gazeta de varginha - 16/01/2015

Download Gazeta de Varginha - 16/01/2015

Post on 07-Apr-2016

232 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 9.153

TRANSCRIPT

  • Mx: 33 / Mn: 19

    Materiais escolares tm fortevariao de preo em Varginha

    EDIO 9.153R$ 1, 00 VARGINHA, 16 DE JANEIRO DE 2015

    preciso pesquisar: um simples lpis pode custar de R$ 0,30 a incrveis R$ 10,00

    49ANOS

    Revelando Verdades

    gazetadevarginha@gmail.comwww.jornalgazetadevarginha.com facebook.com/gazetavga

    pgina 02

    PONTO DE VISTA

    DEUS FIEL

    1965 - 2014

    Cmara de Mediao e Arbitragem doCrea-Minas passa a atuar em Varginha

    local/pgina 03

    esporte/pgina 15

    Josu 02

    Espias mandados a Jeric. Raabe

    local/pgina 05

    local/pgina 04

    Os servios da CMA/Crea-Minas podem seragendados em Varginha,na sede da Inspetoria nacidade, que fica na Pre-sidente Arthur Bernar-

    des, n 240, bairro VilaPinto. O atendimento de segunda a sexta, das8h s 17h.

    local/pgina 05

    Est aberta a tempo-rada de caa ao materialescolar. A lista de materi-al individual, apesar deser a mesma para todos osalunos de uma determi-nada srie de uma mesmaescola. Os preos variamde acordo com o bolso docomprador. Um simpleslpis pode custar de R$0,30 a incrveis R$ 10,00.

    Principalmente os es-pecialistas e membros doProcom anotam regraspara comprar mais bara-to. Dentre elas pesquisarem diversos locais e nolevar o aluno no dia de ad-quirir os produtos.

    Falta de gua afeta pelomenos cinco bairros emVarginha esta semana

    Vestibularagendadoda Fadivavai at o

    dia 23

    local/pgina 04

    pgina 09

    Comitiva doGrupo Unisparticipa

    de curso

    nos EstadosUnidos

  • 16 DE JANEIRO DE 201502 | GAZETA DE VARGINHAPONTO DE VISTA

    Gazeta de Varginha LtdaCNPJ: 21.535.075/0001-47

    Telefones:(35)3221-4668

    (35)3221-4845 (fax)

    E-mail:gazetadevarginha@gmail.com

    (redao)gazetacomercial2@yahoo.com.br

    (comercial)

    Site oficial:www.jornalgazetadevarginha.com

    Endereo:Av. dos Imigrantes, 445

    Santa Maria - CEP: 37022-560Varginha/MG

    EquipeDiretora administrativa

    Ana Maria Silva Piva

    Editor e colunistaRodrigo S. FernandesSindjori - MG 312/99

    Departamento comercialJocasta Fvaro eRosemeire Luiz

    Jornalista responsvelRbertson Fidlis

    Reportagem e redaoSrgio Avellar e

    Rbertson Fidlis

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop. de

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI - Associao dosJornais do Interior

    ADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    A redao no respondepor artigos assinados,

    mesmo sob pseudnimos,que so de inteira respon-sabilidade de seus autores.

    Voc tambm pode se reciclarHelosa Capelas

    Est pensando emcomo fazer de 2015 umano verdadeiramente es-pecial? Pois a palavra deordem : Reciclar. Reci-clar transformar o velhoem novo. No caso doscomportamentos, esseprocesso leva voc a ummodo diferente de funci-onar.

    Existem duas reci-clagens fundamentaisque auxiliam nessa mu-dana, elas so ferramen-tas poderosas do autoco-nhecimento. Uma se re-fere ao estado emocionale a outra parte prticado novo comportamento.Uma muda o estado de es-prito, e a outra atua dire-to na parte prtica do novocomportamento.

