vol2 linguaestrangeira

Download Vol2 linguaestrangeira

Post on 25-Jan-2017

135 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • LnguaEstrangeira

  • Lngua EstrangeiraLngua EstrangeiraLngua EstrangeiraLngua EstrangeiraLngua Estrangeirana Educao de Jovens e Adultosna Educao de Jovens e Adultosna Educao de Jovens e Adultosna Educao de Jovens e Adultosna Educao de Jovens e Adultos

    A relao de interdependncia das economias dos pases cada vez maior, eo conhecimento de lnguas estrangeiras torna-se imprescindvel para

    desenvolver e ampliar as possibilidades de acesso ao conhecimento cientfico

    e tecnolgico produzido. Para exercer a cidadania, necessrio comunicar-se,

    compreender, saber buscar informaes, interpret-las e argumentar.

    A aprendizagem de lnguas estrangeiras, compreendida como um direito

    bsico de todas as pessoas e uma resposta a necessidades individuais e sociais

    do homem contemporneo no s como forma de insero no mundo do

    trabalho, mas tambm, principalmente, como forma de promover a participao

    social , tem papel fundamental na formao dos jovens e adultos. A lngua

    estrangeira permite o acesso a uma ampla rede de comunicao e grande

    quantidade de informaes presentes na sociedade atual.

    Uma importante contribuio da Lngua Estrangeira na escola , assim,

    ajudar a interpretar o quadro poltico e social composto pela mdia, bem como

    a compreender tanto as culturas estrangeiras quanto a prpria cultura, com as

    diferentes formas de expresso e de comportamento.

    O ensino de Lngua Estrangeira tem portanto um papel importante na

    formao interdisciplinar dos alunos jovens e adultos, na medida em que

    contribui para a construo da cidadania e favorece a participao social,

    permitindo que ampliem a compreenso do mundo em que vivem, reflitam

    sobre ele e possam nele intervir. Por outro lado, o desenvolvimento

    lingstico dos alunos ajuda-os a aperfeioar a leitura e a escrita, bem como

    a compreender as estruturas lingsticas e discursivas inclusive da lngua

    materna.

  • 68

    Para a aquisio de novos saberes, o professor deve valorizar os

    conhecimentos prvios dos alunos, pois a partir da eles podero construir

    concepes mais elaboradas, sistematizadas pelo trabalho escolar.

    Especificamente no contexto da EJA, o ensino de Lngua Estrangeira amplia as

    possibilidades de ascenso profissional, as opes de lazer, o interesse pela

    leitura e pela escrita e a percepo da escola como um contexto para a

    constituio da identidade do aluno.

    Contribuio profissional Alm de ampliar o acesso a novos conhecimentos,

    disponveis apenas em outras lnguas, contribui para desenvolver instrumentos

    lingsticos que facilitem situaes de consulta a classificados, redao de

    currculos, leitura de manuais da rea, entrevistas de emprego etc.

    Alternativa de lazer Proporciona uma perspectiva mais abrangente de

    situaes de lazer, permitindo que os jovens e adultos possam tirar maior

    proveito da leitura de livros, jornais e revistas, compreender melhor filmes,

    telejornais, documentrios, entrevistas, novelas etc. Alm disso, aumenta a

    amplitude do universo esttico, pela leitura de diferentes obras no

    necessariamente na lngua estrangeira, mas tambm em tradues.

    Leitura e escrita Desenvolve o interesse pela leitura e pela escrita, ao propor

    textos compatveis com os interesses e as necessidades dos alunos artigos de

    jornais e revistas, textos educativos e cientficos e livros variados compem a

    base para uma percepo mais crtica da realidade, ao mesmo tempo que servem

    de insumo para os alunos elaborarem novos textos.

    A escola atua como espao para a constituio da identidade, ao ajudar o

    aluno a se perceber como integrante de uma comunidade lingstica. A

    perspectiva de ensino e aprendizagem em Lngua Estrangeira, voltada para o

    uso da linguagem em contextos comunicativos, serve de base para atividades

    de sala de aula que contem com a participao do aluno com seu apoio e sua

    contribuio na construo do conhecimento do outro, seus questionamentos

    sobre a importncia do que est aprendendo e uma atuao mais informada

    no mundo. Isso tudo lhe permite encontrar na escola um espao que lhe abre

    novas perspectivas de si mesmo. O aluno tem a chance de participar da

    elaborao conjunta do conhecimento, usando sua prpria histria como fonte

    e como objetivo de aprendizagem. A forma de compreender e produzir textos,

    em um contexto social crtico mais amplo, fundamental para seu

    desenvolvimento como cidado.

  • 69

    LN

    GU

    A E

    STR

    AN

    GE

    IRAOs professores de EJA

    e o ensino de Lngua EstrangeiraNo levantamento realizado junto s secretarias de educao, apresentado

    no Volume 1 desta publicao, as respostas dos professores apresentaram alguns

    pontos de grande relevncia para uma reflexo inicial sobre as teorias que

    fundamentam o ensino de Lngua Estrangeira na EJA.

