Ética e prevenção da violência - universo10 | just ...· fonte: edgar morin, o paradigma perdido

Download Ética e prevenção da violência - Universo10 | Just ...· Fonte: Edgar Morin, O Paradigma Perdido

Post on 03-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Cooperao

    Parte II

    Biologia do Conhecer

    Jos Romo Trigo de AguiarAssociao Palas Athena

  • Nossas bases

    Quem de quem?

  • O que vida?

    Como explicar o sucesso da vida neste planeta?

  • Universo ..............................................14 bilhes de anos

    Galxia ............................................... 7 bilhes de anosTerra ..................................................5 bilhes de anos

    Vida .................................................3,5 bilhes de anos

    Vertebrados .......................................600 milhes de anos

    Rpteis .............................................300 milhes de anos

    Mamferos ..........................................200 milhes de anos

    Antropides .........................................10 milhes de anos

    Homindeos ............................................4 milhes de anos

    Homo Sapiens ...................................160 mil a 100 mil anos

    Cidade, Estado ..............................................10 mil anos

    Filosofia ......................................................3.500 anos

    Fonte: Edgar Morin, O Paradigma Perdido a natureza humana, modificado por Romo

  • Origem da Vida

    Raios ultra-violetasRaios gamaDescargas eltricasImpactos metericosExploses vulcnicas

    Diversidade molecular

    Molculas orgnicas

    Diversidade de reaes

    qumicas

  • Reaes qumicas que refaziam seus prprios componentes e que se auto-limita:

    AUTOPOIESE

  • Autopoiese

    No produz um produto;

    Produz-se continuamente a si mesma;

    Sua estrutura est sempre se modificando. Fluxo de matria e energia.

  • Autopoiese e RelacionamentosEstabilidade x Imobilidade

    A vida esta sempre se transformando e encon- trando novos nveis de organizao (auto-organizao)

    Nos relacionamentos estamos sempre nos mo-dificando e sempre em busca de novas formas de AUTO-organizao (fomentar processos que facilitem este fluxo)

  • Seres Vivos

    Redes de interaes mo-leculares que produzem a si mesmo e especificam seus limites

  • O que isto significa?

    Cooperao O todo maior que a soma das partes

    AutonomiaQuem determina a mudana a estrutura, ela quem configura o mundo. A motivao sempre endgena

  • E a relao com o meio?

    Dependncia x Submisso

    INTERDEPENDNCIA

  • Acoplamento EstruturalA dinmica relacional catalisa, seleciona as mu-danas. A relao que impulsiona a mudana numa ou noutra direo

    Ningum muda ningum e tambm ningum muda sozinho. Ambos se modificam JUNTOS, na relao

    Convite para prestarmos mais ateno em ns e para a co-responsabilidade.

  • Cooperao?

    Na dimenso do vivo fica difcil compreendermos a cooperao sem interlig-la com uma srie de outros conceitos:AutonomiaInterdependnciaRelao

  • E a relao com outros seres vivos?

    O que vai acontecer com a convi-vncia recorrente entre eles?

  • Endossimbiose

  • Protistas - Eucariontes

  • Seres metacelulares

    Redes de interaes celulares que produzem a si mesmas e especificam seus prprios limi-tes.(Unidades autopoiticas de 2a ordem)

  • O que isto significa?

    Cooperao O todo maior que a soma das partes

    Jogo de ganha x ganha

    Hierarquia x Holarquia

    Cooperao em rede x linha de montagemResponsabilidade por si e pelo todo

  • A endossimbiose e a metacelularidade so expresses do Acoplamento Estrutural

  • O que sobrevivncia?

    Em biologia?

  • Acoplamento Estrutural

    Adaptao:Conjunto de caractersticas que contribui para a sobrevivncia e reproduo de uma determinada espcie num determinado meio

    a compatibilidade entre meio e ser vivo

  • Acoplamento Estrutural

  • O que sobrevivncia?

    manter a autopoiese, conservando a adaptao.

    Palpitar da Vida: manter a capacidade de nos autoproduzir, modificando-nos autno-ma e sabiamente em funo dos estmulos que recebemos.

  • Acoplamento Estrutural

    Adaptao a compatibilidade que observamos entre meio e ser vivo, onde ambos se modificam na interao.

    No acomodao, nem submisso

    No h imutabilidade do meio (impotncia)

  • Como acontece este processo chamado evoluo?

    Seleo Natural o que ?

  • Acoplamento EstruturalSeleo Natural, falsas idias:

    Relaes instrutivas do meio = modificamos o outro.Poder sobre e poder para

    Sobrevive o mais apto (justificativa da competio)

  • E dentre estes diversos mundos, qual o verdadeiro?

  • Verdade

    Uma verdade, um conhecimento surge na relao com o outro e sua validade fica restrita queles que a comparti-lham.

  • Que fazer se estamos em oposio a outro ser humano?

    Lembrar que o nosso ponto de vista, depende da nossa estrutura; e esta depende do AE, da histria dos nossos relacionamentos. Assim tambm com nosso opositor

    Precisamos ampliar nossa compreenso e satisfazer uma das mais profundas aspiraes da Vida: Viver Conhecer

    Nossas certezas advm da histria de nossos relacionamentos, to s! A realidade o reflexo do nossos pensamentos e aes, das nossas formas de viver/conviver e do paradigma onde estamos inseridos

  • Quando nos apropriamos da Verdade:

    Projetamos nossa sombra;Encontramos desculpas e justificativas para nossos erros e limites;Nossa escuta fica comprometida: ouvimos para confirmar nossas certezas e negamos o resto;Simplificamos e generalizamosDominao

  • Cooperao?Na dimenso do vivo fica difcil compre-endermos a cooperao sem interlig-la com uma srie de outros conceitos:AutonomiaInterdependnciaRelaoHolarquiaDiversidadeAprendizagem

  • A vida parou nos pluricelulares?

  • Grupos

    Redes de interaes recprocas de seres vivos, que produzem a si mesmos e especificam limites.

    (Unidades autopoiticas de 3a ordem)

    O todo maior que a soma das partes

  • Fenmeno Social

    Co-responsabilidade

    Qualidade do ato x efeito que ele causa

    Importncia do contexto

  • O que em essncia, permite a criao de um mundo junto com outro e assim realizarmos nossa ontogenia e nossa filogenia?

    Como se chama este ato de ampliar nosso domnio cognitivo diante da diferena?

    Qual o pr-requisito para que haja fen-meno social?

  • Legitimao do Outro

    AMAR

    AMOR o anseio biolgico que nos faz aceitar o outro ao nosso lado, sem razo, com todas as suas diferenas, sem exigncias, pois se no lhe negaramos a responsabilidade

    Maturana

Recommended

View more >