    Quando voc desejaapenas mudar as emoesprecisa buscar mecanis-mos que ativem outrasreas do seu crebro eajudem a tirar foco do seuproblema. Em vez de fi-car remoendo uma mgoadurante todo o seu dia,comece por fazer algo

    simples e de que vocgosta. O qu? No se es-pante, as dicas so sim-ples: ouvir uma msica(claro, no v escutar aque deixa voc mais de-primido!), ler um livro, as-sistir a um vdeo ou filme,fazer atividade fsica oumesmo cantar, por exem-plo.

    H uma riqueza mui-to grande nesta simplici-dade. Voc precisa, defato, acionar outra rea doseu crebro, pois nofunciona apenas repetirpara si: No vou me tor-turar, no irei mais meaborrecer, no falareimais sobre isso... O queacha que seu crebro estfazendo neste momento?De nada adianta colocar ono na frase, porque seucrebro est registrandoas palavras tortura,aborrecer, falar sobreisso e ativar conexesneurais que tm ligaodireta com elas.

    Mudar estado emoci-onal leva voc a alterarsentimentos, entretanto,no necessariamente,muda comportamentos.

    Para isso, voc precisarde exerccio prtico, trei-no e treino. Pode ser, ini-cialmente, um pequenopasso, mas no qual vocfaa realmente algo dife-rente, e que prossiga con-tinuamente at dar passosmais largos e internalizarum novo virar hbito.

    Sim, nada acontece-r se voc no se dedicar.Aqui a mudana s acon-tece com a ao. Voc vaicomear a fazer ginsticatodo dia de manh? Pe-gue-se pelo seu colarinhoe v! uma reciclagem,est colocando outro h-bito em vez de ficar dor-mindo ou ficar na depres-so, por exemplo. Ou, en-to, comece treinando aimaginao: visualize-sepor um tempo fazendoesta atividade, duranteuns dez dias: veja o rel-gio despertar, voc estacordando, num determi-nado momento abre a ja-nela e vai se exercitar.Subconscientemente,est contribuindo com in-formaes emocionais noseu crebro, isso ajuda ainiciar a mudana, mas

    no adianta ficar s por a.Parta para a ao e seja fe-liz!!!

    Tem algo de diferen-te que voc gostaria de fa-zer e est protelando?Pegue sua lista de pen-dncias, escolha a maisfcil de ser resolvida eproponha-se a realiz-lade hoje at uma semana.Se algo que demandatempo maior, comprome-ta-se a realizar o primeiropasso e a demarcar todasas prximas aes. Emuma semana! Sem enro-lao!

    E a cada passo queder, do fcil ao mais dif-cil recompense-se! issomesmo! fundamentalque voc se abastea demotivao se deseja mu-danas em sua vida. Afi-nal, a felicidade no estno objetivo final, ela estno decorrer do caminhoque percorre para alcan--lo. Ento, presenteie-se com o que lhe d pra-zer, seja uma massagem,assistir a um filme, viajarou mesmo procurar pelasimplicidade de uma xca-ra de chocolate quente. O

    1 - E JOSU, filho deNum, enviou secreta-mente, de Sitim, doishomens a espiar, dizen-do: Ide reconhecer aterra e a Jeric. Foram,pois, e entraram na casade uma mulher prosti-tuta, cujo nome era Ra-abe, e dormiram ali.

    2 - Ento deu-se no-tcia ao rei de Jeric, di-zendo: Eis que esta noi-te vieram aqui uns ho-mens dos filhos de Is-rael, para espiar a terra.

    3 - Por isso mandou orei de Jeric dizer a Ra-abe: Tira fora os homensque vieram a ti e entra-ram na tua casa, porquevieram espiar toda a ter-ra.

    4 - Porm aquelamulher tomou os doishomens, e os escondeu,e disse: verdade quevieram homens a mim,porm eu no sabia deonde eram.

    5 - E aconteceu que,havendo-se de fechar aporta, sendo j escuro,aqueles homens saram;no sei para onde aque-les homens se foram; ideaps eles depressa, por-que os alcanareis.

