portifolio nasismo

Download portifolio nasismo

Post on 10-Oct-2015

11 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

A sustica ou cruz gamada um smbolo antigo, encontrado em muitas culturas diferentes como:Hopi, astecas, celtas, budistas, gregos e hindus. Porm o smbolo foi "mal" visto pela sua associao com o nazismo que defendia o anti-semitismo, a soberania sobre os homossexuais e a eliminao de deficientes fsicos e mentais. A sustica pode ser interpretada de diversas formas: A nazista tem os braos indo para direita e roda a figura de modo a um dos braos ficar no topo. Os smbolos Islmicos e Maltenses parecem mais hlices do que suticas.No Japo utilizada para representar templos e santurios. A sustica nazista tem o significado de Fora, Equilbrio, Liderana e Renovao.

Os campos de extermnio era uma verdadeira usina da morte, montada pelos nazistas durante a Segunda Guerra para promover a aniquilao em massa de pessoas indesejveis na Alemanha e nos territrios invadidos. A funo bsica desses lugares era o assassinato coletivo de judeus e outros grupos considerados "anti-sociais" - ciganos, dissidentes polticos, prisioneiros de guerra, homossexuais, deficientes fsicos e mentais, andarilhos e mendigos. Sabe-se que a matana em massa de judeus comeou em 1941. "A morte era sempre por gs venenoso. Em Chelmno, o primeiro dos campos de extermnio, havia furges adaptados, em que o monxido de carbono do escapamento entrava no interior do veculo e matava seus ocupantes", afirma o historiador Ney Vilela, da Unesp de Bauru. Quase todos os campos de extermnio foram construdos na Polnia. O maior deles, o de Auschwitz (que serviu de inspirao para o infogrfico destas pginas), nasceu em 1940 em uma regio rural no sul do pas. Ocupando uma rea de 40 km2, Auschwitz era um misto de campo de concentrao - que servia de priso para inimigos dos nazistas -, campo de trabalho escravo e campo de extermnio. O total de mortos nesses lugares incerto, mas pode ter chegado a 3,8 milhes de pessoas, 1,1 milho em Auschwitz. Os assassinatos coletivos s acabaram com a derrocada alem, em 1945. Calcula-se que 80% das pessoas envolvidas nesses crimes escaparam de qualquer punio.

O campo de Auschwitz

Erguido em 1940 nos subrbios da cidade de Oswiecim, na Polnia, ele tinha trs partes: Auschwitz I, a mais antiga; Auschwitz II-Birkenau, que reunia o aparato de extermnio; e Auschwitz III-Buna, com cerca de 40 subcampos de trabalho forado. As primeiras vtimas do nazismo foram poloneses, seguidos de soviticos, ciganos e prisioneiros de guerra. Em 1942, o campo voltou-se para a destruio em massa dos judeus. L, cerca de 1,5 milho de pessoas morreram, a maioria em cmaras de gs. Em Auschwitz, os presos eram obrigados a usar insgnias nos uniformes conforme a categoria motivo poltico era um tringulo vermelho; homossexual, um rosa. Muitos foram usados em experimentos mdicos. No final da guerra, prevendo a vitria dos aliados, os alemes comearam a destruir crematrios e documentos enquanto evacuavam os prisioneiros. Os que no conseguiam andar foram deixados l e liberados pelo Exrcito Vermelho em 27 de janeiro de 1945. Hoje, Auschwitz um museu que preserva a memria do maior genocdio da Histria.

Como era a vida no mais famoso campo de concentrao1. Seleo dos capazesOs prisioneiros chegam em trens de gado e so selecionados por mdicos. Os aptos ao trabalho entram numa fila e so tatuados com um nmero de registro. Velhos, doentes, grvidas, crianas e a maioria dos judeus vo para outra fila, direto para a cmara de gs. Os capazes tomam banho de desinfeco (contra tifo), raspam o cabelo e deixam seus pertences2. Trabalho escravoOs presos trabalham pelo menos 11 horas por dia para impulsionar a mquina de guerra alem. Constroem prdios do campo de concentrao e estradas e produzem carvo, borracha sinttica, produtos qumicos, armas e combustveis em indstrias como a Krupp e a IG Farben. Embora no haja nmeros oficiais, vrios morrem de cansao durante as obras3. po e sopa no almooA cozinha do campo prepara raes de comida trs vezes ao dia, que em geral incluem um pedao de po, caf e sopa de batata. Quem faz pouco esforo fsico recebe cerca de 1 300 calorias dirias. Os que trabalham pesado ingerem 1 700. Aps algumas semanas, essa dieta de fome leva exausto, deteriorao do corpo e at morte4. Entre ratosEm Auschwitz I, cerca de 20 mil presos dormem em pavilhes de tijolo. Os treliches so em nmero insuficiente, e um preso dorme sobre o outro. No h banheiro nem calefao mesmo com temperaturas abaixo de zero. Em Birkenau, os alojamentos so blocos de madeira e tijolos feitos sobre o solo mido. Cerca de 700 pessoas ocupam cada um5. Espera congelanteDurante as assembleias de contagem, os presos ficam horas no frio, muitas vezes sem seus uniformes (cala comprida, camisa listrada e boina) esperando os nazistas decidirem quem ser mandado cmara de gs. Intelectuais, polticos e outras pessoas consideradas perigosas so fuzilados no Muro da Morte, nos fundos do bloco 11, ou enforcadas6. Matemtica sinistraEm geral, o destino de 70% dos prisioneiros a cmara de gs. A maior parte das vtimas trancada nua em locais fechados os nazistas diziam que elas iam tomar banho. Dentro deles, uma tubulao expele cido ciandrico. A morte chega, no mximo, em 10 minutos. Os corpos so depois queimados num dos cinco crematrios juntos, podem queimar 4765 corpos por dia.

