8 orientações para uma boa interação com as crianças também sou pessoa

Download 8 Orientações para uma Boa Interação com as Crianças Também sou Pessoa

Post on 24-Jul-2016

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • O ICDP realidade em nosso pas graas a participao de pessoas facilitadoras e multiplicadoras comprometidas e dispostas a entregar o melhor de si a suas comunidades. A elas nosso reconhecimento e gratido por promover um melhor desenvolvimento psicossocial das crianas de Afrnio, Araripina, Bodoc, Cabrob, Dormentes, Exu, Granito, Ipubi, Lagoa Grande, Moreilndia, Oroc, Ouricuri, Parnamirim, Petrolina, Salgueiro, Santa Cruz, Santa Filomena, Santa Maria da Boa Vista e Trindade.

    Agradecemos especialmente a Acari que se constitui como o grupo de referncia na regio para a disseminao da metodologia Tambm Sou Pessoa, assim como ao Lar Feliz, Projeto Vida, Colgio Interativo, Casa da Criana, Comunidade Joo de Deus e a todos/as que abriram suas portas para acolher as primeiras experincias do ICDP no nordeste brasileiro.

    Ficha tcnica

    Fundao Abrinq - Save the Children Denise Maria Cesario - Gerente de Desenvolvimento de Programas e Projetos

    Equipe Programa Criana com Todos os Seus Direitos - Daniela Resende Florio, Douglas Silva de Souza, Elza Maria de Souza Ferraz, Miguel Benjamin Minguillo Neto, Luyla Karina Teixeira dos Santos Pinto, Pricles Coelho Barbosa, Luiz Mendona da Silva

    Consultora Internacional do ICDP NIcoletta Armstrong

    Coordenao do ICDP em Pernambuco Simone de Arajo Souza (Associao Civil de Articulao para a Cidadania ACARI)

    Coordenao Editorial e Reviso Final Polyanna Magalhes (Fundao Abrinq - Save the Children)

    Reviso Ortogrfica Jos Oilton Menezes

    Diagramao Via Design Criao Estratgica Atualizao - tila Lima

    Ilustrao Andr Persi

    Fotos SXC e Istockphoto

    Direitos reservados ao ICDP International Child Development Programmes Autoriza-se a reproduo total ou parcial deste material, citando a fonte.

    Material originalmente produzido por ICDP em cooperao com UNICEF Colmbia, 2003.

    Autores Karsten Hundeide y Nicoletta Armstrong

    Traduo Manoel Leonardo Santos

    Esta publicao co-financiada pela Unio Europeia As opinies expressas nesta publicao no refletem as opinies da Comisso Europeia.

  • IntroduoDesde 2010 o Programa Internacional para o Desenvolvimento Infantil (ICDP) e a Fundao Abrinq - Save the Children, com apoio da Unio Europeia, implementam a metodologia Tambm sou Pessoa em 37 municpios da regio semirida dos Estados de Pernambuco e Bahia. Esta ao faz parte do Programa Criana com Todos os seus Direitos, que tem como objetivo melhorar a sobrevivncia e o desenvolvimento da primeira infncia em populaes que vivem em condies de pobreza e excluso no Brasil e Peru.

    O ICDP vem desenvolvendo esta trabalho em diversos pases do mundo, especialmente na Europa, frica, sia e Amrica Latina, o que demonstra a riqueza e o enorme potencial desta metodologia propiciadora de um desenvolvimento infantil altamente harmnico e positivo.

    A mensagem do programa est contida em 8 Orientaes para uma boa interao e devem ser utilizadas como temas de vivncia na prtica diria. Para transmitir a mensagem, o programa usa fotos, vdeos e certos princpios de sensibilizao que o fazem inovador e diferente dos outros. Comea com que eles conhecem; constri com que eles tm, disse Lao Tse (700 A.C.). Esta frase descreve a essncia da metodologia: permitir as pessoas espao para auto-reflexo, para observar as crianas, para descobrir e construir sobre os aspectos positivos, existentes na interao entre adultos e crianas, fortalecer a confiana e a prpria iniciativa, facilitar processos exploratrios e exerccios que conduzam ao descobrimento de caminhos novos e enriquecedores, de interao na vida diria.

    A investigao psicolgica mostra que a condio fundamental para o desenvolvimento infantil uma relao estvel e em longo prazo com, pelo menos, um adulto capaz de demonstrar amor e tambm guiar e enriquecer a experincia de mundo que tem a criana. Concordando com este conhecimento, Tambm sou pessoa se orienta a proporcionar e manter uma interao de boa qualidade entre adultos e crianas, em consequncia, assegura seu timo desenvolvimento emocional, cognitivo e social.

    Tambm sou pessoa apresenta um jogo de materiais educativos que inclui:> Manual do facilitador> Agenda do multiplicador e mochila do multiplicador> Vdeo didtico> Cartilha para as pessoas que cuidam e educam

    Com satisfao colocamos disposio de vocs estes materiais, orientados a proporcionar ferramentas para construir entre todos o mundo melhor que merecem as crianas.

