edição 613

Download Edição 613

Post on 07-Mar-2016

221 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

jornal Aqui Notícias

TRANSCRIPT

  • divulgao pm

    1,00R$apENaS

    QUARTA-FEIRA, 08/05/2013 | DIRIO | ANO 2 | N 613 | CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM E REGIO SUL

    www.aquies.com.br @folhadocaparao facebook.com/grupofolhadocaparao

    PRESOS MONITORADOS 24 HORAS POR DIA

    FILHO CHORA AO VER A ME MORTA EM ACIDENTE DE MOTO

    PM APREENDE ARMA, DROGA, DINHEIRO E RDIO COMUNICADOR

    PREFEITA DE PREsIDENTE kENNEDy GANHA MAIs UMA NA jUsTIA

    poltica | pg 04

    cidadES | pg 09

    CINQUENTA FAMLIAs DA COMUNIDADE QUILOMBOLA

    VO RECEBER CAsA PRPRIA

    oS pRodutoS FoRam ENcoNtRadoS No BaiRRo Bom paStoR, Em cacHoEiRo

    miNiStRio pBlico tEvE pEdido dE caSSao do maNdato iNdEFERido pElo tRiBuNal REgioNal ElEitoRal

    cidadES | pg 09

    SEguRaNa | pg 11

    PRAA DA BARRA sER

    AMPLIADA PELA PREFEITURA DE MARATAZEs

    govERNo do ESpRito SaNto aBRiu Edital paRa coNtRatao dE SEiS mil toRNoZElEiRaS ElEtRNicaS paRa iNtERNoS do SiStEma SEmiaBERto. cada uma dEvER cuStaR ENtRE R$ 300 E R$ 700

    CORPUS CHRISTI COMPLETA 50 ANOS

    oRmiNda NoguEiRa, 53 aNoS (dEStaQuE), Foi atiNgida poR um palio Na Rodovia ES-166, QuE liga vENda Nova a caStElo

    SEguRaNa | pg 11

    SElo No aQui tEm maiS | pgiNa 6

    REpR

    odu

    o

    RuBENS SoSSai NaScimENto

    divu

    lga

    o

    divu

    lga

    o

    SEguRaNa | pg 11

    iluSt

    Ra

    o

  • QUARTA-FEIRA, 08/05/2013 CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM E REGIO SUL

    www.AQUIES.com.br02 OPINIO

    sergiojneves@yahoo.com.br

    Terrenos em Cachoeiro... Vo ser legalizados # Para a alegria dos cartrios... E pessoal que faz as plantas # E ainda para a prefeitura... J que vai arrecadar mais... Com o IPTU # Sesso de ontem da Gaiola de Ouro... Devagar quase parando # S indicaes de vereadores... Pedindo ao prefeito obras e melhorias # E ainda as reclamaes dos passarinhos... Sobre a reduo do canto no grande expediente # Braz Zagotto... Querendo um novo cemitrio pblico # Os que existem segundo ele... Esto superlotados # Se o prefeito quiser Braz... s desapropriar o terreno do Grupo Nassau... Ao lado do cemitrio do Coronel Borges # Os mortos... Iriam ficar eternamente agradecidos a voc e ao alcaide # E assim caminha... A humanidade # E o atacante Michael do Fluminense... Aspirava uma carreira brilhante # Fazendo sucesso em um site de sexo da internet... A performance de uma personagem de Cachoeiro # Hoje quarta... Dia de futebol, cerveja, torresmo e Paratudo.

    FrASE do PIPoQUEIro FrASE do SorVETEIro XINGAmENTo dAQUI A AlGUNS ANoS:

    SUA mE FAZIA QUAdrAdINho dE 8!SE No T FCIl PrA GENTE, ImAGINA

    PrA QUEm TEm CElUlAr SEm CmErA.

