Apresentacao o som

Download Apresentacao o som

Post on 04-Jun-2015

201 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia. Oficina de Multimdia OSOM Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F</li></ul><p> 2. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia.Oficina de MultimdiaSUMRIO1. Introduo.2. O que o som. Como se propaga.3. Caratersticas do som. Frequncia, amplitude e timbre.4. O que o rudo.5. O que a msica.6. O que ouvimos.7. Registo de som: analgicos/digitais.8. Formatos digitais: tipos de ficheiros.9. Compresso.10. Concluso.11. Bibliografia.Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 3. Escola Secundria Rainha D. Amlia. Amlia.Oficina de Multimdia1. Introduo Neste trabalho irei falar sobre o som. Tentarei apresentar uma definio bemcomo apresentar algumas das suas caratersticas e condies para a suapropagao. Falarei do que o rudo e a msica e do que ouvimos. Por fim entrarei no campo da guarda dos sons, analgicos e digitaisespecificando os tipos de ficheiros digitais e mostrando em que consiste acompresso. Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 4. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia. Oficina de Multimdia 2. O que o SomO som pode ser entendido como uma sensao auditiva, a qual produzida por ondas sonoras. Estas ondas so geradas porobjetos em vibrao (ex. cordas vocais, instrumentos musicais, colunas de som) que provocam o movimento peridico ouoscilao das molculas do meio envolvente (meios materiais slidos, lquidos ou gasosos). Estas molculas, por sua vez,transmitem o seu movimento s molculas vizinhas por meio de colises entre partculas, levando a que a oscilaoinicialmente produzida no objeto se propague atravs do espao aberto, at chegar aos nossos ouvidosUma onda sonora pode ser representada num grfico bidimensional onde o eixo horizontal representa a passagem do tempoe o vertical a variao de presso. Esse tipo de grfico pode fornecer vrias informaes sobre o som.Grfico de onda senide. O grfico acima mostra dois ciclos completos de oscilao de uma onda senoidal. O eixo horizontal representa a passagem do tempo enquanto que o vertical representa a variao de presso em um determinado ponto do meio. O Homem com o orgo da fala, tanto pode produzir sons, como rudos, e medida que cresce, aprende a controlar melhor a capacidade de produzir sons e rudos. Para isso recorre s cordas vocais, que vibram e transmitem essa vibrao ao ar. Com a boca consegue controlar a sada do ar e assim enriquecer a diversidade de sons que pode articular.Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 5. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia.Oficina de Multimdia 2. Como se propaga o som.O som necessita de um meio material,slido, lquido ou gasoso, para se propagar(para chegar de um lado a outro). A velocidade de propagao do som Meios Slidos Meios LquidosMeios Gasososdepende desse meio. Normalmente avelocidade de propagao das ondas sonoras maior nos slidos e menor nos gases. Estavelocidade tambmdepende datemperatura a que o meio de propagao seencontra.A velocidade mdia de propagao do somno ar de 340 m.s-1. Isto que dizer que emcada segundo, o som percorre 340 metros dedistncia.No h propagao de som no vazio (ou vcuo - no espao, por exemplo),devido ausncia de partculas.Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 6. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia.Oficina de Multimdia 2. Como se propaga o som. A velocidade do som em determinado meio material pode ser determinada se conhecermos adistncia a que o som se propagou e o tempo que demorou a propagar-se a essa distncia: A distncia deve ser indicada em metros e o tempo em segundos. Nesse caso a velocidade do som determina-se em metros porsegundo (m/s), que a unidade de Sistema Internacional para a velocidade. Na tabela ao lado, esto indicadas as diferentes velocidades de propagao do som consoante o meio material em que este se propaga. Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 7. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia.Oficina de Multimdia2. Como se propaga o som.A propagao de uma onda sonora pode ser perturbada pela existncia de obstculos sua frente ou pela mudanade uma meio material para outro diferente. As consequncias dessa perturbao podem ir desde o abrandamento daonda e/ou do seu desvio at ao impedimento da sua propagao.Os fenmenos que influenciam a propagao do som e que esto relacionados com as suas caractersticas so:Reflexo do som - sendo o eco e a reverberao consequncias da reflexo do som.Refrao do som muda de direo de propagao pelo fato de passar de um meio material para outro.Difrao do som - distoro da propagao retlinea do som quando este contorna um obstculo.Reflexo do som Refrao do som Difrao do som EcoReverberaoIns F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 8. Escola Secundria Rainha D. Amlia. Amlia. Oficina de Multimdia3. Caratersticas do som. Frequncia , amplitude e timbre.Nem todos os sons so percebidos da mesma maneira devido s diferenas fsicas entre as ondas sonoras em frequncia, amplitude e timbre.Frequncia A frequncia