quo vadis cplp? plantas e rainhas dez jbt hic et nunc 1 • na esteira dos jardins botânicos...

Download QUO VADIS CPLP? PLANTAS E RAINHAS DEZ JBT HIC ET NUNC 1 • Na esteira dos jardins botânicos pombalinos

Post on 10-Feb-2019

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

QUO VADIS CPLP? PLANTAS E RAINHAS DEZ ANOS DEPOIS DA CRISE

Jorge Braga de MacedoCG&G/NOVASBE, Academia das Cincias de Lisboa, Acadmie Royale de Belgique,

Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Liga de Amigos do Jardim Botnico Tropical

Jardim Botnico Tropical, 15 de Setembro de 2018

QUO VADIS CPLP? PLANTAS E RAINHAS DEZ ANOS DEPOIS DA CRISE

Jardim Botnico Tropical, 15 de Setembro de 2018

Agradeo a presena do diretor da LAJBT e comentrios de Cristina Duarte (ex-diretora do JBT) e outras scias da LAJBT, Ana Cannas, Conceio Casanova e M.M. Romeiras (co-autoras de IICTsInterdisciplinary legacy: TropiKMan, CORES, AHU & JBT, Maro 2018), sem as responsabilizar.

Draft 13 Set

PERGUNTAR PELA PERTENA COMUM NO OFENDE Em 1996, depois de longa gestao, a I Cimeira da Comunidade dosPases de Lngua Portuguesa assentou a pertena comum aspiracionalna amizade mtua dos signatrios reunidos no CCB. Notei ento osciclos de liberdades e pertenas desde que Portugal deslocalizou acapital para o Brasil em 1808 (so relembrados no anexo) e viria aafirmar que a globalizao melhora a governao. Porm, s depois de edificada a pertena comum podia caber CPLPvigiar falhas nas liberdades e pertenas prprias dos seus membros! Em 2006, a VI Cimeira, em Bissau, abordou os Objectivos deDesenvolvimento Sustentvel (do Milnio at 2015) em termos tanto deCincia & Tecnologia como Negcios. No respeito das culturas prprias: apelou ao melhor conhecimento mtuo (#16/17 dos

considerandos) das economias e sociedades; convocou a Associao das Universidades de Lngua Portuguesa

(AULP) e a Confederao Empresarial da CPLP (#7/8 da declarao).

DIVERSIDADE DA LUSOFONIA = REINO SUBLIMADO? A primeira estrofe lusada (E entre gente remota edificaram novo

reino, que tanto sublimaram) antev o esprito da lusofonia? Parece que sim! Posto que difcil de traduzir (ex: forcd their way to

the fair kingdoms of the rising day, Mickle, 1798), o singular reino transparece em tantos livros e exposies, c dentro e l fora, por ex: As Plantas na Primeira Globalizao, IICT, 2007 capa (exposio

durante a Presidncia da EU, resumo de A Aventura das Plantas, IICT, 1992 levada a todo o mundo, por ltimo Pequim, 2013),

Futuro e Histria da Lusofonia Global, IICT, 2008 capa, Viagens e Misses Cientficas nos Trpicos 1883-2010, IICT, Volta do Globo (Washington e Bruxelas, 2007/08), Senhores do Oceano (Moscovo, 2017/18).

CPLP, CECPLP, AULP, etc. combinam-se com comunidades locais de lngua portuguesa dispersas dentro dos nove pases membros, todos costeiros - e em tantos outros - para revelar a diversidade da lusofonia s maiores economias do mundo, agrupadas no G20.

15/09/2018@JBT HIC ET NUNC 1 Na esteira dos jardins botnicos pombalinos em Lisboa, o do Rio de Janeiro, fundado em 1808, ter inspirado o de Aburi, no Gana, de 1890, que a Ranha Isabel II visitou em 1961 (foto). A lusofonia cientfica nasceu nas vsperas da Conferncia de Berlim, atravs da Comisso de Cartografia, depois IICT. JBT nasceu em 1906, foi transferido para Belm em 1912, passou para IICT em 1973, MUHNAC em 2015. O Jardim Botnico Tropical beneficiou de: acordo de IICT com CPLP em 2004, criao duma Liga de Amigos em 2005. Aqui apetece perguntar pela pertena comum lusfona, ao servio do bem comum global. Alis, o Presidente Lula ia visitar As Plantas na 1 G por ocasio da I Cimeira UE-Brasil em 2007!

Magnum LON125868

15/09/2018@JBT HIC ET NUNC 2 O tempo tambm propcio porque faz 10 anos que faliu Lehman Brothers seguindo-se uma crise financeira global, a primeira desde 1929. De todas as perguntas, fica a da Ranha Isabel II na London School of Economics: como que ningum reparou?.De todos os juzos, fica o de Lula ao Primeiro Ministro britnico Gordon Brown enquanto presidia ao G20: essa uma crise branca, de olhos azuis. Logo a Academia Britnica escreveu uma Carta RainhaIsabel II a denunciar polticos para os quais os banqueirosso engenheiros. Quase sugeriram encarreg-la da superviso financeira (FSA, caricatura do Guardian). Mas (lembra Tett, Financial Times) silos no saber e no

fazer voltaram a propsito de escndalos na indstria automvel alem. Mantendo a forma de Carta Ranha, scios lusfonos e estrangeiros da ACL (em parceria com IICT e CG&G) alargaram a abordagem britnica Cincia & Tecnologia e ao grande Sul em 2013 e Energia em 2015.