    Assim, a VIDA! Apenas um passo... Observe a natureza. Tudo nela recomeo. No lugar da poda surgem os brotos novos. Com a gua, a planta viceja novamente (renasce). Nada para. A prpria terra se veste diferentemente todas as manhs. Isso acontece tambm conosco. A fe-rida cicatriza. As dores desaparecem. A doena vencida pela sade. A calma vem aps o nervosismo. O descanso restitui as foras. Recomece. Anime-se. Se preciso, faa tudo novamente. Assim, a VIDA!

    PATUlEIA

    A coluna parabeniza o casal Joo e Fia Florindo, pelo casamento da filha Sheila com deivinson raider realizado no sbado, em Ibatiba.

    EXPEdIENTEdIrETorIA GErAl: Elias Carvalho e Jasa KleimEdITor dE CrIAo E ArTE: Carlos Guilherme Gomes Serrano rEPrTErES: Alissandra Mendes, Filipe Rodrigues e Ewerton VignollidIAGrAmAdorES: Carlos Guilherme Gomes e Marcelo Lopes Moth

    Circulao: ES - Afonso Cludio, Alegre, Alfredo Chaves, Anchieta, Apiac, Atlio Vivacqua, Bom Jesus do Norte, Brejetuba, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Conceio do Castelo, Divino de So Loureno, Dores do Rio Preto, Guau, Ibatiba, Ibitirama, Iconha, Irupi, Itapemirim, Ina, Jernimo Monteiro, Maratazes, Mimoso do Sul, Muniz Freire, Muqui, Pima, Presidente Kennedy, Rio Novo do Sul, So Jos do Calado, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante.

    ColABorAdorES: Alexandre Garcia, Ewerton Miranda Trggia, Guilherme Gomes, Luciana Fernandes, Ramon Barros, Ricardo Lemos, Ruy Guedes, Srgio Neves, Srgio Oliveira, Wagner Medeiros Junior.E-mails: atendimento.aquinoticias@gmail.com; publicidadefolhadocaparao@gmail.com; jornalismo.aquinoticias@gmail.com;

    As matrias assinadas publicadas neste jornal, necessariamente no traduzem a opinio do prprio jornal. A veracidade das informaes publicitrias veiculadas de responsabilidade de quem as patrocina (anunciante). A legislao no impe ao rgo que veicula o anncio (jornal) a obrigatoriedade de verificao e comprovao da fidedignidade e correo destes anncios. Fonte: STJ (Superior Tribunal de Justia).

    GRUPO FOLHA DO CAPARA DE COMUNICAO LTDA- MECNPJ: 10.916.216.0001-55. AV. GOVERNADOR CRISTIANO DIAS LOPES FILHO, 75, GILBERTO MACHADO, CEP 29.303-320, Cachoeiro de Itapemirim-ES. Anexo a GrafBand. Tel: (28) 3521 7726

    FAlE Com A rEdAo: (28) 9904 7726 ANUNCIE / ASSINE: (28) 3521 7726 / 3036 2960jornalismo.aquinoticias@gmail.com atendimento.aquinoticias@gmail.com

    THIAGO BONATO CARvALHIDO

    Primeiro, porque, desde sempre, eu nunca aceitei como relevante, embora legtimo, o argumento de que, com a re-duo da maioridade penal, reduzir-se-ia consequentemente a violncia em nosso pas. Se, hoje, nada impede os adultos de cometerem as maiores atrocidades, por qual razo impediria o menor? ilgico, no? Ao menos contraditrio. Fica claro, portanto, que a possibilidade de ser condenado pena de recluso (e somente disso que trata a questo da maioridade penal) no extingue, por si s, a vontade de cometer crime pelo su-jeito. Tanto o adulto como o adolescen-te cometem crimes, e no esto nem a para essa possi-bilidade (a de serem presos).

    No podemos achar que, se os menores pararem de praticar roubos e homicdios a man-do dos traficantes, estes crimes deixa-ro de existir. Eles simplesmente sero praticados pelos adultos-traficantes, e ponto; afinal, o traficante ainda pre-cisar roubar, ainda precisar matar o devedor da boca etc. Assim, partin-do dessa premissa, v-se que o proble-ma no est na possibilidade do sujeito ser condenado recluso, mas como (e quanto) essa recluso ser cumprida. Eis o cerne da questo. Adulto ou menor tem medo de ser preso? No. Por qu? Porque cumpre 1/6 e j estamos na rua de novo.

