projeto recover

Download Projeto recover

If you can't read please download the document

Post on 23-Jun-2015

228 views

Category:

Education

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. PROJETO RECOVER SENAC - Servio Nacional de Aprendizagem Comercial

2. Componentes Ana Luisa Pinto do Rosrio Caroline Andressa Fell Donatto Diego Azambuja Gonchoroski Jaqueline Viera Soardi Jenifer Friedrich Malaquias Laura MallmannMarcht 3. Objetivo Promover uma segunda chance aos dependentes qumicos, buscando incentivos para a reconstruo no apenas da vida econmica, mas tambm social.Visamos atravs de programas e projetos de interveno e conscientizao mostrar o quo necessrio se mostra a adeso do projeto. Queremos mostrar o quo difcil a reabilitao e a reinsero dessas na sociedade como, por exemplo, o preconceito que dificulta o processo. 4. Justificativa As drogas no so novidades em nossa sociedade. As consequncias dessas so muito visveis nos chamando ateno ao problema. Vrias pessoas de diferentes classes sociais so vtimas delas. Pretendemos criar essa ONG para atender s dificuldades de dependentes qumicos em recuperao para recomear sua vida no meio social, pois ao terminarem seu tratamento so deixados margem pelas clnicas ou centros de recuperao, e seguem dali em diante por si prprio, e por isso ocorrem tantas recadas. 5. Justificativa uma doena qumica: Pelo fato de que a dependncia provocada por uma reao qumica no metabolismo do corpo. O lcool, embora a maioria das pessoas o separe das drogas ilegais, uma droga to ou mais poderosa em causar dependncia em pessoas predispostas, quanto qualquer outra droga, ilegal ou no. (http://www.clinicamaia.com.br/o-que-e-dependencia- quimica.php) 6. Justificativa No ranking dos grupos mais repudiados no Pas, de acordo com pesquisa publicada em fevereiro de 2009 pela Fundao Perseu Abramo, os usurios de drogas aparecem em segundo lugar no grau de averso, perdendo apenas para os ateus. Entre as pessoas que o brasileiro menos gostaria de encontrar na rua, viciados em drogas aparecem em primeiro lugar, na opinio de 35% dos entrevistados... 7. Justificativa O preconceito contra o usurio de drogas acentuado pela escalada da violncia relacionada ao trfico, destacada pela mdia. Muitas pessoas acreditam que todo usurio de droga est ligado ao crime. (http://maringa.odiario.com/maringa/noticia/215907/prec onceito-contra-usuario-de-droga-e-o-segundo-no- ranking/) 8. Justificativa A Consolidao das Leis do Trabalho (CLT) estabelece que o empregado que comparece embriagado de forma habitual ao servio, ou que de algum modo prejudique suas tarefas, pode ser demitido por justa causa. Esse dispositivo obviamente alcana o uso de outras drogas alm do lcool.Mas a Justia do Trabalho recomenda ao empregador que verifique se essa situao no consiste em uma dependncia qumica, pois a dependncia uma doena. Nesse caso, o trabalhador no pode ser demitido, mas o afastado do trabalho para tratamento de sade com encaminhamento para o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). (http://jus.com.br/revista/texto/21560/a-dependencia-quimica- e-as-relacoes-de-trabalho) 9. PLANO DE AO O plano viabiliza condies suficientes para no apenas livrar o usurio do vcio e sim reabilitar toda sua estrutura mental, proporcionando um local que oferea atividades que estimule o fsico e que d apoio psicolgico, dando suporte com cursos tcnicos que prepare o dependente para os desafios do mundo do trabalho. 10. PLANO DE AO Primeiramente, pretendemos atuar em duas escolas na forma de palestras, conscientizar os jovens sobre a verdade, as consequncias e os desafios dirios dos dependentes qumicos, seja qual for o motivo que levou a pessoa a usar drogas. Aps, fazer uma pesquisa para mostrar quantas pessoas cada jovem conhece que seja dependente qumico e relacionar com a condio econmica da escola. 11. PLANO DE AO Aps, iremos criar uma casa de atendimento baseado nos dados. Estrutura fsica: Casa RECOVER: Possu cinco quartos, um salo para recreao e recepo, banheiros masculinos e femininos, um refeitrio com cozinha e um hall de entrada seguido por um ptio que possibilite as atividades recreativas. 12. PLANO DE AO A casa ser uma doao da empresa Kepler que optou pela doao ao notar que possua dependentes qumicos em seu ambiente de trabalho. Seu funcionamento ser de s 8h at as 19h, deixando a sua recepo sempre aberta para pronto atendimento. Os cinco quartos constituiriam salas com materiais como: cadeiras, colchonetes, quadros negros, gizes, apagadores. Os materiais so necessrios para que as aulas aconteam de forma simples e sinttica. A doo ser feita pelo MEC, em parceria com o projeto Mais Educao. 13. PLANO DE AO O salo para recreao precisa de sofs, carpetes, uma escrivanhia, um computador para armazenar e catalogar todas as atividades realizadas pela ONG, uma TV, uma babona de gua, trmicas e copos descartveis. Os materiais anteriormente citados so para a obteno de um ambiente mais acolhedor, que seja capaz de tranquilizar o paciente e que receba os familiares de forma mais segura no esquecendo que os registros da ONG so importantssimos para a sua homologao na sociedade. 