    Constatou-se que predominam as aulas essencialmente expositivas,

    pautadas em material apostilado e em livros didticos, tendo como contedo

    tpicos como: cumprimentos; dias da semana, meses; profisses; cores; verbos

    to be e to have; pronomes pessoais; nacionalidades; nmeros; artigos; adjetivos;

    preposies; formas interrogativas; respostas curtas.

    Os professores apontaram como irrelevante o trabalho com entrevistas,

    programao de tev, textos publicitrios, cartas, reportagens, classificados,

    poemas, editoriais de jornais, artigos jornalsticos, verbetes de dicionrios e

    enciclopdias, receitas, estatutos, declaraes de direitos. Afirmaram ainda

    utilizar estratgias como a leitura em voz alta pelos alunos e pelo professores

    e a traduo dos textos lidos.

    Essa perspectiva de ensino, marcada por um fator normativo e estvel,

    enfatiza os elementos da linguagem, sem relacion-los a contextos mais amplos.

    Opta pelo ensino de formas gramaticais, funcionais ou lexicais descontextualizadas,

    em oposio ao ensino de tipos textuais como entrevistas, classificados etc.

    Demonstra uma compreenso da lngua a partir das estruturas que a compem, e

    no das necessidades concretas de uso, desprezando a importncia da qualidade

    contextual da linguagem, seu carter histrico, evolutivo e transformador.

    Essa percepo monolgica do ensino da Lngua Estrangeira no leva em

    conta que todo encontro interacional marcado pelo mundo social, pela

    instituio, pela cultura e pela histria.

    A opo por ensinar um item lexical ou gramatical, um procedimento ou

    uma tcnica, e depois apresentar exerccios ou textos/tarefas, para verificar se

    os alunos so capazes de empregar o que lhes foi mostrado, revela a noo de

    que o aluno aprende por fixao, reproduo, repetio e imitao, sem se

    deparar com maiores desafios. Com essa metodologia, a maioria dos alunos

    aprende a aplicar a regra de forma mecnica, e nem sempre ser capaz de

    desenvolver procedimentos e estratgias de compreenso e produo de texto.

    Outro ponto a considerar a nfase nas aulas expositivas que, alm de no

    criarem espao para que o aluno aprenda o uso de linguagem em contextos

    comunicativos, revelam uma perspectiva de ensino e aprendizagem centrada no

    professor como o transmissor do conhecimento. Isso desvaloriza a parceria entre os

  • 70

    alunos, e entre estes e o professor, como um meio de aprender e aprender a aprender.

    Por outro lado, nos mesmos questionrios, os professores apontam tambm

    como importantes:

    o uso do conhecimento prvio e de mundo dos alunos;

    a reflexo sobre outras culturas, valores, hbitos e costumes;

    a compreenso da funo social do texto;

    o reconhecimento de diferentes tipos de texto com base em indicadores de

    organizao textual;

    a preocupao em ser compreendido e compreender, tanto na fala quanto

    na escrita;

    o reconhecimento de que as lnguas estrangeiras aumentam as

    possibilidades de compreenso dos valores e interesses de outras culturas.

    Assim, diferentemente das respostas discutidas mais acima, nesse caso h

    uma preocupao em entender a linguagem como meio de insero cultural,

    social e histrica. Parte-se de uma percepo de que a lngua se organiza em

    diferentes nveis (textuais, por exemplo), sempre com a preocupao de realizar

    uma ao no mundo (compreender e ser compreendido), e que a Lngua

    Estrangeira no serve apenas como decodificadora de idiomas, mas, sim, como

    a possibilidade de ingresso num universo cultural distinto. Alm disso, entende-

    se que a valorizao dos conhecimentos dos alunos, acumulados ao longo de

    suas histrias, fundamental para a aprendizagem de novas possibilidades de

    ao no mundo, proporcionadas pelos conhecimentos trabalhados na escola.

    Essas prticas escolares to diferenciadas apontam para a necessidade de

    procedimentos de reflexo contnuos do professor, pois, na maioria das vezes,

    suas posies se pautam pelo senso comum, e suas aes no refletem nem

    mesmo essas idias cristalizadas que afirmam praticar, perpetuando modelos

    que fizeram parte da constituio de suas identidades profissionais e pessoais

    enquanto alunos.

    A falta de espaos reflexivos mais bem organizados e preparados, por

    vezes, torna inacessveis ao professor as teorias que embasam suas aes e

    afirmaes, seja de modo consciente, seja inconsciente. Contudo,

    essencialmente pela percepo dessas teorias subjacentes s suas aes que

    eles podero realizar uma avaliao crtica de si, do papel de seus alunos e da

    adequao de sua prtica didtica s necessidades destes. fundamental,

    portanto, a discusso de como uma abordagem sociointeracional da linguagem

    e do ensino e apr