Prevalência do Beber e Dirigir em Belo Horizonte - MG Orientador: Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira UNIAD/UNIFESP Co- orientador: Sérgio Duailibi Aluno: Valdir

Download Prevalência do Beber e Dirigir em Belo Horizonte - MG Orientador: Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira UNIAD/UNIFESP Co- orientador: Sérgio Duailibi Aluno: Valdir

Post on 16-Apr-2015

102 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Prevalncia do Beber e Dirigir em Belo Horizonte - MG Orientador: Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira UNIAD/UNIFESP Co- orientador: Srgio Duailibi Aluno: Valdir Ribeiro Campos Artigo submetido para publicao no Cadernos de Sade Pblica desde 15/05/2007
  • Slide 2
  • Introduo A OMS, estima que existam 2 bilhes de consumidores de bebidas alcolicas em todo o mundo, sendo 76,3 milhes com diagnstico de transtornos relacionados ao uso de lcool. (OMS, 2004) A OMS, estima que existam 2 bilhes de consumidores de bebidas alcolicas em todo o mundo, sendo 76,3 milhes com diagnstico de transtornos relacionados ao uso de lcool. (OMS, 2004) Entre 1/4 e metade dos acidentes de trnsito com vtimas fatais esto associados ao uso do lcool por algum dos responsveis envolvidos. (PERRINE & COL., FARRELL & STRANG, 1990) Entre 1/4 e metade dos acidentes de trnsito com vtimas fatais esto associados ao uso do lcool por algum dos responsveis envolvidos. (PERRINE & COL., FARRELL & STRANG, 1990) A bebida proporciona ao motorista um falso senso de confiana, prejudicando habilidades como: a ateno; a coordenao; a acuidade visual, e o julgamento de velocidade, tempo e distncia. (ROSPA, 2005) A bebida proporciona ao motorista um falso senso de confiana, prejudicando habilidades como: a ateno; a coordenao; a acuidade visual, e o julgamento de velocidade, tempo e distncia. (ROSPA, 2005) Uso de lcool em adolescentes x risco de acidentes: aumenta aps uma dose de bebida,dobra aps duas e aumenta dez vezes aps cinco doses Uso de lcool em adolescentes x risco de acidentes: aumenta aps uma dose de bebida,dobra aps duas e aumenta dez vezes aps cinco doses.(CHOU, S. P. et al., 2005) Maioria dos acidentes fatais ocorre na faixa etria dos 21 aos 24 anos e 80% deles no perodo de 20 s 4 horas da manh das noites dos fins de semana. (CENTER FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION, 2002) Maioria dos acidentes fatais ocorre na faixa etria dos 21 aos 24 anos e 80% deles no perodo de 20 s 4 horas da manh das noites dos fins de semana. (CENTER FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION, 2002) O lcool diminui a eficincia cerebral e reduz a viso noturna em 25% e o tempo de reao em at 30%. Esses efeitos so mais intensos quanto maior a tolerncia ao lcool. (SHULTS, R. A., et al., 2001) O lcool diminui a eficincia cerebral e reduz a viso noturna em 25% e o tempo de reao em at 30%. Esses efeitos so mais intensos quanto maior a tolerncia ao lcool. (SHULTS, R. A., et al., 2001)
  • Slide 3
  • Introduo Dcada de 80 mudanas em vrios pases em relao a legislao, com aes preventivas e coibitivas relacionadas ao ato de dirigir alcoolizado. Dcada de 80 mudanas em vrios pases em relao a legislao, com aes preventivas e coibitivas relacionadas ao ato de dirigir alcoolizado. Nos EUA entre 1976 a 1983, houve queda de 1/3 ou mais nas taxas de acidentes fatais aps a adoo do uso do bafmetro.( LUND & WOLFE, 1991) Nos EUA entre 1976 a 1983, houve queda de 1/3 ou mais nas taxas de acidentes fatais aps a adoo do uso do bafmetro.