laserterapia de baixa intensidade e calÊndula ?· diego guimarÃes openheimer laserterapia de...

Download LASERTERAPIA DE BAIXA INTENSIDADE E CALÊNDULA ?· diego guimarÃes openheimer laserterapia de baixa…

Post on 12-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

DIEGO GUIMARES OPENHEIMER

LASERTERAPIA DE BAIXA

INTENSIDADE E CALNDULA

OFFICINALIS LINNE NA

CICATRIZAO DE FERIDAS

CUTNEAS EM RATAS

Trabalho de Concluso de

Curso, apresentado Universidade do

Vale do Sapuca, para obteno do ttulo

de Mestre em Cincias Aplicadas

Sade.

POUSO ALEGRE MG

2015

DIEGO GUIMARES OPENHEIMER

LASERTERAPIA DE BAIXA

INTENSIDADE E CALNDULA

OFFICINALIS LINNE NA

CICATRIZAO DE FERIDAS

CUTNEAS EM RATAS

Trabalho de Concluso de Curso,

apresentado Universidade do Vale do

Sapuca, para obteno do ttulo de

Mestre em Cincias Aplicadas Sade.

ORIENTADOR: Prof. Dr. Geraldo Magela Salom

COORIENTADORES: Profa. Dra. Maria Jos Azevedo de Brito Rocha

Profa. Dra. Margarida Maria de Carvalho Resende

POUSO ALEGRE MG

2015

Openheimer, Diego Guimares

Laserterapia de Baixa Intensidade e Calndula Officinalis Linne

na Cicatrizao de Feridas Cutneas em Ratas. Diego Guimares

Openheimer Pouso Alegre 2014.

xiv, 90f..

Dissertao de Mestrado Universidade do Vale do Sapuca

UNIVAS. Programa de Ps-Graduao Mestrado Profissional em

Cincias Aplicadas Sade.

Ttulo em Ingls: Low-Intensity Laser And Calendula

Officinalis Linne for Cutaneous Wound Healing in Rats.

1. Lasers 2. Calendula 3. Cicatrizao 4. Tcnicas de

Fechamento de Ferimentos

DEDICATRIA

Dedico este trabalho primeiramente a Deus, por guiar meu caminho e me orientar em

todos os momentos.

minha me Claudete Guimares Ribeiro, por todo amor e ajuda durante toda essa

trajetria. Seu apoio foi fundamental e me orgulho de dividir com a senhora esta conquista. Me,

seu cuidado dedicao foram essenciais, principalmente nos momentos difceis, quando suas

palavras me deram esperana pr seguir em frente. Te amo.

minha irm Renata Lucia Guimares Risso, por ser o meu grande exemplo de pessoa,

de lutar por seus sonhos, de dedicao profissional, de fora, perseverana e humildade. Te amo.

Ao meu pai Rubens Openheimer (in memoriam), que infelizmente no pde estar

presente neste momento to feliz da minha vida, o qual no poderia deixar de dedicar a ele, pois,

se hoje estou aqui, lhe devo todas as minhas vitrias. Me orgulho por ser seu filho, por tudo o

que o senhor fez por mim, pelos seus ensinamentos e valores passados. Obrigado por tudo. Te

amo. Saudades eternas.

minha tia de corao Rosa Almeida Brando de Lima, por me mostrar que temos de

lutar diante de todas as adversidades, que sempre devemos manter a autoestima e a felicidade.

Sua vitria me inspirou a viver e buscar meus sonhos, e gostaria de compartilhar esta conquista

com a senhora, que sempre esteve ao meu lado. Te amo.

minha tia Olinda Guimares Ribeiro, simplesmente por tudo o que faz e j fez por

mim, por sempre tentar me ajudar, mesmo que seja da forma mais simples. Te amo.

A todos os meus amigos que me incentivaram durante toda a jornada e que sempre

estiveram ao meu lado nesta longa caminhada.

