relatÓrio de consultoria sobre - cbh rio das velhas ... das velhas... · unicelulares ou agregados

Download RELATÓRIO DE CONSULTORIA SOBRE - CBH Rio das Velhas ... das Velhas... · Unicelulares ou agregados

Post on 08-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • RELATRIO DE CONSULTORIA SOBRE

    CIANOBACTRIAS E SUA OCORRNCIA

    NO RIO DAS VELHAS

    ATO CONVOCATRIO 002/2014

    CONTRATO DE GESTO No 02/IGAM/2012

    Contratada:

    Profa. Dra. Alessandra Giani

    ICB/UFMG

    Colaborador:

    Dr. Daniel Albuquerque Pereira

    Setembro - 2014

  • 2

    SUMRIO

    1. Introduo e histrico ........................................................................ 3

    2. As cianobactrias: conceituao e caractersticas ............................. 5

    2.1 Floraes ..................................................................................... 5

    2.2 Cianotoxinas ................................................................................ 8

    3. As cianobactrias em corpos hdricos ao redor do mundo ............... 15

    4. A situao atual das cianobactrias no Rio das Velhas .................... 19

    4.1 Metodologia de anlise adotada ..................................................19

    4.2 Apresentao dos resultados ....................................................... 21

    5. Concluses: riscos presentes e futuros .............................................. 33

    6. Referncias bibliogrficas ................................................................

  • 3

    1. INTRODUO E HISTRICO

    Esta introduo se baseia inteiramente no texto do Ato Convocatrio (002/2014), que

    deu origem a contratao desta consultoria, para estudo das floraes de cianobactrias

    no Rio das Velhas, sendo uma verso resumida dele. Este texto foi copiado aqui, com o

    objetivo de se dar um histrico dos motivos que levaram realizao deste trabalho.

    O Comit da Bacia Hidrogrfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) foi o

    primeiro comit a ser criado no Estado pelo Decreto Estadual no 39.692, de 29 de junho

    de 1998 e sua atuao desse comit tem sido referncia no desenvolvimento de pesquisas,

    no aprimoramento e na implantao da gesto das guas em Minas Gerais e em outros

    estados.

    As linhas de ao do CBH Rio das Velhas, tem se dado por intermdio dos projetos

    hidroambientais e pelo apoio aos municpios na soluo de problemas de saneamento via

    a contratao de planos municipais e de projetos de saneamento. Outro significativo

    resultado da atuao do CBH Rio das Velhas relacionado gesto das guas est na

    adoo das Metas 2010 e 2014 como projetos estruturadores do Governo de Minas. As

    duas metas, propostas pelo Projeto Manuelzo, foram incorporadas ao Plano Diretor da

    bacia do Rio das Velhas e so atualmente o eixo condutor de um grande esforo da

    sociedade mineira na recuperao do Rio das Velhas e de seus principais afluentes.

    A Associao Executiva de Apoio Gesto de Bacias Hidrogrficas Peixe Vivo

    (AGB Peixe Vivo), uma associao civil, pessoa jurdica de direito privado, composta

    por empresas usurias de recursos hdricos e organizaes da sociedade civil, tendo como

    objetivo a execuo da Poltica de Recursos Hdricos deliberada pelos Comits de Bacia

    Hidrogrfica.

    A AGB Peixe Vivo foi criada em 15 de setembro de 2006 e equiparada no ano de

    2007 Agncia de Bacia Hidrogrfica, por solicitao do Comit da Bacia Hidrogrfica

    do Rio das Velhas. Composta por Assembleia Geral, Conselho de Administrao,

    Conselho Fiscal e Diretoria Executiva. Alm do CBH Rio das Velhas, a AGB Peixe Vivo

    participou e venceu o processo de seleo para escolha da Entidade Delegatria das

  • 4

    funes de Agncia de guas do Comit da Bacia Hidrogrfica do Rio So Francisco

    (CBHSF).

    O rio das Velhas o afluente que recebe a maior descarga urbana e industrial de toda

    a bacia do Rio So Francisco. Esta regio, que abrange o quadriltero ferrfero, recebe os

    resduos da regio com maior densidade demogrfica, que tambm concentra o maior

    parque industrial. Com tal densidade na regio do Alto Rio das Velhas, as consequncias

    so percebidas no rio. Uma dessas consequncias a contaminao por cianobactrias

    conhecidas popularmente como algas azuis, que em excesso indicam baixa qualidade das

    guas.

    As principais fontes dessa contaminao e enriquecimento da proliferao das

    cianobactrias tm sido identificadas como sendo as descargas de esgotos domsticos e

    industriais dos centros urbanos e das regies agricultveis, o que consequentemente causa

    impactos antrpicos nos ecossistemas aquticos, o que informa um levantamento

    publicado recentemente pela Fundao Nacional de Sade (FNS) e disponibilizado pelo

    Centro Nacional de Epidemiologia (Cenepi) por meio da coordenao geral de Vigilncia

    Ambiental em Sade (CGVAM).

