ou iy gb (a anci, a pessoa de idade, me idosa e respeitvel). Elas so as mais antigas divindades- mes femininas na histria iorubana.

    (Verger, 1994:16) apresentada no I Ensaios de Dana, realizado em 25 de outubro de 1997 no TUCA (Teatro da Universidade Catlica). Apesar de termos obtido bons resultados coreogr ficos a curiosidade sobre o tema levou-nos a procurar o artigo Grandeza e Decad cia do Culto ymi srng (Minha M Feiticeira) entre os Yoruba, que nos deixou ainda mais intrigados sobre tal Orix e as supersti es que a cercam. Os Anos passaram, por

    m as informa es mal digeridas sobre Iyami Osoronga

    continuaram permeando nossos pensamentos da a resolu m retornar tal tema para estudo.

  • Captulo 1:

    ____________________

    PANORAMA E OBJETIVO DO ESTUDO

    1.1 APRESENTAO DO TEMA E JUSTIFICATIVA.

    Eleye com uma boca redonda. Pssaro tro que desce docemente. (Eles se renem para beber o sangue) voa sobre o teto da casa. (Passando da rua) colocou no mundo (Come desde a cabea, eles esto contentes). (Come desde a cabea, eles esto contentes) colocou no mundo (Chora como uma criana mimada). (Chora como uma criana mimada) colocou no mundo aj. Quando aj veio ao mundo ela colocou no mundo trs filhos. Ela colocou no mundo Vertigem Ela colocou no mundo Troca e sorte Ela colocou no mundo Esticou-se fortemente morrendo. Ela colocou no mundo estes trs filhos. Assim eles no tm plumas. o pssaro ak lhes deu as plumas. Nos tempos antigos, elas dizem que elas no gratificam o mal no filho que tem o bem. Eu sou vosso filho tendo o bem, no me gratificai o mal. Vento secreto da Terra.

    Vento secreto do alm. Sombra longa, grande pssaro que voa em todos os lugares. Noz de coco de quatro olhos, proprietria de vinte ramos. Obscuridade quarenta flechas ( difcil que o dia se torne noite). Ela se torna pssaro olongo (que) sacode a cabea. Ela se torna pssaro untado de osn muito vermelho. Ela se torna pssaro, se torna irm caula da rvore akko. (A coroa sobe na cabea) segredo de do. A r se esconde em um lugar fresco. Mata sem dividir, fama da noite. Ela voa abertamente para entrar na cidade. Vai vontade, anda vontade, anda suavemente para entrar no mercado. (Faz as coisas de acordo com sua prpria vontade). Elegante pssaro que voa no sentido invertido de barriga para cima. Ele tem o bico pontudo como a conta esuwu. Ele tem as pernas como as contas sgi. Ele come a carne das pessoas comeando pela cabea. Ele come desde o fgado at o corao. O grande caador. Ele come desde o estmago at a vescula biliar. Ele no d o frango para ningum criar, mas ele toma o carneiro para junto desta aqui.

    (Verger; 1992:90) O texto de Verger

    erm

    tico, simblico, truncado e reticente impelindo -nos a adentrar na complexidade do universo afro-descendente brasileiro

  • O sistema religioso africano-brasileir

    assado de gera gera de forma oral, pois acreditam seus sacerdotes que a palavra verbalizada possui o poder de transmitir o Ax

    , fora

    contida nos ensinamento herdados de seus ancestrais. Os sacerdotes utilizam dos or culos de If Jogo de Bzios para conhecer os ods, signos que cont m itans: contos milenares que versam sobre a histria da cria mundo e dos Orix s - divindades que simbolizam as foras da natureza, quand o da separa mundo em Orum (mundo celeste) e Ai (mundo material). O texto de Verger traduz alguns destes itans relativos a Iyami srng, cuja tradu para a lngua portugues

    Minha M Osoronga.

    Iyami Osoron

    ropriet ria de um ssaro chamado Aragamago e de uma cabaa segundo o od r

    t

    Ogb. (Verger; 1992:80). Para os religiosos africanos e afro-descendentes, a representa o mais perfeita do Univers

    Cabaa: Igbadu onde est contidos os segredos da cria Ai . Oda, Od je ou Iya Mal o nome que Osoronga possui quando torna-se sua propriet ria: M dos

    Orix s. Outra m scara de Iyami como anci , a mulher s bia e respeit vel, que pode tam m ser chamada de gb ou Igba nla: Aos apelos que seus filhos fizerem, ela respo nder do interior da cabaa, pois ela tornou -se idosa. (Verger; 1994:67) Iyami Osorong

    ! m dos Orix s mais antigos, possui o poder de fecundar, fertilizar ou esterilizar conforme seu desejo. A fora de Iyami

    t o poderosa e aterradora que se al m pr oferir

    seu nome deve colocar a ponta dos dedos no c m sinal de respeito.

    1.2 HIPTESES

    O sil cio que ronda o nome de Iyami Osoronga leva a supor: 1. Se Osoronga foi um mito matriarcal do perodo neoltico

    oca na qual o sistema familiar,

    conceito de posse e leis ram definidos, ent "" nico, terror e supersti existente entre

    os sacerdotes e devotos dos cultos africano e afro-descendentes poderiam ser resultantes do medo de um caos social.

    2. Caso a devotas de Iyami Osorong o pudessem cult -la abertamente, devido o sincretismo

    religioso catlico -iorubano, ent seria venerada sob os v s da Irmandade da Boa Morte, atrav

    s da devo Nossa Senhora.

    1.3 PROCEDIMENTOS METODOLGICOS

    A