desenvolvimento psico-motor dos caes

Download Desenvolvimento psico-motor dos caes

Post on 29-Mar-2016

222 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Artigo sobre o desenvolvimento comportamental dos cães desde o nascimento até à idade adulta (Publicado na revista Cães e Companhia nº 162, Novembro 2010)

TRANSCRIPT

  • 38 Ces&Companhia

    Do Nascimento Idade AdultaDesenvolvimento Comportamental dos Ces

    39Ces&Companhia

    Desenvolvimento Comportamental dos Ces

    EtologiaD

    Quando nascem, alguns ani-mais esto preparados para uma vida praticamente in-dependente. Por exemplo, poucos minutos depois de nascer, um veado ou um borrego capaz de andar e correr de forma relativamente gil. O que naturalmente uma estratgia evolutiva com sentido sendo animais caados por outras espcies, quanto mais rapidamente se conseguirem mo-vimentar, mais facilmente conseguem escapar aos predadores e deixar de colocar a sua progenitora e/ou grupo familiar em risco acrescido.J os candeos, como vrios outros predadores, nascem num estdio de desenvolvimento fsico e comporta-mental mais incompleto, com meca-nismos sensoriais e motores mnimos, pelo que dependem completamente

    No surpresa para ningum que um cachorro se comporta de forma diferente de um adulto. Mas o comportamento de um cachorro no igual ao longo do seu desenvolvimento, as suas aptides e reaces variam, por vezes consideravelmente, consoante a sua idade. O conhecimento das suas capacidades em cada idade fundamental para se poder criar e educar um co com um carcter equilibrado.

    da progenitora durante o primeiro pe-rodo da sua vida.Os estudos mais completos sobre o de-senvolvimento comportamental e fsico dos ces foram efectuados ao longo de 20 anos no Jackson Laboratory, nos EUA, sob a orientao de John P. Scott e John L. Fuller, tendo sido publicados em 1965 num livro que ainda hoje uma referncia, chamado Genetics and the social behavior of the dog (Gentica e o comportamento social do co).Com base na evoluo das suas capa-cidades, o desenvolvimento de um ca-chorro foi tradicionalmente dividido em quatro fases, ou perodos, sequenciais, em grande parte dependentes da idade do animal.Antigamente eram designados por pe-rodos crticos, porque se pensava que as competncias que no fossem ad-

    quiridas nessa idade especfica j no o seriam mais. Actualmente, sabe-se que no bem assim, existe alguma varia-bilidade nos timmings, dependendo do indivduo, do seu crescimento especfico e do ambiente em que se desenvolve, pelo que so mais correctamente desig-nados perodos sensveis.Vejamos ento quais as fases do desen-volvimento de um cachorro.

    Perodo neonatalDecorre desde o nascimento at cerca das 2 semanas de idade. Nesta fase, o cachorro no um organismo auto--suficiente, dado que nasce com um crebro muito imaturo e capacidades sensoriais limitadas.Os olhos e ouvidos esto fechados, sem reaco (embora alguns cachorros possam reagir a luzes muito fortes).

    Pensava-se que o olfacto e o paladar estavam pouco desenvolvidos, mas es-tudos efectuados no final dos anos 90 sugerem que o sentido do olfacto esta-r j relativamente desenvolvido, o que faz sentido pois sem dvida ser um dos sentidos utilizados para localizar a progenitora.Ao contrrio do que ocorre nos res-tantes sentidos, as respostas ao toque esto bem desenvolvidas, dado que so necessrias para localizar a progenitora. Exibe reaco dor e ao frio, mas mau controlo da temperatura. A temperatura mantida fundamentalmente atravs do contacto estreito com a progenitora e restantes companheiros de ninhada.No capaz de urinar e defecar de forma autnoma; o comportamento de excreo reflexo, estimulado pela lngua materna (ou um pano hmido

    e morno, no caso de cachorros rfos criados mo).O comportamento e morfologia esto adaptados a uma vida infantil, estando ausentes os padres caractersticos do adulto. Por exemplo, a forma da cabea e da boca esto adaptadas suco do leite das tetas maternas; algumas sema-nas mais tarde, com o desenvolvimento fsico, a forma da boca muda e os ces deixam de conseguir sugar lquidos.Nesta fase, os cachorros no so capa-zes de andar, apenas arrastar-se de um lado para outro (maioritariamente para uma fonte de calor, alimentao e con-forto) e o comportamento apresentado quase exclusivamente de solicitao de cuidados o cachorro choramin-ga quando est desconfortvel (com fome ou com frio) de forma a atrair a ateno da progenitora; quando est confortvel, passa quase todo o tempo a dormir.

    Apesar de nesta fase os cachorros se-rem cegos e surdos, tem sido evidencia-do que a existncia de stress moderado (por exemplo, o manuseamento por parte das pessoas) benfico para o desenvolvimento da sua mente, no sen-tido em que acelera o crescimento, re-

    duz a emocionalidade e, possivelmente, poder aumentar a resistncia a algu-mas doenas.