( LUND & WOLFE, 1991) Hospital das Clnicas/ USP- 53% dos acidentes de trnsito atendidos na urgncia estavam com alcoolemia superior aos permitidos pelo Cdigo de Trnsito Brasileiro, sendo em sua maioria do sexo masculino com idade entre 15 e 29 anos. (Ministrio da Sade, 2004) Hospital das Clnicas/ USP- 53% dos acidentes de trnsito atendidos na urgncia estavam com alcoolemia superior aos permitidos pelo Cdigo de Trnsito Brasileiro, sendo em sua maioria do sexo masculino com idade entre 15 e 29 anos. (Ministrio da Sade, 2004) Em Belo Horizonte 15% dos acidentados consumiram bebidas alcolicas, com maior percentual para motoristas (27,7%). Perodo de maior incidncia foi entre 0 e 6 horas da manh de sbado e domingo. (PBH/BHTRANS, 2001) Em Belo Horizonte 15% dos acidentados consumiram bebidas alcolicas, com maior percentual para motoristas (27,7%). Perodo de maior incidncia foi entre 0 e 6 horas da manh de sbado e domingo. (PBH/BHTRANS, 2001)
  • Slide 4
  • Objetivos Geral : Realizar levantamento de dados referente ao comportamento dos motoristas em relao ao beber e dirigir numa determinada regio da cidade de Belo Horizonte. Realizar levantamento de dados referente ao comportamento dos motoristas em relao ao beber e dirigir numa determinada regio da cidade de Belo Horizonte.Especficos: Educar e conscientizar a populao sobre a relao entre o beber e dirigir; Educar e conscientizar a populao sobre a relao entre o beber e dirigir; Testar a aplicabilidade e aceitabilidade dos bafmetros (passivos e ativos) como instrumento na coleta de dados de pesquisa Testar a aplicabilidade e aceitabilidade dos bafmetros (passivos e ativos) como instrumento na coleta de dados de pesquisa Auxiliar na configurao de desenhos de pesquisas para orientao de Polticas Pblicas que permitam intervenes no campo do beber e dirigir, com o objetivo de reduzir os problemas relacionados ao consumo do lcool. Auxiliar na configurao de desenhos de pesquisas para orientao de Polticas Pblicas que permitam intervenes no campo do beber e dirigir, com o objetivo de reduzir os problemas relacionados ao consumo do lcool.
  • Slide 5
  • Metodologia Levantamento em dezembro de 2005 e dezembro de 2006 nas noites de sexta e sbado no horrio de 23 s 3 horas da manh. Levantamento em dezembro de 2005 e dezembro de 2006 nas noites de sexta e sbado no horrio de 23 s 3 horas da manh. Postos de fiscalizao de sobriedade (sobriety checkpoint) em vias pblicas estratgicas e de trfego mais intenso, com maiores concentraes de bares, restaurantes e casas noturnas. Postos de fiscalizao de sobriedade (sobriety checkpoint) em vias pblicas estratgicas e de trfego mais intenso, com maiores concentraes de bares, restaurantes e casas noturnas. Apoio da Subsecretaria Antidrogas, Polcia Militar, residentes de psiquiatria, acadmicos de psicologia, supervisores e coordenadores. Apoio da Subsecretaria Antidrogas, Polcia Militar, residentes de psiquiatria, acadmicos de psicologia, supervisores e coordenadores. Questionrio annimo com 10 perguntas sobre: dados scio- econmicos e demogrficos; comportamento quanto ao padro do uso de bebidas alcolicas; comportamento quanto ao padro do uso de bebidas alcolicas e direo; conhecimento sobre parte da lei que rege esses assuntos no trnsito, e opinio sobre o uso do bafmetro. Questionrio annimo com 10 perguntas sobre: dados scio- econmicos e demogrficos; comportamento quanto ao padro do uso de bebidas alcolicas; comportamento quanto ao padro do uso de bebidas alcolicas e direo; conhecimento sobre parte da lei que rege esses assuntos no trnsito, e opinio sobre o uso do bafmetro. Aplicao do teste do bafmetro Aplicao do teste do bafmetro Avaliao do estado geral do condutor pelo entrevistador, tipo de veculo, nmero de passageiros e uso de equipamento de segurana. Avaliao do estado geral do condutor pelo entrevistador, tipo de veculo, nmero de passageiros e uso de equipamento de segurana. Medidas de segurana. Medidas de segurana. A pesquisa foi conduzida dentro dos padres da Declarao de Helsinky e aprovada pela comisso de tica da UNIFESP/EPM. A pesquisa foi conduzida dentro dos padres da Declarao de Helsinky e aprovada pela comisso de tica da UNIFESP/EPM.
