lv 1226 web

Download Lv 1226 web

Post on 01-Apr-2016

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • No 1226 - 10 de julho de 2014

    todos juntos na caravana da intercel

    terceirizao e quarterizao

    acidente com terceirizados

    pg. 2 - 3 pg. 3

    trabalhador sofre descarga em linha viva

    obras da subestao de pa-panduva esto paradas

    Comea nesta segunda-feira, dia 14, a tradicional Caravana da Intercel. Os diretores dos Sindicatos que compem a Intercel estaro percorren-do todas as Agncias Regionais da Celesc, convocando os trabalhadores para a Assembleia Estadual que ser realizada no dia 26 de Julho, em Capivari de Baixo e unificar a pauta de reivindicaes dos eletricitrios, para a negociao do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2014/15. Fiquem atentos aos comunicados do Sindicato de sua regio e participe!

    vamos todos em Busca de um act justo!

    Vem voc tambm!

    1

  • 2 3

    LINHA VIVA uma publicao da Intersindical dos Eletricitrios de SC

    Jornalista responsvel: Paulo Guilherme Horn (SRTE/SC 3489) |

    Conselho Editorial: Davi CoelhoRua Max Colin, 2368, Joinville, SC | CEP 89206-000 | (047) 3028-2161

    |E-mail: sindsc@terra.com.brAs matrias assinadas no

    correspondem, necessariamente, opinio do jornal.

    www.sindinorte.org.br |www.sinergia.org.br |www.sintresc.com.br

    www.intersul.org.br

    CELESC

    escrituras eternas e a dana das garagensA situao das garagens da Agncia Regional de Joinville j foi pauta do Linha Viva, quando um diretor decidiu congratular um terceirizado com um box, enquanto trabalhadores da empresa deixavam seus carros na rua. No fim das contas, o terceirizado acabou demitido e o box retornou um trabalhador prprio. Mas a polmica continuou. Na assembleia regional realizada na sede do Sindinorte, o assunto retornou pauta. Ao debater a Grati-ficao Ajustada, vrios trabalhadores desviaram o tema e se manifestaram contrariados com a "posse" das garagens na Re-gional. O fato que no raro trabalhadores terem que deixar seus veculos expostos em uma rua movimentada, enquanto os "boxes escriturados" ou permanecem vazios ou so cedidos de acordo com a ocasio. A posse dos boxes (que so distribudos de acordo com a matrcula mais antiga) gera situaes absur-das. Um dos casos mais estranhos que tem gente que no tem carro, com posse de box por que "empresta para quem d carona"...Essa dana das garagens se arrasta sem resoluo. Os arautos da moralidade, os mesmos que fiscalizam facebook e criam lis-tas de sada, neste caso ficam quietinhos. Para os trabalhadores que estiveram na assembleia e aprovaram a escrita desta ma-tria, ningum deveria possuir um box, mas sim utilizar aquele que est vazio quando chegar para trabalhar. Mas o caos se-melhante s sadas. Os arautos pensam: "Pra qu se preocupar com o outro, quando o meu t garantido"? Quanta moral...

    Mais um grave acidente entrou para a trgica estatstica de acidente das terceirizadas na Celesc. Na ltima quarta-feira Paulo Vitor, 33 anos, casado, eletricista de linha viva da em-preiteira IEG Instalaes Eltricas Guaramirim, rece-beu uma violenta descarga eltrica de 25 KV enquanto trabalhava na estrutura com alimentador triplo em uma movimentada avenida de Itaja. Ainda aguardando o resul-tado da anlise do acidente e a recuperao do compa-nheiro, no podemos acei-tar que falem em fatalidade ou destino, muito menos que coloquem a culpa no trabalhador. necessrio agir para evitar esses fatos, cobrando aes dos res-ponsveis pela rea. Em recente e contraditria de-clarao, o Diretor de Distri-buio, James Giacomazzi, afirmou ser um defensor entusiasmado da internali-zao dos servios de linha viva e aproveitou para cutucar administradores regionais.A expectativa era de aes rpidas. Passadas trs semanas, a nica evidncia que a decla-

    rao destoa da prtica. Falta ao concreta. Alm de no encaminhar nenhuma providn-cia em relao internalizao da linha viva, sequer contrata os profissionais necessrios

    para fiscalizar as terceiriza-das. Seria o mnimo. Levan-tamento feito mostra que faltam pelo menos nove tc-nicos industriais na regional de Itaja. Um deles seria o fiscal dos servios de linha viva. Dentre as manobras rea-lizadas para inviabilizar o uso de equipe prpria de linha viva na Agncia de Ita-ja, destaque para uma que parece piada de mal gosto: deixar o caminho e ferra-mentas ao relento, em uma oficina em Florianpolis, du-rante quase um ano, entre 2012 e 2013. At agora, nenhuma provi-dncia foi tomada.A inexistncia de caminho e ferramentas passa a ser secundrio diante da falta de atitude da diretoria.

    Enquanto o eletricista Paulo Vitor permanecer algumas semanas em recuperao num quarto do hospital, a internalizao desse servio na Celesc caminha a passos largos para a UTI.