    Perodo de transioDecorre aproximadamente da segun-da quarta semana de idade; inicia-se quando os olhos se abrem e termina

    quando aparecem as primeiras reac-es de medo. um perodo de rpidas alteraes, no qual os padres de comportamento neonatais diminuem ou desaparecem, comeando a aparecer os padres caractersticos do adulto. Alm dos olhos, abrem-se nesta fase os ouvidos e comeam a aparecer os primeiros dentes, o que permite a alterao dos comportamentos ingestivos comea a transio de uma alimentao baseada exclusivamente no leite materno para uma alimentao slida.No estado silvestre (e em alguns casos de ces domsticos), a progenitora comea a regurgitar comida s crias, preparando-as para o desmame; substi-tuindo-se me, durante este perodo que o criador comea a apresentar co-mida slida aos cachorros.Os membros comeam agora a suportar o peso do cachorro, o que, associado ao rpido desenvolvimento dos restantes rgos sensoriais, permite a alterao dos comportamentos exploratrios, dos padres neonatais baseados no tacto, para os padres adultos. O mecanismo

    de regulao da temperatura me-lhorado, o que, associado ao facto

    Por: Carla Cruz, Biloga, Mestre em Produo Animal e Doutoranda em Cincia Animal Fotos: Shutterstock

    CCP_162_038 043 Domesticacao.indd 38-39 12/14/11 9:34:14 AM

  • 40 Ces&Companhia 41Ces&Companhia

    de o cachorro comear a andar, permite que este comece a explorar o exterior da sua toca. O mecanismo de excre-o j no um reflexo, comea a haver algum auto-controlo, e a progenitora vai abandonando gradualmente este gesto. ainda nesta fase que o cachorro comea a abanar a cauda.Apesar de a influncia materna se fa-zer sentir ainda de forma importante, o comportamento de solicitao de cui-dados do cachorro diminui; verifica-se a alterao do padro investigatrio, agora baseado no apenas no toque, mas tambm nos restantes rgos sensoriais; pelas 3 semanas, o cachorro comea a responder a pessoas e outros animais que detecte distncia. tambm neste perodo que comea a surgir o comportamento agonstico (agressivo), tornando-se os rosnidos, latidos e lutas amigveis com os outros cachorros da ninhada cada vez mais comuns. Surge o comportamento de fuga, primeiro sob a forma de movi-mento para trs em reaco a um sinal e, no final do perodo, como resposta de susto ao som, primeiro sinal que a audio se desenvolveu. No final desta fase, comea a ser possvel induzir refle-xos condicionados; antes, qualquer tipo de condicionamento instvel.

    mea a deslocar-se de forma adulta e a exibir comportamentos sexuais, como montar outros cachorros, embora in-completos, e a investigar pessoas ou objectos inanimados. Comea tambm a aprender com a progenitora quais as respostas comportamentais adequadas com os restantes membros da sua esp-cie. tambm nesta fase que aparecem as primeiras reaces de medo, que dependem muito do ambiente.Comea a verificar-se o comportamen-to de imitao, isto , os cachorros co-meam a comportar-se como um gru-po. Surgem tambm as lutas fingidas e ataques de grupo (combinao de com-portamento de imitao e agonstico),

    que permitem o es-tabelecimento de

    relaes sociais e de domi-nncia (ape-

    sar de no completamente definidas), sem

    que os indivduos fiquem seriamente feridos.

    Perodo juvenilComea pelas 12 semanas, com a primeira longa ex-curso fora da toca, e termina com o in-cio da maturao

    sexual, que por nor-ma ir decorrer en-

    tre os 6 e os 18 meses, dependendo do porte do animal (ces peque-

    nos tendem a atingir a maturidade sexual mais cedo que os grandes).As alteraes que ocor-rem no so to mar-cantes como nos pero-dos anteriores. Todos os

    rgos esto j quase

    Em suma, neste perodo o cachorro passa de um animal muito protegido do ambiente a um que lhe altamente sensvel.

    Perodo de sociabilizaoDecorre at perto das 12 semanas. nesta altura que o cachorro comea a

    exibir a maioria dos padres compor-tamentais do adulto. Verifica-se o r-pido desenvolvimento dos padres de comportamento social, em contraste com o perodo anterior, onde ocorrem essencialmente alteraes motoras e sensoriais. A me comea a deixar os cachorros sozinhos por perodos de tempo cada vez maiores.O cachorro j consegue fazer associa-es rpidas entre estmulos, seme-lhantes s do adulto, o que lhe permite apreender muito do mundo exterior, mas no capaz de aprender padres motores complexos, dado que as suas

    respostas motoras no esto ainda completamente desenvolvidas. Co-

    Durante o perodo de sociabilizao, os cachorros aprendem com os restantes membros do seu grupo quais as respostas comportamentais adequadas nas diferentes situaes.

    As lutas fingidas permitem aprender o controlo da mordida e desenvolver-se-o posteriormente em rituais que iro permitir evitar muitas lutas reais.

    completamente desenvolvidos. No que respeita s capacidades motoras, as di-ferenas dizem respeito essencialmente ao aumento de fora e habilidade, no emergncia de novos padres, isto , as alteraes so quantitativas e no qualitativas.A dentio permanente comea a sur-gir cerca das 16 semanas, estando em geral completa no fim deste perodo. As curvas de crescimento comeam a estabilizar; termina a fase de cresci-mento rpido, apesar de o crescimento continuar at perto dos 2 anos, idade em que a maioria os cachorros termi-nam o grosso do seu desenvolvimento fsico (com excepo das r