    6 - Porm ela os tinhafeito subir ao eirado, e ostinha escondido entre ascanas do linho, que puse-ra em ordem sobre o ei-rado.

    7 - E foram-se aqueleshomens aps eles pelocaminho do Jordo, ataos vaus; e, havendo elessado, fechou-se a porta.

    8 - E, antes que elesdormissem, ela subiu aeles no eirado;

    9 - E disse aos ho-mens: Bem sei que o SE-NHOR vos deu esta ter-ra e que o pavor de vscaiu sobre ns, e que to-dos os moradores da ter-ra esto desfalecidos di-ante de vs.

    Palavras de Vida

    Espias mandados a Jeric. RaabeJOSU 0210 - Porque temos ou-

    vido que o SENHOR se-cou as guas do Mar Ver-melho diante de vs,quando saeis do Egito, eo que fizestes aos doisreis dos amorreus, a Siome a Ogue, que estavamalm do Jordo, os quaisdestrustes.

    11 - O que ouvindo,desfaleceu o nosso cora-o, e em ningum maish nimo algum, por cau-sa da vossa presena;porque o SENHOR vos-so Deus Deus em cimanos cus e em baixo naterra.

    12 - Agora, pois, jurai-me, vos peo, pelo SE-NHOR, que, como useide misericrdia convos-co, vs tambm usareisde misericrdia para coma casa de meu pai, e dai-me um sinal seguro,

    13 - De que conserva-reis com a vida a meu paie a minha me, como

    tambm a meus irmos ea minhas irms, com tudoo que tm e de que livra-reis as nossas vidas damorte.

    14 - Ento aqueles ho-mens responderam-lhe:A nossa vida responderpela vossa at morte, seno denunciardes estenosso negcio, e ser,pois, que, dando-nos oSENHOR esta terra, usa-remos contigo de mise-ricrdia e de fidelidade.

    15 - Ela ento os fezdescer por uma cordapela janela, porquanto asua casa estava sobre omuro da cidade, e ela mo-rava sobre o muro.

    16 - E disse-lhes: Ide-vos ao monte, para que,porventura, no vos en-contrem os perseguido-res, e escondei-vos l trsdias, at que voltem osperseguidores, e depoiside pelo vosso caminho.

    17 - E, disseram-lhe

    aqueles homens: Deso-brigados seremos destejuramento que nos fizes-te jurar.

    18 - Eis que, quandons entrarmos na terra,atars este cordo de fiode escarlata janela poronde nos fizeste descer;e recolhers em casacontigo a teu pai, e a tuame, e a teus irmos e atoda a famlia de teu pai.

    19 - Ser, pois, quequalquer que sair fora daporta da tua casa, o seusangue ser sobre a suacabea, e ns seremosinocentes; mas qualquerque estiver contigo, emcasa, o seu sangue sejasobre a nossa cabea, sealgum nele puser mo.

    20 - Porm, se tu de-nunciares este nosso ne-gcio, seremos desobri-gados do juramento quenos fizeste jurar.

    21 - E ela disse: Con-forme as vossas palavras,

    assim seja. Ento osdespediu; e eles se fo-ram; e ela atou o cor-do de escarlata jane-la.

    22 - Foram-se, pois,e chegaram ao monte,e ficaram ali trs dias,at que voltaram osperseguidores, porqueos perseguidores osbuscaram por todo ocaminho, porm no osacharam.

    23 - Assim aquelesdois homens voltaram,e desceram do monte,e passaram, e chega-ram a Josu, filho deNum, e contaram-lhetudo quanto lhes acon-tecera;

    24 - E disseram a Jo-su: Certamente o SE-NHOR tem dado todaesta terra nas nossasmos, pois at todos osmoradores esto ate-morizados diante dens.

    importante descobrir oque faz voc feliz no aquie agora! V em frente!

    *Helosa Capelas autora