gazeta de varginha - 28/04/2015

Download Gazeta de Varginha - 28/04/2015

Post on 21-Jul-2016

225 views

Category:

Documents

8 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 9.220

TRANSCRIPT

  • Mx: 26 / Mn: 12

    Para evitar epidemia, Varginhaintensifica combate dengue

    EDIO 9.220R$ 1, 00 VARGINHA, 28 DE ABRIL DE 2015

    Novo equipamento mvel passa a ser utilizado nesta tera-feira (28/4) pela prefeitura

    Prazo paradeclarar IRtermina

    nesta quinta

    49ANOS

    Revelando Verdades

    local/pgina 04

    TEMPO

    Considerando o au-mento dos casos confir-mados de dengue na ci-dade, a Secretaria Mu-nicipal de Sade solici-tou um reforo no com-bate ao mosquito. Omunicpio passa a ado-tar nesta tera-feira (28/4) a utilizao de Bom-ba Mvel de Pulveriza-o.

    Trata-se de um ve-culo ao qual est acopla-da uma Bomba de Pul-verizao de InseticidaUltra Baixo Volume, queir percorrer as ruas dosbairros onde foi verifica-da uma maior quantida-de de focos do mosqui-to Aedes Aegypti.

    local/pgina 03local/pgina 05

    Varginha escolhida pelaALMG para debate sobre

    mulheres na poltica

    pgina 02

    PONTO DE VISTA

    DEUS FIEL

    A mocidade de Samuel

    Samuel 02

    local/pgina 03local/pgina 03

  • 28 DE ABRIL DE 201502 | GAZETA DE VARGINHAPONTO DE VISTA

    Gazeta de Varginha LtdaCNPJ: 21.535.075/0001-47

    Telefones(35) 3221-4668

    (35) 3221-4845 (fax)

    Dirio de circulao regionalHorrio de funcionamento:

    8h s 18h

    Diretora administrativa:Ana Maria Silva Piva

    Jornalista responsvel:Lanamara Silva (MTB: 8304 JP)

    Editor:Rodrigo S. Fernandes(Sindjori-MG: 312/99)

    Administrao / reviso:Lanamara Silva

    Jornalista e superintendentede redao:

    Paulo Ribeiro da SilvaFernandes (MTB: 16.851)

    Endereo:Av. dos Imigrantes, 445 - Santa

    Maria - CEP: 37022-560 Varginha

    E-mail:gazetadevarginha@gmail.com

    (redao)gazetacomercial2@gmail.com

    (comercial)

    Site oficial:www.jornalgazetadevarginha.com

    ABRAJORI AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI Sind. Prop. De

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI Associao dosJornais do Interior de

    Minas GeraisADI Associao dosJornais do Interior de

    Minas Gerais

    A redao no se responsa-biliza por conceitos emitidosem artigos assinados, mes-mo sob pseudnimos, queso de inteira responsabili-dade de seus autores.

    17-Era, pois, muitogrande o pecado des-tes moos perante oSenhor, porquantoos homens despreza-vam a oferta do Se-nhor.

    18-Porm Samuelministrava perante oSenhor, sendo aindajovem, vestido comum fode de linho.

    19-E sua me lhe fa-zia uma tnica pe-quena, e de ano emano lha trazia, quan-do com seu maridosubia para oferecer osacrifcio anual.

    20-E Eli abenoavaa Elcana e a sua mu-lher, e dizia: O Se-nhor te d descen-dncia desta mulher,pela petio que fezao Senhor. E volta-vam para o seu lugar.

    21-Visitou, pois, oSenhor a Ana, que con-cebeu, e deu luz trsfilhos e duas filhas; e ojovem Samuel cresciadiante do Senhor.

    22-Era, porm, Eli jmuito velho, e ouviatudo quanto seus fi-lhos faziam a todo oIsrael, e de como sedeitavam com as mu-lheres que em bandosse ajuntavam portada tenda da congrega-o.