  • As crianas so pessoas com sentimentos, pensamentos e desejos, tal como os adultos. Reconheceremos facilmente isso se aprendermos a perguntar a ns mesmos: Se eu fosse uma criana como me sentiria nesta situao ou Se eu estivesse na situao dessa criana, o que eu desejaria?

    Desta e de outras formas poderamos comear a entender melhor as crianas, e se alcanamos isso, uma comunicao de boa qualidade se dar de forma espontnea como resultado da relao humana sensvel que exista entre adultos e crianas.

    O que esperamos estabelecer uma relao de compreenso e amorosidade no cuidado de crianas por parte das pessoas adultas, para que eles e elas possam se desenvolver como seres humanos sensveis que, por sua vez, contribuiro com o processo de humanizao de nossa sociedade.

    Karsten Hundeide 14 de Abril de 1997

  • Convidamos voc a explorar a sua relao com as crianas ..........................................6

    Nesta famlia estamos comprometidos em nos amarmos e nos apoiarmos mutuamente .......................................................................................8

    8 Orientaes para uma boa interao com as crianas

    1. Como voc demonstra amor a seu filho? .........................................................9

    2. Como voc acompanha e responde s iniciativas das crianas? ............................................................................ 10

    3. Como voc estabelece uma conversa pessoal, com ou sem palavras, com as crianas? ............................................................................................ 11

    4. Como voc elogia as crianas por seus sucessos e por suas tentativas? .................................................................................... 12

    5. Como voc ajuda as crianas a fixar a ateno? ............................................. 13

    6. Como voc nomeia e descreve para as crianas como o mundo? .............. 14

    7. Como voc amplia a compreenso das crianas sobre as coisas e experincias do mundo? ............................................................................ 15

    8a) Como voc coloca limites de forma positiva em suas crianas? Oferea a elas opes .................................................................................. 16

    8b) Como voc apia as suas crianas para planejar aes passo a passo? .................................................................................. 17

    Como voc est se comunicando agora com as crianas? .......................................... 18

    A agenda diria das crianas ....................................................................................... 19

    Reflexo sobre meu estilo de interao com as crianas ............................................ 20

    Sumrio

  • 8 Orien

    taes

    para

    uma b

    oa inte

    rao

    com as

    crian

    as

    6

    Convidamos voc a explorar a sua relao com as crianas.Mes e pais em todo o mundo, assim como voc, desejam que suas filhas e filhos se desenvolvam da melhor forma possvel, mas nem sempre so conscientes da importncia de seu prprio papel na promoo desse desenvolvimento.

    Baseado em investigaes psicolgicas, o Programa do ICDP Tambm sou pessoa apresenta 8 Orientaes para uma boa interao entre voc e as crianas. Esse programa destaca aspectos da comunicao entre as pessoas adultas e os meninos e as meninas. Seguramente essas regras so importantes para seu desenvolvimento. As Propostas so mensagens universais simples, naturalmente presentes na comunicao entre a menina ou o menino, assim como quem est a cargo de seus cuidados e educao. Claro est que existem grandes diferenas na forma em que estas 8 Orientaes so expressadas e praticadas pelas diferentes culturas que existem em cada pas: desde a costa do Pacfico at o Atlntico, para colocar s alguns exemplos.

    As Orientaes podem ser vistas como perguntas que lhe permitem explorar a relao com as crianas. Perguntas como: como voc se comunica, em sua experincia diria, com elas? Como voc expressa seu amor? Como voc faz para regular seu comportamento? Como voc elogia? Como voc vai explicando as coisas? Como voc apia sua curiosidade natural em relao ao mundo que lhes rodeia?

    As Orientaes so, assim, uma ferramenta til para seu processo de descobrimento e aperfeioamento a partir da forma como voc interage com as crianas. Seguramente lhe ajudaro a ganhar conhecimento mais aprofundado sobre as caractersticas individuais, interesses, necessidades e desejos das crianas, assim como sobre a maneira como voc est respondendo a eles.

    importante mencionar que o Programa no trabalha nas situaes excepcionais, mas sobre as experincias que todos os dias voc compartilha com as crianas: banh-las, vest-las, comer, caminhar, jogar ou fazer qualquer outra atividade. Todos esses momentos so excelentes oportunidades que podem ser utilizados para guiar e expandir o entendimento do mundo das crianas, assim como para fortalecer o lao emocional entre vocs.

    O programa est dirigido a fortalecer sua confiana no desempenho do seu papel como responsvel, animando-o a empregar sua capacidade inata de empatia, que o que as crianas mais necessitam de voc.

  • 8 Prop

    ostas

    para u

    ma bo

    a inter

    ao co

    m as cr

    ianas

    7

    8 Orien

    taes

    para

    uma b

    oa inte

    rao