AGRADECIMENTOS

Gostaria de expressar minha eterna gratido a todos que tornaram este estudo possvel.

Quero agradecer profundamente ao Professor Geraldo Magela Salom, pela

oportunidade, confiana e dedicao a mim atribudas, e ressaltar o empenho que teve em minha

pesquisa, contribuindo de forma importante e norteadora para este estudo e para minha formao.

Um agradecimento especial Professora Margarida Maria de Carvalho Resende, por toda

a sua dedicao na coorientao deste trabalho. Seus ensinamentos, principalmente na parte

prtica do trabalho, foram essenciais para esta conquista. Seu cuidado na tica durante a pesquisa

em animais foi o diferencial desta pesquisa.

Um agradecimento especial Professora Maria Jos Azevedo de Brito Rocha, por todo

o esforo e dedicao na coorientao deste trabalho. Seus ensinamentos sobre como elaborar

uma tese e orientaes quanto ao texto foram fundamentais para a realizao deste trabalho.

Aos acadmicos do curso de Fisioterapia talo Ricardo, Vanessa Queirs, Jssica

Fagundes e Keila Pereira, por me ajudarem de forma incrvel com esta pesquisa. Vocs so

diferenciados; tenho certeza do sucesso profissional de todos.

Gostaria de agradecer ao colaborador do Centro de Cirurgia Experimental Sr. Ivan Lucio

de Melo, por todas as ideias e solues dos meus problemas na parte prtica do trabalho.

colaboradora do Laboratrio de Farmcia Sra. Nelsi Nara Vieira Marchetti, por todo o

auxlio nos fitoterpicos.

equipe de Estatstica da Universidade do Vale do Sapuca, professores Neil Ferreira

Novo, Yara Juliano e colaborador Sandro Jos Ferreira dos Passos, por todo o auxlio com a

estatstica deste trabalho.

Ao Doutor Paulo Calafiore Resende, por todo o auxlio na confeco e parte prtica do

trabalho. Seu conhecimento foi essencial para o sucesso deste projeto. Agradeo por me ensinar

e pela pacincia que teve com toda a minha equipe, fica aqui meu sincero agradecimento.

Aos meus amigos e professores do curso de Fisioterapia da Univs, por me apoiarem e

me ajudarem em todos os momentos.

Aos meus queridos colegas de trabalho do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia

Ocupacional CREFITO-4, especialmente os amigos Anderson Lus Coelho, Jonas Costa,

Gustavo Lara Mouro de Arajo, Tailon Camargo Martins, Hugo Pereira Goretti e Lucas

Jupiaara Guimares, pela amizade, ajuda e companheirismo dirio.

Aos meus colegas de mestrado (futuros mestres). A convivncia com todos tornou esta

jornada mais agradvel. Levo todos no meu corao e agradeo por tudo o que fizeram para me

ajudar.

E, por ltimo, com grande importncia, aos meus queridos professores do Programa de

Mestrado Profissional em Cincias Aplicadas Sade, o meu mais puro sentimento de gratido

e honra de ter convivido com todos.

A mente que se abre a uma nova ideia nunca mais volta

ao seu tamanho original.

(Albert Einstein)

