gazeta de varginha - 20/09 a 22/09/2014

Download Gazeta de Varginha - 20/09 a 22/09/2014

Post on 03-Apr-2016

251 views

Category:

Documents

20 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 9.076

TRANSCRIPT

  • Mx: 31 / Mn: 16

    Evento abre as comemoraes

    dos 50 anos da Fepesmig

    EDIO 9.076R$ 1, 00 VARGINHA, 20 A 22 DE SETEMBRO DE 2014

    Presidente do Grupo Unis, Stefano Barra Gazzola, explicou como sero as festividades

    local/pgina 03

    pgina 02

    PONTO DE VISTA

    Nmeros 22

    Balaque envia mensageiros a Balao

    DEUS FIEL

    Varas judiciais de Varginha tm60 mil processos em tramitao

    gazetadevarginha@gmail.com

    www.jornalgazetadevarginha.com

    facebook.com/gazetavga

    esporte/pgina 15

    Boa Esporte busca vitria

    contra o Paran Clube

    para no descolar do G4

    local/pgina 05

    A noite de quinta-fei-ra, 18 de setembro, mar-cou a abertura oficial dasfestividades em comemo-rao aos 50 anos da Fe-pesmig, a Fundao deEnsino e Pesquisa do Sulde Minas. A mantenedorado Unis-MG, FABE, FA-TEPS, FIC e do ColgioAlpha, que formam o Gru-po Educacional Unis,completa meio sculo em2015 e um evento realiza-do para diversas lideran-as da Instituio apre-sentou todas as aes quesero realizadas durante oprximo ano.

    O Presidente do Gru-po Educacional Unis,Prof. Me. Stefano BarraGazzola, explicou aos pre-sentes como sero as fes-tividades.

    local/pgina 04

    Incndio

    atinge antigo

    prdio de

    educandrio

    desativado

    Aciv e Banco do

    Brasil renem

    mais de 80

    empresrios

    de Varginha

    Codeva realiza

    Varginha

    Acessvel

    neste sbado

    local/pgina 04

    local/pgina 03

  • CNPJ: 21.535.075/0001-47

    A redao no seresponsabiliza por

    conceitos emitidos emartigos assinados, mesmo

    sobpseudnimos, que so deinteira responsabilidade

    de seus autores.

    Dirio de CirculaoRegional - Diretora

    Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:

    Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:

    Rodrigo S. Fernandes Sindjori- MG 312/99 - Administra-o/Reviso: Lanamara Silva

    - Paulo Ribeiro da SilvaFernandes

    (Jornalista e superintenden-te de redao-

    M.T.TB.16.851) - Horriode funcionamento das08:00hs s 18:00hs

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop.de Jornais e Revistas do

    InteriorADJORI - Associaodos Jornais do InteriorADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    ENDEREO:Redao e Departamentode Publicidade Av. dosImigrantes, 445 - SantaMaria - CEP 37022-560 -

    Telefones(35)3221-4668(35)3221-4845

    VARGINHA/MGE-mail: gazetade

    varginha@gmail.comgazetacomercial2@yahoo.

    com.brEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br

    20 A 22 DE SETEMBRO DE 201402 | GAZETA DE VARGINHAPONTO DE VISTA

    Atitudes que no se aprendem na escolaEduardo Ferraz

    Est aberta a tem-porada dos maioresprogramas de traineesdo Brasil. Grandes em-presas oferecem vagaspara jovens estudantese recm-formados, quepodem aproveitar aoportunidade para sa-ber se aquilo que estu-daram tem realmente aver com o que almejampara o futuro.

    Porm, mais doque ter uma boa facul-dade e fazer um bomestgio, importantelembrar que existematitudes essenciais paraum bom profissional eque estas no se apren-dem nas escolas. Soquestes ligadas con-duta e a comportamen-tos que, aliadas a muitaprtica e um currculoconsistente, ditarocom muito mais inten-

    sidade o sucesso ou fra-casso do profissional.

