teia do teia dosabersaber - sites. 20-%2022-10... · um instrumento de racionalização da...

Download TEIA DO TEIA DOSABERSABER - sites. 20-%2022-10... · um instrumento de racionalização da atividade

Post on 19-Jan-2019

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • TEIA DOTEIA DO SABERSABER2005

    Fundao de Apoio s Cincias: Humanas, Exatas e Naturais

    Currculo de Cincias e Formao do Professor

    Profa. Dra. Noeli Prestes Padilha Rivas

    GOVERNO DO ESTADO DE SO PAULOSECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    DIRETORIA DE ENSINO - REGIO DE RIBEIRO PRETOAv. Nove de Julho no. 378 - Ribeiro Preto

    METODOLOGIA DE ENSINO DE DISCIPLINAS DA REA DE CINCIAS DA NATUREZA, MATEMTICA E SUAS TECNOLOGIAS DO ENSINO

    MDIO: FSICA, QUMICA E BIOLOGIA

    Material Pedaggico para uso do professorEVenda Proibida Coordenao GeralProf. Dr. Mauricio dos Santos Matos(16) 3602-3670 e-mail: teiadosaber@ffclrp.usp.br

    Acompanhe a programao pela internet: http://sites.ffclrp.usp.br/laife

    Curso II (Continuidade)

  • TEIA DO SABER 2005 Metodologia de Ensino de Disciplinas da rea de Cincias da Natureza, Matemtica e suas Tecnologias do Ensino Mdio: Fsica, Qumica e Biologia (Turma de Continuidade)

    Currculo de Cincias e Formao do Professor

    Profa. Dra. Noeli Prestes Padilha Rivas

    APRESENTAO DOS PROFESSORES RESPONSVEIS PELO MDULO DE ENSINO

    Profa. Dra. Noeli Prestes Padilha Rivas formada em Pedagogia, mestre em

    Currculo e doutora em Cincias, na rea de Currculo e Formao de Professores, pela Universidade de So Paulo. docente do Departamento de Psicologia e Educao da FFCLRP e responsvel pelas disciplinas de Didtica, Teorias do Currculo, Prticas de Superviso Educacional e disciplinas relacionadas com o Estgio Supervisionado, nos Cursos de Pedagogia e Licenciaturas de Psicologia e Qumica. Participa do L@ife - Laboratrio Interdisciplinar de Formao do educador da FFCLRP, desenvolvendo projetos de ensino, pesquisa e extenso na rea de formao de Professores. membro titular da Comisso Interunidades de Licenciatura da USP (CIL) e integra o Grupo de Estudos de Didtica e Formao de Professores, coordenado pela Dra. Selma Garrido Pimenta na Faculdade de Educao da Universidade de So Paulo. Pesquisa na rea de Currculo e Formao de Professores.

    mailto:L@ife

  • TEIA DO SABER 2005 Metodologia de Ensino de Disciplinas da rea de Cincias da Natureza, Matemtica e suas

    2

    Tecnologias do Ensino Mdio: Fsica, Qumica e Biologia (Tuma de Continuidade)

    APRESENTAO DAS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS

    Caro Professor:

    O Programa Teia do Saber representa um espao de formao contnua e nesse

    sentido a formao do professor sempre uma auto-interrogao porque as possibilidades nunca se esgotam. O professor nunca estar acabado e nunca dominar plenamente o seu percurso. neste contexto que se situa a nossa possibilidade.

    A temtica apresentada est presente no cenrio educacional. No plano das polticas educacionais, as propostas curriculares oficiais contemporneas tm sido claramente afetadas pela ideologia liberal, com base na qual se procura garantir efetividade, eficincia e produtividade aos processos pedaggicos. Por outro lado, so inmeras as propostas que se organizam, em muitos municpios com base em vises alternativas de sociedade, escola, currculo e avaliao. H, ainda, em todos esses casos, distintos fatores, entre os quais se destacam resistncias s propostas, que respondem por significativas diferenas entre elas o que delas se faz nas Secretarias de Educao e nas salas de aula.

    Este material contempla algumas idias sobre currculo e avaliao e se prope refletir sobre estas tendncias que perpassam a escola e a atividade docente.

    Apresenta, tambm, uma lista de referncias bibliogrficas que podem auxili-lo no aprofundamento dessa temtica.

  • TEIA DO SABER 2005 Metodologia de Ensino de Disciplinas da rea de Cincias da Natureza, Matemtica e suas

    3

    Tecnologias do Ensino Mdio: Fsica, Qumica e Biologia (Tuma de Continuidade)

    PRIMEIRA PARTE Currculo e Avaliao: Controvrsias e Desafios

    1.1. Breve trajetria histrica do currculo Currculo um conceito de uso relativamente recente entre ns, se

    considerarmos que as primeiras preocupaes com esta rea datam dos anos vinte.

    Encontramos no Novo Dicionrio Aurlio (1975) o significado de currculo: Vem do latin

    currculu atalho, ato de correr. Parte de um curso literrio ou Matria Constante de um

    Curso. A prtica a que se refere o currculo, no entanto, uma realidade prvia muito

    bem estabelecida por meio de comportamentos didticos, polticos, administrativos,

    econmicos, etc., dos quais se encobrem muitos pressupostos, teorias parciais,

    esquemas de racionalidade, crenas, valores, que condicionam a teorizao sobre o

    currculo. Sacristn (1998) nos alerta que necessrio termos uma certa prudncia inicial

    frente a qualquer colocao ingnua de ndole pedaggica que se apresenta como capaz

    de reger a prtica curricular ou simplesmente, racionaliz-la. A partir desta constatao,

    no ser difcil entendermos a variedade de linguagem.

