978-85-7651-247-9 - .doze pesquisadores dessa linha, quatro docentes e oito discentes, participam

Download 978-85-7651-247-9 - .Doze pesquisadores dessa linha, quatro docentes e oito discentes, participam

Post on 03-Dec-2018

221 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 978-85- 7651-247-9

    capaA-grafica

    sexta-feira, 22 de agosto de 2014 13:16:57

  • Comunicaotecnologia e cidadania

    Srie: Comunicao na

    Contemporaneidade

  • Conselho Editorial Pliade

    Profa. Dra. Beatriz Lage USPProf. Dr. Dimas A. Knsch Csper Lbero

    Prof. Dr. Flvio Calazans UNESPProf. Dr. Gustavo A. S. de Melo USP

    Prof. Dr. Laan M. de Barros Univ. MetodistaProfa. Dra. Ldia A. Barros UNESP

    Prof. Dr. Lus Barco USPProf. Dr. Maurizio Babini UNESPProf. Dr. Nelson Papavero USP

    Prof. Dr. Ricardo B. Madeira UniFMUProf. Dr. Roberto Bazanini IMES-SC

    Pliadeeditora

  • Pliadeeditora2013

    So Paulo

    Antonio Roberto Chiachiri FilhoEdilson Cazeloto

    Jos Eugenio de O. MenezesOrganizadores

    Comunicaotecnologia e cidadania

  • Este trabalho foi licencidado com uma Licena Crea-tive Commons 3.0 Brasil. Voc pode copiar, distribuir,

    transmitir ou remixar este livro, ou parte dele, desde que cite a fonte e distribua seu remix sob esta mesma licena.

    Ricardo Baptista MadeiraEditor Responsvel

    Milena Y. MadeiraCapista e Diagramadora

    Camilla Duarte do ValeKarolina BergamoTahnee ValzachiEdio e reviso de texto

    Dados Catalogrficos

    Comunicao: tecnologia e cidadania / Antonio Roberto Chiachiri Filho, Edilson Cazeloto, Jos Eugenio de O. Menezes, Organizadores. - So Paulo: Pliade, 2013.221 p.

    ISBN: 978-85-7651-247-9

    1. Comunicao I. Chiachiri, Antonio Roberto II. Cazeloto, Edilson III. Menezes, Jos Eugenio de O.

    CDU 316.77

    Bibliotecria responsvel: Elenice Yamaguishi Madeira CRB 8/5033

    Editora PliadeRua Apac, 45 - Jabaquara - CEP: 04347-110 - So Paulo/SPinfo@editorapleiade.com.br - www.editorapleiade.com.br

    Fones: (11) 2579-9863 2579-9865 5011-9869Impresso no Brasil

    C741

  • SUMRIO

    Apresentao ................................................................7Lus Mauro S Martino

    Prefcio .......................................................................13Vander Casaqui

    Tradio, inovao e o tempo ......................................31Roberto Chiachiri

    A virtualizao das comunidades: apontamentos para uma crtica dos vnculos sociais no capitalismo contemporneo ...........................................................39

    Edilson Cazeloto

    Ecologia da comunicao: a cultura como um macrossistema comunicativo ........................................55

    Jos Eugenio de O. Menezes

    A religio midiatizada nas fronteiras entre pblico e privado: uma abordagem terico-crtica ........................73

    Lus Mauro S Martino

    Comunicao, educao para a mdia e cidadania ...........89 Artur Renato Brito de Almeida

  • Introdues e apropriaes da tecnologia na tcnica jornalstica ..................................................................105

    Bruno Peixoto Deiro

    Atualizao de notcias em homepages: um registro das trocas ao longo de 24 horas .................................125

    Claudia Fajkarz

    O Plano Ceibal e a constituio de ambientes de comunicao ..................................................................... 139

    Helena Maria Cecilia Navarrete

    Contedo em dispositivos mveis na era da simultaneidade ..........................................................159

    Joubert Brito de Arajo

    Som envolvente: a sonoridade como sentido social .....175Natlia Constantino Diogo

    Vnculos comunicativos: os laos associativos que pulsam a vida fora do ambiente digital .......................191

    Rachel de Rosso Buzzoni

    Comunicao digital e democracia virtual: net-ativismo como estratgia para demarcao de territrios digital e social ........................................201

    Renato Martinelli

    Autores .....................................................................217

  • 7

    APRESENTAO

    As interseces entre Comunicao, Cidadania e Tecnologia indicam a existncia de um complexo aglome-rado de relaes irredutveis entre si. As tentativas, feitas ao longo das ltimas dcadas, de desconsiderar um desses aspectos ou qualquer uma, das outras inmeras variveis acopladas s dinmicas e contradies do mundo social mostraram-se menos frutferas do que a orientao no sentido de pensar, de modo crtico e dialtico, as relaes entre esses elementos.

    A tarefa de investigar essas ligaes prope ao pes-quisador desafios em inmeros aspectos, seja na elabora-o de metodologias ou na eleio de interlocutores teri-co-conceituais a partir dos quais possvel estabelecer uma relao com os objetivos de estudo. Alm disso, trata-se de procurar recortes, no redues, em um objeto de pesquisa que se caracteriza, em certa medida, pela intangibilidade se no em sua materialidade como produto de relaes so-ciais, um objeto que no pode ser estudado se no a partir do momento de sua construo, a Comunicao em suas mltiplas dimenses.