ESCREVER A RANHAS ENQUANTO PROSSEGUEM CRISES, IICT, 2 ed., 2015 https://run.unl.pt/handle/10362/14560

O Atlntico norte foco nico da Carta Rainha Isabel II sobre a crise de olhos azuis (que Renato Flores assimila queda de Constantinopla, p. 51ss).

Nessa linha, ocorre citar duas outras Cartas que, em nome do bem comum, apelam converso de soberanos vitoriosos:

Maom II (1461), pelo Papa Pio II, a seguir queda de Constantinopla (no seguro que tenha sido recebida e ficou sem resposta);

Isabel I (1562), pelo Bispo de Silves D. Jernimo Osrio, durante o Conclio de Trento (iniciativa contestada por Walter Haddon, Juz, em Carta a Dom Sebastio).

CARTA RANHA LUSFONA: ESBOO E JUSTIFICAO, NOVA SBE WORKING PAPER #611, 2017

Em Setembro de 2008, Jean-Pierre Contzen (1935-2015), daAcadmie Royale de Belgique,negociou em nome de MarianoGago (1948-2015) umaDeclarao de Lisboa sobre C&Tpara o Desenvolvimento Global assinaram CPLP, Consultative Group forInternational Agricultural Research, IICT, etc. Os novediassobrecartas, bemcomo uma publicao para oPapa por ocasio do centenriode Ftima, levaram a este texto.

MELHOR PARTILHA CIENTFICA E CULTURAL? Tal como Declarao de Lisboa (alargada margem

da 1 reunio do CGIAR em Maputo) reforou reunies ministeriais de C&T na CPLP; dois novos Ph.D. iniciados no IICT pela Fundao C&T ajudam: Tropical Knowledge and Management TropiKMan oferecido por NOVA SBE,

ISA/ULisboa, IHMT/UNL, UEM, UNICV, UJES (Angola) e UPretoria Conservao e Restauro CORES oferecido por Faculdade C&T/UNL.

Falta aos BRICS vigilncia quer da OCDE quer do APRM (Mecanismo Africano de Apreciao pelos Pares).

Argumentrios: Previso e juzo em sistemas complexos: globalizao liberta aproximando? (arrabida.pdf), Se a globalizao liberta aproximando, pode libertar a lusofonia? (amadora.pdf)

Eventos: Centenrio de Antonio Braz (28/07/17, pgina seguinte); Morishima Morita, Pearl Harbor, Lisboa, Tquio (12/09/17); Xavier de Figueiredo, O ltimo Ultramarino (05/06/18); Centenrio de Nelson Mandela (Reitoria UNL, previsto para 05/12/18).

CABO VERDE PODE OFERECER LUSOFILIA A XII Cimeira, em Cabo Verde, acolheu mais observadoresassociados, incluindo a Organizao de Estados Ibero-Americanos para a Educao, a Cincia e a Cultura. Tendo em conta os 9 membros, junta 11 pases europeus, 9africanos, 4 sulamericanos e 2 asiticos. Passou a reunir 7membros do G20 (Argentina, Brasil, Frana, Itlia, Japo,Reino Unido e Turquia), o que dever ter implicaes para oSecretariado-Executivo para alm da lusofonia energtica. Dez anos depois de Miguel J. Rodrigues (1948-2016) terlanado Histria e Futuro da Lusofonia Global paracomemorar o 125 aniversrio da Comisso de Cartografia,lembre-se que, em 2012, se leu numa revistaquintessencialmente britnica que o mundo precisava de abit of lusophilia: s faltou mesmo citar historiadores do IICT!

ANEXO: PORTUGAL NA GLOBALIZAO Com o reino sublimado, Portugal abriu a primeira vaga daglobalizao, deslocalizou a capital para o Brasil em 1808, antes da segunda e aderiu ao padro-ouro em 1854 e 1931, no ocaso do esterlino. Na pax americana, foi fundador da OECE, NATO e EFTA. Ps 1974, apostou na UE (1992) e no . Em http://www.jbmacedo.com/papers/domluis.pdf vem a periodizao baseada em anos definidores (revolues e mudanas de regime cambial para as liberdades dos cidados e medidas de poltica externa europeia e lusfona para as pertenas) aqui diagonalizada em ciclos virtuosos e viciosos. Entre 1808 e 2018 h 96 anos bons (46% do perodo) e 115 anos maus mas contando a partir de 1854, os anos maus passam a 68 (41% do perodo), incluindo perodos de restrio to diversos como 1911-60; 1977-89 e 2009-14.