deleuze e o corpo: articulaأ§أµes conceituais entre deleuze ... por deleuze no decorrer de uma...

Download Deleuze e o Corpo: articulaأ§أµes conceituais entre Deleuze ... por Deleuze no decorrer de uma entrevistaâ€‌

Post on 19-Feb-2020

0 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    Paola Sanfelice Zeppini

    Deleuze e o Corpo:

    articulações conceituais entre Deleuze, Nietzsche e Espinosa em

    função da problemática do corpo.

    Dissertação de Mestrado apresentada ao

    Departamento de Filosofia do Instituto de

    Filosofia e Ciências Humanas da Universidade

    Estadual de Campinas sob a orientação do Prof.

    Dr. Luiz B. L. Orlandi.

    DEZEMBRO/2010

  • 2

    FICHA CATALOGRÁFICA ELABORADA PELA

    BIBLIOTECA DO IFCH - UNICAMP

    Por Sandra Ferreira Moreira CRB nº 08/5124

    Título em inglês: Deleuze and the Body: conceptual articulations between

    Deleuze, Nietzsche and Spinoza regarding the problematic of the body.

    Palavras chaves em inglês (keywords): Mind

    Immanence (Philosophy)

    Body without Organs (Philosophy)

    Área de Concentração: Filosofia.

    Titulação: Mestrado em Filosofia.

    Banca examinadora: Luiz Benedicto Lacerda Orlandi, Cíntia Vieira da Silva,

    Silvio Donizetti de Oliveira Gallo.

    Data da defesa: 02/12/2010

    Programa de Pós-Graduação: Filosofia

    Zeppini, Paola Sanfelice

    Z49d Deleuze e o Corpo: articulações conceituais entre Deleuze,

    Nietzsche e Espinosa em função da problemática do corpo / Paola

    Sanfelice Zeppini. - - Campinas, SP: [s. n.], 2010.

    Orientador: Luiz Benedicto Lacerda Orlandi.

    Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas,

    Instituto de Filosofia e Ciências Humanas.

    1. 1. Pensamento. 2. Imanência (Filosofia). 3. Corpo sem Órgãos (Filosofia). I. Orlandi, Luiz B. L. (Luiz Benedicto Lacerda) -

    II. Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e

    Ciências Humanas. III. Título.

  • 3

  • 5

    Dedico este trabalho às

    amizades, que em suas mais

    variadas formas e espaços, me

    possibilitam, sempre, fugir para

    outros mundos.

  • 7

    Agradecimentos

    Ao Prof. Dr. Luiz Orlandi que atenciosamente me acompanhou ao longo destes anos.

    Agradeço às orientações e também a todas às desorientações, tão imprescindíveis neste

    processo, construido sempre com tanto respeito, dedicação e amor.

    À Prof.ª Dr.ª Cíntia Vieira da Silva e ao Prof. Dr. Silvio Donizetti de Oliveira Gallo por

    aceitarem participar da banca examinadora e por gentilmente me acompanharem de forma

    atenta e preciosa desde o exame de qualificação. Agradeço as sugestões e esclarecimentos

    que só fizeram acrescentar e potencializar este trabalho.

    Ao Prof. Dr. Hélio Rebello Cardoso Jr. pela cuidadosa leitura do projeto que deu origem a

    este estudo. Agradeço-o também, assim como ao Prof. Dr. Sandro Kobol Fornazari, por

    gentilmente aceitarem compor a banca examinadora como suplentes.

    À minha mãe, Eloisa Cristina Sanfelice, mulher forte e guerreira que sempre me ensinou o

    valor de lutar por tudo que acredito, sem jamais perder de vista a importância dos cuidados

    e a capacidade de se alegrar, sorrir e amar generosamente.

    Ao meu pai, Marco Antônio Zeppini, por ser meu mestre e por ter me dado a oportunidade

    de aprender a importância de se buscar uma vida mais intensa. Agradeço por ter sido

    exemplo da necessidade vital das doses e injeções de prudência.

    Aos meus irmãos, Alessandra Sanfelice do Amaral Sampaio e Fábio Sanfelice do Amaral

    Sampaio, por sempre respeitarem minhas opiniões e decisões. À minha sobrinha, Camille

    Sampaio Santana Branco, por existir e por, com a simplicidade de sua doce presença,

    inundar, a cada encontro, meu coração de alegria. Aos meus avós, Antônia Tasso Sanfelice

    e Albino Sanfelice, pelo apoio e acolhimento ao longo destes anos em Campinas.