a caracterstica atravs da qual o ouvido distingue se um som agudo ou grave.Esta caracterstica est relacionada com a quantidade de ciclos completos (vibraes) de umaonda sonora, que ocorrem num perodo de 1 segundo, e expressa em Hertz (Hz). Normalmente os sons produzidos pelos homens tm uma frequncia menor do que os sonsproduzidos pelas mulheres (so sons mais graves), isto porque as cordas vocais dos homens somaiores do que as das mulheres.Frequncias de somNa figura acima podemos ver representados dois sons. Em azul, um som com uma frequncia mais baixa, comciclos mais compridos e em menor quantidade, portanto um som mais grave. Em vermelho, um som com umafrequncia mais elevada, com ciclos de menor comprimento e em maior quantidade, portanto um som maisagudo. Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 9. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia.Oficina de Multimdia3. Caratersticas do som. Frequncia , amplitude e timbre.Amplitude A amplitude a caracterstica que nos permite distinguir um som fraco de um som forte. Esta caracterstica est relacionada com a quantidade de energia transportada pela onda sonora e medida em dB (decibeis). Amplitudes de somNa figura acima temos a representao de um som com duas amplitudes diferentes.A linha vermelha representa um som mais forte, com uma amplitude mais elevada, e a linha verde o mesmo som com umaamplitude mais baixa, ou seja, o som mais fraco.Se ouvssemos estes dois sons separadamente iramos perceber que so idnticos, diferenciando-se um do outro apenas novolume.Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 10. Escola Secundria Rainha D. Amlia. Amlia.Oficina de Multimdia3. Caratersticas do som. Frequncia , amplitude e timbre.Intensidades de sons do quotidianoA figura acima mostra um grfico que indica o volume, em decibis (dB), de alguns sons do nosso quotidianoIns F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 11. Escola Secundria Rainha D. Amlia. Amlia. Oficina de Multimdia 3. Caratersticas do som. Frequncia , amplitude e timbre.Timbre O timbre a caracterstica que nos permite distinguir dois sons com a mesma frequncia e a mesma amplitude, mas produzidos por fontes sonoras diferentes. Quando ouvimos, por exemplo, uma nota tocada por um piano e a mesma nota produzida por um violino, podemos imediatamente identificar caractersticas sonoras muito distintas. Isso possvel porque cada instrumento vibra de forma distinta e produz harmnicos com amplitudes e frequncias diferentes, de acordo com a sua constituio.A diferentes fontes sonoras correspondem diferentes timbres Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 12. Escola Secundria Rainha D. Amlia. Amlia.Oficina de Multimdia4. O que o rudo.O rudo um som indesejado, cuja intensidade medida em decibis (dB).A escala de decibis logartmica, de modo que um aumento no nvel de somde trs decibis representa um aumento da intensidade de rudo para odobro.A sensibilidade do ouvido humano em relao a diferentes frequnciastambm varia; por conseguinte, o volume ou intensidade do rudo sonormalmente medidos em decibis com ponderao A (dB(A)).A intensidade de um rudo no constitui o nico fator que determina a suaperigosidade; a durao da exposio tambm muito importante. Paraconsiderar este fator, so empregues nveis mdios de som ponderados emfuno da sua durao. No caso do rudo no trabalho, esta durao geralmente de um dia de trabalho de oito horas. . Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 13. Escola Secundria Rainha D. Amlia. Amlia. Oficina de Multimdia5. O que a msica.A msica a arte de organizar sensvel e logicamente uma combinao coerente de sons e silncios, os dois elementos bsicos,usando os princpios fundamentais da melodia, a harmonia e o ritmo.O som a sensao captada pelo ouvido, atravs das variaes de presso produzidas pelo movimento vibratrio dos corpos sonoros e que se transmitem pelo ar. O som engloba quatro parmetros fundamentais: - a altura (o resultado da frequnciaproduzido por um corpo sonoro, quedetermina se o som grave ou agudo); - a durao (o tempo que duram asvibraes que produzem um som); - a intensidade (a fora com que seproduz um som, representada pelaamplitude) e - o timbre (a qualidade que permitedistinguirentre osdiferentesinstrumentos ou vozes).Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 14. Escola Secundria Rainha D. Amlia. Amlia. Oficina de Multimdia 5. O que a msica. A organizao da msica, por sua vez, depende de vrios aspetos, entre os quais destacaremos: - a melodia (o conjunto de sons que soam de forma sucessiva e que so percebidos com uma identidade e sentido prprio); - a harmonia (que regula a concordncia dos sons e cuja unidade bsica o acorde) - o ritmo (a pauta de repetio dos sons e silncios).Enquanto manifestao artstica, a msica um produto cultural que procura suscitar uma experincia esttica no ouvinte.Tambm constitui um estmulo no campo percetivo do homem, uma vez que pode assumir vrias funes, como o caso doentretenimento, do ambiente criado ou da comunicao. Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 15. