olhares sobre a cidade e as narrativas fÍlmicas .membro do grupo de pesquisa ... como aquele que

Download OLHARES SOBRE A CIDADE E AS NARRATIVAS FÍLMICAS .Membro do Grupo de Pesquisa ... como aquele que

Post on 18-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1

OLHARES SOBRE A CIDADE E AS NARRATIVAS FLMICAS DO ESPAO

URBANO1

Wendell Marcel Alves da Costa (UFRN/Brasil)2

Resumo:

A prtica de documentar e/ou ficcionalizar a cidade significa construir uma reflexo que

compreenda as diferentes referncias histricas, simblicas e artsticas relacionadas a

fenmenos polticos, econmicos ou espaciais da cidade. Com relao a esse fato, torna-

se implcita nas narrativas flmicas mesclar as perspectivas acerca de um determinado

tema contextualizado em tempos e espaos especficos. O olhar sobre a cidade, nesse

caso, uma corrente de anlise por meio do qual o indivduo que assiste a cidade,

tambm distribui sentidos afetivos do espao urbano de convivncia durante a produo

de um filme. Nesse contexto, objetivo deste trabalho identificar a cidade a partir de

algumas obras cinematogrficas que apresentam o espao urbano atravs das narrativas

documentais e ficcionais dos espaos por onde ocorrem dinmicas, trajetos, conflitos e

associaes entre os atores sociais na construo dos lugares e dos sentidos simblicos

da cidade moderna. Conclui-se que ambas as narrativas possibilitam representar a

cidade por meio de um olhar esttico no fazer cinematogrfico.

Palavras-chave: Narrativas, Etnografia Flmica, Cidade.

INTRODUO

Este trabalho analisa o objeto do olhar a cidade e as suas caractersticas

espaciais e sociais a partir da perspectiva geogrfica, antropolgica e flmica. A

discusso tem como ponto de partida a questo de documentar e ficcionalizar a cidade

por meio das narrativas flmicas do espao urbano, e tambm de como o olhar sobre a

cidade pode ser analisada atravs da tica espacial e flmica. Considera-se, portanto, os

arranjos espaciais, imagticos, estticos e subjetivos presentes no mbito urbano para

ento discursar acerca do problema central deste trabalho: o olhar construdo da cidade

por meio das narrativas flmicas. Dessa indagao parte-se s contribuies do

1 Trabalho apresentado no II Encontro de Antropologia Visual da Amrica Amaznica, realizado entre os

dias 25 e 27 de outubro de 2016, Belm/PA.

2 Graduando em Cincias Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Bolsista IC/CNPq.

Membro do Grupo de Pesquisa LINC Linguagens da Cena: imagem, cultura e representao. Natal

RN. E-mail: marcell.wendell@hotmail.com.

2

imaginrio urbano, da memria e da identidade como elementos que constituem a

construo do olhar para a cidade.

DOCUMENTANDO E/OU FICCIONALIZANDO A CIDADE: NARRATIVAS

FLMICAS DO ESPAO URBANO

A prtica de documentar a cidade significa construir uma reflexo que

compreenda as diferentes referncias histricas, simblicas e artsticas relacionadas a

fenmenos polticos, econmicos ou espaciais da cidade. Com relao a esse fato, torna-

se implcita na idia do gnero documentrio desenvolver narrativas que possibilitem

mesclar as perspectivas acerca de um determinado tema contextualizado em tempos e

espaos especficos. O olhar sobre a cidade, nesse caso, uma corrente de anlise por

meio do qual o indivduo que assiste a cidade, tambm distribui sentidos afetivos do

espao urbano de convivncia durante a produo de um filme, podendo realar ou

emular determinadas sensaes dela.

Destaca-se, tambm, a diferenciao entre o olhar, o ver e o assistir a

cidade, quando essas posies de observao influenciam diretamente os modos como

subjetivamos e identificamos a cidade por uma perspectiva, seja ela geogrfica (quase

sempre) e/ou cartogrfica, sonora e esttica. No podemos negar tambm que uma

posio da perspectiva do observar est sempre presente: a espacial, com a identificao

dos objetos, indivduos, cantos, ngulos que cortam os lugares e os ritmos uniformes da

cidade. Assim, documentar a cidade tem em vista elaborar um discurso primeiramente

da posio do observar um ambiente (a cidade) e as aes materiais e imateriais de

valores simblicos que so apreendidos pelo cinema.

De acordo com Campo (2015, p. 5),

necessrio entender o cinema documentrio, [...] como aquele que faz uso

de documentos audiovisuais para reconfigur-los de acordo a parmetros

estticos cinematogrficos que superam o nvel de registro da realidade. Isto

, em uma imagem, e tambm na construo dos sons, no s funcionam

como um registro do real como tambm ordenam, modificam temporal e

espacialmente, fragmentam e modificam os eventos; em suma, elaboram

discursos (traduo nossa)3.