    Digo isso porque, se condenado a 12 anos, o sujeito s cumprir 3 ou 4, claro que o sistema mostra toda a sua fragili-dade perante a sociedade. Imaginemos que esse sujeito tivesse a obrigao e a conscincia (e aqui estou tratando de reforma legislativa nesse sentido) de cumprir a pena integralmente recluso, ou com progresses de regime srias (e no essas que mais parecem vontade do Estado de despejar os indivduos de

    novo na rua; como fazem nos indultos). Estou falando de cumprir todos os 12 anos, ou 9 deles (falo de nmeros e casos hipotticos).

    Dessa forma, o potencial criminoso pensaria duas vezes antes de praticar qualquer ato delituoso de maior gra-vidade, porque teria certeza que no estaria solto logo em seguida (porque 12 anos no so 3 anos), e isso o que (tambm) o move. Concluo (quanto a isso): o problema no est na possibi-lidade de ser preso (isso eles aceitam), mas s aceitam porque, hoje, so postos em liberdade com extrema brevidade. Se

    no fossem, a sim teramos um siste-ma penal em que a pena (ora, pois) atingiria seu obje-tivo de preveno. Pegar 12 anos? ruim. T fora!.

    E o caso da mu-lher que foi estu-prada num nibus no estado do Rio de Janeiro? O estupra-dor, descobriu-se, era menor. E a? O crime no foi co-metido a mando de adulto; qualquer adulto poderia fa-zer o mesmo; ele estava sob efeitos de cocana; e sabia

    que poderia ser preso por isso. Por que cometeu o crime, ento? Por que me-nor? No. E ele mesmo disse que no. Cometeu o crime porque, alm do dese-jo criminoso-sexual potencializado pela droga, tinha certeza que logo estaria sol-to. De nada adianta pr moleques de 16 ou 14 anos enjaulados juntamente com adultos. Nada!

    E eu nem gostaria de terminar essas linhas sugerindo como soluo, pra no cair no clich, uma educao de quali-dade, mas, l vou eu: quem devida-mente educado procura emprego e no rouba; quem teve educao familiar sabe que uma mulher s pode ser conquista-da (nas mais amplas acepes) e nunca forada ao sexo; (todos os et ceteras do mundo).

    o ESTUPrAdor ErA mENorO debate sobre a reduo ou no da maioridade penal no Brasil me d um

    pouco de sono, e me tira um pouco do sono tambm. Acreditem, isso possvel.

    ADvOGADO E PROFESSOR UNIvERSITRIO

    E o caso da mulher que foi estuprada num ni-bus no estado do Rio de Janeiro? O estuprador, descobriu-se, era menor. E a? O crime no foi cometido a mando de adulto; qualquer adulto poderia fazer o mesmo; ele estava sob efeitos de cocana; e sabia que po-deria ser preso por isso.

  • O vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Luiz Duro (PDT), criou um projeto de lei que obriga os anunciantes de bens mveis ou imveis nos classificados de jornais e revistas a divulgarem o preo do produto anunciado. O objetivo do deputado evitar o deslocamento desnecessrio do consumidor at o local da venda.

    Segundo especialistas, o vendaval que atingiu o Esprito Santo na ltima tera-feira foi uma frente de rajada. O engraado que parece que muita gente fica torcendo para que fosse um ciclone ou um tornado. Tem sujeito que gosta mesmo de sofrer e de tragdia. Ou ento tem tanta vontade de parecer os Estados Unidos que at o que no bom quer copiar.

    O governador Renato Casagrande autorizou a compra das tornozeleiras eletrnicas para fazer o monitoramento dos presos do Esprito Santo. De acordo com o edital, sero contratadas entre 100 e 6 mil tornozeleiras eletrnicas. O preo de cada equipamento vai custar entre R$ 300 e R$ 700. Muita gente contra o investimento e os especialistas em segurana garantem que isso vai permitir que os presos em regime semi aberto sejam mel