6/4/07 1:52 page 66 crise nuclear quem tem ...galileu.globo.com/vestibular2008/pdf2007/mundo.pdfآ ...

Download 6/4/07 1:52 Page 66 CRISE NUCLEAR QUEM TEM ...galileu.globo.com/vestibular2008/pdf2007/mundo.pdfآ  de

If you can't read please download the document

Post on 23-Jul-2020

0 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 6 6 G A L I L E U E S P E C I A L V E S T I B U L A R 2 0 0 7

    Programas nucleares de quatro países, principalmente Coréia do Norte e Irã, preocupam autoridades mundiais

    C R I S E N U C L E A R

    QUEM TEM MEDO DA BOMBA?

    AMEAÇA MUNDIAL O PRESIDENTE DO IRÃ, MAHMOUD AHMADINEJAD (ESQUERDA), E O PRESIDENTE DA CORÉIA DO NORTE, KIM JONG II, CUJOS PROGRAMAS NUCLEARES ASSUSTAM O MUNDO

    nuclear.qxd 6/4/07 1:52 Page 66

  • G A L I L E U E S P E C I A L V E S T I B U L A R 2 0 0 7 6 7

    F icou célebre o discurso em que o presidente norte-ame- ricano, George W. Bush, no início de seu primeiro man- dato, colocava a Coréia do

    Norte — ao lado do Irã e do Iraque de Saddam Hussein — no “Eixo do Mal”. Para Bush, a Coréia do Norte era um “estado fora-da-lei”, com o qual a comunidade internacional não deveria se comportar como com os países nor- mais. Eram três países que, no enten- der de Bush, representavam um risco nuclear para toda a humanidade.

    Em 2002, a Coréia do Norte reini- ciou as operações do reator de Yongbyon, expulsou dois inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA) e anunciou que iria criar bombas. No ano seguinte, o país rompeu com o Tratado de Não-Pro- liferação Nuclear (leia “Acordo Anti- bomba”). Em 2005, a Coréia do Norte declarou que possuía armas atômicas e, em 2006, assumiu ter realizado um bem-sucedido teste nuclear subterrâ- neo. Alguns analistas acreditam que o país tem capacidade para produzir uma bomba por ano. Outras estimativas a- pontam que a Coréia possui atualmen- te oito ou mais artefatos desse tipo.

    Em fevereiro, parecia que a Coréia do Norte começava, ao menos na aparên- cia, a sair do Eixo do Mal. Depois de negociações na China, seis países fize- ram concessões em uma tentativa de acordo para acabar com o programa nuclear norte-coreano. Por 50 mil toneladas de combustível, ou o equi- valente a isso em dinheiro, e peças de