    23-E disse-lhes: Porque fazeis tais coisas?Pois ouo de todo estepovo os vossos malef-cios.

    24-No, filhos meus,porque no boa estafama que ouo; fazeistransgredir o povo doSenhor.

    25-Pecando homem

    Palavras de Vida

    A mocidade de SamuelSAMUEL 02Parte IIcontra homem, os ju-zes o julgaro; pecan-do, porm, o homemcontra o Senhor, quemrogar por ele? Masno ouviram a voz deseu pai, porque o Se-nhor os queria matar.

    26-E o jovem Samuelia crescendo, e fazia-seagradvel, assim paracom o Senhor, comotambm para com oshomens.

    27- E veio um ho-mem de Deus a Eli, edisse-lhe: Assim diz oSenhor: No me mani-festei, na verdade, casa de teu pai, estan-do eles ainda no Egi-to, na casa de Fara?

    28-E eu o escolhidentre todas as tribosde Israel por sacerdo-te, para oferecer sobreo meu altar, para acen-

    der o incenso, e paratrazer o fode perantemim; e dei casa deteu pai todas as ofertasqueimadas dos filhosde Israel.

    29-Por que pisastes omeu sacrifcio e a mi-nha oferta de alimen-tos, que ordenei naminha morada, e hon-ras a teus filhos maisdo que a mim, para vosengordardes do prin-cipal de todas as ofer-tas do meu povo de Is-rael?

    30-Portanto, diz oSenhor Deus de Isra-el: Na verdade tinhafalado eu que a tua casae a casa de teu pai an-dariam diante de mimperpetuamente; po-rm agora diz o Se-nhor: Longe de mimtal coisa, porque aos

    que me honram hon-rarei, porm os que medesprezam sero des-prezados.

    31-Eis que vm diasem que cortarei o teubrao e o brao da casade teu pai, para queno haja mais ancioalgum em tua casa.

    32-E vers o apertoda morada de Deus,em lugar de todo obem que houvera defazer a Israel; nem ha-ver por todos os diasancio algum em tuacasa.

    33-O homem, po-rm, a quem eu nodesarraigar do meu al-tar ser para te consu-mir os olhos e para teentristecer a alma; etoda a multido da tuacasa morrer quandochegar idade varonil.

    34-E isto te serpor sinal, a saber: oque acontecer a teusdois filhos, a Hofni ea Finias; ambosmorrero no mesmodia.

    35-E eu suscitareipara mim um sacerdo-te fiel, que procedersegundo o meu cora-o e a minha alma, eeu lhe edificarei umacasa firme, e andarsempre diante do meuungido.

    36-E ser que todoaquele que restar datua casa vir a inclinar-se diante dele por umamoeda de prata e porum bocado de po, edir: Rogo-te que meadmitas a algum mi-nistrio sacerdotal,para que possa comerum pedao de po.

    DominiqueMagalhes

    No prximo ms, celebrado o Dia do Tra-balho, tarefa essa quedesde os primrdios nosfornece o sustento mate-rial e a possibilidade deconquistar o sucesso. To-davia, nem todos consi-deram essa data uma oca-sio para comemorar.

    A insatisfao, a frus-trao e a infelicidademuitas vezes tomam con-ta do ambiente onde pas-samos a boa parte do nos-so tempo, causando sri-os problemas ao corpo eprincipalmente alma.

    A lista de fatores quepode causar esse mal es-tar na rea profissional imensa! Acredito que opior motivo seja o fato deno estarmos na profis-so correta. No ter afi-nidade com aquilo que serealiza todos os dias levamilhares de pessoas aosofrimento. Muitos pro-fissionais entram no mer-cado de trabalho exer-cendo uma funo queno lhes d nenhum pra-zer, tornando suas tare-

    fas dirias uma grandetortura.

    Se nos encontramosinfelizes no trabalho, possvel que essa adver-sidade prossiga conoscoalm do horrio comer-cial.

