engenharia de alimentos uepg app

Download Engenharia de Alimentos UEPG  app

Post on 05-Jun-2015

680 views

Category:

Education

44 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

UEPG

TRANSCRIPT

  • 1. ENGENHARIA DE ALIMENTOS Universidade Estadual de Ponta Grossa

2. COORDENAO DO CURSO: Prof. Deise Simes Prof. Ivo Demiate CHEFE DE DEPARTAMENTO: Prof. Alessandro Nogueira 3. Tpicos da apresentao Estrutura do curso; Campos de atuao; Grupos de pesquisa e extenso; Estgios extras e curriculares; Informaes teis o nibus, Biblioteca, Departamento, Colegiado. 4. Curso de Engenharia de Alimentos Criado pela Resoluo 314/97 24 novembro 1997 Reconhecido pelo(a) MEC 6642 28 novembro 2002 Publicado no Dirio Oficial da Unio 6368 29 novembro 2002 Currculo atual aprovado pela Resoluo CA 262/00 5. Carga horria do curso Formao bsica geral 1768 horas Formao especfica padro 1938 horas Estgio curricular 340 horas Diversificao ou aprofundamento 340 horas Atividades complementares 200 horas TOTAL 4246 horas 6. Durao mxima e mnima Turno ofertado Mnima: 5 (cinco) anos Mxima: 9 (nove) anos Matutino Vespertino X Integral Noturno Local: Campus de UVARANAS! 7. Nmero de vagas Vestibular de Inverno 15 Vestibular de Vero 15 Processo Seletivo Seriado - PSS 10 Total de Vagas 40 8. Condies de ingresso X Concurso vestibular X Processo Seletivo Seriado (PSS) X Transferncia Outra (qual) - 9. Profisso: Engenheiro de Alimentos COMPETNCIAS E HABILIDADES EXIGIDAS PARA O PROFISSIONAL: aplicar conhecimentos matemticos, cientficos, tecnolgicos e instrumentais engenharia; projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados; conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos; planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e servios de engenharia; identificar, formular e resolver problemas de engenharia; 10. Profisso: Engenheiro de Alimentos COMPETNCIAS E HABILIDADES EXIGIDAS PARA O PROFISSIONAL: desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e tcnicas; supervisionar a operao e a manuteno de sistemas; avaliar criticamente a operao e a manuteno de sistemas; comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e grfica; atuar em equipes multidisciplinares; 11. Profisso: Engenheiro de Alimentos COMPETNCIAS E HABILIDADES EXIGIDAS PARA O PROFISSIONAL: compreender e aplicar a tica e responsabilidade profissionais; avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental; avaliar a viabilidade econmica de projetos de engenharia; assumir a postura de permanente busca de atualizao profissional. 12. Campos de atuao O Engenheiro de Alimentos atua na indstria de alimentos desde a recepo da matria-prima at o produto acabado, inclusive na rea de marketing, vendas de equipamentos e produtos, gerenciamento e administrao de empresas. 13. Campos de atuao Em rgos pblicos o Engenheiro de Alimentos tem a funo de analisar normas e padres de qualidade dos alimentos, atuando no setor de fiscalizao e normalizao de produtos alimentcios. Pode tambm trabalhar em instituies de ensino e pesquisa. 14. Projetos de pesquisa e extenso Os professores do Curso de Engenharia de Alimentos ministram aulas, desenvolvem projetos de pesquisa e extenso. A participao nestas atividades propicia aos acadmicos estgios nos projetos de graduao e tambm de ps-graduao junto ao Mestrado em Cincia e Tecnologia de Alimentos da UEPG. 15. LINHAS DE PESQUISA DESENVOLVIDAS PELOSLINHAS DE PESQUISA DESENVOLVIDAS PELOS PROFESSORES DO DEPARTAMENTO DEPROFESSORES DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS:ENGENHARIA DE ALIMENTOS: Tratamento e aproveitamento de resduos agroindustriais; Anlise sensorial de alimentos; Tecnologia de carnes e derivados; Microbiologia de alimentos; Tecnologia de amidos e fculas; Fibra alimentar; Aproveitamento de recursos naturais; 16. LINHAS DE PESQUISA DESENVOLVIDAS PELOSLINHAS DE PESQUISA DESENVOLVIDAS PELOS PROFESSORES DO DEPARTAMENTO DEPROFESSORES DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS:ENGENHARIA DE ALIMENTOS: Agroindstria de ma Bioqumica de alimentos Tecnologia de leos e gorduras Tecnologia de fermentaes Engenharia bioqumica; Projetos computacionais; Cristalizao de sistemas alimentcios; Modelagem matemtica de processos. 17. Professores Alessandro Nogueira: Frutas e Hortalias, Tecnologia de bebidas no fermentadas; Ana Cludia Barana: Tratamento de efluentes; Embalagens Deise Rosana Silva Simes: Anlise Sensorial, Tecnologia de carne e derivados; Dorivaldo da Silva Raupp: Nutrio e alimentos especiais; Elis Regina Duarte: Fenmenos de transporte; Guilherme de Almeida S. Tedrus: Leite e derivados, Desenvolvimento de novos produtos, Projetos industriais; Ivo Mottin Demiate: Tecnologia de cereais, razes e tubrculos, Matrias primas agropecurias; Lara Tschopoko Pedroso Pereira: Microbiologia; 18. Leda Battestin Quast: Operaes Unitrias II, Tecnologia de produtos aucarados, Projetos industriais; Marco Aurlio Praxedes: Termodinmica aplicada e Operaes I; Mareci Mendes de Almeida: Bioqumica dos Alimentos; Nelci Catarina Chiquetto: Desenvolvimento de novos produtos; Renata Dinnies: Tecnologia de leos e Gorduras; Ineuza Michels Maral: Introduo e Princpios de Tecnologia de Alimentos; Marina Caldeira Tolentino: Tecnologia de Carnes. 