    Seguem abaixocinco atitudes essenci-ais que no se apren-dem na escola.

    1- Coerncia Mui-to mais importante doque aquilo que voc fala o que voc efetiva-mente faz no dia a dia.No tenha receio de ad-mitir seus erros ou ex-pressar sua pouca com-petncia em determi-nadas atividades nemtampouco de assumira responsabilidadequando tiver que tomardecises difceis.

    2- tica Seja cor-reto com todas as suasobrigaes e evite qual-quer tipo de espertezaou malandragem. Opreo de ser tico sem-pre vale a pena no lon-go prazo, mesmo quecuste um pouco maiscaro no incio. Ser re-

    conhecido como pes-soa ntegra facilita as re-laes em todas as re-as e d uma maior mar-gem de manobra paralidar com os desafioscotidianos.

    3- Profissionalismo- a atitude do indiv-duo de cumprir seu tra-balho de maneira cor-reta e bem planejada. tambm a vontade desempre entregar tudo oque combinado emtodas as reas profissi-onais.

    4- Resilincia - ahabilidade de superarobstculos ou resistir presso de situaesadversas sem entrar emdesespero. tambm acapacidade de enfren-tar e resolver problemassem se abater ou desa-nimar.

    Profissionais resili-entes conseguem, mui-tas vezes, transformar

    grandes dificuldadesem oportunidades deaprendizado e cresci-mento.

    5 - Determinao a capacidade de en-frentar desafios comconfiana e firmeza,mantendo-se concen-trado, sem desviar doroteiro planejado. Pes-soas assim contagiamtodos a sua volta, comseu exemplo de no de-monstrar desnimo ouinsegurana quando asituao difcil.

    Eduardo Ferraz consultor em Gesto dePessoas h 25 anos e es-pecialista em treina-mentos usando comobase a Neurocinciacomportamental. Acu-mula mais de 30.000horas de experinciaprtica em empresas devrios segmentos. ps-graduado em Di-

    1 - DEPOIS parti-ram os filhos de Isra-el, e acamparam-senas campinas de Mo-abe, alm do Jordona altura de Jeric.

    2 - Vendo, pois,Balaque, filho de Zi-por, tudo o que Israelfizera aos amorreus,

    3 - Moabe temeumuito diante destepovo, porque era nu-meroso; e Moabe an-dava angustiado porcausa dos filhos de Is-rael.

    4 - Por isso Moa-be disse aos anciosdos midianitas: Ago-ra lamber esta con-gregao tudo quan-to houver ao redor dens, como o boi lam-be a erva do campo.Naquele tempo Bala-que, filho de Zipor, erarei dos moabitas.

    5 - Este envioumensageiros a Balao,filho de Beor, a Petor,

    que est junto ao rio, naterra dos filhos do seupovo, a cham-lo, di-zendo: Eis que umpovo saiu do Egito; eisque cobre a face da ter-ra, e est parado de-fronte de mim.

    6 - Vem, pois, ago-ra, rogo-te, amaldioa-me este povo, pois maispoderoso do que eu;talvez o poderei ferir elanar fora da terra;porque eu sei que, aquem tu abenoaresser abenoado, e aquem tu amaldioaresser amaldioado.

    7 - Ento foram-seos ancios dos moabitase os ancios dos midia-nitas com o preo dosencantamentos nassuas mos; e chegarama Balao, e disseram-lheas palavras de Balaque.

    8 - E ele lhes disse:Passai aqui esta noite, evos trarei a resposta,como o SENHOR me

    falar; ento os prncipesdos moabitas ficaramcom Balao.

    9 - E veio Deus aBalao, e disse: Quemso estes homens queesto contigo?

    10 - E Balao dissea Deus: Balaque, filhode Zipor, rei dos moa-bitas, os enviou, dizen-do:

    11 - Eis que o povoque saiu do Egito cobrea face da terra; vemagora, amaldioa-o;porventura poderei pe-lejar contra ele e expul-s-lo.