14. PLANO DE AO Os materiais para constituir o salo sero doao de Felipe Neto Teixeira, que por ter visto seu irmo morrer pelo vcio, se sensibilizou com a causa. Cada banheiro necessita de quatro reparties, sendo assim: quatro sanitrios, quatro pias, saboneteiras, quatro porta-papel higinico, e porta- papel toalha. Doao das Lojas Frisbe. O refeitrio necessita de mesas grandes, bancos, panelas, talheres, pratos, panos, pias com torneiras e todo material necessrio para constituir-se e ser doado pelas Lojas Columbias. 15. PLANO DE AO Os banheiros e o refeitrio necessitam de manuteno constante. necessrio promover eventos que arrecadem o dinheiro necessrio para essa manuteno, os eventos podem ser: rifas, festas, mutires, brechs, barraquinha de vendas e etc. As contas de gua, luz e telefone tambm sero pagas com os eventos beneficentes. A limpeza ser feita por pessoas voluntrias ou ainda por alguma servente que receba pelo dinheiro tirado dos eventos. 16. PLANO DE AO Para podermos dar suporte ao dependente qumico, precisamos de profissionais especializados em diversos temas importantes para a construo de um ambiente agradvel de aprendizagem: Psicologia, fsica fisiolgica, nutrio, hipnose, dana, expresso corporal (teatro), assim como o ensino bsico: portugus, matemtica, ingls e informtica. 17. PLANO DE AO As aulas baseiam-se em: Apoio psicolgico: sero procurados profissionais especializados na rea de dependncia qumica, que se voluntariem para explicar as causas que levaram a pessoa a tornar-se dependente qumica e como funciona, fazendo a pessoa a reconhecer o problema e como enfrent-lo de forma saudvel. 18. PLANO DE AO Em um dos quartos ser montada uma sala especialmente para o atendimento psicolgico e hipntico, com cadeiras adaptveis e todo material necessrio para manter o paciente mais estvel possvel. A doao dos mveis ser feita pelas Lojas Bem-te-vi. Os psiclogos podem ser acadmicos do curso de psicologia da Uniju assim como profissionais j formados que trabalhem na rea e se voluntariem para o processo. 19. PLANO DE AO Fsica fisiolgica: como bem sabemos, o exerccio fundamental ao ser humano para uma melhor condio fsica e disposio no trabalho. O exerccio fsico ser incentivado para que a condio psicolgica do indivduo se assemelhe a condio fsica, assim contribuindo para a energia e motivao. 20. PLANO DE AO Ser montada em um dos quartos, uma academia com aparelhos bsicos como: bicicletas ergomtricas, esteiras, aparelhos para ginstica localizada e para exerccios aerbicos. A doao dos aparelhos ser feita pela Academia Dell e o acompanhamento profissional ser feito por acadmicos do curso de Educao Fsica da Uniju. 21. PLANO DE AO Nutrio: aps esse perodo de uso de drogas, os dependentes tendem a buscar conforto em outras coisas, como a bebida, o cigarro e assim como tambm a comida. necessrio ento que haja um controle sobre o que se deve comer e como comer, para que no se perca os bons hbitos alimentares para ter uma vida mais longa e com uma qualidade melhor. 22. PLANO DE AO Hipnose: como dito antes, o quarto separado para o atendimento psicolgico ser o mesmo para a recepo dos pacientes com um maior nvel de dependncia. Acreditamos na medicina alternativa. Nosso subconsciente responsvel pela maioria de nossas aes. O estado hipntico uma condio mental em que o crebro apresenta alta atividade psquica. uma arma teraputica poderosa, porque a pessoa pode se desligar da realidade e at ver imagens que no existem. Hipnoterapeuta Odair Jos Comin, de So Paulo. 23. PLANO DE AO A sesso ser controlada pela hipnoterapeuta Denise Rosa, para aqueles que esto em um nvel mais avanado de dependncia. 24. PLANO DE AO Dana: em outro quarto, ser feito um salo de dana com espelhos e outros aparelhos necessrios, doados tambm pela Academia Dell. A dana influencia muito no potencial fsico e mental, com o acompanhamento do treinamento fsico, a dana entra melhor em ao assim auxiliando o esprito. 25. PLANO DE AO H uma queda na produo do hormnio adrenalina e um aumento do hormnio endorfina, o que gera a sensao de prazer. Mais prazer e auto-estima elevada ajudam a afastar a depresso e a ansiedade, reduzindo a presso. Tales de Carvalho na Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). As aulas de dana sero administradas por acadmicos do curso de Educao Fsica da Uniju. 26. PLANO DE AO Expresso corporal (teatro): para aprender a lidar com o preconceito explcito da sociedade, sugerimos a adeso da expresso corporal. Alm de aprender a dominar a timidez, com o teatro conseguimos vrias outras coisas que podemos levar para a vida toda. Por exemplo, a concentrao, o conhecimento sobre seu prprio corpo, o controle sobre certas emoes, o equilbrio, a perda do medo de falar em pblico, uma melhor capacidade de expresso e comunicao, alm claro da perda do medo do que pensam de voc. A autoconfiana. (http://spectromgm.wordpress.com/2010/09/14/os-beneficios-do- tea