imp©rio bizantino e rabe

Download Imp©rio Bizantino e rabe

Post on 09-Aug-2015

99 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  1. 1. Imprio Bizantino e rabe - Territrios na frica e sia (predominantemente) e em partes da Europa. - Governos essencialmente teocrticos. - Contribuies quanto a arte, filosofia e cincia.
  2. 2. Imprio Bizantino Sculo IV: Constantino fundou uma nova capital para o imprio romano. Com a queda do imprio romano, apenas a parte oriental sobreviveu. At o sc VI no se falava de uma civilizao bizantina. Civilizao composta por grande nmero de nacionalidades (egpcios, persas, gregos, judeus, srios, etc.)
  3. 3. Imprio Bizantino Assim como a poro ocidental, sofreram ameaas brbaras. Seus principais inimigos eram os eslavos de origem balcnica (hngaros e varos). Justiniano vence estes inimigos e volta suas atenes para terras europeias (Itlia) e norte da frica.
  4. 4. Imprio Bizantino Em busca por expandir seu territrio, empreendeu diversas guerras (persas, sarracenos, turcos otomanos). 1071: captura de Digenes pelos turcos na batalha de Manziquerta. Aps o pagamento do resgate do imperador, Bizncio pediu ajuda dos reinos europeus, dando origem as cruzadas.
  5. 5. Administrao e economia O imperador detinha a autoridade mxima (temporal e divina). Vasta burocracia que auxiliava na administrao imperial. O exrcito e espies controlavam as posses e vigiavam os habitantes em qualquer parte do imprio. O Estado exercia controle sobre todos os gneros e atividades (salrios e preos). o paraso do monoplio, do privilgio e do paternalismo
  6. 6. Administrao e Economia A produo seguia a seguinte estrutura: O trabalhador/produtor corporao a associao comercial governo. Produo agrcola anloga (igual) ao Baixo Imprio romano: latifndios cultivados por meeiros. Predomnio da atividade comercial e industrial (vidro, cermica, tecidos de luxo).
  7. 7. Sociedade Pop. de Constantinopla em seu auge: 1 milho de pessoas. Sociedade mais "permissvel": tanto latifundirios quanto ricos comerciantes e mercadores compunham a aristocracia. Camada dos trabalhadores urbanos (indstria, comrcio, artesanato) Pequenos proprietrios de terra ou servos ligados ao latifndio. Pequena camada de escravos domsticos.
  8. 8. Religio Influncia de ideias orientais. Surgimento de movimentos herticos. Monofistas: Crena que Cristo possua uma nica natureza (a divina) e negavam o dogma da Santssima Trindade. Iconoclastia: Menosprezo ao culto de imagens de Deus, Jesus ou Santos. Em 725, Imp. Leo XIII decreta a proibio do culto a imagens nos templos. Separao do patriarcado bizantino da Igreja de Roma em 1054 (Cisma do Oriente).
  9. 9. Imperador Justiniano I (482 565) governou Constantinopla de 527 a 565
  10. 10. Justiniano I (527-565) Filho do Imperador Justino I, a quem sucedeu em 527. Casado com Teodora, atriz circense de origem humilde. Revolta de Nika (ou do Hipdromo) (532). Causada pela fome, falta de moradia e os altos impostos. O estopim foi a suposta derrota do cavalo preferido da populao frente ao cavalo do imperador.
  11. 11. Justiniano I Duas tendncias polticas: VERDES (comerciantes, artesos e altos funcionrios que defendiam a democracia plena e os AZUIS (aristocracia agrria). Sempre divergentes, os grupos se unem contra Justiniano e destroem a cidade. Motivado pela sua mulher, Justiniano ordena que os revoltosos sejam degolados. Com o controle da revolta, Justiniano acaba com o poder local da aristocracia
  12. 12. Justiniano I Governo Autocrtico e Burocrtico Redige o Corpus Juris Civilis (Corpo de direito civil) Cdigo: Constituio imperial romana. Digestos: os comentrios de juristas romanos Institutas: Manual para ser estudado pelos que se dedicavam ao Direito Novelas: Leis surgidas no perodo de Justiniano (534). Tentativa de reconstruir o Imprio Romano.
  13. 13. Declnio de Bizncio Recuperao do comrcio pelo ocidente Crescimentos das cidades italianas Ameaa do Imprio rabe e Otomano... ...que levou a sua dominao em 1453.
  14. 14. Imprio rabe Fundado em 630 dura aproximadamente at 1300. Tambm conhecido como sarracenos. Arbia do sculo VI: rabes urbanos (Meca, Yathrib) e bedunos (nmades). sociedades sem governo organizado. Estrutura tribal de governo. Em sua maioria politestas, tendo alguns grupos crentes em Al.