    12 - Ento disseDeus a Balao: No irscom eles, nem amaldi-oars a este povo, por-quanto bendito.

    13 - Ento Balaolevantou-se pela ma-nh, e disse aos prnci-pes de Balaque: Ide vossa terra, porque oSENHOR recusa dei-xar-me ir convosco.

    Palavras de Vida

    Balaque envia mensageiros a BalaoNmeros 22Parte I14 - E levantaram-

    se os prncipes dos mo-abitas, e vieram a Bala-que, e disseram: Balaorecusou vir conosco.

    15 - Porm Balaquetornou a enviar maisprncipes, mais honra-dos do que aqueles.

    16 - Os quais forama Balao, e lhe disse-ram: Assim diz Balaque,filho de Zipor: Rogo-teque no te demores emvir a mim.

    17 - Porque grande-mente te honrarei, e fa-rei tudo o que me dis-seres; vem pois, rogo-te, amaldioa-me estepovo.

    18 - Ento Balaorespondeu, e disse aosservos de Balaque: Ain-da que Balaque me des-se a sua casa cheia deprata e de ouro, eu nopoderia ir alm da or-dem do SENHOR meuDeus, para fazer coisapequena ou grande;

    19 - Agora, pois,rogo-vos que tambmaqui fiqueis esta noite,para que eu saiba o quemais o SENHOR medir.

    20 - Veio, pois,Deus a Balao, de noi-te, e disse-lhe: Se aque-les homens te vieramchamar, levanta-te, vaicom eles; todavia, farso que eu te disser.

    21 - Ento Balaolevantou-se pela ma-nh, e albardou a suajumenta, e foi com osprncipes de Moabe.

    22 - E a ira de Deusacendeu-se, porque elese ia; e o anjo do SE-NHOR ps-se-lhe nocaminho por advers-rio; e ele ia caminhan-do, montado na sua ju-menta, e dois de seusservos com ele.

    23 - Viu, pois, a ju-menta o anjo do SE-NHOR, que estava nocaminho, com a sua es-

    pada desembainhadana mo; pelo quedesviou-se a jumentado caminho, indopelo campo; entoBalao espancou ajumenta para faz-latornar ao caminho.

    24 - Mas o anjo doSENHOR ps-senuma vereda entre asvinhas, havendo umaparede de um e deoutro lado.

    25 - Vendo, pois,a jumenta, o anjo doSENHOR, encostou-se contra a parede, eapertou contra a pa-rede o p de Balao;por isso tornou a es-panc-la.

    26 - Ento o anjodo SENHOR passoumais adiante, e ps-senum lugar estreito,onde no havia cami-nho para se desviarnem para a direitanem para a esquerda.

    Continua...

    reo de Empresas eautor dos livros Porque a gente do jeitoque a gente ?, Ven-

    cer ser voc e Seja apessoa certa no lugarcerto, pela EditoraGente.

  • LOCALGAZETA DE VARGINHA | 0320 A 22 DE SETEMBRO DE 2014

    Aciv e Banco do Brasil renem maisde 80 empresrios de Varginha

    Caf Empresarial foi realizado no auditrio da Associao Comercial, nesta quinta-feira

    O Caf Empresarialrealizado pela AssociaoComercial de Varginha eBanco do Brasil reuniumais de 80 empresrios noauditrio da ACIV nestaquinta-feira (18/9). Almde empresrios estavampresentes tambm geren-tes do Banco do Brasil e di-retores da ACIV.

    A abertura do eventofoi feita pela gerente co-mercial da ACIV, VanessaMarcondes, que agrade-ceu a presena de todos ejustificou a ausncia dopresidente da entidade,Aloysio Ribeiro de Almei-da, que nesta ocasio foi re-presentado pelo vice-pre-sidente, Anderson Mar-tins, que falou sobre as no-vas parcerias e servios quevem sendo conquistadaspara os as