jornal chapéu de palha

Download Jornal Chapéu de Palha

Post on 12-Mar-2016

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição n.º 41

TRANSCRIPT

  • So Joo da Boa Vista e Regio - Setembro/2011 - Edio 41 - Ano 4 - Distribuio Gratuita

  • 01 Dia do Profissional de EducaoFsica02 Dia do Reprter Fotogrfico03 Dia do Guarda Civil03 Dia do Bilogo05 Dia Oficial da Farmcia05 Dia da Amaznia06 Dia do Alfaiate07 Independncia do Brasil08 Dia Internacional daAlfabetizao09 Dia do Administrador09 Dia do Mdico Veterinrio09 Dia da Velocidade10 Fundao do 1 Jornal do Brasil14 Dia da Cruz14 Dia do Frevo15 Dia do Cliente16 Dia Internacional paraPreservao da Camada de Oznio17 Dia da Compreenso Mundial18 Dia dos Smbolos Nacionais19 Dia do Teatro

    20 Dia do Funcionrio Municipal20 Dia do Gaucho21 Dia da rvore21 Dia da Luta Nacional dasPessoas com Deficincias22 Dia da Juventude no Brasil22 Dia do Contador23 Incio da Primavera23 Dia do Soldador23 Dia do Tcnico Industrial e doTcnico de Edificaes25 Dia Nacional do Trnsito26 Dia Nacional do Surdo27 Dia de Cosme e Damio27 Dia do Encanador27 Dia Mundial do Turismo27 Dia Nacional do Idoso29 Dia do Anunciante29 Dia do Petrleo30 Dia da Secretria30 Dia da Navegao30 Dia Mundial do Tradutor30 Dia Nacional do Jornaleiro

    Datas comemorativas de Setembro

  • Michel Tel! Garoto espertoresolveu dar uma Fugidinha e disparouno mercado musical entre os grandesartistas da msica sertaneja. Quempoderia imaginar que uma brincadeira decriana se tornaria realidade.

    Paranaense criado em CampoGrande (MS), o cantor comeou a seaventurar pela carreira musical quandotinha apenas 12 anos. Sua primeiraparticipao foi com integrante do GrupoGuri. Logo em seguida fez parte dabanda Santo Cho, mas se firmou comovocalista principal do Grupo Tradioonde ficou 12 anos.

    Sua performance no palco,carisma e interao com o pblicorenderam as primeiras participaes deartistas sertanejos em trios eltricos, atento restritos a cantores de msicabaiana, alm, claro, das apresentaesnas principais feiras e festas de peo dopas. Em 2009, lanou o primeiro CD

    solo, Balada Sertaneja ganhandodestaque com a msica Ei, Psiu BeijoMe Liga.

    E como todo artista seu sonho noparou por a. No dia 06 de Junho na festade Pinho de Lages (SC) de 2010,

    Michel deu mais um grande passo,gravou seu CD/DVD no qual mais de50 mil pessoas fizeram parte destagrande festa. Antes mesmo dolanamento a musica Fugidinha circulaentre as 10 mais tocadas do pas.

    Com parceria com uma dasmaiores gravadores do pas, Michellanou o CD e DVD Michel Tel - AoVivo, no repertrio esto canes comoLarga de Bobeira e a balada AmanhSei L, alm de Amor No Paixo,Pode Ir, Se No Tem Mar, VamosPro Bar e os pot-pourris Saudade deMinha Terra/60 Dias Apaixonado eBarquinho/Eu Quero Voc. Juntas,essas e outras msicas do cantorcompem a trilha certa para quem gostade diverso e azarao, sem deixar delado pitadas de romantismo.

    O carro chefe do lbum deestria, caiu nas graas do pblico, como bordo Vamos dar uma FugidinhaDepois de 17 de anos carreira e muitaexperincia no a toa que hoje em seuTwitter tem mais de 145 mil seguidorese mais de 16 milhes de visualizaesno vdeo da msica Fugidinha noYouTube.

    Histria e carreira de Michel Tel

  • Recesso, China e milhoPor *Joo Carlos Garcia e Jason de Oliveira Duarte

    Situao Mundial - Uma verificao sobre o com-portamento do mercado de milho nos ltimos anos indicaclaramente o estabelecimento de sucessivos patamares depreos. Entre os anos de 2004 e 2006, os preos variaramno intervalo entre US$ 2,00 e US$ 3,00 por bushel (algoentre US$ 80 e US$ 120 por tonelada). No perodo entre finsde 2006 e o ano de 2007, um novo patamar, entre US$ 3,00 eUS$ 4,00 por bushel (atingindo cerca de US$ 160 por tone-lada) vigorou. Este mesmo patamar foi atingido na estabili-zao que se seguiu crise do ano de 2008 e permaneceuat meados de 2010. A partir desta poca, os preos domilho comearam a subir novamente e alcanaram os recor-des verificados no perodo pr-crise de 2008, situando-seao redor dos US$ 7,00 (equivalente a US$ 275 por tonela-da). O que existe de novo que os picos de 2008 durarampoucos meses e os nveis de preos atuais j duram desdeo incio do ano.