  15. 15. Imprio rabe Cidade Sagrada: Meca. local da Caaba, onde se encontra a Pedra Negra. Os homens que cuidavam da Caaba, formavam a tribo dos Coraixitas, a aristocracia rabe. Desenvolvimento do Imprio rabe associado ao surgimento da religio islmica.
  16. 16. Caaba: local sagrado para os muulmanos. Onde se encontra a Pedra Negra (Hajar el Aswad).
  17. 17. Maom Islamismo foi fundado por Ab al-Qsim Muammad ibn Abd Allh ibn Abd al-Mualib ibn Hshim mais conhecido como Maom Considerado o ltimo profeta do Deus de Abrao. Nasceu em Meca, em 570, no cl mais pobre da tribo dos coraixitas. Aos 25 anos se torna criado de uma rica viva, com quem se casa.
  18. 18. Maom Entrou em contato com judeus e cristos que viviam no norte da Arbia. Pregava contra os plutocratas de Meca e os sacrifcios sangrentos do bedunos. No obtendo sucesso em Meca, parte juntamente com seus seguidores para Yathrib, em 622. Episdio conhecido como Hgira (fuga), no qual tomado como o incio do calendrio para os mulumanos.
  19. 19. Maom Dominando a cidade, altera seu nome para Medina (Medinat, cidade do Profeta). Se alia a tribos bedunas para compor um exrcito e expandir seus domnios. Retorna a Meca em 630, a domina e destri os cultos pagos. Morre em 632, quando o Imprio j dominava a pennsula Arbica.
  20. 20. Prticas Muulmanas Crena em torno de Al e do profeta, Mohammed. Prega a bondade entre as pessoas. Seus praticantes deveriam abster do infanticdio, da ingesto da carne de porco e bebidas alcolicas. Seus adeptos tinham certas prticas piedosas: Dar esmolas aos pobres, o jejum durante o dia no Ramad, rezar 5x ao dia, visitar Meca uma vez na vida.
  21. 21. Prticas Muulmanas Assimilao e proximidade com o judasmo e cristianismo: livro sagrado, monotesmo, presena de profeta. Aps a morte de Mohammed, surgiram diversas seitas. As trs mais conhecidas so: sunitas, xiitas e sufistas.
  22. 22. Seitas islmicas Sunitas: acreditavam que o sucessor de Maom e chefe do estado islmico deveria ser eleito por representantes de todo o Isl, assim como as prticas tribais rabes. Xiitas: defendiam que os descendentes de Mohammed deveriam ser o seus sucessores no comando do Estado. Sufistas: adeptos de um ideal mstico e prticas ascticas (auto tortura para alcanar Deus).
  23. 23. Aspectos polticos Histria poltica dos sarracenos se confunde com o desenvolvimento da religio. Os seguidores de Mohammed escolhem Abu- Bekr, mais antigo seguidor e sogro, como seu sucessor. Abu-Bekr inicia o perodo dos Califas (sucessores do Profeta). 656: incio de longas disputas pelo controle do Imprio
  24. 24. Aspectos polticos Os xiitas depem a dinastia Omada e elegem Ali, marido da filha de Mohammed, Ftima (os Fatmidas). 5 anos deps Ali morto e os Omadas voltam ao poder. a capital se torna Damasco (atual Sria), onde se imita o modelo da monarquia bizantina. 750: novas revoltas xiitas que iniciam a dinastia Abssida. Bagd (atual Iraque) se torna a capital. Perodo de maior expanso, atingindo a sia, frica e Europa
  25. 25. Aspectos polticos Sua dominao no era por base da imposio religiosa. Sua expanso causada por fatores econmicos e polticos. A grande seca que a pennsula Arbica passou no sculo VII. Respeito as cultura dominadas, antes domnios persas e bizantinos, imprios mais rgidos.
  26. 26. Declnio do Imprio O declnio do imprio ocorre pela sua vastido e as diversas faces e seitas surgidas ao longo dos sculos. Em 929, membros da famlia dos Omadas fundaram um califado independente em Crdoba, Espanha. Anos depois, os Fatmidas, proclamam o Califado Independente de Marrocos e Egito. Enquanto isso, o Califado de Bagd sucumbia aos ataques de tribos turcas, que vinham do leste.
  27. 27. Declnio do Imprio Como um ltimos suspiro, entrega o poder aos sultes turcos seldjcidas. A partir de ento, o Imprio rabe da linhagem de Mohammed deixa de existir. No entanto, grande parte de seu territrio continuou sendo governado por povos da f muulmana. Turcos Seldjcidas at o sculo XII Turcos Otomanos at 1918.