    Grundy (1987) afirma que o currculo no um conceito, mas uma

    construo cultural. Isto , no se trata de um conceito abstrato que tenha algum tipo de

    existncia fora e previamente experincia humana. antes, um modo de organizar uma

    srie de prticas educativas (apud Sacristn, 1998, p. 14).

    As principais mudanas na educao bsica incidem, especialmente, em

    sua organizao curricular. Por isso, uma anlise acurada dessas diretrizes curriculares

    exige uma discusso preliminar sobre os fundamentos do currculo, isto , os temas

    centrais de uma discusso crtica sobre as relaes entre conhecimento, cultura e poder

    na educao. Para muitos professores, o currculo continua sendo um vocbulo confuso e

    impreciso, relacionado aos programas de ensino, aos contedos ou grade curricular. Em

    realidade, existe uma pluralidade de definies de currculo e cada uma delas pressupe

    determinados valores e concepes implcitas.

    Entendemos por currculo as decises educativas para a escola, pois um currculo pressupe sempre, uma resposta pergunta: o que ensinar, como e por que.

  • TEIA DO SABER 2005 Metodologia de Ensino de Disciplinas da rea de Cincias da Natureza, Matemtica e suas

    4

    Tecnologias do Ensino Mdio: Fsica, Qumica e Biologia (Tuma de Continuidade)

    Refere-se, portanto, ao conhecimento selecionado e organizado para ser transmitido-

    aprendido nas unidades escolares.

    Os primeiros estudos tericos no campo do currculo de origem norte americana

    foram influenciados pela abordagem tecnicista de natureza prescritiva (interessadas em

    indicar como elaborar um currculo) com base nas categorias de controle e eficincia

    social.

    Destaca-se, neste sentido, a obra de Ralph Tyler (1975) em que se verifica uma

    grande preocupao com o estabelecimento de objetivos educacionais e com a avaliao

    na mesma linha insumoproduto como se o processo educacional fosse passvel de

    previso certa. No modelo de Tyler o currculo visto como uma atividade neutra. Ele

    um instrumento de racionalizao da atividade educativa e seu desenvolvimento depende

    da qualidade, racionalidade e controle do planejamento. O pensamento de Tyler teve uma

    grande influncia nos estudos sobre currculo no Brasil tendo sido adotado como

    fundamento terico na organizao curricular do ensino de 1. Grau na dcada de 70.

    No ensino de Cincias encontramos quatro movimentos na rea de currculo: a) O ensino das verdades clssicas (dcada de 20 - a cincia apresentada como

    algo pronto e acabado. Os contedos a serem adquiridos pelos alunos encontram-

    se consolidados nos manuais de Cincias e, por serem universais e permanentes

    devem ser transmitidos de gerao a gerao atravs da correta explanao e

    slida fundamentao. A biografia dos grandes cientistas faz parte dos conceitos

    bsicos, assim como os experimentos apresentados aos alunos so reproduo

    dos experimentos feitos por esses cientistas. O seu mtodo de ensino centra-se na

    exposio, com forte erudio, memorizao, com base no questionrio e

    repetio, efetivada na prova de lpis e papel).

    b) A experincia pela experincia (dcada de 50) - os contedos sistematizados do

    lugar aos contedos espontneos. O pndulo vai da descrio terica da cincia

    para o experimento pelo experimento. As leituras, se necessrias, devem ter

    correspondncia imediata com a realidade vivida pelo aluno. Os alunos trabalham

    com uma lista de intenes que vo alm do contedo de Cincias e sugestes de

    experincias a serem feitas fora do ambiente de laboratrio e com materiais

    disponveis no seu ambiente imediato.

    c) A soluo de problemas pelo mtodo cientfico (dcada de 60) - a base do ensino

    da cincia o emprego, pelos alunos, e de forma acurada, dos processos de

    investigao cientfica, lidos aqui como os da cincia emprico-analtica, no estudo

  • TEIA DO SABER 2005 Metodologia de Ensino de Disciplinas da rea de Cincias da Natureza, Matemtica e suas

    5

    Tecnologias do Ensino Mdio: Fsica, Qumica e Biologia (Tuma de Continuidade)

    dos contedos de cincias. fundamental que o aluno saiba definir problemas e

    procurar meios para solucion-los, observar e medir, interpretar dados e formular

    generalizaes, construir, testar e rever um modelo terico. A estrutura

    substantiva, isto , o corpo de conceitos, leis, teorias, funciona como guia da

    investigao. Nesta proposta maximiza o valor do mtodo positivista.

    d) As unidades de trabalho com base na tecnologia educacional (anos 70) - o debate

    sobre o ensino de cincias centra-se na Psicologia da Instruo, no Behaviorismo.

    A operacionalizao de objetivos no nvel comportamental, explicitando as

    condies de sua realizao e os critrios pelos quais tal performance pode ser

    julgada o ponto de pa