gazeta de varginha - 24/02/2015

Download Gazeta de Varginha - 24/02/2015

Post on 08-Apr-2016

222 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 9.177

TRANSCRIPT

  • Mx: 31 / Mn: 19

    Sade pblica: Hemocentroencerra atividades nesta tera

    EDIO 9.177R$ 1, 00 VARGINHA, 24 DE FEVEREIRO DE 2015

    Hemominas vai assumir coleta de sangue na cidade, que ser feita na Policlnica Central

    49ANOS

    Revelando Verdades

    gazetadevarginha@gmail.comwww.jornalgazetadevarginha.com facebook.com/gazetavga

    pgina 02

    PONTO DE VISTA

    DEUS FIEL

    1965 - 2014

    Comrcio de Varginha ganha novo

    servio de proteo para as vendas

    local/pgina 05

    Josu 20

    Estabelecem-se as cidades de refgio

    local/pgina 04

    O Hemocentro deVarginha encerra suas ati-vidades nesta tera-feira,dia 24 de fevereiro. A lo-cal atendia 19 cidades daregio. Um decreto fede-ral que determina que sunidades do Hemominaspodem fornecer bolsas desangue para hospitais vaifazer com que os centrosparticulares de coleta desangue sejam fechados.

    O Hemocentro deVarginha, que presta ser-vio ao Estado h quase 40anos, uma empresa par-ticular que possui contra-to com o Sistema nico deSade (SUS) para captar efornecer sangue para hos-pitais da regio. No entan-to, segundo o Hemomi-nas, o servio no vai serrenovado. A deciso foitomada com base em umdecreto federal que exigeque o Estado seja o nicofornecedor de sangue paraa rede pblica.Esclarecimento

    local/pgina 03

    Quebra de

    safra e falta

    de chuvas

    preocupam

    produtores

    regional/pgina 06

    Dois jovensmorrem

    afogados nazona rural

    de Varginha

    O comrcio de Vargi-nha possui agora mais umaferramenta de proteopara suas vendas. O Sind-var est comeando a ope-rar, na cidade e tambmem toda a regio, o banco

    de informaes da Boa Vis-ta Servios, que fornecemais 200 milhes de con-sultas/ms a seus clientese consumidores.

    Dois jovens, de 17 e18 anos, morreramafogados em um lagona Fazenda Cachoeira,zona rural do munic-pio de Varginha, pr-ximo ao limite comMonsenhor Paulo,neste final de semana

    O atencioso e humanopresidente do HospitalBom Pastor e vice-presi-dente do Hospital Regi-onal, Luiz Fernando Al-fredo, se ausentou de suasfunes na rea da sadepor trinta dias, para resol-ver assuntos particulares.

    Luis Fernando sem-

    pre procurado para resol-ver assunto dessa nature-za, por carregar ao longode sua vida profissionalpublica uma grande baga-gem de sabedoria e com-petncia nos assuntos re-lacionados aos rgos p-blicos.

    Luis Fernando prestaeste valioso trabalho naqualidade de voluntrio,no recebendo salrio al-gum. E est sempre bemhumorado e solicito comas causas em que lhe vems mos a procura de solu-o.

  • 24 DE FEVEREIRO DE 201502 | GAZETA DE VARGINHAPONTO DE VISTA

    Gazeta de Varginha LtdaCNPJ: 21.535.075/0001-47

    Telefones:(35)3221-4668

    (35)3221-4845 (fax)

    E-mail:gazetadevarginha@gmail.com

    (redao)gazetacomercial2@yahoo.com.br

    (comercial)

    Site oficial:www.jornalgazetadevarginha.com

    Endereo:Av. dos Imigrantes, 445

    Santa Maria - CEP: 37022-560Varginha/MG

    EquipeDiretora administrativa

    Ana Maria Silva Piva

    Editor e colunistaRodrigo S. FernandesSindjori - MG 312/99

    Departamento comercialJocasta Fvaro eRosemeire Luiz

    Jornalista responsvelRbertson Fidlis

    Reportagem e redaoSrgio Avellar e

    Rbertson Fidlis

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop. de

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI - Associao dosJornais do Interior

    ADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    A redao no respondepor artigos assinados,

    mesmo sob pseudnimos,que so de inteira respon-sabilidade de seus autores.

    1 - FALOU maiso SENHOR a Josu,dizendo:

    2 - Fala aos filhosde Israel, dizendo:Apartai para vs ascidades de refgio,de que vos falei peloministrio de Moiss,

    3 - Para que fujapara ali o homicida,que matar algumapessoa por engano, e

    no com inteno; paraque vos sirvam de ref-gio contra o vingadordo sangue.

    4 - E fugindo paraalguma daquelas cida-des, pr-se- portadela e expor a sua cau-sa aos ouvidos dos an-cios da tal cidade; en-to o tomaro consigona cidade; e lhe darolugar, para que habite

    Palavras de Vida

    Estabelecem-se as cidades de refgioJOSU 20

    com eles.5 - E se o vingador

    do sangue o seguir,no entregaro na suamo o homicida, por-quanto no feriu a seuprximo com inteno,e no o odiou antes.

    6 - E habitar namesma cidade, at quecomparea em juzoperante a congregao,at que morra o sumo

    Atire a primeira pe-dra quem nunca pen-sou em largar a vidacorporativa e ser donodo prprio nariz. Ho-rrios inflexveis, rela-trios sem sentido, che-fes intolerantes, tarefasrepetitivas, clientes in-transigentes, viagens,colegas mal humora-dos, reunies intermi-nveis e funcionriosque s fazem reclamarso parte da extenuan-te rotina, existente des-de os tempos de AdanSmith, defensor dosbenefcios da diviso dotrabalho. De uma ma-neira menos robotizadae com superviso maisbranda, a verdade que continuamos a ven-der nossa mo de obrapor pelo menos oitohoras dirias, tal qualCharles Chaplin emTempos Modernos.