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

< - Menor que

- Mdia

- Mediana

AsGa - Arseneto de Glio

C - Graus Celsius

CEUA - Comisso de tica no Uso de Animais

COBEA - Colgio Brasileiro de Experimentao Animal

Dp - Desvio Padro

HeNe - Hlio-Nenio

J/cm - Joules por centmetro quadrado

LLLT - Low-level laser therapy

mW - MiliWatts

nm - Nanmetros

qsp - Quantidade suficiente para

SBCAL - Sociedade Brasileira de Cincia em Animais de Laboratrio

UNIVS - Universidade do Vale do Sapuca

LISTA DE QUADROS

QUADRO 1 DIVISO DOS ANIMAIS NOS GRUPOS DE TRATAMENTO 08

LISTA DE TABELAS

TABELA 1 COMPARAO DA TAXA DE REGRESSO DA REA DA

FERIDA ENTRE OS QUATRO GRUPOS 25

TABELA 2 COMPARAO DA MDIA, MEDIANA E DESVIO PADRO

ENTRE OS GRUPOS LASERTERAPIA, LASERTERAPIA +

CALNDULA E CONTROLE

26

TABELA 3 COMPARAO DA MDIA, MEDIANA E DESVIO PADRO

ENTRE OS GRUPOS CALNDULA, LASERTERAPIA +

CALNDULA E CONTROLE

27

TABELA 4 COMPARAO DA MDIA, MEDIANA E DESVIO PADRO

ENTRE OS GRUPOS LASERTERAPIA, CALNDULA E

CONTROLE

28

TABELA 5 COMPARAO DA MDIA, MEDIANA E DESVIO PADRO

ENTRE OS GRUPOS LASERTERAPIA + CALNDULA E

CONTROLE

29

TABELA 6 COMPARAO DA MDIA, MEDIANA E DESVIO PADRO

ENTRE OS GRUPOS CALNDULA E CONTROLE 29

TABELA 7 COMPARAO DA MDIA, MEDIANA E DESVIO PADRO

ENTRE OS GRUPOS LASERTERAPIA E CONTROLE 30

LISTA DE FIGURAS

FIGURA 1: LASERTERAPIA DE BAIXA INTENSIDADE 02

FIGURA 2: CALNDULA OFFICINALIS LINNE 04

FIGURA 3: SISTEMA DE ALOJAMENTO DAS RATAS, COM

NUMERAO DAS GAIOLAS

07

FIGURA 4: ANESTESIA DAS RATAS 09

FIGURA 5: EPILAO MANUAL DOS PELOS, FASE INICIAL 10

FIGURA 6: EPILAO MANUAL DOS PELOS, FASE FINAL 10

FIGURA 7: PUNCH DE AO INOXIDVEL 11

FIGURA 8: APLICAO DO PUNCH METLICO 11

FIGURA 9: REA DEMARCADA 12

FIGURA 10: CONFECO DA FERIDA I 13

FIGURA 11: CONFECO DA FERIDA II 13

FIGURA 12: FERIDA CONFECCIONADA 14

FIGURA 13: APLICAO DA LASERTERAPIA EM MARGEM DA FERIDA 15

FIGURA 14: COMPOSTO DE CALNDULA OFFICINALIS LINNE 16

FIGURA 15: CALNDULA SENDO APLICADA SOBRE A FERIDA 17

FIGURA 16: COMPOSTO COM GEL DE CARBOPOL 18

FIGURA 17: GEL DE CARBOPOL SOBRE A FERIDA 18

FIGURA 18: SOLUO FISIOLGICA PREAQUECIDA 19

FIGURA 19: LIMPEZA COM GAZE NO ESTRIL 20

FIGURA 20: COBERTURA COM FILME TRANSPARENTE 21

FIGURA 21: FILME TRANSPARENTE DUPLA FACE 21

FIGURA 22: FILME TRANSPARENTE DUPLA FACE SOBRE A FERIDA 22

FIGURA 23: DEMARCAO DA FERIDA 23

SUMRIO

1. CONTEXTO 1

2. OBJETIVOS 5

3. MTODOS 6

3.1 TIPO DE ESTUDO 6

3.2 ASPECTOS TICOS 6

3.3 LOCAL DO ESTUDO 6

3.4 AMOSTRA 7

3.5 DESENHO DO ESTUDO 8

3.6 CRITRIOS DE INCLUSO E EXCLUSO 8

3.7 ANESTESIA 9

3.8 EPILAO DOS PELOS 9

3.9 DEMARCAO COM PUNCH 11

3.10 CONFECO DA FERIDA CIRRGICA 12

3.11 TRATAMENTO DOS GRUPOS 14

3.11.1 LASERTERAPIA DE BAIXA INTENSIDADE 15

3.11.2

Recommended

View more >