Entrada principal do campo de extermnio Auschwitz-Birkenau. Foto tirada na Polnia, data incerta. Beit Lohamei Haghettaot

Alojamento no campo de Auschwitz-Birkenau. Essa fotografia foi tirada depois da libertao do campo. Auschwitz-Birkenau, Polnia, depois de 29 de janeiro de 1945. National Archives and Records Administration, College Park, Md.Prisioneiros no trabalho escravo na fbrica da Siemens. Campo de Auschwitz, Polnia, 1940-1944.A Parede Negra, entre o Bloco 10 (esquerda) e o Bloco 11 (direita) no campo de concentrao de Auschwitz, onde aconteciam as execues dos prisioneiros. Polnia, data desconhecida. National Archives and Records Administration, College Park, Md.

Fotos de identificao de uma prisioneira do campo de Auschwitz. Polnia, entre 1942 e 1945. National Museum of Auschwitz-Birkenau

Fotos de identificao de um prisioneiro judeu do campo de Auschwitz. Polnia, entre 1940 e 1945. National Museum of Auschwitz-Birkenau

Centenas de prisioneiros judeus hngaros, transportados como gado, aguardam serem selecionados pelos oficiais nazistas para a morte ou para a escravido no campo de concentrao de Auschwitz. Polnia, maio de 1944. Yad Vashem Photo Archives

Fotografia area de Auschwitz II (Birkenau). Polnia, 21 de dezembro de 1944. National Archives and Records Administration, College Park, Md.

Fotografia area do campo de Auschwitz III (Monowitz), prximo fbrica I.G. Farben. A fotografia foi tirada aps as misses de bombardeio norte-americanas. Polnia, 14 de janeiro de 1945. National Archives and Records Administration, College Park, Md.

Criana sobrevivente, emaciada, quase morte, sendo retirada de uma das barracas do campo por soviticos especialistas em primeiros socorros, logo aps a libertao pelos aliados. Auschwitz, Polnia, foto tirada depois de 27 de janeiro de 1945. La Documentation Francaise

Malas que pertenciam a pessoas deportadas para o campo de Auschwitz. Esta fotografia foi tirada depois que as foras soviticas libertaram o campo. Auschwitz, Polnia. Foto tirada aps janeiro de 1945. National Archives and Records Administration, College Park, Md.

A foto mostra um mdico sovitico examinando um dos sobreviventes do campo de Auschwitz, logo as sua libertao pelos Aliados. Auschwitz. Polnia, 18 de fevereiro de 1945. Federation Nationale des Deportes et Internes Resistants et PatriotsSignificado da Saudao Nazista

A saudao nazista uma variao da saudao romana, adotada pelo Partido Nazista como um sinal da lealdade e culto da personalidade de Adolf Hitler. Ganhou popularidade devido ascenso de Hitler. Consiste em levantar-se o brao direito enquanto se diz as palavras Heil Hitler ("Salve Hitler"). A expresso uma adaptao de Sieg Heil ("Salve a Vitria"). Foi primeiramente usada por Joseph Goebbels, ministro da propaganda da Alemanha Nazista. -lhe atribudo o nmero 88, por ser H a oitava letra do alfabeto, formando 88 as letras HH, ou Heil Hitler. A saudao sempre vinha acompanhada das palavras Sieg Heil! Heil Hitler! Heil mein Fhrer! (Salve, meu lder; quando endereada ao prprio Hitler), ou simplesmente Heil! Geralmente dito em voz alta e repetidas trs vezes. O prprio Hitler usava frequentemente a saudao, e h muitas fotografias dele fazendo-a em multides e em carros abertos. No caso de uma pessoa saudar a outra, as palavras so pronunciadas ao mesmo tempo, e o receptor deve levantar a mo direita sobre o ombro dizendo as mesmas palavras.Normalmente o brao direito levantado em um ngulo de aproximadamente 45 graus na horizontal e ligeiramente na lateral, mas em grandes multides (como a da foto) era apenas esticado o brao para a frente.