  • Slide 6
  • Resultados
  • Slide 7
  • Dados scio- econmicos e demogrficos
  • Slide 8
  • Slide 9
  • Slide 10
  • Slide 11
  • Slide 12
  • Padro do consumo de bebidas alcolicas/semana
  • Slide 13
  • Padro do consumo de bebidas alcolicas Bebidas mais consumidas- cerveja, vinho, destilados e ice. Bebidas mais consumidas- cerveja, vinho, destilados e ice. Quantidade: 02 a 03 copos de cerveja/chope, 01 a 02 copos/taa de vinho e 01 a 02 doses de destilados. Quantidade: 02 a 03 copos de cerveja/chope, 01 a 02 copos/taa de vinho e 01 a 02 doses de destilados. Dos que participaram da pesquisa: 368 (40,3%) declararam ter ingerido bebidas alcolicas no dia e 330 ( 36,1%) recusaram o teste do bafmetro. Dos que participaram da pesquisa: 368 (40,3%) declararam ter ingerido bebidas alcolicas no dia e 330 ( 36,1%) recusaram o teste do bafmetro.
  • Slide 14
  • Ingeriu bebida alcolica no dia e padro de consumo de lcool semanal. N= 368 Padro de consumo de lcool por semanaFreqnciaPorcentagem Nenhum161,6 1 a 2 vezes27229,9 3 a 4 vezes495,4 Mais de 8 vezes111,2 Faz uso de 15/15 dias50,5 No tem periodicidade80,9 Raramente usa ou s em festas70,8 Total36840,3
  • Slide 15
  • Envolvidos em acidentes de trnsito e padro de consumo de lcool. N= 334* Padro de consumo por semanaEnvolvidos em acidentes de trnsito Porcentagem Nenhum748,1 1 a 2 vezes20022 3 a 4 vezes364 Mais de 8 vezes91 Faz uso de 15/15 dias50,5 No tem periodicidade20,2 Raramente usa ou s em festas80,9 Total33436,7% * Houve 03 perdas
  • Slide 16
  • Envolvimento em acidentes de trnsito quanto a faixa etria. N= 334* Faixa etria - anos Envolvidos em acidentes de trnsito Porcentagem 18 - 1991 20 a 3017619,3 31 a 40596,5 41 a 50556 51 ou mais353,8 Total33436,7% * Houve 03 perdas
  • Slide 17
  • Aceitao do bafmetro
  • Slide 18
  • Valores obtidos no bafmetro e reaes esperadas. N = 579 Valor em g/dlFreqnciaPorcentage m Reaes esperadas 0,0035862 - 0,01 a 0,02518,8Comprometimento da noo de distncia e velocidade 0,03 a 0,05569,6Desateno e campo visual restrito 0,06 a 0,08356,0Perda da noo de riscos, reflexos e intolerncia a luz 0,09 a 0,15518,8Desconcentrao e dificuldades de coordenar os movimentos 0,16 a 0,20101,7Viso dupla e letargia Acima de 0,21183,1Embriaguez acentuada e amplificao dos sintomas anteriores. Total579100
  • Slide 19