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia. Oficina de Multimdia 6. O que ouvimos.Os sons que conseguimos distinguir no nosso dia a dia podem ser muito diferentes uns dos outros. Conseguimos distinguir sonsto distintos como os sons musicais provenientes de diversos instrumentos, a fala ou o canto, e um conjunto diversificado derudos como as exploses, o bater do martelo, o ranger de uma porta ou at uma pedra caindo dentro de gua.O que ouvimos so mistura de sons, que se sobrepem uns aos outros; no so sons separados por pausas; so misturas dediferentes caratersticas acsticas atravs de diferentes palavras ou at atravs de diferentes instncias da mesma palavra.Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 16. Escola Secundria Rainha D. Amlia. Amlia.Oficina de Multimdia7. Registo do som: analgico/digital. O som pode ser guardado em dois formatos fundamentais: Analgico e Digital.No formato analgico os sons so guardados por nveis diferentes de intensidade da gravao do material de suporte normalmentebandas magnticas ou discos de vinil. O analgico muito antigo enquanto o digital ou numrico muito mais recente e apareceu na era da informtica. Analgico=onda. Est associado a uma variao contnua no tempo. Um circuito analgico um circuito eltrico que opera com um sinal analgico, i.e., que pode ter valores contnuos infinitos dentro de um determinado intervalo. Os sinais analgicos do som so convertidos em nmeros para poderem ser colocados em suportes digitais. Suportes analgicos: disco de vinil, cassete audio, cassete de video (VHS) (registam os sons e as imagens de forma original no codificada)Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 17. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia.Oficina de Multimdia 7. Registo do som: analgico/digital.No formato digital o som representado por sequncias de 0 e 1 organizados de uma formapredeterminada a fim de poder ser reproduzida e interpretada, da que existem vrios sistemas dearmazenamento do som. Digital = numrico = binrio = a informao apresentada de forma numrica s podendo assumir dois valores os algarismos "0" e "1". Representao codificada de uma forma de onda mediante, por exemplo, dgitos binrios sob forma de impulsos eltricos ou de luz. Constitui o suporte de toda a tecnologia digital, podendo ser utilizado para representar palavras. Exemplos de suportes digitais: disco rgido do computador, CD, DVD (registo codificado dos sons e imagens) Quando se fala de som digital no estamos a referirmo-nos s ao suporte de armazenamento mas tambm sua reproduo e sintetizao.Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 18. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia. Oficina de Multimdia 8. Formatos Digitais. Tipos de ficheiros.Existem vrios tipos de formatos de ficheiros de som: AAC Ogg VorbisAbreviao para Advanced AudioOgg Vorbis similar aos formatos Coding (Codificao de Audiode compresso MP3 ou AACAvanada),AIFFFLAC (Audio Interchange File Format)Abreviao para Free LosslessEste formato suporta umaAudio Codec (Codec Livre para variedade de resoluoes de bit,taxa udio Sem Perdas)de amostragem e canais de udio Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 19. Escola Secundria Rainha D. Amlia. Amlia.Oficina de Multimdia8. Formatos Digitais. Tipos de ficheiros.- RealAudio MP3.Este formato projetado pela empresaO formato MP3 (MPEG Layer 3) foiProgressive Networks, era,at pouco criado nos anos 80 pelo Instituto tempo atrs,o formato maisFraunhofercomumente encontrado na Internet.-WMA Formato criado pela Microsoft, pode-Waveser usada em : Windows MediaO formato do arquivo Wave (.WAV) foi Audio,Windows Media Audio criado pela IBM e pela Microsoft nos Professional,Windows Media Audioanos 80 Lossless e Windows Media Voice Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 20. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia.Oficina de Multimdia 10. Concluso.Neste trabalho procurei fazer uma abordagem geral sobre o fenmeno do som. No pretendi ser exaustivamas dar o mximo de informao quanto aos pontos enunciados na introduo sobre o som enquantoforma de energia dinmica que existe no universo e sujeita s leis fundamentais da fsica.Centrei-me na sua definio, as suas caratersticas fundamentais e as condies ideais para a suaexistncia, distinguir entre rudo e msica, bem como, a forma como so reproduzidos , gravados earmazenados.Para este trabalho socorri-me de diversas consultas na internet. Depois de originado na fonte e propagado pelo meio material, o som recebido por um elemento recetor. Esse elemento recetor tem a capacidade de transformar as ondas sonoras em algum outro tipo de sinal que possamos processar. portanto um elemento transdutor. No caso do ouvido, as vibraes do ar so convertidas em vibraes mecnicas e, em ltima anlise, em impulsos eltricos que so processados pelo nosso crebro. Ins F. dos Santos - aluna n 7 do 12 Ano turma F 21. Escola Secundria Rainha D. Amlia.Amlia. Oficina de Multimdia11. Bibliografiahttp://telecom.inescn.pt/research/audio/ciencia viva/processamento_som.htmhttp://www.fisicaequimica.net/som/propagacao.htm http://w3.u...</p>