    A certeza do salriono final do ms, as f-rias remuneradas, ofundo de garantia, oplano de previdncia,os bnus e as participa-es nos lucros, o pla-no mdico e odontol-gico, o carro da empre-sa, a gasolina paga, aprevidncia comple-mentar, o reembolsoeducao, o vale ali-mentao, a cesta bsi-ca, a licena maternida-de e as demais regaliascostumam pesar bas-tante, pendendo a ba-

    Planos alternativos de carreira: hora de partir para um negcio prprio?lana para o lado origi-nal. Resignados, engo-limos mais um sapopara a nossa coleo,sublimando nossa insa-tisfao at que o pr-ximo ataque de incon-formismo aparea.

    Para completar aequao desfavorvel,j se foi o tempo emque um profissionalcostumava passar a vidainteira em uma empre-sa. A maior competiotrouxe a necessidade dereduzir custos, o queatrelada menor leal-dade de lado a lado fezcom que executivosmaduros e qualificadosdisponveis no merca-do se tornassem lugarcomum. Sem ofertas detrabalho adequadas aoseu perfil, acabam par-tindo para o plano Bsem preparao prvia,num momento em quesuas finanas e menteencontram-se fragiliza-das.

    Uma sada para estaarmadilha est no pla-nejamento de carreirasalternativas, investindoparte de sua renda etempo disponvel emum novo negcio ouprofisso enquanto ain-da se est na ativa,construindo redes deproteo para a aposen-tadoria ou eventuaiscortes de pessoal, alm claro da satisfao emconduzir um outro

    sacerdote que houvernaqueles dias; ento ohomicida voltar, e vir sua cidade e suacasa, cidade de ondefugiu.

    7 - Ento designa-ram a Quedes na Gali-lia, na montanha deNaftali, e a Siqum, namontanha de Efraim, ea Quiriate-Arba (esta Hebrom), na montanha

    de Jud.8 - E, alm do Jor-

    do, na direo de Je-ric para o oriente, de-signaram a Bezer, nodeserto, na campina datribo de Rben, e a Ra-mote, em Gileade da tri-bo de Gade, e a Gol,em Bas da tribo deManasss.

    9 - Estas so as ci-dades que foram desig-

    nadas para todosos filhos de Israel,e para o estrangei-ro que habitasseentre eles, para quese acolhesse a elastodo aquele quepor engano, ma-tasse alguma pes-soa, para que nomorresse s mosdo vingador dosangue, a

    empreendimento. Parailustr-la, trago a expe-rincia de Steve Jobs edo escritor Chris Guil-lebeau, autor da A star-tup de $ 100, cujo livrotraz histrias inspira-doras de gente que fezesta transio. Vejamosalgumas dicas.

    Convergncia: ainterseco entre algoque voc gosta de fazerou bom fazendo (depreferncia os dois) ealgo pelo qual as pes-soas tambm se interes-sam ou esto dispostasa pagar. Um coleciona-dor de soldadinhos dechumbo talvez no te-nha um grande merca-do. Enologia, gastrono-mia, trabalhos artesa-nais, jardinagem, es-portes radicais e via-gens por outro lado,costumam despertar ointeresse de bastantegente. Quando a paixoou a habilidade se en-contram com a utilida-de e uma proposta devalor atraente, h chan-ces de um negcio in-teressante surgir.

    Transformao dehabilidades: diversosprojetos comeam como uso de habilidadesrelacionadas. Para elu-cid-la, pensemos emum professor. Em ge-ral so bons no apenaslecionando, mas tam-bm em reas como co-municao adaptabili-

    dade e controle de pes-soas, as quais podemser utilizadas para abrirum negcio. Pense emvoc agora. Quantasvezes no ouviu ou dis-se para outra pessoaque era hbil em deter-minada atividade, mes-mo sem exerc-la? Hex-jogadores que sederam bem como trei-nadores, outros comocomentaristas.

    Juntar os pontos: apreocupao com pla-nos alternativos de car-reira costuma chegarcom os cabelos brancos,quando decepes,frustraes, desafios evitrias compem o quechamamos de experin-cias passadas. SteveJobs relatou de manei-ra perfeita este senti-mento em seu famosodiscurso proferido aosformandos de Stan-ford: Voc no conse-gue ligar os pontosolhando para a frente,s consegue lig-losolhando para trs. Des-ta forma, h que confi-ar que os pontos se li-garo algum dia no fu-turo. Apesar disso, pla-nejamento e objetivosclaros no atrapalham.

    Enfim, convergn-cia mais transformaode habilidades maisjuntar os pontos, cos-tumam ser sinnimo desucesso para iniciar umplano alternativo de

    carreira. Pare, pense efaa um inventrio desuas habilidades, voca-es e hobbies, assimcomo se desejaria tor-n-la uma profisso nofuturo. Com relao aviabilidade, identifiqueeventuais lacunas nomercado que ainda noesto cobertas, comoespecialista no temacreio que no ser dif-cil. Faa entrevistascom futuros clientes,converse com especia-listas e parta para aao. Cabe a voc abrirmo de sua comodida-de e zona de conforto,

    dedicando um poucode seu tempo paraconstruir seu futuro. Sno vale dizer que nosabia.

    *Marcos Morita mestre em Administra-o de Empresas, pro-fessor da UniversidadeMackenzie e professortutor da FGV-RJ. Es-pecialista em estratgi-as empresariais, colu-nista, palestrante e con-sultor de