acidente transito

Download Acidente transito

Post on 08-Jul-2015

847 views

Category:

Health & Medicine

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    Skanska Brasil Ltda 1

    DETRAN

  • 2

    Skanska Brasil Ltda 2

    O Projeto Amigo da Vez uma iniciativa do Ministrio dos Transportes atravs do Programa de Reduo de Acidentes nas Estradas em parceria com o DETRAN.

    Objetivo: Reduzir o nmero de acidentes provocados por motoristas alcoolizados.

  • 3

    Skanska Brasil Ltda 3

    A REALIDADE Acidentes de trnsito so a maior causa de morte entre

    jovens A mdia de idade dos que morrem em ferragens de veculos

    de 30 anos; A maioria dos acidentes acontece nas madrugadas de sexta

    para sbado e de sbado para domingo; Dirigir alcoolizado infrao gravssima. O motorista ser

    detido, ter a carteira suspensa por at 12 meses e o veculo apreendido, alm de pagar multa de R$ 959,69;

    Em caso de acidente com vtima, se o motorista estiver alcoolizado, poder pegar at seis anos de priso;

    A seguradora poder se recusar a indenizar os danos por acidente se constatar que o motorista estava embriagado.

  • 4

    Skanska Brasil Ltda 4

    A pessoa amadurecida no precisa afirmar-se pela alta velocidade, por uma manobra arriscada, nem dirigir sob efeito de drogas.

  • 5

    Skanska Brasil Ltda 5

    ATITUDES INADEQUADAS NO TRNSITO PRATICADAS SOB A

    INFLUNCIA DO LCOOL

    Comportamentos desrespeitosos e provocativos

    Velocidade inadequada; Baixo ou nulo respeito sinalizao; Conduo errtica ou ultrapassagens inadequadas; Sair fora das zonas de circulao; Circular na direo contrria/proibida; Iluminao e sinalizao incorreta das manobras;

  • 6

    Skanska Brasil Ltda 6

    No podemos esquecer o poder nefasto das drogas na manifestao de comportamentos suicidas ao volante: as drogas reduzem a sensibilidade, embrutecem as pessoas e ocasionam o empobrecimento do senso moral (tnue e quase inexistente passa a ser o limiar da percepo entre o permitido e o proibido, entre o bem feito e o mal feito, entre o certo e o errado).

    tico Dotta

  • 7

    Skanska Brasil Ltda 7

    A sensao estimulante provocada pelo lcool nada mais do que a diminuio da inibio.De fato, o lcool depressivo, e a sua ao pode induzir ao sono.

    A FALSA SENSAO

  • 8

    Skanska Brasil Ltda 8

    A ao depressiva do lcool no crebro e no sistema nervoso central reduz a capacidade mental e fsica diminuindo a habilidade para a realizao de tarefas mais complexas, como conduzir um veculo.

    REDUO DA CAPACIDADE MENTAL

  • 9

    Skanska Brasil Ltda 9

    No existem estatsticas confiveis, mas os especialistas estimam que, em metade dos acidentes com vtimas no Pas, algum, o motorista ou o pedestre, tomou uns drinques a mais.

    INTOLERNCIA AO LCOOL

    O limite chamado ndice de alcoolemia, que a concentrao de lcool no sangue permitida em motoristas

    no Brasil, de 0,6 grama por litro.

  • 10

    Skanska Brasil Ltda 10

    A MEDIDA DO RISCO0,2 a 0,3g p/litro de sanguePercepo da

    distncia e velocidade

    prejudicadas.

    0,3 a 0,5g p/litro desangue

    Campo visual menor,controle

    cerebral relaxado.

    0,5 a 0,8gp/litro de sangue

    Subestimao dos riscos e tendncia

    agressividade

    FONTE - DETRAN -DF

  • 11

    Skanska Brasil Ltda 11

    No mundo inteiro, a tendncia proibir o motorista de beber, mas, por enquanto, poucos pases adotam a tolerncia zero - o Japo um deles.

    Sucia: 0,2 g/l, o equivalente a uma lata de cerveja. Frana: 0,5 g/l - limite de duas taas de vinho Estados Unidos: o alvo so os motoristas mais

    jovens: menores de 21 anos esto proibidos de beber antes de guiar.

    A medida j surtiu resultados. No ano de 2002, o pas registrou a menor taxa de mortes no trnsito por consumo de lcool (16 mil ou 38,6% do total), desde 1975.

    BEBER E DIRIGIR

  • 12

    Skanska Brasil Ltda 12

    A VIDA FEITA DE ESCOLHAS

  • 13

    Skanska Brasil Ltda 13

    AMIGO QUE DIRIGE NO BEBE

    NO DEIXE SEU MELHOR AMIGO DIRIGIR BBADO.

  • 14

    Skanska Brasil Ltda 14

    O mundo um lugar perigoso de se viver, no por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa

    daqueles que observam e deixam o mal acontecer.

    Albert Einstein.

    Slide 1Slide 2Slide 3Slide 4Slide 5Slide 6Slide 7Slide 8Slide 9Slide 10Slide 11Slide 12Slide 13Slide 14