gazeta de varginha - 09/04/2013

Download Gazeta de Varginha - 09/04/2013

Post on 22-Mar-2016

233 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 8.716

TRANSCRIPT

  • Ministrio Pblico de Varginha protestahoje contra a PEC da Impunidade

    VARGINHA , 09 DE ABRIL DE 2013R$ 1,00 EDIO - 8.716

    Vende-se

    Casa no Bairro Cidade NovaPreo da Ocasio

    Tel. 3221-4845

    Pgina 2

    PONTO DE VISTAPONTO DE VISTAPONTO DE VISTAPONTO DE VISTAPONTO DE VISTA

    Atos 02A descida do Esprito Santo

    Mx: 27C / Mn: 18C

    O Ministrio Pblicode Varginha far umprotesto na tera-feira(9) contra a PEC 37. Oevento ser na Faculda-de de Direito de Vargi-nha (Fadiva), s 19h30.A proposta de emendaconstitucional pretendetirar o poder de investi-gao dos ministrios

    Manifestao ser na Fadiva, s 19h30; protesto ser feito em vrias cidades do paspblicos estadual e fe-deral. De acordo com aPEC, o MP no poderianem ouvir pessoas quefossem denunciar pr-ticas ilcitas, pois issoconfiguraria investiga-o. A manifestao aberta populao.

    LOCAL/PGINA 08

    gazetadevarginha@gmail.com

    www.gazetavarginha.com.br

    facebook.com/gazetavga

    twitter.com/gazetavarginha

    Evento ser na Faculdade de Direito de Varginha (Fadiva), s 19h30

    LOCAL/PGINA 03

    ESPORTE/PGINA 16

    nibus pegafogo no

    bairro SoGeraldo em

    VarginhaA Polcia Civil vai

    investigar se incndiofoi criminoso ou

    acidental; no havianingum dentro do

    veculo no momentodo incidente.

    Varginha procurabrigadistas de incndiopara liberar aeroporto

    Voos foram paralisados nesta segunda-feira (8)

    LOCAL/PGINA 05

    Boa Esporte goleadomais uma vez e se

    complica no Estadual

    Aneel aprova aumentomdio de 2,99%

    nas tarifas da CemigNovas tarifas valero a

    partir da prxima segunda-feira para cerca de sete mi-

    LOCAL/PGINA 08

    lhes consumidores de805 municpios mineiros.

  • CNPJ: 21.535.075/0001-47

    A redao no se responsabilizapor conceitos emitidos em artigos

    assinados, mesmo sobpseudnimos, que so de inteira

    responsabilidade de seus autores.

    Dirio de CirculaoRegional - Diretora

    Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:

    Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:Rodrigo S. Fernandes

    Sindjori - MG 312/99 -Administrao/Reviso:Lanamara Silva - Paulo

    Ribeiro da Silva Fernan-des

    (Jornalista e superinten-dente de redao-

    TB.16.851) - Horrio defuncionamento das08:00hs s 18:00hs

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop. de

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI - Associao dosJornais do Interior

    ADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    ENDEREO:Redao e Departa-mento de Publicidade

    Av. dos Imigrantes,445 - Santa Maria -

    CEP 37022-560 -VARGINHA/MG

    E-mail: gazetade-varginha @gmail.com ga-z e t a c o m e r c i a l 2@ y a h o o . c o m . b rEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br

    Telefones (35)3221-4668(35)3221-4845

    GAZETA DE VARGINHA, 09/04/2013

    PONTO DE VISTA02 PONTO DE VISTA02

    ATOS 01

    Palavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de Vida

    A descida do Esprito SantoA descida do Esprito SantoA descida do Esprito SantoA descida do Esprito SantoA descida do Esprito SantoMgicas e exatas

    Diz-se que maisfcil para um homemtrocar de mulher doque de time.

    Conheo tam-bm gente que trocoude profisso, de ideo-logia poltica, de naci-onalidade, de oposexual e at de sexo,mas continuou firmena preferncia clubs-tica. E houve outroquesito que, em certapoca, disputou com ofutebol essa fidelidadecarnvora quando ti-vemos de trocar a m-quina de escrever pelocomputador.

    Foi em meadosdos anos 80.

    ramos felizescom nossas Reming-tons e Olivettis, at queuma presso vinda detodos os lados come-ou a nos empurrarpara o computador do-mstico.

    Muitos resistimos novidade, comoquem defende a ban-deira do seu clube.

    No meu caso, fi-quei firme at 1988,quando dois amigosme confessaram suaconverso quele apa-relho silencioso, quepermitia reescrever emover frases e par-grafos sem o cansati-vo recurso de bater xis,cobrir de tinta e fazera emenda a mo ou amquina.

    Os amigos eramMillr Fernandes eSrgio Augusto.

    Por causa deles,aderi. Afinal, pensei,estava apenas trocan-do uma mquina deescrever por outra.

    E quer saber?Nunca me arrependi.Acho at que a gerin-gona me salvou avida, permitindo-meproduzir com metadedo esforo e o dobroda velocidade. MinhaRemington foi para umarmrio, onde est athoje, h anos sem aesmola de um olhar.

    Um livro enviado

    pela amiga Maria Am-lia Mello, no entanto,me fez repensar ocaso: o delicioso Re-tratos Parisienses,com entrevistas e per-fis de escritores e pin-tores franceses porRubem Braga, pelaJos Olympio.

    Logo nas primei-ras pginas, reproduz-se um original de Ru-bem uma pgina da-tilografada, sobre seuencontro com Jean-Paul Sartre, estupida-mente bem escrita equase sem emendas.