    Este volume rene trabalhos de pesquisadores que decidiram enfrentar esse desafio, seja como docentes ou discentes no mbito do Programa de Mestrado em Comu-nicao na Contemporaneidade da Faculdade Csper L-

  • 8

    bero. So textos, ensaios de carter reflexivo sobre pergun-tas, questes de pesquisa, relatos e propostas de dilogo com a linha de pesquisa Processos miditicos: tecnologia e mercado, componente vinculado rea de concentra-o do Programa, Comunicao na contemporaneidade.

    Pesquisadores, mais do que alunos ou profes-sores, no por um refinamento semntico apenas, mas por conta de uma convico partilhada por todos no Pro-grama, a ideia de que, na construo do conhecimento, h interlocutores, dilogos, aproximaes, em graus diversos, sem dvida, mas com um objetivo principal de entender um pouco mais as relaes constitutivas de espaos sociais me-diados por referncias, prticas, mediaes e dispositivos que variam do tecnolgico ao relacional muito mais em um continuum do que propriamente em uma oposio. Assim, no fluxo, na dinmica, na incompletude e na continuida-de que se deve ler os textos deste livro a apreenso, ainda que tentativa, da noo presente na expresso Processos miditicos que intitula a linha de pesquisa.

    Doze pesquisadores dessa linha, quatro docentes e oito discentes, participam do tecido de constituio destas linhas. Vale ressaltar, ainda, o espao dessas discusses nos Grupos de Pesquisa constituintes da Linha que, em suas particularidades, se apresentam como locais de circulao de ideias, dvidas, saberes e hesitaes na elaborao de uma rea em constante desenvolvimento.

    Roberto Chiachiri, em Tradio, inovao e tem-po, traa uma breve inter-relao destes termos e procura, utilizando-se de parte das teorias filosficas e semiticas de Charles Sanders Peirce e de parte do conceito de lingua-gem de L.S. Vigotsky, nos fazer pensar os processos sgni-cos dos interpretantes do tempo.

    Edilson Cazeloto, em seu artigo intitulado A virtu-alizao das comunidades: apontamentos para uma cr-

  • 9

    tica dos vnculos sociais no capitalismo contemporneo, constri uma genealogia da noo de vnculos sociais a partir do conceito de modos de vinculao, histrica e socialmente determinados, que tendem a um processo de abstrao crescente sob o capital.

    Jos Eugenio de O. Menezes relata, em Ecologia da comunicao: a cultura como um macrossistema co-municativo, como a metfora ecolgica pode facilitar a problematizao e a compreenso dos processos de co-municao. Aponta algumas razes da ecologia da comu-nicao e lembra que os estudos desenvolvidos pelo grupo de pesquisa Comunicao e cultura do ouvir, que consi-deram que os sons envolvem todo o corpo biolgico-cultu-ral, ajudam a investigar o fato que estamos envolvidos em processos recursivos que abrangem a tenso entre a comu-nicao presencial/tridimensional e as conexes digitais/nulodimensionais.

    Lus Mauro S Martino, autor de A religio midia-tizada nas fronteiras entre pblico e privado: uma abor-dagem terico-crtica trabalha questes de natureza teri-co-epistemolgica na discusso acerca das possibilidades investigativas de um objeto especfico. Entendendo que as possibilidades metodolgicas de percepo de um objeto no se desligam de sua operacionalidade, procura traba-lhar as questes particulares de seu objeto.

    O texto de Artur Renato Brito de Almeida, que traz por ttulo Comunicao, educao para a mdia e cidada-nia, procura delinear aspectos polticos em outra perspec-tiva, trabalhando dimenses das relaes internacionais tal como se manifestam em seu aspecto miditico-comunica-cional em um site, a partir, sobretudo, de reflexes tericas orientadas pela comunicologia de Vilm Flusser.

    Bruno Peixoto Deiro, em Introdues e apropria-es da tecnologia na tcnica jornalstica, recorre his-

  • 10

    tria das inovaes tecnolgicas na prtica do jornalismo para interpretar as relaes entre a base material, as roti-nas produtivas e a atividade cotidiana das redaes.

    Claudia Fajkarz, em Atualizao de notcias em ho-mepages: um registro das trocas ao longo de 24 horas, em-preende um esforo emprico e metodolgico para demons-trar e aferir o modo como as novas mtricas de audincia em tempo real impem-se como critrio de noticiabilidade e visibilidade nos grande portais noticiosos brasileiros.

    Em O Plano Ceibal e a constituio de ambientes de comunicao, Helena Maria Cecilia Navarrete relata parte de sua pesquisa sobre o uso dos computadores por crianas das escolas uruguaias. Mostra as tenses que a tecnologia pode criar entre a comunicao tecnificada e a presencial, observa como a apropriao da tecnologia feita atravs da cultura e considera que os ambientes co-municacionais so lugares onde convivem diferentes capi-laridades comunicacionais, sem que isso signifique neces-sariamente uma agresso medial ou perda de vinculao.

    Joubert Brito de Arajo, em seu artigo Contedo em dispositivos mveis na era da simultaneidade, apre

Recommended

View more >