    Embora uma srie de fatores tenha afetado este mer-cado durante estes anos (um pouco de especulao noano de 2008, secas que se verificaram na Argentina e, emoutro ano, na antiga Unio Sovitica), o principal fator quetem contribudo para o estabelecimento de novos patama-res de preo no mercado internacional do milho a utiliza-o deste cereal para produo de etanol nos Estados Uni-

    dos. Em um perodo de cerca de 10 anos, uma demanda deaproximadamente 100 milhes de toneladas foi criada nomaior pas exportador e provocou um desbalano nos es-toques, que davam segurana contra possveis frustraesde safras localizadas. Esta nova situao cria umaindefinio a cada ano, na medida em que surgem dvidasacerca da capacidade dos Estados Unidos, maior produtore exportador de milho, em atender a sua demanda interna egerar excedentes exportveis. O problema que o acrsci-mo na quantidade demandada foi grande e o espao detempo para realizar o ajuste na produo foi curto, em umpas com pouca extenso de rea ainda sem uso. Um estu-do recente do Departamento de Agricultura dos EstadosUnidos indica que a expanso da produo de milho foi emuma primeira instncia resultante do crescimento da pro-dutividade agrcola. Em uma fase posterior (aps 2006) ocrescimento da produo de milho resultou do avano so-bre reas tradicionais de soja e sobre reas ociosas ou depastagem. Por sua vez, a soja em conjunto com milho avan-ou sobre reas ocupadas com outras culturas em reasno tradicionais, registrando-se tambm o crescimento dasoja no sistema de plantio de mais de uma cultura, em su-cesso na mesma rea em um mesmo ano agrcola (double-cropping).

    Aparentemente este aumento na quantidade de mi-lho com esta finalidade est se esgotando. Na safra de 2009/

    10 a quantidade de milho utilizada foi de 116 milhes detoneladas, em 2010/11 foi de 128 milhes e a previso parao ano agrcola de 2011/12 de 129 milhes de toneladas. Ogoverno dos Estados Unidos est apoiando o desenvolvi-mento do chamado etanol de segunda gerao, elaboradoa partir de resduos agrcolas, um porto mais seguro deataques contra a utilizao de um cereal para produo deenergia. Algumas indstrias pilotos j esto em operao.

    Posto isto, a situao do milho fica resolvida? Apa-rentemente ainda no. Neste ano a China comeou efetiva-mente a importar maiores quantidades de milho dos Esta-dos Unidos. Por vrios anos esta possibilidade vinha sen-do levantada e nada acontecia. Considerando que a China um sorvedouro de matria-prima do mundo como um todo,este incio de importaes pode fornecer uma nova pres-so sobre a produo de milho no mundo, econsequentemente sobre os preos. Para finalizar, o pro-blema est em que as informaes sobre os estoques daChina podem no ser to confiveis. O Departamento deAgricultura dos Estados Unidos informa um estoque demais de 50 milhes de toneladas de milho existentes naChina (equivalentes a cerca de 25% do consumo anual) emum total de cerca de 120 milhes existentes no mundo. Casoeste estoque chins esteja superdimensionado, a situaofica difcil......Continua na pgina 13.....

  • Qualidade e agilidade com o coletor automatizado de amostras de soloCom a parceria das

    empresas Dekalb, Stihl, SaciSolues e Cooperbatata, oassistente tcnico de sementesda Dekalb, Luiz AugustoVizzotto, desenvolveu umaparelho coletor automatizadoque garante agilidade eperfeio na coleta deamostras do solo.

    A apresentao doaparelho foi realizado no dia10 de agosto, na propriedadede Paulo Zan no municpio deCasa Branca, que consistui nautilizao de uma sonda,extraindo uma amostra em 51segundos. Este aparelhopermite que a amostra de solocoletado fique prensado,formando assim torres o quetorna necessrio o desmanchemanualmente que podecontaminar a terra e prejudicara anlise, empregando um

    grande esforo fsico para tal.Tambm com grande esforofsico, o solo foi perfurado maisuma vez, agora com um tradoholands. Esse processo maisdemorado e levou 1 minuto e 20segundos, onde novamente aterra ficou prensada formandotorres.

    Numa terceirademonstrao, dessa vez commuito mais praticidade, Luizutilizou um coletor automatizado,acoplando a broca ao motor eperfurando o solo, levandoapenas 37 segundos, semqualquer esforo fsico. O coletor de fcil manuseio e permitiuextrair uma boa quantidade deterra, percorrendo assim umarea bem maior em poucoespao de tempo,economizando assim tempo eeconomizando as energiasfsicas.

  • Animais na pista e ateno redobradapara evitar coliso

    Pegar a estrada requer atenoredobrada. Olhos na pista e muitaprudncia por parte do motorista sofundamentais para evitar acidentes. Essetipo de cuidado imprescindvel econsiste na nica maneira de se prevenirde um tipo de coliso muito comum nasrodovias: o choque com animais. A reaodos bichos nesses casos imprevisvel,mas a do condutor do veculo no podeser.

    Para evitar colises com animaisem autopistas o motorista deve respeitaro limite de velocidade. Esse cuidadopermite que o condutor seja capaz dereagir adequadamente quando h algumbicho na pista, ou em qualquer outrasituao. comum que ao pegar a estradaas pessoas acelerem. Isso um errograve, pois quando surge um perigo, omotorista no sabe o que fazer e no temtempo para reao. Segundo o artigo 220do Cdigo de Trnsito Brasileiro, nodesacelerar o veculo aproximao de

    animais, atentando para a segurana dotrnsito, penalidade passvel de multa.Ao se deparar com um bicho na estrada,deve-se manter a calma. Qualquerdescontrole pode agravar a situao eprovocar a coliso. O motorista devefrear devagar, prestando muita ateno aoscarros que vm pela lateral e atrs. Nose pode fazer nenhum movimento brusco,nem buzinar ou acelerar. Nesses casos, oanimal pode se assustar e ir para cima docarro. Se mesmo depois de tomar todasessas medidas a coliso for inevitvel, preciso saber como agir. A AssociaoBrasileira de M