    CELESC

    a cada enchente um drama: a situao da loja da celesc de rio negrinhoA forte chuva que assolou os estados de Santa Catarina e Paran nos ltimos meses criou uma srie de problemas populao catarinense.Apesar da infeliz manifesta-o do Governador do Esta-do, que classificou a torrente de "chuvinha passageira", os trabalhadores da Celesc no se furtaram em atender so-ciedade, auxiliando no s nos casos relativos energia eltrica, mas tambm nos res-gates. Tivemos imagens que comprovam o comprometi-mento dos celesquianos com a sociedade, com trabalhadores

    arriscando a vida em barcos nas ruas cheias, desligando a energiaEntretanto, se os trabalhado-res da empresa demonstram respeito e responsabilidade com a sociedade, no se pode dizer o mesmo dos comandan-tes da Celesc. Um dos mais atingidos, o escritrio de Rio Negrinho continua sofrendo em uma localizao desfavor-vel. Em toda chuva o escritrio atingido, prejudicando no s a populao, mas tambm os trabalhadores que, em for-ma de mutiro, se unem para levantar mveis e tentar salvar

    o patrimnio da Celesc. Alm disso, as constantes cheias vm transformando o prdio em um lugar inseguro para os trabalhadores, com rachadu-ras na sua estrutura.Os trabalhadores do escritrio continuam atendendo, mesmo com ele fechado, em um ni-bus da Celesc.A empresa, que tem consti-tudo um Fundo Patrimonial exatamente para investimento em imveis prprios, deve de uma vez por todas mudar o lo-cal da Loja. respeito com o trabalhador, respeito com a sociedade.

    CELESC

    terceirizao e quarterizao interrompem oBras de suBestao de papanduva

    Pouco tempo atrs o Linha Viva publicou uma nota sobre a constru-o da Subestao de Papanduva. Aps intensas mobilizaes, os trabalhadores da Celesc tm certeza de que a obra conquista da categoria. Mas como de praxe, a terceirizao e, pior, a quarteiriza-o vm pondo em risco o atendimento de energia eltrica no Planalto Norte Catarinense. A empresa responsvel pela construo, subcon-tratou outra empreiteira, quarterizando o processo. E esta empreiteira abandonou a obra, prejudicando o cronograma.A situao, denunciada ao Sindinorte, foi levada a conhecimento do Diretor de Distribuio, que garantiu a retomada da obra no mximo at o dia 30, ltima segunda-feira. Em visita obra, realizada no dia 02, quarta-feira, constatou-se que no local as obras continuavam pa-radas, e que apenas um encarregado da empreiteira realizava entre-vistas com potenciais trabalhadores. Na visita, ficou claro que o maior atraso encontra-se nas obra civil, o que demonstra um dos grandes problemas da terceirizao: a rotatividade de trabalhadores motivada pela precarizao das condies de trabalho. O posto nestas obras no exige grande formao tcnica, mas a explorao da mo de obra, riscos de sade e segurana e baixas remuneraes so fatores determinantes para que trabalhadores terceirizados no permaneam muito tempo em seus empregos.O atraso na construo da Subestao de Papanduva pode significar a reedio do caos energtico do incio do ano, onde a populao do Planalto Norte catarinense foi afetada pelas constantes quedas de energia, resultando em vrias aes contra a Celesc e em ameaas aos trabalhadores da empresa. A diretoria da Celesc no pode ficar esttica neste momento. A obra fundamental e deve ser retomada.

    "como de praxe, a terceirizao e, pior, a quarteirizao vm

    pondo em risco o atendimento de energia

    eltrica no planalto norte catarinense. a empresa responsvel

    pela construo, subcontratou outra

    empreiteira, quarterizando o processo. e esta

    empreiteira abandonou a obra, prejudicando o

    cronograma"

    CELOS

    A Comisso Eleitoral divulgou na ltima sexta-feira, dia 04, a nomi-nata dos candidatos inscritos para as eleies na Fundao Celos. Para o cargo de Diretor Administra-tivo inscreveram-se Henri Macha-do Claudino, Aldo Roberto Schu-macker, Israel Honorino Nunes, Jos Braulino Sthelin e Clnio

    Jos Braganholo. Para a Direto-ria de Seguridade inscreveram-se Joo Paulo de Souza, Marcondes Mendes da Silva, Irineu Theiss e Flvio da Silva. Para representar os participantes Ativos no Con-selho Fiscal foram inscritas 3 cha-pas: Paulo Roberto Xavier de Oli-veira e Marcia Elisa Sebben; Jorge

    Abouhatem e Carolina Heloisa da Silva de Moares; e Jos Afonso Marin e Orli Osvaldo do Campo. Pelos Assistidos candidataram-se ao Conselho Fiscal Geraldo Prus e Valmor Scoz. A eleio ocorre dia 18 de setembro e nesta sexta--feira, dia 11 inicia o perodo de campanha.

    CELESC

    mais um grave acidente com equipe de linha viva terceirizada

    " necessrio agir para evitar esses fatos,

    cobrando aes dos responsveis pela rea.

    em recente e contraditria declarao, o diretor

    de distribuio, James Giacomazzi, afirmou ser

    um defensor entusiasmado da internalizao dos

    servios de linha viva e aproveitou para cutucar

    administradores regionais. a expectativa era de aes

    rpidas. passadas trs semanas, a nica evidncia que a declarao destoa

    da prtica. falta ao concreta"

    acidente com trabalhador terceirizado reafirma necessidade de internalizar os servios de linha viva na celesc

    CULTURA

    celesquiano no palco msica Boa!Os celesquianos da Arflo j conhecem