19. CURSO DE EXTENSO EM FABRICAO DE QUEIJOS 20. ETL Queijos A Escola Tecnolgica de Leites e Queijos dos Campos Gerais consiste na concretizao de um projeto elaborado em cooperao entre o Governo do Estado do Paran e o Governo de Rhne-Alpes na Frana. Objetivo: Capacitar os participantes nas reas da qualidade do leite e tecnologia de processamento de queijo, incluindo noes sobre a comercializao dos produtos. 21. Apoio a implantao do Centro Mesorregional de Excelncia em Tecnologia do Leite O projeto est vinculado ETLQueijos, auxiliando em eventos e na promoo da rea de leites e derivados em evento e workshops; 22. Extenso ENGEMDIO Interao da Engenharia com o ensino mdio; Busca inserir os conceitos da engenharia nas matrias bsicas de matemtica, fsica, qumica e biologia; Busca despertar a vocao do ensino mdio para a engenharia de alimentos. 23. Extenso Novos Talentos Busca desenvolver atividades na rea de ensino, pesquisa e extenso com alunos de ensino mdio; Expe o aluno prtica da Engenharia de Alimentos. 24. Universidade Sem Fronteiras projetos de extenso executados recentemente ou em execuo Apoio a implantao de cooperativa para beneficiamento de mel na regio dos Campos Gerais; 25. Apoio Tcnico aos pequenos produtores de Leite dos municpios de Tibagi e Ipiranga PR; Apoio Tcnico a implantao de uma unidade processadora de derivados de tomate no municpio de Reserva. 26. IESOL Incubadora de Empreendimentos Solidrios Empreendimento em parceria com instituies e outros projetos existentes. Fazenda Escola: Construo da unidade de ordenha; Consultoria juntamente com o projeto de apoio aos produtores de leite. 27. Grupo de trabalho sobre ma GTM Compreende um conjunto ecltico de pesquisadores, desde acadmicos em processos de iniciao cientfica at profissionais com ps-doutorado. Volta-se, dentro das atividades universitrias de Ensino, Pesquisa e Extenso, capacitao de recursos humanos e gerao de conhecimentos, estabelecendo o setor agroindustrial de mas como alvo. 28. PET Programa de Educao Tutorial - Engenharia de Alimentos So objetivos deste Programa: Desenvolver atividades acadmicas em padres de qualidade de excelncia, de natureza coletiva e interdisciplinar; Contribuir para a elevao da qualidade da formao acadmica dos alunos de graduao; Estimular a formao de profissionais e docentes de elevada qualificao tcnica, cientfica, tecnolgica e acadmica. Formular novas estratgias de desenvolvimento e modernizao do ensino superior no pas; Estimular o esprito crtico, bem como a cidadania, conscincia ambiental e pela funo social da educao superior. 29. Atividades complementares no curso: A Semana de Engenharia de Alimentos (SEMEA) realizada pelo 4 Ano de Engenharia de Alimentos, auxiliada pelo grupo PET; Durante a semana so realizadas palestras de diversos temas relacionadas ao curso, com pesquisadores, palestrante e profissionais de diversas empresas; Tambm so oferecidos mini-cursos e visitas para conhecer melhores tcnicas de reas especficas. 30. Engenharadas Objetivo: Incentivar a prtica esportiva entre os acadmicos das universidades participantes, bem como, promover a confraternizao entre os mesmos; Local 2010 Cascavel; Local 2011 Guarapuava. 31. Estrutura do Curso O curso conta com 10 laboratrios para as disciplinas do ncleo bsico: Laboratrio de Informtica (CTA); Laboratrio de Fsica (bloco L); Laboratrio de Qumica Geral e Inorgnica (bloco M); Laboratrio de Qumica Orgnica (bloco L); Laboratrio de Eletrotcnica (bloco E); Laboratrio de Mecnica dos Fluidos (bloco E); 32. Estrutura do curso Laboratrio de Fsico-Qumica (bloco L); Laboratrio de Qumica Analtica (bloco L); Laboratrio de Biologia (bloco M); Laboratrio de Microbiologia (bloco M); Sala de desenho (Bloco E sala 6); Anfiteatros. 33. Estrutura do Curso Disciplinas profissionalizantes: Laboratrio de Anlise Fsico-Qumica de Alimentos (CTA-01); Laboratrio de Anlise Microbiolgica de Alimentos (CTA-02); Laboratrio de Tecnologia de Fermentaes (CTA-03 e CTA-04); Laboratrio de Tecnologia de Cereais, Razes e Tubrculos (CTA-05); 34. Estrutura do Curso Laboratrio de Tecnologia de Frutas e Hortalias (CTA-06); Laboratrio de Anlise Sensorial de Alimentos (CTA-07); Laboratrio de Tecnologia de Lipdios (CTA- 08); Laboratrio de Tecnologia de Alimentos (CTA-09). 35. Estgios Para obter a graduao, o acadmico dever cumprir 200 horas de atividades complementares: 115 horas de estgio extra-curricular; 85 horas de outras atividades; 36. Estgio Extra-curricular Monitorias (mx. 60 horas); Pesquisa (mx. 100 horas); Extenso (mx. 115 horas); Estgios em empresas (no-obrigatrio). 37. Estgio Obrigatrio O estgio obrigatrio, como disciplina, s pode ser feito no ltimo semestre do curso 340h. 38. Programas principais PIBIC: um programa de iniciao cientfic

Recommended

View more >