    Aos amigos, Roberto Duarte Santana Nascimento, Cássio Martins de Camargo e Gonzalo

    Montenegro, por serem para todas as horas. Às amigas Beatriz Sorrentino Marques, Luana

    Saturnino Tvardovskas e Isis Selmikaitis Hypolito, por serem generosas e carinhosas

    comigo.

    À Flávia Cristina Machado e Regiane Pavanello, por serem minhas amigas de fé. Ao

    Tonico por tantas coisas e por sempre me lembrar as inúmeras Paolas que sou e posso ser.

    À Solange Gomes Ferreira, por me fazer sentir em casa quando estou em São Paulo e por

    sempre me incentivar.

    À Ruth Maria de Oliveira, que poderia simplesmente ser minha “chefa”, mas que escolheu

    ser uma amiga carinhosa, que abre portas, janelas e o que mais for preciso para que eu

    confie em mim mesma.

    À minha querida amiga, Carolina Gomes Ferreira Giannini, por ser tão companheira e estar

    sempre ao meu lado, me amparando nos meus momentos de dúvidas e ansiedades, e

    comemorando comigo minhas “grandes” descobertas. Agradeço por ser minha cúmplice,

    neste trabalho e também na vida.

  • 9

    RESUMO

    O presente trabalho tem como objetivo mostrar a importância que certos conceitos

    de Espinosa e de Nietzsche têm do ponto de vista de uma trama conceitual que indica

    elementos para uma filosofia deleuzeana do corpo. Os estudos dedicados à filosofia

    deleuzeana apontam a originalidade desta ao apropriar-se seletivamente de conceitos de

    outros filósofos para criar sua filosofia prática. Em se tratando dos estudos sobre o corpo,

    os diálogos de Deleuze com Espinosa e com Nietzsche resultam em uma multiplicidade

    conceitual que afirma a vida, procurando elevar, a graus cada vez maiores, as potências do

    pensamento e do próprio corpo. Ao mesmo tempo, com a ajuda de outros estudos feitos por

    Deleuze em parceria com Félix Guattari, buscamos mostrar como os escritos a respeito da

    criação de Corpos sem Órgãos apontam para uma valorização ética do intensivo,

    valorização esta que não perde de vista a importância de certa prudência prática.

    Palavras-chave: Pensamento, Imanência (Filosofia), Corpo sem Órgãos (Filosofia).

  • 11

    ABSTRACT

    The present work aims at showing the importance of certain concepts from Spinoza

    and Nietzsche regarding the deleuzian philosophy of the body. The studies dedicated to

    deleuzian philosophy indicate its originality in its way of selectively appropriating other

    philosophers‟ concepts in order to create his practical philosophy. By focusing on studies

    about the body, the dialogs of Deleuze with Spinoza and Nietzsche result in a conceptual

    multiplicity that affirms life and seeks to increase more and more the powers of thought and

    of one‟s own body. In the same time, with the help of other studies by Deleuze in

    partnership with Félix Guattari, we are trying to show how the writings regarding the

    creation of Bodies without Organs indicate an ethical valorization of the intensive,

    valorization that does not underestimate the importance of a certain practical prudence.

    Key words: Mind, Immanence (Philosophy), Body without Organs (Philosophy).

  • 13

    SUMÁRIO

    Introdução ..................................................................................................................... 15

    Capítulo 1 : Em proveito do pensamento ..................................................................... 27

    A relação entre ideia e afecto ..................................................................................... 28

    As ideias de afecções .................................................................................................. 31

    O primeiro gênero do conhecimento .......................................................................... 33

    As ilusões da consciência ........................................................................................... 35

    A denúncia da consciência ......................................................................................... 36

    O corpo como inconsciente do pensamento ............................................................... 43

    A consciência como sintoma ...................................................................................... 44

    Uma relação entre forças ............................................................................................ 45

    A relação entre a ciência e a consciência ................................................................... 46

    Uma nova imagem do pensamento ............................................................................. 47

    Nietzsche e o sentido .................................................................................................. 49

    Uma filosofia dos valores ........................................................................................... 50

    Um pensamento ativo ..............................................................