    Era possvel es-crever a mquina, deprimeira, sem erros ej com as palavras m-gicas e exatas. Basta-va ser Rubem Braga.

    1-E, cumprindo-se o dia de Pentecostes, esta-vam todos concordemente no mesmo lugar;

    2-E de repente veio do cu um som, como deum vento veemente e impetuoso, e encheu toda acasa em que estavam assentados.

    3-E foram vistas por eles lnguas repartidas,como que de fogo, as quais pousaram sobre cadaum deles.

    4-E todos foram cheios do Esprito Santo, ecomearam a falar noutras lnguas, conforme o Es-prito Santo lhes concedia que falassem.

    5-E em Jerusalm estavam habitando judeus,homens religiosos, de todas as naes que estodebaixo do cu.

    6-E, quando aquele som ocorreu, ajuntou-seuma multido, e estava confusa, porque cada umos ouvia falar na sua prpria lngua.

    7-E todos pasmavam e se maravilhavam, di-zendo uns aos outros: Pois qu! no so galileustodos esses homens que esto falando?

    8-Como, pois, os ouvimos, cada um, na nossaprpria lngua em que somos nascidos?

    9-Partos e medos, elamitas e os que habitamna Mesopotmia, Judia, Capadcia, Ponto e sia,

    10-E Frgia e Panflia, Egito e partes da Lbia,junto a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeuscomo proslitos,

    11-Cretenses e rabes, todos ns temos ouvi-do em nossas prprias lnguas falar das grandezasde Deus.

    12-E todos se maravilhavam e estavam sus-pensos, dizendo uns para os outros: Que quer istodizer?

    13-E outros, zombando, diziam: Esto cheiosde mosto.

    14-Pedro, porm, pondo-se em p com osonze, levantou a sua voz, e disse-lhes: Homens ju-deus, e todos os que habitais em Jerusalm, seja-vos isto notrio, e escutai as minhas palavras.

    15-Estes homens no esto embriagados,como vs pensais, sendo a terceira hora do dia.

    16-Mas isto o que foi dito pelo profeta Joel:17-E nos ltimos dias acontecer, diz Deus,

    Que do meu Esprito derramarei sobre toda a carne;E os vossos filhos e as vossas filhas profetizaro,Os vossos jovens tero vises, E os vossos velhostero sonhos;

    18-E tambm do meu Esprito derramarei so-bre os meus servos e as minhas servas naquelesdias, e profetizaro;

    19-E farei aparecer prodgios em cima, no cu;E sinais em baixo na terra, Sangue, fogo e vapor defumo.

    20-O sol se converter em trevas, E a lua emsangue, Antes de chegar o grande e glorioso dia doSenhor;

    21-E acontecer que todo aquele que invocaro nome do Senhor ser salvo.

    22-Homens israelitas, escutai estas palavras:A Jesus Nazareno, homem aprovado por Deus en-tre vs com maravilhas, prodgios e sinais, que Deuspor ele fez no meio de vs, como vs mesmos bemsabeis;

    23-A este que vos foi entregue pelo determi-nado conselho e prescincia de Deus, prendestes,crucificastes e matastes pelas mos de injustos;

    24-Ao qual Deus ressuscitou, soltas as nsiasda morte, pois no era possvel que fosse retido por

    ela;25-Porque dele disse Davi: Sempre via diante

    de mim o Senhor, Porque est minha direita, paraque eu no seja comovido;

    26-Por isso se alegrou o meu corao, e a mi-nha lngua exultou; E ainda a minha carne h derepousar em esperana;

    27-Pois no deixars a minha alma no infer-no, Nem permitirs que o teu Santo veja a corrup-o;

    28-Fizeste-me conhecidos os caminhos davida; Com a tua face me enchers de jbilo.

    29-Homens irmos, seja-me lcito dizer-vos li-vremente acerca do patriarca Davi, que ele morreue foi sepultado, e entre ns est at hoje a sua se-pultura.

    30-Sendo, pois, ele profeta, e sabendo queDeus lhe havia prometido com juramento que dofruto de seus lombos, segundo a carne, levantaria oCristo, para o assentar sobre o seu trono,

    31-Nesta previso, disse da ressurreio deCristo, que a sua alma no foi deixada no inferno,nem a sua carne viu a corrupo.

    32-Deus ressuscitou a este Jesus, do que to-dos ns somos testemunhas.

    33-De sorte que, exaltado pela destra de Deus,e tendo recebido do Pai a promessa do Esprito San-to, derramou isto que vs agora vedes e ouvis.

    34-Porque Davi no subiu aos cus, mas eleprprio diz: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assen-ta-te minha direita,

    35-At que ponha os teus inimigos por esca-belo de teus ps.

    36-Saiba, pois com certeza toda a casa de Is-rael que a esse Jesus, a quem vs crucificastes,Deus o fez Senhor e Cristo.

    37-E, ouvindo eles isto, compungiram-se emseu corao, e perguntaram a Pedro e aos demaisapstolos: Que faremos, homens irmos?

    38-E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cadaum de vs seja batizado em nome de Jesus Cristo,para perdo dos pecados; e recebereis o dom doEsprito Santo;

    39-Porque a promessa vos diz respeito a vs,a vossos filhos, e a todos os que esto longe, a tan-tos quantos Deus nosso Senhor chamar.

    40-E com muitas outras palavras isto testifica-va, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta gera-o perversa.

    41-De sorte que foram batizados os que debom grado receberam a sua palavra; e naquele diaagregaram-se quase trs mil almas,

    42-E perseveravam na doutrina dos apsto-los, e na comunh