3 Es necesario entender el cine documental, [...] como aquel que hace uso de documentos audiovisuales

para reconfigurarlos de acuerdo a parmetros estticos cinematogrficos que superen el grado de registro

de la realidad. Esto es, en un comienzo imgenes, y luego tambin sonidos, que no solamente funcionan

como um registro de lo real sino que tambin lo ordenan, modifican temporal y espacialmente,

fragmentan y modifican los sucessos; en definitiva, elaboran discursos.

3

Com efeito, a prtica de documentar a cidade desperta tambm reflexes de

cunho filosficas e existencialistas na ocorrncia de construir o espao urbano como um

ambiente por onde inmeros acontecimentos encontram palco para que os indivduos

em seus eventos dirios possam representar papis em locais que so superintendidos

por lgicas comumente estruturadas pelas relaes de poder. Essas relaes de poder,

que se ajustam no mbito urbano, carregam representaes da sociedade estruturadas

nas classes sociais oriundas da formao histrica e cultural do lugar da cidade,

perfazendo em si prpria os conflitos e as associaes arraigadas pelas categorias de

dominao sob os oprimidos no contexto sociopoltico do pas4.

No rompante de documentar a sociedade atravs da imagem cinematogrfica, o

cinema repercute em seu discurso as categorias ideolgicas e simblicas imputadas nas

relaes sociais da cidade. Dificilmente, no gnero documentrio, os filmes se esquivam

dos temas ligados a esses assuntos que, de to sobrepostos na conjuntura poltica,

encontram um profcuo lcus de discusso nos meios de comunicao em massa.

Alguns desses temas so a desigualdade e a estratificao social, a intensificao da

especulao imobiliria, a perda da memria e da identidade da cidade, entre outros

temas.

Enquanto linguagem que identifica uma determinada situao social, os filmes

documentrios propem um debate poltico visando colaborao de diferentes

discursos na construo da histria a ser contada. O documentrio , em essncia, um

dos gneros cinematogrficos que situa o teor poltico dos fatos os quais retrata de uma

forma eminentemente singular, organizando discursos, incitando os elementos que

constituem o enredo nas dimenses que so equivalentes em uma boa histria:

perscrutar um tema na histria e, ao mesmo tempo, indag-lo atravs de diferentes

4 Evidenciamos tambm que o documentrio, sobretudo a produo latino-americana, se insere como um

importante dispositivo de relevncia social sobre problemas sociais e polticos vigentes no mbito da

Amrica Latina. Neste continente, o documentrio surge como uma ferramenta por meio do qual os

cineastas podem apresentar distintos olhares acerca das realidades sociais e polticas: desigualdade social

e de gnero, violncia, direitos humanos, crises polticas e econmicas, racismo e ps-colonialidade, etc.

Em vias de expresso, a proposta que se apresenta nos filmes documentrios latino-americanos de fugir

da viso do estrangeiro, que imperializa um olhar e um discurso carregado de violncia e controle

simblico sobre as prticas, os costumes, os conflitos e as persistncias histricas de violncia na Amrica

Latina (SHOTAT e STAM, 2006; AMNCIO, 2000).

4

pontos de vista, ou tambm, a partir de um olhar nunca antes visto, colaborando assim

com a construo dialtica do tema.

Com outras palavras, o documentrio:

Merece a nossa ateno, no porque mais verdadeiro que a fico, ou

melhor documento, mas porque testemunha sobre uma sequncia vivida

anteriormente. A esta sequncia, pode-se faz-la destac-la, pulveriz-la,

faz-la participar de um discurso que conduz progresso, negar sua

singularidade para atuar unicamente sobre sua capacidade metafrica.

(GAUTHIER, 2013, pp. 6-7) (traduo nossa)5.

Tem sido um dos principais canais do discurso e da retrica poltica e que,

por outra parte, tem uma porcentagem significativa de filmes documentais

que tem apresentado conceitos, problemticas e posturas polticas de forma

mais ou menos sutil (CAMPO, 2015, p. 15) (traduo nossa)6

Bem como, a cidade e os movimentos socioespaciais existentes nela esto

intimamente ligados s afetividades dos sujeitos no espao urbano, sendo um territrio

propcio na investigao pelo documentrio. Desde as primeiras produes do gnero o

documentrio percebeu o Outro como um indivduo fundamentalmente provocador

quando alocado no mbito da cidade moderna, que trazia em si as suas novas

configuraes sociais quando destacada no contexto poltico da poca. Nesse perodo,

certos filmes podem ser notveis