    © Corbis/AP

    >>

    1 EM 1970 FOI FIRMADO O TRATADO DENÃO-PROLIFERAÇÃO NUCLEAR , COM O OBJETIVO DE IMPEDIR A DISSEMINAÇÃO

    DE ARMAS NUCLEARES

    2 ATUALMENTE, O DOCUMENTO TEM188 PAÍSES SIGNATÁRIOS, ENTRE ELES RÚSSIA, ESTADOS UNIDOS, CHINA,

    FRANÇA E REINO UNIDO

    3 PREOCUPAM A COMUNIDADE INTER-NACIONAL: CORÉIA DO NORTE, IRÃ, ÍNDIA E PAQUISTÃO

    4 EM FEVEREIRO, A CORÉIA DO NORTECONCORDOU EM FECHAR O REATOR NUCLEAR DE YONGBYON

    5 O PAÍS ABRIU MÃO DO PROGRAMANUCLEAR EM TROCA DE 50 MIL TONELADAS DE COMBUSTÍVEL, OU O

    EQUIVALENTE A ISSO EM DINHEIRO, E

    PEÇAS DE REPOSIÇÃO PARA USINAS

    TERMELÉTRICAS

    6 DESDE QUE RETOMOU O ENRIQUE-CIMENTO DE URÂNIO, EM JANEIRO DE 2006, O IRÃ TEM SIDO O FOCO DAS

    INQUIETAÇÕES INTERNACIONAIS. COMO

    O GOVERNO IRANIANO INSISTE EM SEU

    PROGRAMA, O CONSELHO DE

    SEGURANÇA DA ONU VOTOU UM PACOTE

    DE SANÇÕES FINANCEIRAS AO PAÍS

    7 A ÍNDIA NUNCA PARTICIPOU DOTRATADO DE NÃO-PROLIFERAÇÃO NUCLEAR. UM ACORDO DE COOPERAÇÃO

    NUCLEAR CIVIL FOI ASSINADO COM OS

    EUA PARA TORNAR VIÁVEL A VENDA DA

    TECNOLOGIA PARA A ÍNDIA

    8 O PAQUISTÃO TAMBÉM NÃO ÉMEMBRO DO TRATADO DE NÃO- PROLIFERAÇÃO NUCLEAR E COMEÇOU A

    DESENVOLVER SECRETAMENTE OGIVAS A

    PARTIR DOS ANOS 1970

    9 ISRAEL, TAMBÉM FORA DO ACORDO,NUNCA ADMITIU NEM NEGOU POSSUIR ARMAS NUCLEARES. ALGUNS

    ANALISTAS AFIRMAM QUE O PAÍS TEM

    OGIVAS ATÔMICAS

    10 OS PAÍSES QUE POSSUEM BOMBAATÔMICA SÃO: RÚSSIA, EUA, CHINA, FRANÇA, INGLATERRA, ISRAEL,

    ÍNDIA, PAQUISTÃO E CORÉIA DO NORTE

    M U

    N D

    O

    1010 COISAS QUE VOCÊ

    PRECISA SABER

    reposição para usinas termelétricas, o regime comunista mais fechado do mundo concordou em desativar o rea- tor nuclear da usina de Yongbyon. Por mais 1 milhão de toneladas, a Coréia do Norte se comprometeu a “desabili- tar” suas operações nucleares.

    Segundo o professor Cláudio Furu- kawa, do Instituto de Física da USP, mesmo que voltada para fins pacíficos, a tecnologia nuclear oferece riscos para a humanidade. Podem acontecer aci- dentes como o de Chernobyl. Além disso, o material e a tecnologia usados para a fabricação de armas nucleares e para a produção de energia nuclear são os mesmos. Fica difícil saber qual é a verdadeira intenção de quem manipu- la a tecnologia. O risco de um governo usá-la para fins militares é possível. Além da Coréia do Norte, outros paí- ses preocupam a comunidade interna- cional pelas suas capacidades de pro- duzir armas nucleares:

    IRÃ Em março, mais uma vez o Irã se

    recusou a desistir de seu programa nuclear. Desde que retomou o enri- quecimento de urânio, em janeiro de 2006, o país tem sido o foco das inquietações internacionais. Alguns países do Ocidente, principalmente os EUA, suspeitam que o Irã pretende, na verdade, desenvolver armas nucleares. Entretanto, o país tem afirmado que apenas deseja gerar energia.

    Em dezembro, o Conselho de Segurança da ONU proibiu o Irã de promover o enriquecimento de urâ-

    DISCÓRDIA: CÁPSULA COM GÁS DE URÂNIO APRESENTADA NO ANO PASSADO PELO IRÃ. GÁS ENRIQUECIDO A 3,5 GRAUS PARA USO NA PRODUÇÃO DE ENERGIA ESTÁ LONGE DO NECESSÁRIO PARA FABRICAR ARMAS NUCLEARES

    nuclear.qxd 6/4/07 1:52 Page 67

  • 6 8 G A L I L E U E S P E C I A L V E S T I B U L A R 2 0 0 7 © 1 AP; 2 Divulgação

    nio. Como o governo iraniano insiste em seu programa, o Conselho votou um pacote de sanções ao país que: amplia o congelamento de fundos de quem financia atividade nuclear; obri- ga os países a avisar a ONU se milita- res envolvidos no programa nuclear do Irã entrarem em seu território; embarga a venda de armas e limita a assistência financeira.

    ÍNDIA A Índia nunca fez parte do Tratado

    de Não-Proliferação Nuclear. Em 1974, o país realizou seu primeiro teste nuclear. No ano de 1998, testou ogivas e um plano de termelétrica. Em 2005, os Estados Unidos reconheceram o país oficialmente como um estado res-

    ponsável detentor de tecnologia nuclear. Em 2006, um acordo de coope- ração nuclear civil foi assinado entre o presidente George W. Bush e o primei- ro ministro indiano Manmohan Singh para tornar viável a venda dessa tecno- logia para a Índia.