    Algumas pessoas tor-nam-se amargas, apti-cas e descontam seussentimentos de frustra-o em familiares, ami-gos ou fogem, mergu-lhando em vcios: cigar-ro, comida, bebida, o quetraz uma sensao dealento apenas passageira,agravando a tristeza.

    A maioria de ns cos-tuma desperdiar peque-nas oportunidades de fe-licidade apenas porquede frustrao em frustra-o a alma cansa, se ini-be, correndo o risco de sefechar para o novo.

    Lembro-me de tervisto pessoas reduzirema prpria existncia auma interminvel listade obrigaes, por se jul-garem incapazes de al-canar a realizao profis-sional, ou por no se con-siderarem merecedorasdas coisas boas que pode-

    Reflita sobre a infelicidade no trabalhoriam viver.

    O que pode ser feitopara mudar esta situa-o? Penso que quandovoc percebe que suavida profissional no lheagrada, seja a hora deconsiderar a busca porseu verdadeiro dom.

    A resposta para asimples pergunta Qual o seu dom? tem umpoder revelador. Em ge-ral, ao serem indagadassobre esta qualidade ina-ta, as pessoas deixam delado a expresso de de-snimo e seus olhos bri-lham. Algumas ficamconfusas, pois nunca sesentiram dotadas de umtalento, ou apenas nohaviam pensado sobreisso.

    Somos induzidos ater dinheiro e sucessoatravs de uma ocupao,e muitas vezes abando-namos algo que temos deespecial quando esco-lhemos nossos caminhosprofissionais, sem levar-mos em conta a ddivaque recebemos ao nas-cer.

    Encare o desafio deconhecer a si mesmo, de

    viver e assumir seu dom,de superar obstculos ede ser reconhecido porisso.

    Procure dentro de siaquele sonho que d sen-tido sua existncia.Descarte as aspiraesque so dos outros e faaquesto de perseguir eviver aquelas que so re-almente suas. Voc me-rece ter uma vida feliz.Viva seu dom!

    * Dominique Maga-lhes - De origem sim-ples, Dominique Maga-lhes, empresria comforte foco no social, nas-ceu no Rio de Janeiro,mas viveu dos oito aosvinte e seis anos em Ca-rangola, municpio loca-lizado em Minas Gerais.Saiu do interior com ob-jetivo de trabalhar seu ta-lento e vocao. Em bus-ca da profisso dos so-nhos, desempenhou v-rias funes que foram decabeleireira vendedora.Em 2005, movida pelapaixo de escrever dilo-gos e roteiros, montou aDom Produes Criati-vas, uma produtora audi-

    ovisual independente.Atualmente, autora domtodo Dom e Proje-to Social Dom Qual oseu dom? cujo objeti-vo levar as pessoas acompreenderem, capa-citarem e compartilha-

    rem seus dons, para ob-terem uma vida plena efeliz. Escreveu tambm olivro O que falta paravoc ser feliz? e ideali-zadora do projeto audio-visual & plataformas SEMMALAS.

  • LOCALGAZETA DE VARGINHA | 0328 DE ABRIL DE 2015

    Varginha escolhida pela ALMG para

    debate sobre mulheres na polticaEvento debater a importncia da igualdade de gneros nas esferas de poder e formas de ampli-la

    Foram decididas ascinco cidades mineirasque recebero o Ciclo deDebates Reforma Polti-ca, Igualdade de Gne-ro e Participao: o quequerem as mulheres deMinas. Varginha foi aescolhida no Sul de Mi-nas. O encontro na cida-de ser no dia 12 de ju-nho.

    Os municpios fo-ram selecionados duran-te reunio preparatriarealizada na AssembleiaLegislativa de Minas Ge-rais (ALMG), nesta quar-ta-feira (22/4/15), com apresena de entidades emovimentos sociais,

    alm das deputadas Ro-sngela Reis (Pros) eGeisa Teixeira (PT).

    A realizao do Ciclode Debates no interiorfoi definida aps o even-to ocorrido em Belo Ho-rizonte, no dia 13