    Acelerados processos de eutrofizao est causando um enriquecimento artificial

    desses ecossistemas pelo aumento das concentraes de nutrientes na gua,

    principalmente compostos nitrogenados e fosfatados, que resulta em aumento dos

    processos naturais da produo biolgica em rios, lagos e reservatrios.

    Considerando todos os aspectos apresentados, o CBH Rio das Velhas, demandou a

    contratao de estudo sobre cianobactrias e sua ocorrncia no rio das Velhas.

    O objetivo desta contratao foi, ento, de tentar compreender e explicar o processo

    de aparecimento de floraes de cianobactrias, apontando o conjunto de fatores

    favorveis para seu rpido crescimento, fato que torna as guas de mananciais txicas

    para consumo humano e causa impactos no bioma aqutico. Este trabalho se prope

    elaborar um prognstico da situao atual, apresentando os possveis riscos relacionados

    proliferao das cianobactrias no rio das Velhas e sugerindo riscos futuros.

  • 5

    2- AS CIANOBACTRIAS: CONCEITUAO E CARACTERSTICAS

    Cianobactrias so organismos procariotos, isto , no apresentam um ncleo

    organizado e fazem parte da diviso das bactrias. Possuem a habilidade de realizar

    fotossntese, tendo como principais pigmentos a clorofila-a e a ficocianina, pigmento de

    cor azul pertencente a classe das ficobilinas (Whitton & Potts, 2000). So tambm

    conhecidas como algas azuis devido alta concentrao de ficocianina encontrada em

    vrias das espcies de cianobactrias, dando a estes organismos uma colorao azulada.

    Morfologicamente podem ser unicelulares ou filamentosas, e podem ocorrer em forma

    solitria ou em colnias. O tamanho das clulas vegetativas pode variar de 0.4 m at 40

    m e seu volume em um fator de at 3 x 105. Taxonomicamente, o grupo das

    cianobactrias est dividido em cinco ordens (tabela 1). A figura 1 representa exemplos

    dos principais grupos de cianobactrias listados na tabela 1. Uma caracterstica de grande

    importncia das cianobactrias a capacidade de fixao do nitrognio. Vrias espcies

    de cianobactrias conseguem utilizar o nitrognio atmosfrico (N2) em situaes onde as

    fontes de nitrognio inorgnico esto em falta (Oliver & Ganf 2000). Essa habilidade

    exclusiva do grupo das cianobactrias, o que d a estes organismos uma grande vantagem

    competitiva em relao aos outros grupos de algas.

    2.1 Floraes

    O termo florao (em ingls bloom), de forma geral, usado na descrio de

    uma biomassa fitoplanctnica significantemente maior que a mdia do ambiente estudado

    (Oliver & Ganf, 2000), e geralmente uma florao formada apenas por uma ou duas

    espcies dominantes. A formao de uma florao resultado da juno de condies

    ambientais favorveis e do requerimento nutricional do organismo, sendo que,

    potencialmente, a maioria dos organismos que compem o fitoplncton podem formar

    floraes.

  • 6

    Tabela 1 - Principais caractersticas das ordens das cianobactrias

    No Filamentosas

    Ordem Chroococcales

    Unicelulares ou agregados no filamentosos de clulas mantidos por uma matriz gelatinosa

    Diviso binria em um, dois ou trs planos, simtricas ou assimtricas ou por brotamento

    Raramente formam acinetos

    Ordem Pleurocapsales

    Unicelulares ou agregados no filamentosos de clulas mantidos por uma matriz gelatinosa

    Reproduo por fisso interna mltipla, produo de clulas filhas menores que a clula me

    Raramente formam acinetos

    Filamentosas

    Ordem Oscillatoriales

    Diviso binria em um plano dando origem a um tricoma

    No formam heterocitos

    No formam acinetos

    Ordem Nostocales

    Diviso binria em um plano dando origem a um tricoma

    Formam heterocitos

    Algumas espcies podem formar acinetos

    Ordem Stigonematales

    Diviso binria em mais de um plano dando origem tricomas multiseriados

    Formam heterocitos

    Algumas espcies podem formar acinetos

    Baseado em Whitton & Potts, 2000 (com modificaes).

    No caso das cianobactrias, os principais formadores de floraes so as

    espcies com capacidade para gerar vesculas de gs. Estas esto distribudas vrios

    gneros e variam em tamanho e forma desde pequenos filamentos at grandes colnias

    globulares. Durante as floraes os agregados celulares podem chegar a formar massas de

    clulas grandes o suficiente para serem vistas olho nu.

    Cianobactrias so organismos comuns em diversos ambientes aquticos,

    incluindo lagos, rios e esturios temperados e tropicais. No entanto, caractersticas como

    densidade celular, composio de espcies, distribuio vertical e longevidade diferem de

    acordo com o local. De forma geral, essas diferenas podem s