    PAQUISTÃO O país também não é membro do

    Tratado de Não-Proliferação Nuclear e começou a desenvolver secretamente ogivas a partir dos anos 1970. Acredita-se que o Paquistão tenha autonomia em armas atômicas desde a década de 1980. Em 1998, o país fez um teste nuclear pela primeira vez, em resposta à experiência realizada pela Índia no mesmo ano.

    © 1

    >>

    C R I S E N U C L E A R

    OATUAL PRESIDENTE DA CORÉIA DONORTE, KIM JONG II, É FILHO DE KIM II SUNG, FUNDADOR DA CORÉIA DO NOR-

    TE COMUNISTA E EX-LÍDER GUERRILHEI-

    RO QUE, NA SEGUNDA GUERRA MUN-

    DIAL, LUTOU CONTRA OS INVASORES JA-

    PONESES. DESDE QUE ASSUMIU O

    PODER, EM 1994, TRÊS ANOS DEPOIS DA

    MORTE DO PAI, ELE SE MOSTROU UM

    LÍDER EFICIENTE, AINDA QUE EXCÊNTRI-

    CO E ENIGMÁTICO. ELE TEM TIDO SUCES-

    SO NA ÚNICA TAREFA QUE RESTA A SEU

    REGIME LEVAR A CABO: A PRÓPRIA

    SOBREVIVÊNCIA.

    KIM GARANTE SUA PERMANÊNCIA

    NO PODER GRAÇAS AO CONTROLE QUE

    MANTÉM SOBRE AS FORÇAS ARMADAS

    — UM CONTINGENTE DE 1,2 MILHÃO DE

    HOMENS —, TRANSFERINDO A ELES O

    GROSSO DOS RECURSOS OBTIDOS POR

    MEIO DO COMÉRCIO ILEGAL DE ARMAS,

    DROGAS E NOTAS FALSAS DE DÓLAR,

    POR EXEMPLO, ALÉM DA AJUDA FINAN-

    CEIRA QUE ARRANCA DA COMUNIDADE

    INTERNACIONAL. KIM ESTÁ INTERESSA-

    DO NO DINHEIRO. MAS ESTÁ AINDA MAIS

    INTERESSADO NUMA SITUAÇÃO QUE LHE

    GARANTA SOBREVIVÊNCIA DE LONGO

    PRAZO. PARA ISSO, HÁ MAIS DE 20 ANOS

    A CORÉIA DO NORTE VEM CHANTAGEAN-

    DO A COMUNIDADE INTERNACIONAL,

    ESPECIALMENTE OS EUA, PARA GARAN-

    TIR SUA SOBREVIVÊNCIA. O PROJETO

    NUCLEAR É A MAIS PERIGOSA DESSAS

    CHANTAGENS.

    UM MALUCO COM A BOMBA? Kim Jong II: chantagem e excentricidade

    ESPERANÇA REPRESENTANTES DE

    JAPÃO, CORÉI A DO SUL, CORÉIA DO NORTE E RÚSSIA CELEBRAM O FECHAMENTO DO REATOR DE YONGBYON,

    NA CORÉIA DO NORTE

    O TAMANHO DA ENCRENCA ARSENAL NUCLEAR GLOBAL

    RÚSSIA..............................15.000 OGIVAS EUA...................................10.000 OGIVAS CHINA...............................402 OGIVAS FRANÇA............................348 OGIVAS INGLATERRA.....................200 OGIVAS ISRAEL..............................DE 75 A 200 OGIVAS ÍNDIA................................DE 40 A 50 OGIVAS PAQUISTÃO.......................DE 50 A 60 OGIVAS CORÉIA DO NORTE.............10 OGIVAS

    © 1

    nuclear.qxd 6/4/07 1:53 Page 68

  • G A L I L E U E S P E C I A L V E S T I B U L A R 2 0 0 7 6 9

    M U

    N D

    O

    AMEAÇA AO LÍDER MILITAR? Pesquisador diz que, em termos tecnológi- cos, a liderança dos EUA continua inabalável

    N o livro “War Made New — Technology, Warfare, and the Course of History — 1500 toToday” (Guerra Renovada -Tecnologia, Combate e o Curso da História — De 1500 até Hoje), o historiador Max Boot examina como a guerra e a tecnologia andam juntas. E faz um alerta: os EUA podem perder a liderança bélica.

    Galileu Vestibular - Em termos tecnológicos, onde a liderança militar americana é mais ameaçada? Max Boot - A liderança americana em alta tecnologia segue inabalável.

Recommended

View more >